As 8 regiões naturais mais relevantes do Peru

O Peru é um país conhecido por sua diversidade de paisagens e ecossistemas, que se refletem em oito regiões naturais distintas. Cada uma dessas regiões apresenta características únicas, desde a costa desértica do Pacífico até as altas montanhas dos Andes e a densa floresta amazônica. Essas regiões desempenham um papel crucial na biodiversidade do país e na sustentabilidade de sua rica cultura. Neste artigo, exploraremos as oito regiões naturais mais relevantes do Peru, destacando suas particularidades e importância para o país.

Conheça as diversas regiões geográficas do Peru em nossa lista completa.

O Peru é um país diversificado, com oito regiões geográficas distintas que apresentam uma variedade de paisagens e ecossistemas. Cada região possui características únicas que a tornam relevante para a geografia do país.

As regiões mais relevantes do Peru são: Costa, Sierra, Selva, Altiplano, Puna, Yunga, Quechua e Suni. Cada uma dessas regiões possui sua própria geografia, clima e biodiversidade, o que contribui para a riqueza natural do Peru.

A Costa peruana é conhecida por suas praias e desertos, enquanto a Sierra é caracterizada por suas montanhas e vales. A Selva é uma região de florestas tropicais e rios, enquanto o Altiplano é uma região de planaltos e lagos. A Puna é uma região de altas montanhas e pastagens, enquanto a Yunga é uma região de florestas úmidas e vales profundos.

A região de Quechua é conhecida por suas terras férteis e cultivo agrícola, enquanto a Suni é uma região de pastagens e colinas. Cada uma dessas regiões desempenha um papel importante na geografia e na biodiversidade do Peru, tornando-o um país verdadeiramente diversificado e único.

Portanto, ao explorar as diversas regiões geográficas do Peru, é possível apreciar a beleza e a variedade de paisagens que o país tem a oferecer. Desde as praias da Costa até as montanhas da Sierra, o Peru é um destino imperdível para os amantes da natureza e da geografia.

Aspectos naturais do Peru: conheça as belezas naturais desse país surpreendente da América do Sul.

O Peru é um país rico em belezas naturais, com uma diversidade de paisagens que vão desde a costa do Pacífico, passando pelos Andes até a Floresta Amazônica. Conheça as 8 regiões naturais mais relevantes desse país surpreendente.

1. Costa

A costa do Peru é banhada pelo Oceano Pacífico e possui praias paradisíacas, como a famosa Praia de Máncora. Além disso, é possível encontrar desertos costeiros e cidades históricas, como Lima, a capital do país.

2. Sierra

A região dos Andes peruanos é conhecida pelas suas montanhas imponentes e pela presença de sítios arqueológicos, como Machu Picchu. As cidades de Cusco e Arequipa também são destaques nessa região.

3. Selva

A Amazônia peruana é uma das regiões mais biodiversas do mundo, com uma variedade de flora e fauna impressionante. Os rios Amazonas e Ucayali cortam essa região, proporcionando paisagens deslumbrantes.

4. Altiplano

O Altiplano peruano é uma região de planícies elevadas, localizada entre os Andes e a Cordilheira Real. O Lago Titicaca, o mais alto lago navegável do mundo, está localizado nessa região.

5. Deserto

O deserto costeiro do Peru é uma das regiões mais áridas do mundo, com dunas de areia que se estendem até o mar. A Reserva Nacional de Paracas é uma das atrações mais visitadas nessa região.

6. Planície

A região de planícies do Peru é caracterizada por extensas áreas de vegetação rasteira e pastagens. É nessa região que se encontra a Reserva Nacional de Tambopata, conhecida pela sua biodiversidade.

7. Cordilheira

As cordilheiras peruanas são conhecidas pela sua beleza cênica e pelos desafios que oferecem aos montanhistas. A Cordilheira Branca e a Cordilheira Huayhuash são destinos populares para quem busca aventuras na montanha.

8. Bosque seco

O bosque seco do Peru é uma região de vegetação típica de clima árido, com árvores adaptadas à escassez de água. A Reserva Nacional de Bosque de Pomac é uma das áreas preservadas mais importantes desse ecossistema.

Relacionado:  Bear Lake: história, características, rios que correm

Essas são apenas algumas das regiões naturais mais relevantes do Peru, um país que encanta pela sua diversidade e riqueza natural. Se você é um amante da natureza, não pode deixar de conhecer as maravilhas que esse país tem a oferecer.

O destaque do Peru: descubra as maravilhas e peculiaridades desse país sul-americano.

O Peru é um país sul-americano que se destaca pela sua diversidade de paisagens e ecossistemas. Com oito regiões naturais distintas, o país oferece uma variedade de experiências únicas para os visitantes. Desde as altas montanhas dos Andes até a selva amazônica, o Peru é verdadeiramente um paraíso para os amantes da natureza.

Uma das regiões mais impressionantes do Peru é a costa desértica, onde os visitantes podem explorar belas praias e cidades históricas. Outro destaque é a região dos Andes, lar de picos nevados, vales férteis e antigas ruínas incas. A região amazônica, por sua vez, oferece uma experiência única de imersão na selva tropical, com uma flora e fauna exuberantes.

Além disso, o Peru também abriga regiões de altiplanos, como o famoso Lago Titicaca, considerado o lago navegável mais alto do mundo. As regiões costeiras do norte e do sul do país também são de grande importância, com suas paisagens únicas e rica história arqueológica.

Em resumo, o Peru é um país que encanta pela sua diversidade natural e cultural. Se você é um amante da natureza e busca por experiências únicas, não pode deixar de explorar as maravilhas e peculiaridades desse país sul-americano.

Divisão territorial do Peru: entenda como o país é categorizado geograficamente.

A divisão territorial do Peru é baseada em suas oito regiões naturais, que são categorizadas de acordo com suas características geográficas distintas. Essas regiões são a Costa, a Serra, a Selva, o Altiplano, as Lagoas, os Vales Interandinos, a Montanha e a Amazônia.

A Costa é a região localizada ao longo do litoral do país, caracterizada por suas praias, desertos e vales férteis. A Serra é a região montanhosa dos Andes, com picos nevados e vales profundos. A Selva é a região da floresta amazônica, conhecida por sua biodiversidade única. O Altiplano é a região das planícies elevadas dos Andes, onde se encontram os famosos lagos Titicaca e Ururo. As Lagoas são as regiões de lagos e pântanos, como a região de Marañón e Huallaga. Os Vales Interandinos são as áreas férteis entre as montanhas dos Andes. A Montanha é a região das cordilheiras dos Andes, com picos que ultrapassam os 6.000 metros de altitude. E a Amazônia é a região de floresta tropical, lar de uma incrível diversidade de flora e fauna.

Essas oito regiões naturais do Peru desempenham um papel fundamental na diversidade geográfica e cultural do país, influenciando aspectos como o clima, a flora, a fauna e as tradições locais. Ao compreender a divisão territorial do Peru, é possível apreciar melhor a riqueza e a complexidade deste país sul-americano.

As 8 regiões naturais mais relevantes do Peru

As oito regiões naturais do Peru foram o resultado de uma investigação encarregada do geógrafo peruano Javier Pulgar Vidal e formulada em 1938.

O autor dividiu os Andes em regiões e os classificou de acordo com clima, relevo, solo, grupos humanos, latitude, altitude, flora e fauna.

As 8 regiões naturais mais relevantes do Peru 1

As culturas antigas dos Andes peruanos tinham conhecimento geográfico, mas com nomes diferentes. Após a chegada dos espanhóis, eles impuseram geografia, zoologia e toponímia a essa cultura.

Suas regiões foram catalogadas de três maneiras: as planícies ou costas, que eram terras planas; as serras, de grande comprimento e elevação; e as montanhas, que eram as regiões mais altas, florestadas e fluviais.

Toponímia é a ciência que estuda os nomes dos lugares. Thumb fez um trabalho completo em todas as regiões e as identificou de acordo com suas características.

Dali surgem os nomes das regiões Chala , Yunga , Quechua , Suni, Puna, Janca ou Cordilheira, Rupa-Rupa ou High Forest, Omagua e Low Forest.

O Peru está localizado na região tropical, mas, ao mesmo tempo, possui diversos climas, que vão de temperaturas quentes a frias em diferentes regiões.

Relacionado:  Rio Luvironza: Geografia e principais características

Isso acontece graças à complexidade das cadeias montanhosas que compõem o território peruano.

As 8 regiões naturais do Peru

1- Região de Chala ou Costa

Entre os vários significados de Chala estão “região de névoas” e “milho que cresce lotado”.

Também é conhecido como “grosso ou acolchoado”. Esses nomes são dados devido às densas nuvens de seus céus e à abundância de pedras no chão.

Seu relevo costeiro é plano e ao mesmo tempo ondulado, com áreas montanhosas na costa.

Existem dunas e desertos que atravessam rios, além de uma espécie de oásis que desce dos Andes, promovendo atividades agrícolas e gerando uma grande produção de algodão e cana-de-açúcar.

O clima de Chala é quente, chuvoso e úmido, totalmente tropical; e é conformada por vários tipos de vegetação, entre eles a vegetação marinha, os manguezais, os arbustos, as samambaias e a vegetação que flutua na água.

No litoral, existem poucas espécies de animais. Entre elas estão as aves marinhas Huanay, que contribuem para a agricultura devido à sua fertilização. Existem também leões-marinhos e anchovas.

Região de Yunga

O nome yunga ou yunca significa em quíchua “vale quente”; assim, os incas chamavam essa região e se referiam aos habitantes nativos como yuncachos.

Além disso, os habitantes de Cusco também usaram o termo yunga para se referir a uma selva ou montanha alta.

O relevo de Yunga é montanhoso e rochoso, conformado por estreitos vales férteis de ravinas profundas e íngremes.

Não era uma região muito povoada devido às suas florestas íngremes e é caracterizada por seus dois tipos de altitude: yunga marítimo e rio yunga.

O clima de Yunga é chuvoso, com denso nevoeiro e uma temperatura de 22 ºC. Apresenta clima de primavera ao longo do ano e é considerada uma área onde predominam culturas de frutas como goiaba, pinha, pepino, macieira, entre outras.

Na yunga existem vários animais, como a doninha vermelha, o macaco caiu, a raposa da montanha, a anta, o condor andino, o gato das pastagens e os diferentes tipos de pássaros.

Região Quechua

Seu nome se traduz em quíchua como “terra de climas temperados”. Esta é a região mais populosa dos Andes do Peru. Suas cidades importantes são Cusco, Huancayo, Jauja, Canta, Tarma, Arequipa e Ayacucho.

O relevo dessas terras é montanhoso, mas, por sua vez, existem áreas planas com colinas de declínio suave.

Essas áreas são chamadas de colinas e são compostas por desfiladeiros e planícies que se entrelaçam com rios.

O clima em quíchua é ameno e chuvoso. Nos meses de primavera e inverno, há intensa insolação devido à transparência da atmosfera.

Por outro lado, há um intenso contraste do clima: durante o dia há um sol forte e à noite há um forte frio.

Este solo é rico para produção agrícola devido à sua abundante vegetação medicinal e seus animais.

Nesta região, são cultivados milho, trigo, batata, feijão, olluco, ganso, cevada, ervilha e frutas; Você pode encontrar mais de 300 espécies de plantas, bem como uma variedade de aves, como falcões, huipicho, aguiaguas e outros espécimes.

Região Suni ou Jalca

Este nome vem do quíchua, que significa “região alta”, devido ao seu enorme comprimento.

Os nativos são conhecidos como shucuy, e a maioria é dedicada à reprodução de animais.

Esta região é composta por muros de pedra que cercavam vales e pampas, e seu relevo é rochoso com colinas quebradas e picos agudos.

É considerada uma área de mineração devido ao seu solo rico em minerais; Portanto, a produção agrícola é escassa.

O clima de Suni é frio e seco, com temperatura média de 11 ºC, mas no inverno pode variar de -1 ºC a -16 ºC.

Entre sua flora estão diversas plantas medicinais, além de alguns produtos como arroz, algodão, cana-de-açúcar, muña, ancião, quinoa, mashua e olluco.

Relacionado:  Os 4 desertos mais importantes da Colômbia

Neste território, você pode encontrar animais como coelhos andinos, raposas, porquinhos-da-índia, falcões, águias, ursos andinos, beija-flores , beija-flores e o condor.

Puna ou região andina superior

Puna significa “doença da altitude”, seu nome se deve ao fato de os visitantes deste local geralmente sentirem desconforto devido à falta de oxigênio nos pântanos andinos. Alguns dos sintomas são dores de cabeça, náusea, vômito e tontura.

O relevo desta zona é conformado em sua parte mais larga por platôs inclinados. Em outros lugares, há terrenos planos e ondulados; ao redor existem vários lagos e lagoas.

O clima de Puna é frio, com temperaturas variando entre 20 ºC e -0 ºC. A precipitação de granizo e neve ocorre entre dezembro e março.

Uma das climatologias características de Puna é que é uma área quase seca, que produz pele seca para forasteiros.

A vegetação é selvagem e é usada como alimento animal. A fazenda de gado é a principal atividade econômica da zona: são criados de gado, ovelhas e auquénidos, além da lhama e da alpaca.

Quanto à produção agrícola, a batata amarga e a cevada são encontradas nessa área.

Janca ou região da Cordilheira

Janca significa “branco” por seu relevo íngreme e rochoso, coberto de neve nas geleiras.

A cordilheira de Carabaya e a cordilheira Branca são as montanhas com neve permanentemente. Segundo Pulgar Vidal, essa é a região mais alta dos Andes.

As montanhas de Janca têm um relevo rochoso, íngreme, íngreme e coberto por enormes blocos de gelo.

Essas geleiras estão sujeitas a processos de erosão, que se partem em muitos pedaços da rocha mãe.

A temperatura desta região é fria, seu clima varia de 20 ° C a -0 ° C, mas geralmente é mantido a -0 ° C, pois geralmente há neve.

Apesar do frio intenso, são feitas expedições científicas e turísticas para escalar os picos nevados de Huascarán, Alpamayo, Pastoruri e Huandoy.

Região Rupa-Rupa ou Alta Selva

A palavra Rupa-Rupa vem do quíchua e significa “quente”. Essa região também é conhecida como selva alta por suas florestas e vales da Amazônia.

Seu relevo é muito complexo, entre vales largos e estreitos, e também existem declives extremos, cachoeiras e montanhas.

A selva alta tem um clima tropical, úmido e quente. Esta região é considerada a mais chuvosa do Peru, a temperatura é mantida entre 22 ºC a 25 ºC e pode atingir até 36 º C.

A agricultura é o grande poder econômico do Peru, uma vez que são produzidas várias culturas de café, coca, chá, banana e frutas.

Além disso, possui uma fauna variada, com diferentes tipos de peixes, répteis, sucuris, pássaros, insetos, tigres, onças, preguiças, macacos, peixes-boi, entre muitas outras espécies.

Omagua ou selva baixa

A palavra omagua é o nome de uma tribo e significa “região de peixes de água doce”.

Isto é devido aos vários peixes encontrados nos amplos rios da área; Omagua também é conhecida como Floresta Baixa ou Planície Amazônica.

O relevo desta região é íngreme, coberto de planícies pantanosas com uma densa floresta virgem que é cercada por amplos rios.

Omagua tem um clima quente, úmido e chuvoso. O calor é permanente o dia todo; É considerada uma região de altas temperaturas, atingindo um máximo de 41 ºC e, ao mesmo tempo, é o local mais chuvoso do mundo.

Na selva baixa, você encontra mais de 200 espécies de plantas, entre elas mogno, ceibo, ilhó e ayahuasca.

Quanto à fauna, é reconhecida por seus peixes, pois reúne mais de 600 espécies e vários tipos de tartarugas.

Referências

  1. As oito regiões naturais. Fonte: worldhistory.biz
  2. Jordana Dym. Mapeando a América Latina: um leitor cartográfico. Fonte: books.google.com
  3. Regiões naturais do Peru. (2015). Fonte: salkantay.net
  4. Jayla Farnum Peru: Oito regiões naturais. (2015). Fonte: slideplayer.com
  5. Helaine Silverman Manual de Arqueologia da América do Sul. Fonte: books.google.com

Deixe um comentário