Desagregação familiar: causas, consequências, soluções

A desintegração familiar é a separação de um casal com crianças e as consequências que isso provoca. Ao deixar um dos membros do núcleo da família, é gerada uma desestabilização na operação do mesmo. Esse problema tornou-se cada vez mais sério nas sociedades desenvolvidas.

Devido à crescente taxa de divórcios e separações, mais e mais famílias nas quais o núcleo da família se desintegra. Os principais afetados por isso são as crianças, embora todas as pessoas envolvidas tendam a sofrer consequências negativas.

Desagregação familiar: causas, consequências, soluções 1

Ao mesmo tempo, o rompimento da família pode ser causado por outros motivos que não o rompimento do casal. Por exemplo, a morte de um dos cônjuges, sua transferência para outro país ou abandono também pode estar por trás dessa situação muito complexa.

Neste artigo, estudaremos por que exatamente ocorre o colapso da família, além de quais são as conseqüências mais graves e as maneiras pelas quais podemos tentar resolvê-lo.

Causas

A forma mais básica de separação da família é o abandono do lar por um dos pais. No entanto, esse fato pode ocorrer por várias razões diferentes. A seguir, veremos alguns dos mais comuns.

Divórcio

Sem dúvida, um dos fatores que mais influenciaram o aumento dos casos de desintegração familiar é o grande número de divórcios nos países ocidentais. Nas últimas décadas, mais e mais casais decidem se separar e seguir seu próprio caminho.

As causas para o aumento de divórcios são múltiplas e muito complexas. Por exemplo, o surgimento de leis que permitem a separação sem conseqüências negativas seria um dos mais importantes.

Por outro lado, o acesso das mulheres ao mundo do trabalho e, com ele, sua independência econômica em relação ao marido também lhes permitiram encerrar as relações com quem não se sente confortável. Isso ajudaria a explicar por que mais de 70% dos divórcios e separações são iniciados por mulheres.

Finalmente, nas sociedades ocidentais, passamos de um modelo em que a família foi valorizada acima de tudo para cuidar especialmente do nosso bem-estar individual.

Em geral, isso faz com que, se alguém sente um problema em um relacionamento, tende a encerrá-lo, em vez de tentar resolver o que acontece.

Infidelidade ou abandono

Os casos em que um dos membros do casal trai o outro ou o deixa também aumentaram bastante nas últimas décadas. Geralmente, isso pode ser ainda mais traumático para as crianças do que um divórcio amigável.

As consequências dessas situações podem ser a separação definitiva ou apenas temporária; mas, devido à maior carga emocional que elas implicam, as crianças podem ser marcadas mesmo se, no final, houver uma reconciliação.

Morte de um dos pais

No caso de um dos pais morrer enquanto os filhos são jovens, eles sofrerão muitas das consequências de um colapso familiar causado por outros motivos.

Embora, é claro, seja impossível controlar essas situações, é necessário estar ciente de como a morte de um dos pais pode afetar os menores da casa.

Emigração

Devido à instabilidade econômica de alguns países, alguns membros da família precisam morar em outro país para conseguir dinheiro para sustentar seus filhos.

Nesse caso, mesmo se não houver sérios conflitos emocionais entre os pais, também podem ocorrer consequências negativas se a situação for mal gerenciada.

Também é possível que um dos pais precise se mudar para outro país temporariamente por motivos de trabalho. Isso tende a causar menos problemas em crianças, mas ainda é uma situação delicada.

Violência doméstica

Uma das razões mais sérias para o aparecimento da desintegração familiar é a violência. Quando um dos adultos ataca o outro, as crianças podem ser marcadas psicologicamente. Nesses casos, geralmente é necessário que eles recebam ajuda de um profissional.

Dependência

Finalmente, a perda de um dos pais devido a um vício de qualquer tipo também pode ser um evento muito traumático para as crianças.

Ter um pai ou mãe alcoólatra viciado no jogo gerará todo tipo de emoções negativas e situações perigosas na vida dos pequenos.

Consequências

Sem dúvida, embora os membros do casal que se separa também sofram, os filhos mais afetados pelo colapso da família.

Numerosos estudos sugerem que essas situações trazem todos os tipos de consequências graves para a vida dos pequenos. A seguir, veremos alguns dos mais importantes.

Violência e crime

Várias pesquisas sugerem que filhos de famílias desintegradas tendem a ser mais violentos e agressivos do que aqueles que cresceram em um ambiente seguro. Além disso, eles também tendem a ter mais problemas com a justiça.

Isso parece ser especialmente verdadeiro se o membro que deixa a família é o pai, por razões que ainda não são totalmente claras.

Vícios

Outro dos problemas mais graves dos filhos de famílias não estruturadas é que eles podem cair mais facilmente em vícios como álcool ou drogas. Este é sem dúvida um dos maiores perigos dessas situações para a sociedade como um todo.

Distúrbios psicológicos

Filhos de famílias desintegradas tendem a desenvolver problemas mentais, como depressão ou ansiedade, em taxas muito maiores do que aquelas que cresceram em famílias estáveis. Nos casos mais graves, isso pode até causar danos pessoais e suicídio.

Problemas de relacionamento

As crianças aprendem a se relacionar com os outros, observando os pais. Caso a interação entre eles não tenha sido a melhor, as crianças crescerão sem saber exatamente como se comportar com outras pessoas.

Isso parece especialmente verdadeiro no caso de relações com o sexo oposto. Assim, jovens de famílias desintegradas frequentemente apresentam problemas em encontrar um parceiro ou em mantê-lo a longo prazo.

Dificuldades econômicas

Finalmente, perder um dos pais geralmente faz com que a família passe por mais dificuldades econômicas do que o habitual. Isso tem todos os tipos de consequências negativas que se somam às da desintegração familiar.

Soluções

O aumento dos casos de desintegração familiar e as conseqüências negativas dessas situações despertaram alarmes de especialistas de todos os tipos.Assim, psicólogos, sociólogos e assistentes sociais tentam encontrar uma solução para esse grave problema.

Embora uma resposta definitiva ainda não tenha sido encontrada, existem algumas medidas que podemos tomar para evitar os efeitos mais negativos do colapso da família.

Educação emocional

Ensinar as pessoas a entender o que sentem, entender os outros e trabalhar nesses dois pontos pode trazer muitos benefícios.

No caso de rompimentos familiares, isso pode servir para impedir alguns deles e para evitar algumas de suas conseqüências mais graves.

Alguns especialistas propõem incluir esse assunto como um estudo obrigatório em escolas e institutos, para educar as gerações seguintes desde o início. No entanto, ainda há muito o que fazer a esse respeito.

Novos modelos de família

Com as altas taxas de divórcio existentes hoje em dia, muitos especialistas concordam que os relacionamentos tradicionais dos casais não funcionam mais muito bem.

Portanto, é necessário encontrar outros modelos que nos permitam criar nossos filhos sem sofrer quando um divórcio ou um conflito grave ocorre.

Nesse sentido, existem muitas propostas. Por exemplo, quem vê a infidelidade como a principal causa do divórcio propõe como solução o estabelecimento de casais abertos.

Outros, que pensam que o problema é a precipitação ao estabelecer um relacionamento, acreditam que a chave é trabalhar na conscientização e na criação de habilidades relacionais mais fortes.

Alcançar maior estabilidade econômica

Uma das razões mais citadas como causa do divórcio é o surgimento de problemas econômicos no casal. Isso, em uma sociedade em crise e na qual os empregos estão se tornando menos estáveis, está se tornando uma situação particularmente comum.

Portanto, alguns especialistas recomendam que os casais não tenham filhos até que tenham uma situação econômica estável e segura.

Assim, muitas das causas que causam as separações simplesmente não apareceriam, e a desintegração familiar poderia ser evitada até certo ponto.

Ajuda profissional

Em algumas ocasiões, a separação da família e suas consequências não podem ser evitadas simplesmente com o esforço do casal. Nesses casos, ter a ajuda de um profissional especializado nesses tópicos pode ser muito útil.

Assim, a ajuda de um psicólogo parceiro pode ajudar a impedir a separação ou o divórcio, se os problemas não forem especialmente graves. Caso ocorra, o terapeuta pode ajudar as crianças a lidar com as consequências mais negativas de tais situações.

Referências

  1. “Desagregação familiar” em: Viver Melhor. Recuperado em: 15 de junho de 2018 de Live Better: vivirmejor.org.
  2. “Desintegração familiar: modalidades e efeitos nas crianças” em: Você é mãe. Retirado em: 15 de junho de 2018 de Eres Mamá: eresmama.com.
  3. “Causas de desagregação familiar” em: Living Better. Recuperado em: 15 de junho de 2018 de Live Better: vivirmejor.org.
  4. “Como a desintegração familiar afeta a criança?” In: Todos os pais. Retirado em: 15 de junho de 2018 de Todo Papás: todopapas.com.
  5. “Rompimento familiar” em: Wikipedia. Retirado em: 15 de junho de 2018 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies