As 7 partes principais de uma obra escrita

As partes mais importantes de uma obra escrita são a capa, a introdução, o índice, o desenvolvimento, a conclusão, a bibliografia e as notas. Ao fazer esse trabalho, o ideal é começar com o título ou tópico que estará na capa, fazer uma compilação das fontes bibliográficas e continuar com a introdução. O desenvolvimento será baseado nas fontes encontradas, embora outras possam ser consultadas de acordo com as necessidades que surgirem.

Uma obra escrita é a expressão gráfica e estruturada de um assunto estudado. É um relatório relativamente extenso e argumentativo. Esses tipos de obras também são conhecidos como obras monográficas ou monografias.

As 7 partes principais de uma obra escrita 1

Eles organizam e apresentam os dados sobre um determinado assunto que foram consultados em diferentes fontes ou referências. Esses trabalhos devem ter um objeto de estudo pré-estabelecido para iniciar o processo de investigação, descoberta e coleta das informações a serem tratadas.

A linguagem das obras escritas deve ser escrita de forma clara, precisa e de acordo com as normas correspondentes. Trabalhos escritos ajudam a medir a capacidade dos alunos de investigar, sintetizar e traduzir informações em um trabalho.

Geralmente, esses trabalhos têm uma estrutura bem definida e padronizada. Um dos objetivos desses trabalhos para os alunos é que o professor possa incutir disciplina e pesquisar rigor ao aluno, realizando o projeto.

Você pode estar interessado nesses 15 tópicos interessantes para investigar futuros trabalhos escritos que você precisa fazer.

Peças que compõem um trabalho escrito

1- Capa

A capa é a porta de entrada para o trabalho, declara o assunto e o autor. Ela também apresenta a instituição que patrocina essa pesquisa, além da data, cidade e quem é o guardião da mesma.

Anteriormente, o título do mesmo era feito com animações ou letras do chamado “WordArt”, agora é recomendável evitar esse costume. Outro aspecto que foi deixado para trás nas capas é o uso de imagens.

Relacionado:  Malibu (Drink): História, Destilação e Receitas

2- Introdução

É sempre a parte inicial do trabalho, é aplicada a todos os tipos de trabalhos escritos, ensaios ou livros. A função da introdução é colocar o leitor no contexto, isto é, sintetiza resumidamente o que será desenvolvido no corpo do trabalho ou desenvolvimento.

Todos os tipos de trabalhos científicos atendem a essa condição, embora exija outros nomes, como prefácio, resumo ou síntese. A idéia é sempre a mesma, familiarizar o leitor com o assunto que será tratado na obra escrita.

Se olharmos para a parte etimológica da palavra introdução, descobrimos que ela vem do latim e significa “ação e efeito de introduzir algo ou de se introduzir em algo”.

Toda introdução deve desenvolver uma breve descrição do assunto. Então você deve mostrar como o trabalho foi realizado e por que foi realizado. Se o autor desejar, ele pode explicar brevemente os métodos usados ​​para realizar essa pesquisa.

3- Índice

É onde estão localizados os títulos e legendas da obra escrita, e também as páginas em que podem ser encontrados diretamente. Diz-se que é a expressão numérica total do trabalho com base na fragmentação de temas e subtemas.

Essa lista ordenada de capítulos ou seções permite que quem lê leia o conteúdo e a página de localização. Nos trabalhos escritos, aparece após a introdução e em alguns livros ao final.

Podemos encontrar diferentes tipos de índices, como onomástica, terminologia, bibliografia, conteúdo ou topografia. Sempre, a função do índice é conhecer os tópicos e poder localizá-los rapidamente.

4- Desenvolvimento

Também chamado de corpo de trabalho. É a apresentação do sujeito investigado como tal e, portanto, a parte mais extensa da obra escrita. Esse corpo é uma construção dinâmica que apresenta de maneira lógica e analítica o que é observado na introdução.

Relacionado:  Comida típica de Bogotá: os 5 pratos mais destacados

O corpo do trabalho escrito fornece todas as informações que foram pesquisadas sobre o assunto. Ou seja, constitui o coração e a alma do trabalho. Classicamente, sempre houve introdução, desenvolvimento e conclusão, mas hoje os trabalhos escritos para serem aceitos requerem outros elementos.

O desenvolvimento pode ser apresentado com ou sem partes. Geralmente, geralmente é dividido em partes e sub-partes. Na primeira parte, é demonstrado o detalhe da situação, na segunda parte são analisados ​​os dados obtidos na investigação e, finalmente, os resultados da mesma são analisados ​​e interpretados.

Entretanto, essa não é uma estrutura fixa; em estudos jurídicos, as partes introdutórias e analíticas devem ser uma.

5- Conclusão

Como o nome indica, a conclusão da investigação é a parte em que as inferências, os aspectos mais relevantes e / ou os resultados obtidos após o processo de investigação são claramente determinados.

A conclusão de uma frase é composta pela repetição da tese, depois uma recomendação e finalmente uma frase que estabelece a previsão.

Normalmente, a conclusão se encaixa perfeitamente em uma página. Devemos ter muito cuidado com a apresentação do mesmo; recomenda-se apresentá-lo em parágrafos muito curtos e bem concentrados para evitar desviar a atenção.

Esses parágrafos curtos geralmente são emoldurados por números ou pontos de bala; eles também podem ir sozinhos, dependendo do gosto do autor e das regras da instituição ou presidente que orientam o trabalho escrito.O que nunca pode expressar uma conclusão e é frequentemente usado são estes três aspectos:

  • Use a estrutura de pesquisa teórica para reforçar os resultados obtidos.
  • Destaque a importância pessoal dessa pesquisa para o autor.
  • Anexar conclusões dos trabalhos de outras pessoas nunca pode ser o mesmo, apesar da semelhança do assunto.
Relacionado:  Diversidade étnica no Peru: as 10 aldeias mais importantes

6- Bibliografia

As bibliografias listam e referenciam as fontes das quais as informações foram obtidas. É a lista do grupo de textos que foram utilizados como ferramentas de consulta no momento da redação.

Se olharmos para sua etimologia, a palavra bibliografia vem do grego “biblion”, que significa livro, e de “graphien”, que significa escrever. Bibliografias fornecem validade e base para trabalhos de pesquisa.

Esse suporte documental é geralmente de grande interesse para as pessoas que decidem aprofundar o assunto. Eles geralmente estão localizados no final do texto e classificados em ordem alfabética.

7- Notas

Eles não são estritamente necessários em trabalhos escritos. No entanto, eles são válidos se o autor quiser reforçar as citações que ele não pôde incluir no corpo ou comentários importantes sobre o assunto.Cada nota geralmente possui um número correlativo e sua extensão é da preferência do autor.

Referências

  1. Acosta, J; Andrade, M. (2012) A Monografia . Recuperado de: monografias.com.
  2. Conceito de (2015) Introdução . Recuperado de: concept.de.com.
  3. Orna, E. (2001) Como usar informações em trabalhos de pesquisa . Gedisa editorial. Barcelona Espanha.
  4. Tovar, A. (2011) Como fazer uma boa cobertura para um emprego? Recuperado de: nedeltoga.over-blog.es.
  5. Universidade de Oviedo (2007) Corpo de trabalho . Recuperado de: unioviedo.es.
  6. Hernandez, R; Fernandez, c; Baptista, P (1991) Metodologia de Pesquisa . Editorial Mc Graw Hill.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies