Homicídio Simples: Características, Exemplos Reais

O homicídio refere-se a quando uma pessoa mata outra, agindo com malícia e intenções, mas sem circunstâncias adicionais que podem atenuar ou agravar o crime. É simples, pois nenhum outro elemento é incorporado. Um exemplo claro é um ladrão que acaba com a vida de um proprietário, que o descobre roubado.

Se um indivíduo for julgado e considerado culpado de um simples homicídio, ele será condenado de acordo com a legislação em vigor no caso específico. Normalmente, a pena varia de acordo com a existência de fatores agravantes, como um vínculo familiar com a vítima. O homicídio é regulamentado no artigo 138 do Código Penal.

Homicídio Simples: Características, Exemplos Reais 1

Este artigo tem a seguinte redação: “Quem matar outro será punido, como prisioneiro de assassinato, com pena de prisão de dez a quinze anos”.É necessário um resultado material específico (a morte de outra pessoa) para o crime de homicídio.

O homicídio simples pode ser causado por ação (esfaquear alguém) ou omissão (não fornecer comida a uma criança encarregada do homicídio).Nesses casos, não é relevante se a vítima sofre de uma doença que levará sua vida em breve; Isso não condiciona o crime de homicídio simples.

Caracteristicas

– O homicídio simples é regulado no artigo 79 do Código Penal. É considerado crime de ação, que também pode ser devido a omissão e resultado material. Sua principal característica é a existência de uma relação causal entre a ação do assassino e o resultado da morte.

– A existência de um sujeito ativo e passivo é característica do homicídio simples. O sujeito ativo pode ser qualquer um. Ele não precisa de nenhuma qualificação especial, pois não é um tipo agravado pelo link, como é o caso do parricídio.Um sujeito passivo também pode ser qualquer um, embora deva ser diferente do assassino; caso contrário, seria suicídio.

– De acordo com a legislação, homicídio significa matar outro e seus elementos são uma ação ou omissão causal, um resultado material, morte e um elemento subjetivo (fraude), o que implica a vontade de tirar a vida.

– É principalmente um crime de ação, uma vez que o ato de matar é quase sempre um procedimento ativo; no entanto, em alguns casos, pode ser confirmado por padrão. Quando se trata de homicídio por omissão, aparece a figura do garante, que tem o dever legal de agir para evitar o resultado da morte.

Exemplos reais

Assassinato de homicídio

Em 17 de abril de 2018, ocorreu um simples homicídio de um homem em La Laguna, Tenerife. Ele foi morto a tiros de um carro que fugiu. Mais tarde, a polícia localizou o carro em chamas nas proximidades. A agência Efe informou que o indivíduo sofreu dois tiros: no peito e na cabeça.

O homicídio ocorreu às 22 horas, quando ele deixou a Escola de Idiomas e estava prestes a entrar em seu veículo para voltar para sua casa depois da aula.

Este exemplo real é um homicídio simples, uma vez que não há indiferença, preço ou recompensa, nem repreensão. O que é encontrado é a intenção de acabar com a vida de outra pessoa.

Homicídio esfaqueado

É o caso de um homicídio em Alcalá de Henares, Madri, de um homem de 30 anos que foi esfaqueado. Na noite de 14 de março de 2018, a vítima foi encontrada em parada cardiorrespiratória. Ele ressuscitou, embora tenha morrido mais tarde no hospital.

Os serviços policiais e de emergência foram notificados pelos transeuntes que ouviram os gritos de socorro da vítima, que sofreu várias facadas no peito e no abdômen.

É um homicídio simples, sem alevosía, preço ou crueldade, embora exista vontade de matar.

Assassinato por tiros

Em 5 de março de 2018, ocorreu uma briga em um apartamento no bairro de Carabanchel e um homem de 19 anos de nacionalidade dominicana foi morto a tiros.

Os vizinhos foram os que alertaram a polícia para ouvir a discussão e um tiro. A polícia encontrou a vítima no desembarque, agora falecida. Este é outro exemplo de homicídio simples, sem fatores agravantes.

Diferença entre homicídio simples e qualificado

O homicídio qualificado ou agravado é regulado no artigo 139 do Código Penal. Indica que serão punidos com prisão de quinze a vinte e cinco anos, como prisioneiro de assassinato, que matará outro participando de qualquer uma das seguintes circunstâncias:

Com alegria.

– Por preço, recompensa ou promessa.

– Com crueldade, deliberada e desumanamente aumentando a dor do ofendido.

– Facilitar a prática de outro crime ou impedir sua descoberta.

Quando mais de uma das circunstâncias previstas na seção anterior coincidir com um assassinato, a pena será aplicada na metade superior ”.

Homicídios simples não têm essas circunstâncias; isto é, não é realizado com premeditação e não há planejamento prévio para analisar a vítima e seus hábitos para facilitar a prática do crime.

Também não há alevosía, que é uma maneira de reduzir ou eliminar as chances de defender a vítima. No homicídio simples, não há preço pago pela execução da vítima e não há crueldade em como matá-la.

Referências

  1. Jorge Buompadre (2004) Homicídio simples. pensamientopenal.com.ar
  2. Todo julgamento Homicídio simples e qualificado . Todojuicio.cl
  3. Enciclopédia Jurídica Homicídio simples Encyclopedia-juridica.com
  4. Hilda (2008). Homicídio simples Right.laguia2000.com
  5. Wikipedia Homicídio simples

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies