Grupos secundários: características e exemplos

Grupos secundários: características e exemplos

Os  grupos laterais são grupos de  pessoas mais ou menos estáveis, inter-relacionados principalmente para um propósito comum ou porque as circunstâncias o exigem. Os relacionamentos entre seus membros tendem a ser superficiais e não muito íntimos, e geralmente desaparecem quando o objetivo comum não é mais perseguido.

Juntamente com os grupos primários, os grupos secundários formam a base de nossos relacionamentos sociais. Por esse motivo, a sociologia tenta compreendê-los em profundidade, sendo capaz de encontrar uma infinidade de teorias sobre sua natureza, suas características, como eles afetam seus membros e a forma como eles são formados.

Geralmente, uma pessoa começa a formar parte de um grupo secundário quando conhece um grupo de indivíduos com quem ele tem que viver ou colaborar devido às suas circunstâncias. Por exemplo, em um contexto de trabalho, o grupo de funcionários poderia formar um grupo dessa natureza.

Na maioria dos casos, os grupos secundários se dissolvem assim que o contexto ou a tarefa que levou à sua formação desaparece. Por esse motivo, eles não têm tanta influência sobre seus membros quanto os principais.

Além disso, os membros geralmente desempenham um papel bastante passivo em seu treinamento, e é raro encontrar conexões profundas entre os participantes.

Características dos grupos secundários

– Relações formais e impessoais

Em um grupo primário, seus membros geralmente formam laços profundos e duradouros um com o outro, de tal maneira que exercem uma grande influência mútua. Nos grupos secundários, por outro lado, as relações entre os membros são geralmente muito mais impessoais, têm um tom formal e dificilmente influenciam cada um deles.

Uma das conseqüências mais importantes dessa característica é que é raro encontrar calor ou apoio emocional nos relacionamentos de um grupo secundário. Geralmente, as interações entre seus membros são baseadas nas tarefas comuns que eles devem realizar e tendem a ignorar outros aspectos mais íntimos.

Por esse motivo, as pessoas pertencentes a um grupo secundário não exercem muita influência umas sobre as outras. Por exemplo, embora possamos nos importar com o que nossos colegas pensam de nós, suas idéias nunca terão tanto peso quanto as de nossa família, amigos ou parceiro.

Em alguns casos, mesmo os membros de um grupo secundário não precisam se conhecer pessoalmente ou sequer se conheceram. Por exemplo, os funcionários de uma empresa na Espanha não precisam conhecer seus colegas nos Estados Unidos ou na Colômbia.

– Grande número de membros

Devido às suas características, os grupos primários devem ser constituídos por um número limitado de membros. Por outro lado, os grupos secundários podem ter quantos componentes forem necessários, alguns deles consistindo em centenas de milhares de pessoas.

Por exemplo, algumas grandes empresas multinacionais poderiam formar grupos secundários desse tipo, com todos os seus funcionários fazendo parte de uma rede espalhada por todo o planeta, na qual seus membros têm um relacionamento muito próximo, mas com algumas características comuns.

– Associação opcional

Na maioria dos casos, a participação em um grupo primário não é opcional: a maioria das pessoas não escolhe entrar em uma família ou em um grupo muito próximo de amigos, mas circunstâncias e coincidências diferentes levam-nos a pertencer a um dos essas comunidades.

Pelo contrário, a participação em um grupo secundário geralmente é completamente opcional e, em muitos casos, é motivada por decisões conscientes do indivíduo. Por exemplo, ir trabalhar em uma empresa ou pertencer a um clube é algo que depende inteiramente da pessoa.

– Diferentes níveis de atividade dos membros

Já vimos que os grupos secundários tendem a ser grandes. Como conseqüência, seus membros tendem a desempenhar papéis muito diferentes e a agir de maneira totalmente diferente, dependendo de seus interesses, dos papéis que devem cumprir, de sua motivação e de seus objetivos.

Por exemplo, em um partido político, alguns membros atuam como porta-vozes e representantes, enquanto muitos se limitam a pagar sua taxa anual e prestam pouca atenção às decisões e ações dos demais.

– Existência de regras formais

Ao contrário do que acontece nos grupos primários, nos grupos secundários é muito comum que as relações entre seus membros sejam determinadas por uma série de regras formais e explícitas que todos os membros devem cumprir.

Essas regras são responsáveis ​​por manter a estabilidade do grupo e criar as melhores condições possíveis para atingir os objetivos para os quais foi criado.

Por outro lado, os grupos secundários geralmente têm algum tipo de hierarquia, com os que estão no topo da hierarquia encarregados de estabelecer as regras. Dessa maneira, cada um de seus membros sabe o papel que deve cumprir.

– Status depende da posição

Nos grupos primários, todos os membros têm uma posição social semelhante, e a natureza recíproca dos relacionamentos significa que não existe uma hierarquia muito forte.

Pelo contrário, nos grupos secundários, cada um dos membros tem um status diferente que depende em grande parte da posição social que ocupam e de seu papel dentro do grupo.

Assim, em uma empresa, o status social do chefe é muito mais alto do que o de cada um dos funcionários, que devem executar seus pedidos se não quiserem perder o emprego. Algo semelhante ocorre em outros contextos em que essa hierarquia é menos explícita, como em uma associação de bairro ou em uma igreja.

– Eles são orientados a objetivos

O objetivo principal de um grupo secundário é cumprir uma função específica. Por exemplo, uma escola visa proporcionar educação às crianças da região. O sucesso de um grupo secundário será, portanto, medido por sua capacidade de atingir seu objetivo.

Exemplos

Com exceção de nossa família, nossos amigos mais próximos e nosso parceiro, todos os nossos relacionamentos são formados no contexto de um grupo secundário.

Alguns dos exemplos mais comuns podem ser nossos colegas de trabalho ou de trabalho, membros de um clube ao qual pertencemos ou membros de um partido político.

Referências

  1. “Tipos de grupos sociais” em: Lumen. Retirado em: 17 de maio de 2020 da Lumen: cursos.lumenlearning.com.
  2. “Grupos secundários: funções, características, classificação e importância” em: Sua biblioteca de artigos. Recuperado em: 17 de maio de 2020, na Your Article Library: yourarticlelibrary.com.
  3. “Entendendo os grupos primários e secundários em sociologia” em: Thought Co. Recuperado em: 17 de maio de 2020 na Thought Co: thoughtco.com.
  4. “8 Principais características do grupo secundário | Sociologia ”em: Discussão em Sociologia. Retirado em: 17 de maio de 2020 na Sociology Discussion: sociologydiscussion.com.
  5. “Tipos de grupos sociais” em: Wikipedia. Retirado em: 17 de maio de 2020 da Wikipedia: en.wikipedia.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies