Tucídides: biografia, contribuições e obras

Tucídides (c. 460 aC – 396 aC) era um historiador ateniense considerado o pai da historiografia científica. Além dessa faceta, ele também foi militar durante a guerra que confrontou sua cidade-estado com Esparta.

Apesar de sua importância como iniciador do relato histórico científico, sem referência a fatos mitológicos, poucas informações sobre sua vida são conhecidas. A única coisa que chegou aos nossos dias sobre sua biografia foi o que ele mesmo contou em seu trabalho.

Tucídides: biografia, contribuições e obras 1

Fonte: usuário: shakko [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], do Wikimedia Commons

O historiador foi nomeado responsável pela defesa de Atenas durante a guerra. No entanto, uma derrota o levou a ser exilado, sem saber com certeza qual era o lugar escolhido para passar esses anos fora de seu estado.

Seu único trabalho foi História da Guerra do Peloponeso , na qual ele relatou os eventos que ocorreram durante o conflito. Composto por oito volumes, não foi concluído. No entanto, seus escritos influenciaram a historiografia posterior, além de conter importantes contribuições para a ciência política.

Biografia

Como observado acima, quase não existem dados sobre a vida do autor. As únicas referências biográficas encontradas são precisamente as que o próprio Tucídides deixou em seu trabalho. Nele, ele indicou sua nacionalidade, laços familiares e a localização de seu nascimento.

A Atenas em que Tucídides viveu passou por um período de grande esplendor. Isso a tornara a capital cultural e econômica da Grécia antiga. O historiador era contemporâneo de Anaxágoras e Sófocles, bem como o considerado pai da história, Heródoto.

Também se sabe que Tucídides estava relacionado ao grupo de intelectuais e artistas reunidos por Péricles e Aspasia.

Origem

Tucídides nasceu em Atenas por volta de 460 aC. C. dentro da importante família das filas. Entre seus ancestrais estava um dos heróis da batalha de Maratona.

Sabe-se que seu pai, Óloro, possuía várias minas e que sua mãe era parente da casa real dos trácias. Essa posição privilegiada permitiu que os jovens Tucídides recebessem uma grande educação.

Estrategista

Tucídides foi nomeado estrategista quando a Guerra do Peloponeso estourou em 424 aC Alguns especialistas apontam que a riqueza da família ajudou a alcançar essa importante posição apesar de sua juventude. Sua missão era organizar a defesa da cidade contra ataques inimigos.

No entanto, seu desempenho acabou causando seu exílio. Comandando a frota encarregada de defender os portos marítimos, o atraso em sua chegada antes do ataque espartano a Anfípolis fez Atenas perder várias posições, mantendo apenas o porto de Eyon. O castigo foi o exílio, vivendo no exílio por vinte anos.

Relacionado:  Conferência de Teerã: Principais Características

Por outro lado, antes que isso acontecesse, ele adoecera na epidemia de peste que atingiu a cidade. Durante sua convalescença, ele começou a escrever seu grande trabalho.

Exílio

Tucídides não deixou por escrito o local onde passou aqueles anos de exílio, então seu destino não é conhecido com certeza. Se, por outro lado, sabe-se que ele recebeu informações precisas sobre os movimentos de guerra desenvolvidos por ambos os lados.

Da mesma forma, há referências que indicam que ele manteve contato com a família real da Macedônia, bem como com o círculo de artistas que o rei daquele país reuniu ao seu redor.

Apesar de vir de uma família bastante conservadora, durante esses anos ele deixou sua admiração por Péricles e pelo regime democrático instalado em Atenas.

Durante esse exílio, Tucídides conseguiu ordenar seus pensamentos e experiências sobre a guerra. Ele fez uma análise detalhada dos fatos, refletida em sua História da Guerra do Peloponeso.

Deve-se notar que, hoje, apareceu um fluxo de pesquisadores que questiona a condição de exílio de Tucídides.

Morte

Como em grande parte da vida de Tucídides, não se sabe quais foram as circunstâncias de sua morte. De fato, sabe-se apenas que isso aconteceu por volta de 395 aC, sem sequer conhecer o lugar.

Uma das teorias contribuídas por alguns biógrafos indica que ele poderia ter sido morto. No entanto, a única evidência fornecida por esses pesquisadores é a interrupção abrupta de seus trabalhos, no meio de uma frase.

Contribuições

Tucídides é considerado o pai da história contada a partir de uma perspectiva científica. Isso se deve à imparcialidade com a qual ele tentou relacionar os fatos, algo que assume maior importância se considerarmos que os eventos relatados estavam ocorrendo enquanto os escrevíamos.

O historiador foi pioneiro na aplicação do método científico à historiografia. Seu objetivo era buscar a verdade, enquanto tentava encontrar as causas do que ele relatava. Assim, ele distinguiu entre motivos autênticos e o que chamou de “prótese”, que poderia ser traduzida como pretexto.

Da mesma forma, diferenciava totalmente os elementos fundamentais da história daqueles puramente anedóticos. Por fim, destaca a organização sistemática de eventos, dependendo de sua relevância.

Relacionado:  Como foi o governo tolteca? Caracteristicas

Historiografia científica

Sua maneira de coletar informações, sempre em busca da verdade dos fatos, é uma das principais razões pelas quais Tucídides é considerado o pai da historiografia científica.

Outro aspecto fundamental para essa consideração é a análise do que ele estava dizendo, sempre tentando encontrar a relação causa-efeito. Ao contrário de seus antecessores, ele o fez sem recorrer à mitologia, à intervenção dos deuses gregos sempre presentes.

Antes de Tucídides, era comum contar a história como se fosse uma história de momentos passados, sem prestar atenção ou diferenciar o que era real ou o que era mitologia.

As características de seu método historiográfico foram: autoria ou relato direto do que estava acontecendo; saphes, que é a busca do verdadeiro e não do estético; areté, a eliminação de adjetivos para os personagens; gnomai, a união dos planos humanos com o destino; e toda a profecia, que é a busca de causas reais.

Ciências Políticas

Outra contribuição de Tucídides tem sido sua contribuição para a ciência política. Embora os historiadores tenham contado apenas o que aconteceu na guerra, seu trabalho acabou sendo uma referência para essa disciplina.

Sua importância reside nas explicações precisas sobre as causas e o desenvolvimento do conflito. Segundo muitos autores, estes podem ser extrapolados para grande parte das guerras que ocorreram na história da humanidade.

Política comparativa

Embora, possivelmente, não fosse sua intenção, o trabalho de Tucídides também lançou as bases da política comparada. O historiador descreveu as diferenças entre os diferentes sistemas políticos existentes nas cidades em conflito. Assim, em Atenas havia uma democracia, enquanto Esparta era governada pela oligarquia.

Armadilha de Tucídides

Historiadores, políticos e especialistas em relações internacionais costumam usar a expressão “armadilha de Tucídides” para explicar as relações internacionais. O conceito nasce diretamente de seu trabalho e não perde relevância desde então.

Em geral, refere-se à tensão estrutural letal produzida quando uma nova potência aparece e desafia a dominante até aquele momento. O último força as situações indiretamente, de modo que uma guerra eclode, que levará à supremacia antes que o novo poder se torne forte demais.

Trabalhos

Tucídides escreveu apenas uma única obra que, além disso, não terminou. Trata-se da História da Guerra do Peloponeso , da qual ele foi testemunha direta, inclusive participando dela.

Segundo suas próprias palavras, seu objetivo era expor “… a história da guerra entre os peloponeses e os atenienses, contando como suas hostilidades se desenvolveram”.

Relacionado:  Colonia no Chile: características, sociedade, economia

História da Guerra do Peloponeso

A peça narra o conflito bélico entre Atenas e seus aliados (a Liga de Delos) e Esparta e a deles (a Liga Peloponnesiana). A guerra durou mais de duas décadas, de 431 aC a 404 aC. O vencedor foi Esparta, que acabou com o domínio marítimo ateniense. No entanto, o livro não é suficiente para dizer o fim, pois foi cortado no ano 411 aC

Segundo o autor, a guerra começou com o medo dos espartanos antes do crescente imperialismo de Atenas. Além disso, o poder econômico deste último era muito maior, causando a suspeita de Esparta.

A história da guerra do Peloponeso é dividida em oito volumes. Tucídides começou a remontar à história antiga da Grécia, contando os antecedentes que causaram o conflito.

Depois disso, ele passou a contar sobre o desenvolvimento da guerra e, finalmente, dedicou seus últimos livros à paz de Nicias e às guerras da Sicília e dos Jônios.

Metodologia e estilo

A relevância de Tucídides, além de sua própria história, deve-se à sua nova metodologia para contar a história. O autor é o primeiro a usar uma cronologia exata dos eventos para estruturar o trabalho, tentando evitar qualquer anedota que o afaste do importante.

O único momento para abandonar o relato dos eventos que estavam acontecendo é quando você tenta explicar as causas, explicando, por exemplo, o nascimento do império ateniense.

Outra novidade é o uso de discursos, aos quais dá atenção muito especial. Não há como saber se os que ele incorporou em seu trabalho eram reais ou não, mas eles certamente oferecem uma boa perspectiva do que estava em jogo na época.

Finalmente, o estilo de Tucídides também apresentou inovações diante de seus antecessores. O historiador optou por criar uma obra divertida e compreensível para qualquer pessoa, deixando de lado o estilo épico e lento dos historiadores anteriores.

Referências

  1. Instituto de Estudos Clássicos em Sociedade e Política “Lucio Anneo Seneca”. Tucídides Obtido em portal.uc3m.es
  2. Biografias e vidas. Tucídides Obtido de biografiasyvidas.com
  3. Fernández Rei, Maria. Um pioneiro chamado Tucídides. Obtido em muyhistoria.es
  4. Wycombe Gomme, Arnold. Tucídides Obtido em britannica.com
  5. Lloyd, James. Tucídides Obtido em ancient.eu
  6. Grandes pensadores Tucídides Obtido em thegreatthinkers.org
  7. Gilchrist, Mark. Por que Tucídides ainda é importante Obtido em thestrategybridge.org
  8. Grécia Antiga Tucídides Obtido em ancientgreece.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies