Mesolítico: origem, características, arte, economia, ferramentas

Mesolítico: origem, características, arte, economia, ferramentas

O Mesolítico é o período da pré-história localizado entre o Paleolítico e o Neolítico. O nome vem das palavras gregas mesos (médio) e lithos (pedra), para que possa ser traduzido como a Idade Média da pedra. Essa periodização, criada por John Lubbock em 1865, tem sido controversa e alguns historiadores preferem usar o termo epipaleolítico.

Embora existam diferenças cronológicas de acordo com o desenvolvimento de cada área do planeta, considera-se que o Mesolítico começou cerca de 12.000 anos atrás e terminou por volta de 4.000 aC. C. Este período está localizado na transição entre o Pleistoceno e o Holoceno, após o final da Era do Gelo.

Essa mudança climática foi responsável por muitas das mudanças sociais que ocorreram. O ser humano pôde deixar as cavernas onde se refugiou devido ao frio e, pouco a pouco, construiu pequenos assentamentos ao ar livre. Embora o nomadismo ainda tenha prevalecido nesta fase, o tempo gasto em cada campo aumentou.

Juntamente com o exposto, esse período também significou um aumento na colheita, com os primeiros exemplos de agricultura. A pesca foi outra atividade que passou por uma grande evolução, com novas invenções para obter mais capturas.

Origem

O Mesolítico começou na transição entre o Pleistoceno e o Holoceno, cerca de 12.000 anos atrás. Seu fim foi marcado pelo surgimento de novos modos de vida baseados na agricultura, algo que não aconteceu ao mesmo tempo em todo o planeta.

Dessa maneira, no Oriente Médio, o neolítico começou a tomar forma já em 9000 aC. C., enquanto na Europa Atlântica ou Escandinávia isso não aconteceu até 4.000 a. C.

Terminologia

O termo mesolítico foi criado pelo britânico John Lubbock em 1865, quando apareceu em seu Prehistoric Times . Neste trabalho, o autor estabeleceu a divisão da Idade da Pedra em três períodos diferentes: Neolítico (pedra nova), Mesolítico (pedra do meio) e Neolítico (pedra nova).

Durante muito tempo, o mesolítico foi considerado apenas como um período de transição entre os outros dois estágios. Essa consideração começou a mudar no início do século XX, quando os pesquisadores descobriram que havia uma clara continuidade cultural entre diferentes períodos.

Isso fez com que um novo termo fosse criado para nomear o Mesolítico: Epipaleolítico (acima do Paleolítico). O termo, no entanto, teve uma aceitação desigual entre os cientistas, algo que persiste hoje.

Melhoria climática

A mudança no clima global que começou há cerca de 12.000 anos atrás foi o fator fundamental para os seres humanos da época adotarem novos modos de vida.

No final da Era das Geleiras, tornou o clima mais ameno e permitiu que a flora e a fauna se multiplicassem. Algumas espécies adaptadas ao frio, como o mamute, foram extintas, algo em que a ação de caça do homem contribuiu significativamente. Outras espécies melhor adaptadas ao novo clima começaram a se espalhar.

Relacionado:  Democracia no Chile: história, características e transição

Os seres humanos foram capazes de deixar as cavernas que serviram de refúgio ao frio que reinava anteriormente. Durante o Mesolítico, os campos ao ar livre aumentaram, localizados em áreas que permitiam obter alimentos e matérias-primas.

Características Mesolíticas

O Mesolítico foi dividido pelos historiadores em duas etapas. O primeiro, chamado epipaleolítico, cobre aproximadamente a primeira metade, enquanto o segundo, o protoneolítico, foi o que deu lugar ao período seguinte, o neolítico.

Flora e fauna mesolíticas

O fim da Era do Gelo fez com que a vegetação crescesse em todo o mundo. Estepes apareceram pela primeira vez e depois exuberantes florestas. Graças a isso, os humanos foram capazes de incluir novos ingredientes em sua dieta.

A fauna, entretanto, também sofreu várias mudanças. Os animais acostumados ao frio e não extintos migraram para o norte, como foi o caso do bisonte e da rena. Outras espécies, no entanto, proliferaram. Isso incluía veados, pequenos mamíferos, gansos, javalis ou alces.

Menos nomadismo

As condições climáticas anteriores levaram o ser humano a se refugiar em cavernas. Com a melhoria do clima, já no Mesolítico, os assentamentos ao ar livre começaram a crescer. Isso não significa que o nomadismo foi abandonado, mas que, quando encontraram um lugar rico em recursos, montaram acampamentos e ficaram lá por mais tempo.

Esses assentamentos temporários costumavam estar localizados perto de rios ou em áreas onde a caça, a pesca e os produtos para coleta abundavam.

Essa mudança no modo de vida fez com que as primeiras famílias aparecessem. Com o tempo, esses grupos deram origem a clãs e, finalmente, tribos.

Por outro lado, os seres humanos desse período começaram a praticar uma agricultura rudimentar. Da mesma forma, as atividades de pesca aumentaram.

Religião

Os seres humanos mesolíticos praticavam religiões politeístas e cultivavam o pensamento mágico. O animismo foi a crença mais prevalente entre as sociedades daquele período.

Os restos arqueológicos encontrados mostraram evidências de que homens mesolíticos acreditavam na existência de seres sobrenaturais relacionados à pesca e caça, além de fenômenos naturais.

Nesta etapa histórica, apareceram os primeiros cemitérios. O culto à morte e aos antepassados ​​começaram a se desenvolver.

Arquitetura

Como observado, a mudança no clima global permitiu a construção dos primeiros assentamentos ao ar livre e, portanto, as primeiras casas a serem construídas. Estes eram muito simples e foram construídos usando apenas madeira e galhos de árvores.

Essas primeiras casas tinham apenas um quarto. Para torná-los mais resistentes, eles foram construídos semi-escavados.

Relacionado:  20 países imperialistas da história e suas características

Alimentando

Muitos dos animais que faziam parte da dieta humana durante a era paleolítica foram extintos ou migraram devido às temperaturas mais altas. Além disso, aumentou a vegetação, dando aos humanos mais opções de alimentação.

Ambos os fatores causaram uma mudança nos hábitos alimentares. Assim, os humanos começaram a caçar mamíferos menores e a pesca cresceu.

Revolução mesolítica

Embora os historiadores tenham tradicionalmente falado da revolução neolítica para descrever as grandes mudanças produzidas pelo surgimento da agricultura, muitos autores apontam que essa transformação realmente começou durante o mesolítico.

Foi nesse período que o estilo de vida sedentário começou a aparecer e alguns animais foram domesticados. Além disso, ocorreu a primeira expansão demográfica, favorecida pela invenção de novas ferramentas que aumentaram a produção de alimentos.

Arte mesolítica

O fim do Paleolítico Superior também significou o desaparecimento de suas manifestações artísticas e o surgimento de novos temas e estilos. Especialistas apontam que a arte mesolítica é difícil de datar, então existem várias periodizações.

As principais mudanças na arte ocorreram na arte parietal, que foi feita nas paredes das cavernas, e na arte de móveis, na de objetos pessoais. Além disso, os primeiros itens de cerâmica também apareceram.

Mudança nas representações

A arte mesolítica tinha um estilo racionalista e conceitual e era baseada no abstrato e no geométrico.

Alguns dos melhores exemplos dessa transformação estilística são devidos à cultura brasileira, localizada nos Pirenéus franceses e na costa espanhola da Cantábria. As descobertas arqueológicas mostram rochas decoradas com faixas, séries ramiformes ou pontos, todos de natureza abstrata e com simbolismo mágico.

Arte rupestre

O tema da arte rupestre evoluiu para representar cenas de caça, vida cotidiana e cenas rituais. Da mesma forma, também foram encontradas representações de ancestrais.

Na Espanha, na região de Levante, os artistas mesolíticos deixaram cenas com modelos mais esquemáticos que representavam movimento. Dentro das cavernas, cenas muito complexas de caça, dança e ritual foram pintadas. Algumas dessas pinturas refletem confrontos bélicos.

Economia

A economia mesolítica era puramente de subsistência. As principais atividades permaneceram as mesmas do Paleolítico: colheita e caça, fortemente associadas à pesca.

No entanto, começaram a surgir outras atividades que, mais tarde, causaram a chamada revolução neolítica: agricultura e pecuária.

Indústria de litíticos

Outra das transformações econômicas que ocorreram durante o Mesolítico tinha a ver com a indústria de pedra ou lítica. Os humanos da época desenvolveram uma indústria microlítica, com partes menores.

Essas novas ferramentas foram destinadas à caça e pesca. Entre eles estavam pontas de flechas, raspadores, ganchos ou buracos.

Ferramentas e invenções

Os seres humanos mesolíticos puderam contar com mais recursos naturais para fazer suas ferramentas. Isso levou a uma melhoria em sua qualidade e quantidade, com a invenção de novos utensílios para processamento de alimentos, como foices, moinhos de mão ou argamassas.

Relacionado:  O que era a anarquia militar do Peru?

A grande maioria dessas ferramentas foi feita de pedra, assim como durante o Paleolítico. A principal diferença foi, como observado, o aumento de sua qualidade.

Tecnologia

Os seres humanos tiveram que se adaptar ao desaparecimento de espécies animais grandes e normalmente lentas e à sua substituição por espécies menores e mais rápidas.

Para caçar aquelas novas presas ilusórias, eles tiveram que fazer novos tipos de armas. Graças ao microlítico, as ferramentas podem reduzir seu tamanho e ser mais gerenciáveis. Por outro lado, o osso mais leve começou a ganhar importância como matéria- prima.

Uma das melhorias mais importantes foi o desenvolvimento de pontas de flechas feitas de osso e madeira. Isso permitiu que suas presas fossem caçadas sem danificar as peles para que pudessem ser usadas.

Barco a remo

Entre as invenções que permitiram o boom da pesca, o barco a remo se destacou. Estes primeiros barcos eram muito simples e foram construídos com toras que foram unidas para formar um barco. Outra técnica era esvaziar um tronco em uma canoa.

Roda giratória

A fiação foi uma ferramenta que tornou possível costurar os pêlos com mais eficiência. Para isso, foi incorporado um mecanismo que foi ativado pressionando o pedal inferior.

Trenós 

Durante o Mesolítico, foram inventados alguns dos primeiros meios de transporte da história, o que facilitou algumas atividades econômicas e a transferência de caça e pesca.

Um desses transportes, além dos navios mencionados acima, eram trenós. A princípio eles foram puxados por pessoas, mas depois os animais começaram a ser usados.

Irrigação por valas

Como observado, o Mesolítico não se desenvolveu na mesma velocidade em todas as áreas do planeta. Especificamente, o progresso veio muito mais rápido no Oriente Médio.

Na Suméria, por exemplo, começaram a usar a irrigação por valas por volta de 5.000 aC Esse sistema permitia que a água fosse introduzida nos campos cultivados de uma maneira muito mais eficiente, o que causou uma grande melhoria na produtividade.

Referências

  1. EcuRed. Mesolítico. Obtido de ecured.cu
  2. Carreton, Adrian. O que era mesolítico? Obtido em patrimoniointeligente.com
  3. Ambientum. Mudanças climáticas mesolíticas. Obtido em ambientum.com
  4. Os editores da Encyclopaedia Britannica. Mesolítico. Obtido em britannica.com
  5. Anwar, Shakeel. A era mesolítica. Obtido de jagranjosh.com
  6. História curta. Mesolítico – Idade Média da Pedra. Obtido em shorthistory.org
  7. Hirst, K. Kris. Período Mesolítico, Caçador-Coletor-Pescadores na Europa. Obtido em thoughtco.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies