Árvore brônquica: características e funções

A árvore brônquica é o conjunto de estruturas que compõem o sistema respiratório humano responsável por conduzir o ar para os pulmões e distribuí-lo de forma eficiente para os alvéolos. É composta por uma série de tubos e ramificações que se estendem a partir da traqueia até os bronquíolos terminais. As principais funções da árvore brônquica incluem a filtragem, umidificação e aquecimento do ar inspirado, além de garantir a troca gasosa nos pulmões. É um sistema complexo e vital para a nossa respiração e manutenção da vida.

Função e definição da árvore brônquica no sistema respiratório humano: um guia informativo.

A árvore brônquica é uma parte essencial do sistema respiratório humano, responsável por transportar o ar para os pulmões. Ela é composta por uma série de ramificações dos brônquios principais, que se dividem em bronquíolos e, por fim, em alvéolos pulmonares.

Os brônquios são revestidos por uma camada de células ciliadas que ajudam a filtrar partículas indesejadas presentes no ar inalado, enquanto os bronquíolos são responsáveis pela troca gasosa nos alvéolos. Essa troca de oxigênio e dióxido de carbono é essencial para a respiração celular e o funcionamento adequado do corpo.

Além disso, a árvore brônquica é responsável por regular o fluxo de ar para os pulmões, garantindo que a quantidade necessária de oxigênio seja fornecida às células do corpo. Qualquer obstrução ou problema na árvore brônquica pode levar a dificuldades respiratórias e outros problemas de saúde.

Portanto, é fundamental cuidar da saúde da árvore brônquica, mantendo hábitos saudáveis, evitando a exposição a substâncias nocivas e procurando ajuda médica em caso de sintomas respiratórios. A manutenção adequada da árvore brônquica é essencial para garantir uma respiração eficiente e a oxigenação adequada do corpo.

Funções dos brônquios: qual é o papel dessas estruturas no sistema respiratório?

A árvore brônquica é composta pelos brônquios, estruturas fundamentais do sistema respiratório. Os brônquios são responsáveis por conduzir o ar inspirado até os pulmões, permitindo a troca gasosa essencial para a vida. Além disso, eles desempenham um papel importante na proteção das vias respiratórias, filtrando partículas nocivas que possam estar presentes no ar.

Os brônquios também possuem células ciliadas que ajudam na remoção de muco e outras substâncias indesejadas dos pulmões, contribuindo para manter as vias aéreas limpas e saudáveis. Além disso, eles são responsáveis por regular o fluxo de ar para garantir uma ventilação adequada dos pulmões.

Portanto, os brônquios desempenham um papel crucial no sistema respiratório, garantindo a oxigenação do organismo e protegendo as vias aéreas de agentes agressores. Manter a saúde dos brônquios é essencial para uma respiração eficiente e para a prevenção de doenças respiratórias.

Qual é o papel principal dos brônquios no sistema respiratório humano?

A árvore brônquica é composta por uma série de tubos que se ramificam a partir da traqueia e se dividem em bronquíolos cada vez menores. Os brônquios são responsáveis por transportar o ar dos pulmões para o exterior e vice-versa, desempenhando um papel fundamental no sistema respiratório humano.

Relacionado:  As partes do coração e suas funções

Os brônquios atuam como um sistema de passagem para o ar, permitindo que ele chegue aos pulmões para a realização das trocas gasosas. Além disso, eles são revestidos por uma camada de mucosa ciliar que ajuda a filtrar partículas indesejadas do ar que respiramos.

Quando ocorre uma inflamação nos brônquios, como no caso da bronquite, por exemplo, a passagem de ar pode ficar comprometida, dificultando a respiração. Por isso, é importante manter os brônquios saudáveis através de hábitos de vida saudáveis e evitando a exposição a agentes irritantes, como a fumaça do cigarro.

Em resumo, os brônquios desempenham um papel essencial no sistema respiratório humano, garantindo a chegada e a saída do ar dos pulmões, bem como a proteção das vias aéreas contra agentes nocivos. Portanto, cuidar da saúde dos brônquios é fundamental para garantir uma respiração adequada e a manutenção da saúde pulmonar.

Qual é a importância dos bronquíolos no sistema respiratório humano?

Os bronquíolos desempenham um papel fundamental no sistema respiratório humano, sendo responsáveis por conduzir o ar dos brônquios até os alvéolos pulmonares. Essas pequenas vias aéreas são essenciais para garantir a ventilação adequada dos pulmões e a troca gasosa necessária para a respiração.

Os bronquíolos são estruturas ramificadas que se dividem a partir dos brônquios, ficando cada vez mais estreitos à medida que se aproximam dos alvéolos. Essa ramificação permite uma distribuição eficiente do ar pelos pulmões, garantindo que todas as áreas sejam ventiladas e participem da troca gasosa.

Além disso, os bronquíolos possuem células especializadas que produzem muco e células ciliadas que ajudam a limpar as vias aéreas, removendo partículas e agentes irritantes que possam estar presentes no ar inalado. Essa função de limpeza é essencial para manter a saúde dos pulmões e prevenir infecções respiratórias.

Em resumo, os bronquíolos são peças-chave no funcionamento do sistema respiratório humano, garantindo a ventilação adequada dos pulmões, a troca gasosa eficiente e a proteção contra agentes externos prejudiciais. Portanto, é fundamental manter essas estruturas saudáveis e funcionando corretamente para garantir uma respiração adequada e a saúde pulmonar.

Árvore brônquica: características e funções

A árvore brônquica é a ramificação dos elementos que nascem na traquéia, entre os alvéolos pulmonares e a laringe, e através dos quais o ar circula durante a respiração. Essa “árvore” é composta pela traquéia, dois brônquios principais, brônquios secundários ou lobares e vários brônquios terciários ou segmentares menores.

A partir dos brônquios principais, pode-se dizer que o direito se ramifica em três brônquios secundários, um para cada lobo do pulmão direito, enquanto o esquerdo, menor e mais longo, é dividido nos brônquios que passam pelos lobos inferior e superior do pulmão. esquerda O brônquio esquerdo é geralmente mais suscetível a bloqueios.

Relacionado:  O que são as Glândulas Cowper? (Glândulas bulboretrais)

Árvore brônquica: características e funções 1

A traquéia, então, se tornaria o tronco daquela árvore ramificada que transporta ar para os pulmões, enquanto os bronquíolos são os menores ramos.

Ao longo dessa árvore respiratória, existem glândulas mucosas que ocasionalmente podem ser encontradas na parede dos brônquios ou bronquíolos.

E as paredes de todas essas vias possuem uma musculatura suave com a qual é regulada a quantidade de ar que irá para os pulmões.

Os brônquios segmentares ou bronquíolos terminais se dividem em média 23 vezes, e os primeiros 16 servem como um espaço para o transporte de gás de e para o exterior.

Nas seguintes divisões (17, 18 e 19), os alvéolos aparecem e as últimas 2 ou 3 divisões se alinham com os alvéolos, formando assim a zona respiratória da árvore brônquica.

De fato, essa divisão final é chamada de bronquíolo respiratório e também se ramifica em vários ductos alveolares para cumprir essa função.

Função da árvore brônquica

Essa estrutura anatômica complexa é o que permite a difusão de oxigênio e dióxido de carbono no organismo humano, bem como a troca de gases entre o ar nos pulmões e o sangue nos capilares.

Este último ocorre especificamente através das paredes dos ductos alveolares e alvéolos.

As paredes brônquicas também podem ter células exócrinas bronquiolares (também chamadas de células do clube), cuja função não foi determinada com segurança pela ciência, embora se acredite que elas possam ter alguma função sintética e secretora especializada.

Doenças relacionadas à árvore brônquica

Algumas das doenças relacionadas a qualquer parte da árvore brônquica são:

Asma

A asma é uma doença causada pela obstrução dos tubos brônquicos. Sua manifestação externa inclui pieira, falta de ar ou dor no peito ao respirar.

É uma doença incurável que afeta cerca de 300 milhões de pessoas no mundo.

Para controlar seus sintomas, o tratamento com broncodilatadores geralmente é indicado para manter as vias aéreas abertas e os corticosteróides inalados para reduzir a inflamação.

Bronquite

É uma patologia causada por inflamação das vias aéreas brônquicas devido, geralmente a uma infecção ou alergias, embora outras causas devam ser descartadas.

Quando essa inflamação ocorre, o seguinte é que o revestimento dos tubos brônquicos é preenchido com secreções, portanto o tratamento pode incluir antibióticos e vaporizadores.

Broncoespasmo

Ocorre devido à contração dos músculos lisos dos brônquios e bronquíolos. Manifesta-se com tosse intensa e chiado no peito, e pode ser o resultado de uma lesão ou irritação das membranas mucosas do trato respiratório.

Tais lesões podem ser causadas por uma infecção ou alergia. O tratamento do broncoespasmo é semelhante ao da asma porque se trata de liberar espaço nas vias aéreas para os pulmões.

Relacionado:  Sistema circulatório: funções, partes, tipos, doenças

Bronquiectasia

Esta doença consiste na dilatação irreversível da árvore brônquica como resultado de infecções sérias ou recorrentes no trato respiratório.

Manifesta-se com tosse crônica e, às vezes, pode haver expectoração, tosse com sangue e dor no peito. Antibióticos e expectorantes aparecem no tratamento.

Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)

É uma doença caracterizada pela obstrução da passagem de ar pelas vias aéreas devido à inflação nos pulmões e tubos brônquicos. Manifesta-se com tosse e fadiga com dificuldade em respirar.

Geralmente é acometido por fumantes ativos ou passivos e também ocorre como resultado de doenças crônicas como bronquite crônica, enfisema, asma ou bronquiectasia.

Um tipo de DPOC é o enfisema, causado por danos aos alvéolos, diminuindo a quantidade de oxigênio que entra no sangue. Pode causar tosse e falta de ar.

O enfisema pode ser tratado com inaladores, medicamentos e, algumas vezes, é realizada cirurgia para evitar complicações.

Procedimentos médicos de diagnóstico

Para diagnosticar o estado das partes que compõem a árvore brônquica, existem alguns procedimentos:

Broncoscopia

É um procedimento que permite visualizar a árvore brônquica até o nível dos brônquios segmentares.

É normalmente praticado para obter amostras de líquido ou tecido dessa área através de lavagem broncoalveolar, escovação e / ou biópsia transbrônquica.

Após a análise microbiológica e histopatológica dessas amostras, é possível diagnosticar com alguma precisão e certeza alguma patologia pulmonar.

Espirometria

É o teste que permite medir a quantidade e a velocidade da saída de ar durante a respiração para determinar se há alguma obstrução nos brônquios.

Este teste mede a quantidade de ar expelida no primeiro segundo, que deve ser de 100% para ser considerada normal ou correta.

Idealmente, esse teste deve ser repetido minutos depois, após a administração de um broncodilatador para determinar a diferença de valores e verificar a relevância de um tratamento com esse tipo de medicamento.

É feito com um espirômetro, que é um instrumento para medir a capacidade e o volume dos pulmões.

Radiografia de tórax

Permite visualizar boa parte do sistema respiratório para descartar infecções, aspiração de corpos estranhos e / ou malformações brônquicas.

Teste de picada

Consiste na injeção, no antebraço, de certos alérgenos para medir a reação na pele da pessoa.

Embora seu objetivo seja determinar se a pessoa é alérgica e a quais substâncias ele é alérgico, é um procedimento de rotina para pessoas que sofrem de asma.

Referências

  1. Enfisema (s / f). Brônquios Recuperado de enfisema.net.
  2. Harrison, RJ (1955). Anatomia da árvore brônquica. Journal of Anatomy, 89 (Pt 2), 268. Recuperado de ncbi.nlm.nih.gov
  3. King, David (2016). Anatomia Recuperado de siumed.edu.
  4. Dicionário médico Árvore brônquica Recuperado de: medical-dictionary.thefreedictionary.com.
  5. Niven, Alexander e outros (s / f). Distúrbios do pulmão e trato respiratório. Recuperado de msdmanuals.com.

Deixe um comentário