Os 10 problemas sociais mais graves da Colômbia

Os 10 problemas sociais mais graves da Colômbia

Alguns dos problemas sociais na Colômbia são corrupção, pobreza, desemprego, discriminação, dependência de drogas, desigualdade de classe ou delinquência juvenil.

A Colômbia é um Estado da América do Sul, cuja história tem sido cheia de problemas políticos, sociais e econômicos, incluindo corrupção, violação de direitos humanos, tráfico de drogas, entre outros.

De fato, a Colômbia é a nação ocidental com o pior histórico em direitos humanos, de acordo com os dados oferecidos pelos relatórios de direitos humanos realizados pelas Nações Unidas (ONU).

Os guerrilheiros, a corrupção, a produção e o tráfico de estupefacientes marcaram o país de maneira negativa e essa marca se traduz em múltiplos problemas sociais que agravam as já precárias condições do país.

Nos últimos anos, o país vem se recuperando. No entanto, com tantos problemas para resolver, as melhorias foram bastante lentas.

Principais problemas sociais na Colômbia

1- Corrupção

A corrupção é um dos problemas sociais mais prementes que a Colômbia enfrenta. Isso é evidente não apenas no governo, mas também na prática de muitas empresas multinacionais.

Um dos casos mais lembrados de corrupção foi o financiamento de grupos paramilitares por empresas de banana (principalmente a empresa americana Chiquita Banana Brands), que ocorreu entre 1996 e 2004.

A La Chiquita Brands estabeleceu relações ilegais com grupos paramilitares com o objetivo de controlar ilegalmente o movimento trabalhista: basicamente a formação de sindicatos e o direito a protestos sociais eram proibidos pelo terror infundido pelos grupos armados.

Investigações subsequentes realizadas sobre esse problema mostraram que a multinacional dos EUA entregou mais de US $ 1,7 milhão aos paramilitares colombianos.

Em 2007, a Chiquita Brands se declarou culpada pelo financiamento de grupos paramilitares e foi multada em US $ 25 milhões.

2- Desemprego

No início de 2017, a taxa de desemprego era de 11,7%, segundo dados fornecidos pelo Departamento Administrativo Nacional de Estatística da Colômbia.

3- Pobreza

Segundo o Departamento Administrativo Nacional de Estatística da Colômbia, em 2014, a linha de pobreza monetária por família era de US $ 894.922.

Isso significa que uma família com renda abaixo de 894922 pesos está incluída na facção pobre da população.

Relacionado:  Para que serve a música? 12 razões para ouvir

Para 2015, o percentual de pobreza monetária foi de 27,8%. Este número diminuiu nos últimos dois anos. No entanto, a taxa de pobreza monetária continua alarmante.

Por outro lado, o Departamento Administrativo Nacional de Estatística indicou que o valor da linha de extrema pobreza é de US $ 408.436. A porcentagem de pessoas em extrema pobreza foi de 8% em 2015.

Por fim, existe o índice multidimensional de pobreza, que se refere a cinco dimensões: (1) condições educacionais do lar, (2) condições da infância e juventude, (3) trabalho, (4) saúde e acesso a serviços públicos e (5) condições de moradia.

Segundo o Departamento, a taxa de pobreza multidimensional foi de 20,2% em 2015.

4- Discriminação

Em 2011, o Estado colombiano promulgou uma lei contra discriminação racial, de gênero, religião e orientação sexual, entre outras.

Foi criada uma lei contra o feminicídio, cuja sentença é de 21 a 50 anos, sem possibilidade de apelar para a redução da sentença.

No entanto, ainda existem casos de discriminação, sendo os mais frequentes os que envolvem tratamento desigual das mulheres.

Por outro lado, são apresentados casos isolados de discriminação em relação à religião, sendo a comunidade judaica uma das mais afetadas.

5- Toxicodependência

A toxicodependência é um problema que afeta principalmente os jovens colombianos. O aumento da taxa de dependência de drogas na Colômbia se deve em grande parte ao fato de o Estado ter controlado o tráfico de drogas no exterior, o que faz com que os produtores dessas substâncias alucinógenas busquem alternativas no mercado interno do país.

A maioria da população colombiana que consome drogas tem entre 10 e 24 anos de idade. Os narcóticos mais consumidos são cocaína, cannabis, heroína e alguns medicamentos prescritos.

O uso de drogas é um problema que afeta não apenas a saúde dos indivíduos, mas também agrava outros problemas sociais, como crime, abandono escolar, desemprego, entre outros.

6- Delinquência juvenil

Entre 2011 e 2014, entre 60 e 70 menores foram presos diariamente por terem cometido vários crimes, que incluíam, entre outros, uso de drogas, danos à infraestrutura pública, furtos e agressões.

Relacionado:  Qual é a parábola das 10 virgens?

De fato, crimes cometidos por jovens constituem cerca de 12% dos atos criminosos cometidos pela população colombiana em geral.

Esses dados são alarmantes, uma vez que os jovens são a geração de alívio. Se a delinquência juvenil continuar dessa maneira, o futuro do país estará cheio de criminosos.

7- Situação dos direitos humanos

A situação dos direitos humanos na Colômbia é a pior de todo o hemisfério ocidental.

Apesar de a constituição deste Estado garantir os direitos básicos do cidadão (direito à vida, liberdade, privacidade e justiça), os relatórios sobre direitos humanos na Colômbia, realizados pela Organização das As Nações Unidas mostram que o país apresenta problemas nas seguintes áreas:

– Integridade dos seres humanos. No que se refere à violação da integridade da pessoa, destacam-se os casos de privação de vida, desaparecimentos forçados de indivíduos e tortura e outras punições nas prisões e instalações militares.

– Corrupção. Em relação à corrupção, este é um problema sério no país. Os casos mais críticos de corrupção incluem o tráfico de drogas e o uso de forças paramilitares.

Discriminação.

8- Educação

A educação e o bem-estar de crianças e adolescentes geralmente são uma das principais preocupações dos colombianos. Até o momento, os recursos alocados ao treinamento não são suficientes para atender às necessidades de um bom sistema educacional.

A oferta pública é insuficiente e as escolas particulares são muito caras para a maioria dos cidadãos; muitos menores são forçados a desistir de ter a educação mais completa possível.

Por exemplo, a cada ano, 300.000 estudantes se formam no ensino médio e não conseguem acessar o ensino superior.

Isso faz com que a investigação fique estagnada ou pessoas não qualificadas para o emprego ingressem no trabalho. Na pior das hipóteses, o abandono escolar leva o jovem a optar por maneiras mais cruéis e menos éticas de sobreviver (crime, dependência de drogas, prostituição etc.).

9- Jogos de azar

O jogo é um fenômeno cada vez mais enraizado na população colombiana. Eles são, depois do Panamá, o país que mais joga no continente americano.

Relacionado:  O que é o processo econômico? Etapas e exemplos

A partir de 2012, em Bogotá, o número de cassinos passou de 450 para mais de 600, embora se calcule que existam mais de 2.000 ilegalmente apenas na capital colombiana. Além disso, deve-se notar que a chegada de casas de apostas on-line ampliou as possibilidades.

O problema reside no fato de a maioria dos jogadores e apostadores serem de classe baixa, o que leva a instabilidade econômica que pode colocar toda a família em risco. 

Há cada vez mais casos de pessoas viciadas em jogos de azar – os dados indicam que entre 5 e 19% da população -, sendo também o jogador médio cada vez mais jovem.

10- Seqüestros

O seqüestro tem sido uma mancha na história recente da Colômbia. Desde a década de 1970, quase 39.000 pessoas foram sequestradas, chegando a 10 casos por dia no final dos anos 90 e início dos anos 2000.

Felizmente, as medidas dos diferentes governos do século XXI conseguiram diminuir drasticamente os números. Passou de 3.500 casos em 2000 para 170 em 2018. 

A principal causa de sucesso foram as negociações com grupos paramilitares e os guerrilheiros das FARC, que são os principais responsáveis ​​pela maior parte dos seqüestros durante essas décadas.

No entanto, ainda é necessário continuar diminuindo o número e enfrentar novos desafios, como encontrar muitos desaparecidos e fazer justiça a eles.

Assuntos de interesse

Problemas sociais do México .

Problemas sociais do Peru .

Problemas sociais da Guatemala .

Referências

  1. Frydenberg (2001). Preocupação da adolescência com questões sociais. Recuperado em 25 de julho de 2017, de u25-ostschweiz.ch
  2. Colômbia. Recuperado em 25 de julho de 2017, de countrystudies.us
  3. Edições na Colômbia. Recuperado em 25 de julho de 2017, de dem.tools
  4. Corrupção. Recuperado em 25 de julho de 2017, em colombiareports.com
  5. Colômbia 2015, Relatório de Direitos Humanos (2015). Recuperado em 25 de julho de 2017, de state.gov
  6. Uma avaliação da questão e da pobreza na Colômbia. Recuperado em 25 de julho de 2017, de borgenproject.org
  7. Estatísticas de pobreza e desigualdade na Colômbia. Recuperado em 25 de julho de 2017, de colombiareports.com.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies