O que são figuras de autoridade?

As figuras de autoridade em uma sociedade são os responsáveis ​​pelo monitoramento da conformidade com os padrões. Caso as regras não sejam cumpridas, as figuras de autoridade são responsáveis ​​por punir o infrator da maneira correspondente.

A sociedade espera que figuras de autoridade mantenham um compromisso com a imparcialidade que vá além dos interesses pessoais ou, em alguns casos políticos.

O que são figuras de autoridade? 1

As figuras de autoridade devem cumprir estritamente os preceitos estabelecidos pela sociedade e, assim, dar o exemplo e punir comportamentos errôneos.

As figuras de autoridade não se concentram apenas nas grandes sociedades, mas podemos encontrá-las na maioria dos grupos sociais, como uma família, ou ambientes, como escolas ou universidades.

As normas sociais que são aprendidas na infância através da figura da autoridade da família geralmente determinam o caráter da pessoa.

Essas normas sociais são polidas na escola onde o comportamento dos indivíduos nas interações com pessoas fora da família é aperfeiçoado.

Figuras de autoridade principais da sociedade

Podemos destacar as figuras de autoridade no governo, polícia, pais e mães e professores.

O governo

O governo cumpre a função de autoridade máxima no território soberano. Isso é responsável pelo sistema jurídico do país. Também é responsável por controlar e administrar as instituições do país, garantindo que elas sigam os preceitos marcados.

Nos estados democráticos, existe uma constituição. Nisto estão os preceitos básicos pelos quais todos os seus habitantes devem ser governados. O governo deve garantir que todas as obrigações sejam cumpridas sem exceção para seus cidadãos.

O governo, em suas tarefas de figura de autoridade, também deve garantir que os direitos de todos os cidadãos sejam cobertos ou garantir que eles estejam no futuro.

Relacionado:  Os 6 grupos indígenas de Chiapas mais importantes

O governo estabelece uma série de normas legais, o que é chamado sistema legal, que todos os cidadãos devem cumprir. É formado por regulamentos e tratados, e eles são a norma suprema do país.

Ser uma figura de autoridade é obrigado a punir a violação dessas séries de regras. Como um estado possui milhares de cidadãos, o governo delega a tarefa de punir os juízes e promotores que determinam o tipo de punição necessária, dependendo de cada falha.

Em um tribunal, o juiz é a figura de autoridade mais influente. Tem o poder jurisdicional de punir as falhas dos cidadãos através da lei e das normas legais.

Os policiais

A força policial é uma das ferramentas do governo para garantir o cumprimento dos regulamentos pelos cidadãos. É responsável por manter a ordem pública de um país e, portanto, a segurança de seus cidadãos.

Sua principal função como figura de autoridade é deter e investigar crimes, contra terceiros ou contra aqueles que alteram a ordem pública.

Se ocorrer um crime, eles têm o poder de prender pessoas suspeitas de ter cometido o crime e informar as autoridades competentes de que estabelecerão a punição, dependendo do crime cometido.

Para garantir sua posição como uma figura de autoridade, a polícia pode lidar com a punição de pequenas transgressões da lei. As citações relatam ofensas menores que os cidadãos podem fazer com a lei.

Essas citações geralmente são resolvidas através do pagamento de um pequeno título. As principais causas de citações pela força policial são devidas ao tráfego de veículos.

As alterações na ordem dos cidadãos quando estão dirigindo um veículo são punidas pela polícia sem a necessidade de um juiz para estabelecer a punição.

Relacionado:  Lenda da dama de vermelho: origem, história e curiosidades

Se o cidadão acha que a punição pela transgressão é excessiva, ele sempre pode recorrer a uma autoridade mais alta, como os juízes, para estabelecer qual das duas partes está certa.

Professores ou professores

Além de ensinar disciplinas específicas, os professores também são uma figura de autoridade encarregada de transmitir valores, técnicas e conhecimentos aplicáveis ​​à vida cotidiana dos alunos.

A função pedagógica ajuda o aluno a aprender, para que ele adquira o conhecimento necessário para participar da sociedade, da melhor maneira possível.

Os professores devem se comprometer com o ambiente social, treinando seus alunos para que adquiram valores e que sejam governados por um código ético.

O professor tem a responsabilidade e o compromisso de treinar as gerações futuras com qualidades que lhes permitam ser cidadãos claros sobre seus deveres e também sobre seus direitos.

Tem que ser capaz de treinar cidadãos humanistas, com uma atitude crítica e responsável em relação ao meio ambiente.

Pais e mães

Pais e mães são a primeira figura de autoridade que um indivíduo encontra. Eles não são apenas responsáveis ​​por cobrir as necessidades básicas, mas têm o dever de treinar os indivíduos para o contato com a sociedade.

É muito importante na vida de um indivíduo aprender quais são os limites permitidos. Isso começa com os limites que os pais impõem aos filhos.

Esses limites devem sempre ser razoáveis ​​e devem ser cumpridos. Na sociedade em que vivemos, onde o tempo é cada vez mais um recurso escasso, devemos ser consistentes com as limitações que impomos a nossos filhos.

Se impusermos uma regra em casa, os pais devem ensinar aos filhos que as regras existem para cumpri-las e que não podem pular nem mesmo em ocasiões especiais.

Relacionado:  Os 8 elementos mais relevantes da linguagem visual

As regras devem ser seguidas e os indivíduos devem estar acostumados a cumprir as regras impostas pelas figuras de autoridade.

Referências

  1. MOLPECERES, María Ángeles; LLINARES, Lucia I.; Bernad, Joan Carles. A percepção de figuras de autoridade formais e informais e a inclinação ao comportamento criminoso na adolescência: uma análise preliminar de seus relacionamentos.Intervenção Psicossocial , 1999, vol. 8, não 3, p. 349-367.
  2. JAUREGUIZAR, Joana; IBABE, Izaskun. Comportamentos violentos de adolescentes em relação a figuras de autoridade: o papel mediador de comportamentos anti-sociais.Revista de Psicologia Social , 2012, vol. 27, n. 1, p. 7-24.
  3. HENAO LÓPEZ, Gloria Cecília; RAMÍREZ PALACIO, Carlota; RAMÍREZ NIETO, Luz Angela. Práticas educativas familiares como facilitadoras do processo de desenvolvimento da criança.Ágora usb , 2007, vol. 7, não 2.
  4. MORENO RUIZ, David, et al. Relação entre o clima familiar e o ambiente escolar: o papel da empatia, a atitude em relação à autoridade e o comportamento violento na adolescência.Revista Internacional de Psicologia e Terapia Psicológica , 2009, vol. 9, não 1.
  5. ESTÉVEZ LÓPEZ, Estefanía, et al. Estilos de comunicação familiar, atitude em relação à autoridade institucional e comportamento violento de adolescentes na escola.Psicothema , 2007, vol. 19, não 1.
  6. ÁLVAREZ GALLEGO, Mónica María. Práticas educativas parentais: autoridade familiar, impacto no comportamento agressivo da criança.Revista Virtual Universidad Católica del Norte , 2010, no 31.
  7. RIGAU-RATERA, E.; GARCÍA-NONELL, C.; ARTIGAS-PALLARES, Josep. Tratamento de transtorno desafiador de oposição.Rev Neurol , 2006, vol. 42, não Supl 2, p. S83-S88.

Deixe um comentário