Músculos antigravitacionais: tipos, origem e inserção

Os músculos antigravitacionais ou antigravitacionais são um conjunto de grupos musculares cuja função principal é suportar a força da gravidade para manter uma certa postura no indivíduo saudável. O conjunto de fascículos musculares exerce funções de contra-regulação em favor de um eixo postural.

Este conjunto atua sinergicamente e harmonicamente para superar a força gravitacional e proporcionar estabilidade e equilíbrio. A importância dos músculos antigravitacionais em sua anatomia, fisiologia e distribuição é que sua alteração pode causar sérias repercussões na vida dos indivíduos devido ao seu envolvimento em movimentos passivos e ativos do corpo.

Músculos antigravitacionais: tipos, origem e inserção 1

Tipos

Os músculos antigravidade diferem dependendo do tipo de movimento que realizam. Os diferentes tipos que existem são descritos abaixo:

– Músculos antigravitacionais com movimentos na direção descendente (a favor da gravidade).

– Músculos antigravitacionais de movimento ascendente (contra a gravidade).

– Músculos antigravitacionais do movimento horizontal (perpendicular à força da gravidade).

Por outro lado, há também uma classificação dos músculos antigravitacionais que os divide de acordo com o tipo de ação que realizam:

– Músculos estáticos, que por serem usados ​​continuamente. Eles geralmente estão em um estado contraído e são caracterizados por serem os mais aptos a resistir ao alongamento.

– Músculos dinâmicos, que geram movimentos a partir da contração nas articulações. Eles estão mais aptos a realizar os movimentos.

Funções, origem e inserção

Entre as várias funções atribuídas aos músculos antigravidade, é possível detalhar a seguir:

– Função postural: é a função mais importante desse conjunto de músculos. Eles são responsáveis ​​por manter uma certa posição no indivíduo que se opõe à força da gravidade.

– Função proprioceptiva: como estruturas que possuem proprioceptores, são capazes de enviar informações dos segmentos corporais para o córtex cerebral.

Relacionado:  O que são túbulos seminíferos?

– Função de tonicidade: por sua tração contínua, eles são responsáveis ​​por dar ao organismo uma aparência de tonicidade.

Músculos antigravitacionais do peito e abdômen

Diafragma

Músculo que divide o tórax da cavidade abdominal, atuando como uma tinea anatômica. Proporciona estabilidade e equilíbrio ao corpo, e quando se contrai aumenta o esvaziamento do sangue que está no fígado.

Origem

Tem origens diversas, pois é composto por inúmeras fibras que possuem ancoragem ou ponto de apoio em todas as estruturas anatômicas que formam o orifício costal inferior.

Inserção

Tem um centro frenético em forma de trevo, onde todas as suas fibras musculares convergem.

Transversal

Músculo localizado abaixo do oblíquo do abdômen. Entre suas funções estão o aumento da pressão intra-abdominal e a constrição do abdômen, o que leva à sinergia nos processos de expiração, micção, defecação e todos aqueles que exigem aumento da pressão intra-abdominal.

Origem

Tem origem no aspecto medial da quinta ou sexta costelas e nos processos costiformes das vértebras lombares L1 – L5.

Inserção

É inserido na linha média do corpo, especificamente na linha pectineal, crista pubiana e linha alba, formando uma estrutura anatômica conhecida como arco de Douglas.

Músculos antigravitacionais do membro superior

Tríceps

Músculo localizado na parte de trás do úmero, sua principal função é a extensão do antebraço e do braço. É composto por 3 partes: uma longa, uma medial e uma lateral.

Origem

Sua porção longa se origina do tubérculo infraglenoide escapular, a porção lateral se origina acima do canal de torção umeral e a porção medial se origina imediatamente inferior ao canal de torção umeral.

Inserção

Eles são inseridos no olécrano através de um tendão comum chamado tendão do tríceps.

Relacionado:  Quais são os movimentos involuntários do ser humano?

Músculos antigravitacionais do membro inferior

Quadríceps femoral

Músculo localizado no membro inferior, na altura do fêmur; Sua principal função é a extensão do joelho. É o principal músculo antigravidade, suportando a maior quantidade de peso em si. É composto por 4 partes: uma lateral, uma medial, uma intermediária e uma anterior.

Origem e inserção

A vasta medial se origina da linha intertrocantérica até a linha áspera do fêmur, inserindo-se na rótula.

O vasto lateral se origina na parte externa e superior do fêmur e é inserido na zona inferior do trocânter maior.

O vasto intermediário se origina nos dois terços superiores da face lateral do fêmur, e o reto anterior nasce na coluna ilíaca inferior anterior e na sobrancelha cotilóide.

Juntas, todas as porções do quadríceps femoral se unem na parte mais distal do fêmur, formando um tendão volumoso que adere à base e aos lados da patela.

Gluteus medius

Músculo cuja função é abduzir e girar o fêmur.

Origem

Tem uma origem extensa na borda lateral da crista ilíaca, na fossa ilíaca externa, na aponeurose glútea e na espinha ilíaca superior anterior.

Inserção

É inserido na face externa do trocanter maior.

Gluteus maximus

É um músculo localizado ao nível da crista ilíaca com várias funções, dentre as quais se destacam a flexão da coxa na pelve e a recuperação da posição ereta a partir da posição agachada.

Origem

Sua origem está nos dois terços superiores da fossa ilíaca externa, no cóccix, nos ligamentos sacroilíacos e na parte posterior do sacro.

Inserção

É inserido na linha áspera na altura de sua trifurcação.

Iliopsoas

Músculo cuja ação é a de flexão do quadril.

Origem

Tem origem no processo transverso das vértebras lombares e da fossa ilíaca interna.

Relacionado:  Articulação glenoumeral: funções, anatomia, planos e eixos
Inserção

Trocanter menor do fêmur.

Adutor de quadril

Músculo composto de duas barrigas. Está localizado na coxa e tem uma forma triangular. Sua função é a retroversão da pelve, mantendo a coluna estável. Na altura do fêmur há adutor e rotador interno.

Origem

Tem origem na altura da pelve, nos dois terços posteriores do ramo isquiopubial.

Inserção

Uma de suas barrigas é inserida na linha áspera do fêmur e a outra na parte de trás do côndilo medial do fêmur.

Referências

  1. Músculos anti-gravitacionais e locomoção na corrida. Recuperado de: motricidadhumana.com
  2. Latarjet M. e Ruíz Liard A. Anatomia Humana. Editorial médico pan-americano. Barcelona (1993)
  3. Anatomia do exercício e movimento. Recuperado de: herrerobooks.com
  4. Biomecânica da força muscular e sua avaliação. Recuperado em: www.csd.gob.es
  5. Biomecânica do músculo. Recuperado de: fcs.uner.edu.ar

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies