Bullying no México: estatísticas, casos e associações

O assédio moral no México é um dos maiores problemas neste país. Segundo as estatísticas coletadas em 2017, o México é o país do mundo com mais casos de bullying registrados por ano. A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico estima que cerca de 18,8 milhões de estudantes do ensino básico já sofreram assédio.

Devido à gravidade do problema e ao número de casos registrados, os especialistas estão tentando investigar o bullying no México de maneira multidisciplinar. Adicionando casos de assédio tradicional e cyberbullying , estima-se que uma em cada quatro crianças sofra desse problema ao longo da vida.

Bullying no México: estatísticas, casos e associações 1

As conseqüências desses números alarmantes são extremamente preocupantes: nos estados de Chihuahua, Guanajato, Nuevo León, Jalisco, Puebla, Estado do México, Cidade do México e Tabasco (onde ocorre o maior número de casos) 59% dos Suicídios de crianças entre 10 e 13 anos são devidos a bullying.

Estatisticas

A ONG internacional Bullying Sin Fronteras coletou dados da Espanha e da América Latina. Segundo pesquisa realizada por esta instituição, os casos de bullying dispararam no México nos últimos anos. De fato, este estudo indica que o país da América Central está liderando o mundo em termos de número de casos de bullying .

No total, a lista dos 20 países com mais casos de bullying no mundo (em ordem) é a seguinte: México, Estados Unidos, China, Espanha, Japão, Guatemala, República Dominicana, Costa Rica, Honduras, El Salvador, Brasil , Argentina, Chile, Uruguai, Bélgica, Itália, Suécia, França, Dinamarca e Noruega.

Devido à preocupação com os dados, a ONG decidiu investigar mais profundamente os tipos de bullying que ocorrem e seus motivos. Os resultados foram os seguintes:

– 85% dos casos de bullying ocorrem na escola.

Relacionado:  22 exemplos de energia potencial na vida diária

– 1 em cada 4 crianças (e de acordo com algumas fontes, incluindo 1 em 2) sofreu ou sofrerá bullying em algum momento de sua vida.

– 82% das crianças com deficiência sofrem bullying. Esse número aumenta no caso de homossexuais, que o sofrem em até 90% dos casos.

– Apenas 20% dos casos de assédio são comunicados aos professores; O resto nunca é relatado.

– 60% dos perseguidores fazem parte de pelo menos um incidente criminal na vida adulta, depois de abandonarem a educação.

– O bullying faz com que cerca de 3 milhões de crianças mexicanas faltem à escola todos os anos.

Cases em Destaque

Embora todos os casos de bullying sejam preocupantes, às vezes há alguns que despertam todos os alarmes da imprensa e os responsáveis ​​pela segurança no sistema educacional.

No México, esses tipos de casos de bullying extremo ocorrem com relativa frequência. A seguir, descreveremos dois dos casos mais chocantes.

Assediado por seu sotaque

Este caso foi soado especialmente na mídia mexicana porque o incidente foi gravado em vídeo. Na filmagem, você pode ver uma briga entre menino e menina, ambos pertencentes à escola primária José María Morelos e Pavón de Hermosillo, na cidade de Sonora.

A garota protagonista do vídeo era frequentemente assediada por seus colegas de classe por causa de seu sotaque, originário de outra região do país. As duas crianças começam a usar violência física, coçando, empurrando e puxando os cabelos, enquanto o resto da turma registra tudo com o celular.

A certa altura, a criança sai da sala de aula, mas apoiada pelos gritos de seus colegas de classe (com mensagens como “uma garota bateu em você” e “você é o homem, devolva-o!”), Volta à aula e agarra a companheiro do pescoço. Sem controlar sua força, ela a estrangula até que a garota esteja inconsciente.

Relacionado:  36 frases nahuatl e seu significado em espanhol

O incidente teve repercussões para a escola, uma vez que tanto a professora quanto a diretora foram demitidas pela Secretaria de Estado. Os pais da menina decidiram deixar Sonora para evitar problemas semelhantes no futuro.

Morto por seus companheiros

Sem dúvida, um dos casos mais macabros registrados nos últimos tempos é o ocorrido em junho de 2011 no Colégio de Bacharéis do Estado de Morelos (Cobaem).

Durante esse incidente, um dos alunos da escola foi encontrado morto após receber uma surra de seus colegas de classe. A autópsia mostrou que a causa da morte foi violência, já que a criança havia se sufocado ao sofrer golpes pesados ​​em várias áreas do abdômen.

De acordo com a reconstrução dos fatos, o jovem recebeu uma surra particularmente brutal antes de ir para a aula e, durante o dia escolar, começou a se sentir mal. Quando os serviços de emergência foram notificados, era tarde demais e o garoto não pôde ser ressuscitado.

Associações e instituições contra assédio

Devido ao grande número de casos de bullying que ocorrem no México todos os anos, nos últimos tempos foram criadas inúmeras associações que buscam lidar com esse problema crescente.

Por seu lado, o governo também respondeu criando instituições e campanhas contra o bullying. Algumas das entidades mais importantes são as seguintes:

– Secretária de Educação Pública.

– Desenvolvimento Familiar Integral.

– Fundación En Movimiento.

– Instituto Mexicano de Prevenção Integral.

– Rede dos direitos da criança no México.

Como agir em caso de bullying ?

Se você suspeita que seu filho ou um de seus alunos possa estar sofrendo de um caso de bullying , aqui está uma série de recomendações para ajudá-lo nessa situação difícil:

Relacionado:  Qual é o significado de Sinaloa?

– Ele gera um espaço seguro de comunicação com ele, para que ele não se sinta julgado, não importa o quê. Se a criança sentir que pode confiar em você, ele falará mais livremente sobre seus problemas.

– Ajude-o a entender o que está acontecendo. Faça-o ver que o fato de estar sendo intimidado tem mais a ver com um problema de perseguidor do que com um dele; mas, ao mesmo tempo, incentive-o a melhorar, se achar que isso pode ajudá-lo a superar a situação.

– Procure ajuda profissional. Às vezes, os adultos se sentem desamparados diante de um problema que está além de nós. Se você acha que seu filho está sofrendo bullying, pedir ajuda de um psicólogo ou de uma associação de bullying pode economizar muito sofrimento.

Referências

  1. “Bullying. México Estatísticas 2017 ”em: Bullying Sin Fronteras. Retirado em: 21 de março de 2018 de Bullying Sin Fronteras: bullyingsinfronteras.blogspot.com.
  2. “Bullying no México” em: Anti Bullying. Retirado em: 21 de março de 2018 de Anti Bullying: bullyingcaav.blogspot.com.
  3. “Um olhar multidisciplinar sobre o bullying no México” em: Conacyt Prensa. Retirado em: 21 de março de 2018 de Conacyt Press: conactyprensa.mx.
  4. “Seis casos escandalosos de bullying no México” em: No entanto. Retirado em: 21 de março de 2018 de No entanto: sinembargo.mx.
  5. “Diretório de instituições contra o bullying” em: Colégio de Bacharéis do Estado de Veracruz. Retirado em: 21 de março de 2018 do College of Bachelorors of the State of Veracruz: cobaev.edu.mx.

Deixe um comentário