Os 31 países comunistas mais representativos

Os 31 países comunistas mais representativos ao redor do mundo compõem um grupo de nações que adotaram o comunismo como sistema político e econômico. Esses países compartilham ideologias e princípios comuns, baseados no socialismo e na busca pela igualdade social. Ao longo da história, o comunismo tem sido um tema central na política global, com influência significativa em diversas regiões do mundo. Neste contexto, os 31 países comunistas mais representativos desempenham um papel importante no cenário internacional, influenciando as relações entre as nações e as dinâmicas geopolíticas globais.

Quais são as nações mais conhecidas que adotaram o sistema comunista?

As nações mais conhecidas que adotaram o sistema comunista incluem a União Soviética, China, Cuba, Vietnã e Coreia do Norte. Estes países implementaram políticas socialistas visando a igualdade social e a distribuição equitativa de recursos.

Além desses países, existem outros 26 países que também adotaram o comunismo em algum momento de suas histórias. Entre eles estão países da Europa Oriental, como Albânia, Bulgária e Romênia, e países da África e Ásia, como Angola, Laos e Etiópia.

Apesar das críticas e controvérsias em torno do sistema comunista, esses 31 países tiveram um papel significativo na história moderna, influenciando não apenas a política e economia global, mas também a cultura e sociedade de cada nação.

Países que abandonaram o comunismo: quais nações fizeram a transição para regimes democráticos?

Entre os 31 países comunistas mais representativos, muitos deles passaram por mudanças significativas em relação ao sistema de governo que adotavam. Dentre essas nações, algumas fizeram a transição do comunismo para regimes democráticos.

Países como a Polônia, Hungria, República Tcheca e Eslováquia são exemplos de nações que abandonaram o comunismo e adotaram a democracia como forma de governo. Esses países passaram por um processo de transição que envolveu a realização de eleições livres, a garantia de direitos individuais e a separação dos poderes.

Outros países como a Romênia, Bulgária e Albânia também seguiram esse caminho, embora tenham enfrentado desafios e dificuldades no processo de transição. A queda do Muro de Berlim em 1989 e o colapso da União Soviética foram eventos que marcaram o início de uma nova era para esses países.

É importante ressaltar que a transição do comunismo para a democracia não foi um processo fácil e muitos desses países ainda enfrentam desafios em consolidar suas instituições democráticas. No entanto, o fato de terem abandonado o comunismo e adotado a democracia como forma de governo representa um avanço significativo em direção a uma sociedade mais livre e justa.

Em resumo, países como a Polônia, Hungria, República Tcheca, Eslováquia, Romênia, Bulgária e Albânia são exemplos de nações que abandonaram o comunismo e fizeram a transição para regimes democráticos, marcando uma nova fase em suas histórias políticas.

Qual é a razão de Cuba adotar o sistema comunista em sua estrutura política?

Cuba adotou o sistema comunista em sua estrutura política principalmente devido a influências históricas e geopolíticas. Durante a Guerra Fria, o país foi fortemente influenciado pela União Soviética, que era um dos principais defensores do comunismo. Além disso, a Revolução Cubana liderada por Fidel Castro em 1959 derrubou o governo pró-capitalista de Fulgencio Batista, levando ao estabelecimento de um regime socialista em Cuba.

Outro fator importante foi a luta pela independência e soberania nacional. Cuba enfrentou muita interferência e pressão dos Estados Unidos, que viam o país como uma ameaça ao seu domínio na região. O sistema comunista permitiu a Cuba resistir a essas influências externas e manter sua autonomia política e econômica.

Além disso, o comunismo foi visto como uma forma de promover a igualdade social e econômica no país. Antes da Revolução Cubana, a sociedade cubana era profundamente marcada pela desigualdade, com uma pequena elite dominando os recursos e o poder. O sistema comunista buscava redistribuir a riqueza e garantir direitos básicos para todos os cidadãos.

Em resumo, a adoção do sistema comunista em Cuba foi uma resposta aos desafios históricos e geopolíticos enfrentados pelo país, bem como uma tentativa de promover a justiça social e a independência nacional.

Relacionado:  Cultura da Itália: tradição, costumes, gastronomia, música

Qual país adota o sistema político comunista como forma de governo atualmente?

Atualmente, apenas um país adota o sistema político comunista como forma de governo: a Coreia do Norte. Sob o comando do Partido dos Trabalhadores da Coreia e de sua liderança suprema, a dinastia Kim, a Coreia do Norte é considerada um dos países mais fe fechados e repressivos do mundo.

Além da Coreia do Norte, existem outros 30 países que já foram ou são considerados comunistas em algum momento de sua história. Entre eles estão a China, Cuba, Vietnã e a extinta União Soviética. Esses países adotaram o comunismo como ideologia política, buscando a igualdade social e a abolição da propriedade privada dos meios de produção.

No entanto, é importante ressaltar que a maioria desses países passou por mudanças em seus sistemas políticos e econômicos ao longo do tempo, adotando elementos de economia de mercado e abrindo-se para o comércio internacional. Mesmo assim, o legado do comunismo ainda é forte em muitos desses países, influenciando suas políticas e estruturas sociais.

Os 31 países comunistas mais representativos

Os países comunistas ocuparam o centro do palco no século 20, com a URSS, a Iugoslávia, Cuba ou a Tchecoslováquia na liderança. No entanto, existem muitos outros que adotaram essa doutrina política, social e filosófica como um método de governo em seus territórios.

O comunismo é um modelo socioeconômico de organização que se caracteriza pela ausência de propriedade privada, classes, social e estado. É para os teóricos a antítese do capitalismo. É um sistema baseado em idéias utópicas e em muitos países foi implementado sob uma lógica de partido único, que em muitos casos se tornou ditaduras.

Os 31 países comunistas mais representativos 1

Mapa do comunismo no mundo

Neste artigo, veremos alguns exemplos de países que tentaram um estado comunista, mesmo alguns que atualmente o apóiam.Você também pode estar interessado nos 31 países socialistas mais representativos .

31 países que representaram o comunismo

1- Albânia

Os 31 países comunistas mais representativos 2

Monte Shpiragu, onde o nome de Enver Hoxha, líder comunista da Albânia aparece de 1944 até sua morte em 1985

Foi proclamado como um país independente em 1946 e adotou uma forma de governo comunista, com uma base socialista.

Depois de romper relações com os poderes do setor (Rússia e China) na década de 80, iniciou-se o capitalismo que ainda permanece.

2- Armênia

Os 31 países comunistas mais representativos 3

Cartaz de propaganda dos soviéticos libertando a Armênia (1937)

Desde o genocídio armênio nas mãos da Turquia na primeira década do século 20, a Armênia está em conflito militar com os países vizinhos ou por causa de sua independência da União Soviética.

Desde 1920, ele alternou as tentativas dos governos comunistas, que se estenderam até 1990 com o colapso da União Soviética.

3- Bulgária

Os 31 países comunistas mais representativos 4

Esqueleto Oval da Casa do Partido Comunista Búlgaro

Após a Segunda Guerra Mundial e até 1990, foi governada pelo Partido Comunista. Com a queda da União Soviética, tornou-se uma economia de livre mercado.

4- Checoslováquia

Os 31 países comunistas mais representativos 5

Cartaz de propaganda comunista

Sua experiência comunista começou em 1968 com a Primavera de Praga, liderada por Alexander Dubček. Mas em 1992 o país se dissolveu na República Tcheca e na Eslováquia, dois países cujo governo se voltou para uma economia de mercado capitalista.

5- Alemanha Democrática

Os 31 países comunistas mais representativos 6

O Trabant, um dos símbolos do bloco comunista da República Democrática da Alemanha

É um caso emblemático da história, tendo estado no meio de uma licitação de interesses após a Segunda Guerra Mundial.

O território foi dividido entre os poderes vencedores da guerra mais sangrenta da história e metade do país estava sob influência soviética comunista.

Em 1990, com a queda do Muro de Berlim e a reunificação da Alemanha, esse experimento terminou e hoje é uma das potências capitalistas do mundo.

6- Hungria

Os 31 países comunistas mais representativos 7

Estátua dedicada ao comunismo em Budapeste

O da Hungria é um caso semelhante ao de muitos outros países que, após a Segunda Guerra Mundial, optaram pelo modelo socialista comunista.

No entanto, com a queda da União Soviética como potência , começou um período inicial de sua economia.

7- União das Repúblicas Socialistas Soviéticas

Os 31 países comunistas mais representativos 8

Lenin, principal líder da Revolução de Outubro e primeiro líder da União Soviética

É o berço do comunismo, porque é o país onde a doutrina comunista-socialista era mais difundida, o que influenciou outro grupo de países nessa lista.

Ele alternou momentos de governos mais ligados ao comunismo, que começaram com a revolução em 1917, e outros ao socialismo. Mas, após sua dissolução em 1990, tornou-se uma economia capitalista.

8- Jugoslávia

Os 31 países comunistas mais representativos 9

Mulher croata na luta pela libertação nacional (Zagreb 1955)

Outro dos colossos das potências comunistas do mundo e talvez um dos principais parceiros da União Soviética. Com o marechal Tito, um estágio comunista-socialista começou de 1963 até sua dissolução em 1990.

9- China

Os 31 países comunistas mais representativos 10

Mao proclamando o estabelecimento da República Popular da China em 1949

É o principal exemplo do comunismo hoje, embora seu sistema de governo não seja totalmente comunista, pois compartilha características socialistas.

Desde 1949, o Partido Comunista Chinês governa a China e atualmente é uma das principais economias do mundo, competindo em termos de PIB com os Estados Unidos.

10- Cuba

Os 31 países comunistas mais representativos 11

Ministério do Interior adornado com uma escultura de aço de Che Guevara

A outra fortaleza comunista do mundo de hoje. Após a revolução de 1959, Fidel Castro assumiu o poder e impôs um regime comunista-socialista que ainda permanece apesar da morte do líder em 2016.

11- Laos

Os 31 países comunistas mais representativos 12

Kaysone Phomvihane Memorial em Vientiane, (Laos)

O PDR do Laos é outro exemplo do comunismo do século XXI que apóia uma doutrina comunista-socialista, mas com uma economia de mercado.

12- Vietnã

Os 31 países comunistas mais representativos 13

Propaganda da 14ª Reunião do Partido Comunista na cidade de Ha Đông.

Após sua unificação em 1976, o Vietnã decidiu uma forma de organização socioeconômica ligada ao comunismo. Durante este século, foi um dos países com o maior crescimento econômico, mas com uma notável desigualdade interna.

13- Coreia do Norte

Os 31 países comunistas mais representativos 14

Cidadãos norte-coreanos em homenagem às estátuas dos líderes Kim Il Sung e Kim Jong Il

Atualmente sob o comando de Kim Jong-un, continuador da dinastia que iniciou seu avô Kim Il-sung e Kim Jong-il, a Coréia do Norte poderia ser considerada um regime comunista.

É o país onde a doutrina comunista é respeitada com mais vigor, não apenas em questões econômicas, mas também em normas de controle social e no exercício da política.

14- Camboja

Ele teve uma tentativa de governo comunista com uma ditadura feroz chamada “Kampuchea Democrática” que realizou um massacre que terminou com um quarto da população.

Em 1991, a ONU conseguiu acabar com o conflito interno e iniciou uma série de profundas reformas políticas e econômicas destinadas ao capitalismo.

15- Mongólia

O caso da Mongólia tem a particularidade de que sofreu muitos anos para obter sua independência da China. Depois de se tornar uma nação soberana em 1946, ele optou por um governo comunista.

Em 1990, com a queda dos poderes associados ao grupo oriental, uma mudança de governo pôs fim a essas políticas e estabeleceu um sistema econômico capitalista.

16- Etiópia

O comunismo na Etiópia começou a tomar forma com a revolução em 1974. Sob o controle de Derg Mengistu Haile Mariam, o Estado assumiu o controle dos meios de produção.

Esse período terminou em 1991, quando a Frente Democrática Revolucionária venceu as eleições e o país iniciou uma série de transformações profundas em sua forma de governo.

17- Moçambique

Ele conquistou sua independência de Portugal em 1975 e iniciou um estágio de guerras internas sob um governo comunista.

Em 1992, foi assinado um acordo de paz e o país introduziu mudanças econômicas que levaram a uma economia de livre mercado.

18- Polônia

É outro país europeu que após a Segunda Guerra Mundial teve seu próprio processo comunista que terminou em 1989, quando começou um período de transformações políticas.

Relacionado:  Governo populista: o que é, variedades e exemplos

19- Romênia

A Romênia passou de um lado para o outro durante a Segunda Guerra Mundial e, quando o conflito terminou, optou por um modelo de governo comunista-socialista até a queda do grupo oriental.

20- Somália

Esta nação africana tornou-se independente em 1960 e, com o apoio da União Soviética, tentou um modelo socioeconômico comunista-socialista. Mas quando a URSS apoiou a Etiópia, em guerra com a Somália, ela se transformou em uma forma de governo ocidental.

21- Iêmen do Sul

É uma das nações árabes que implementou uma forma de governo comunista-socialista. Em 1986, um surto social forçou profundas reformas políticas e econômicas.

22- República Popular do Congo

De 1970 a 1991, esta república africana esteve sob o poder do Partido Trabalhista congolês, de idéias comunistas-socialistas.

Este ensaio terminou com a queda do governo no final do século XX e a partir daí a sua vez no capitalismo foi gradual, mas constante.

23- Angola

Grande parte do século XX foi em guerra civil, período em que o país foi governado pelo Partido Comunista até 1990, que ocorreu uma profunda mudança política com a abertura dos mercados.

24- Benin

Durante a duração da República Popular do Benin, entre 1975 e 1990, este país manteve um sistema de governo comunista-socialista.

No início da última década do século XX, iniciou-se uma transformação em direção ao capitalismo, consolidada no século XXI.

25- Chipre

Em 2008, Dimistris Christofias venceu as eleições e, assim, o Partido Comunista de Chipre assumiu o poder da ilha. Esse governo durou até 2013, quando ele não pôde revalidar seu poder nas pesquisas.

26- Moldávia

Um caso particular é o da Moldávia, que desde 1996 é o vencedor de todas as eleições no Partido Comunista da República da Moldávia, mas com a incapacidade de formar um governo.

Isso leva o país a estar sempre imerso em problemas políticos que complicam a governança e não seguem um curso econômico definitivo.

Historicamente, era um território agrícola, mas nos últimos anos iniciou um processo de industrialização acelerado e profundo.

28- Nepal

É um dos países mais pobres e menos desenvolvidos do mundo. Sua experiência comunista não é prática desde que o Partido Comunista do Nepal iniciou uma luta feroz contra a monarquia.

Em 2007, o rei capitulou e a república foi formada. Nas eleições do ano seguinte, o PCN obteve o maior número de votos e é a força dominante na Assembléia.

29- Afeganistão

Situação complexa no Afeganistão, com uma história cheia de invasões, guerras e conflitos internos. É um país atolado na pobreza por causa dessas situações, apesar de sua grande riqueza agrícola.

As tentativas comunistas começaram em 1978, quando o socialista Nur Muhammad Taraki assumiu o poder. No entanto, ele foi morto um ano depois e o processo foi suspenso.

A invasão russa em 1979 trouxe de volta ilusões comunistas, com Babrak Karmal liderando o estado. Em 1986, o governo caiu e as propostas internas acabaram com as possibilidades de uma nova tentativa comunista.

Desde 2001, os Estados Unidos iniciaram uma invasão militar que ainda permanece com um governo de coalizão e uma situação política complexa e difusa.

30- Estônia

É outro caso de eterna luta pela independência. Levou quase um século para finalmente obtê-lo em 1990. No entanto, as tentativas comunistas começaram em 1917, quando os bolcheviques tentaram tomar o poder pela força depois de perder as eleições.

Durante o século XX, esteve sob o controle do comunismo russo, até sua independência final na última década do milênio.

31- Azerbaijão

Conquistou a independência da União Soviética em 1990, enquanto era governada por idéias comunistas. Manteve conflitos bélicos com a Armênia e sua política interna foi afetada por mais de duas décadas pelo constante golpe de estado.

Deixe um comentário