Quem descobriu a cultura de Chavín e como?

A cultura de Chavín é uma das mais antigas e influentes civilizações pré-colombianas do Peru, que floresceu entre 1500 a.C. e 500 a.C. A descoberta desta cultura foi feita pelo arqueólogo peruano Julio C. Tello, em 1919, durante suas pesquisas na região de Chavín de Huantar, onde encontrou vestígios arqueológicos e artefatos que revelavam a existência dessa antiga civilização. Desde então, a cultura de Chavín tem sido objeto de estudo e fascínio para arqueólogos e historiadores, contribuindo para ampliar nosso conhecimento sobre as sociedades pré-hispânicas do Peru.

Características da cultura Chavin: religiosidade, arte e arquitetura marcantes na história pré-colombiana peruana.

Quem descobrio a cultura de Chavín e como? A cultura de Chavín foi descoberta pelo arqueólogo peruano Julio C. Tello em 1919, durante suas pesquisas na região de Chavín de Huántar, no Peru. Tello encontrou vestígios de uma antiga civilização que floresceu entre 900 a.C. e 200 a.C., e que se tornou uma das mais importantes culturas pré-colombianas do Peru.

As características da cultura Chavín são marcantes e revelam uma sociedade altamente desenvolvida em termos de religiosidade, arte e arquitetura. A religião desempenhava um papel central na vida do povo Chavín, que adorava divindades ligadas à natureza, como o jaguar e a serpente. Os sacerdotes realizavam rituais complexos, muitas vezes envolvendo o uso de alucinógenos, para se conectar com o mundo espiritual.

A arte chavínica é conhecida por suas esculturas em pedra, especialmente as chamadas “cabeças clavas”, que representam figuras antropomórficas com expressões ferozes. A iconografia chavínica também inclui animais e elementos da natureza, como pássaros e plantas. A arquitetura de Chavín de Huántar é igualmente impressionante, com sua complexa rede de galerias subterrâneas e plataformas cerimoniais.

Em suma, a cultura Chavín é um testemunho da riqueza e diversidade das civilizações pré-colombianas do Peru. Seus aspectos religiosos, artísticos e arquitetônicos continuam a fascinar os estudiosos e turistas que visitam os sítios arqueológicos da região.

Significado de Chavin: descubra o significado e a origem desta palavra antiga.

O significado de Chavín remonta à cultura Chavín, uma das civilizações mais antigas e influentes do Peru pré-colombiano. A palavra “Chavín” refere-se ao sítio arqueológico de Chavín de Huantar, localizado no Vale do Callejón de Huaylas, nos Andes peruanos.

A cultura Chavín foi descoberta pelo arqueólogo peruano Julio C. Tello em 1919. Tello encontrou vestígios arqueológicos que revelaram uma cultura altamente desenvolvida, conhecida por suas esculturas em pedra, cerâmicas elaboradas e complexos sistemas de irrigação.

Relacionado:  As 9 etapas da Segunda Guerra Mundial mais importantes

A cultura Chavín floresceu entre 900 a.C. e 200 a.C., exercendo forte influência sobre outras civilizações da região. Seu centro cerimonial em Chavín de Huantar era um importante local de peregrinação e ritual, onde os sacerdotes realizavam cerimônias religiosas e práticas de cura.

Em resumo, a cultura de Chavín representa uma fase crucial na história do Peru antigo, caracterizada por sua arte sofisticada e sua influência duradoura sobre as civilizações posteriores na região andina.

Qual religião influenciou a cultura Chavin no Peru?

A cultura Chavín no Peru foi influenciada pela religião chavinista, que adorava divindades ligadas à natureza e animais fantásticos. Essa religião era baseada em rituais complexos, incluindo o uso de alucinógenos e a prática de sacrifícios humanos e animais.

A influência da religião chavinista na cultura Chavín pode ser vista em sua arquitetura monumental, como o famoso templo de Chavín de Huantar, que servia como centro cerimonial e religioso. Além disso, muitas das representações artísticas encontradas na região mostram figuras mitológicas e deidades associadas à religião chavinista.

A descoberta da cultura Chavín foi feita pelo arqueólogo Julio C. Tello em 1919. Tello encontrou vestígios da antiga civilização Chavín em Chavín de Huantar, um sítio arqueológico localizado nos Andes peruanos. A partir das escavações e pesquisas realizadas por Tello, foi possível reconstruir a história e a influência da cultura Chavín na região.

Em resumo, a religião chavinista teve um papel fundamental na formação da cultura Chavín no Peru, influenciando sua arte, arquitetura e práticas rituais. A descoberta da cultura Chavín foi realizada pelo arqueólogo Julio C. Tello, que desempenhou um papel crucial na divulgação e estudo dessa antiga civilização.

Localização das principais manifestações culturais da civilização Chavin na América do Sul.

As principais manifestações culturais da civilização Chavín estão localizadas na região dos Andes, no Peru. A cultura Chavín floresceu entre 900 a.C. e 200 a.C. e deixou um legado cultural e arquitetônico marcante na região.

Os sítios arqueológicos mais importantes da cultura Chavín estão localizados no complexo de Chavín de Huántar, no vale do rio Mosna. Este local foi descoberto em 1919 pelo arqueólogo peruano Julio C. Tello, que identificou a presença de uma antiga civilização com características únicas.

As principais características da cultura Chavín incluem a presença de esculturas em relevo, cerâmicas elaboradas, objetos de metalurgia e a construção de templos em forma de pirâmide. A arte chavínica é conhecida por representar figuras antropomórficas e zoomórficas, com traços estilizados e expressivos.

Além do sítio de Chavín de Huántar, outras manifestações da cultura Chavín podem ser encontradas em sítios arqueológicos ao longo da costa peruana e em regiões próximas aos Andes. A influência da civilização Chavín se estendeu por grande parte do Peru e influenciou outras culturas da região.

Quem descobriu a cultura de Chavín e como?

A cultura Chavín foi uma cultura antropológica que surgiu há mais de 3000 anos, especificamente nas terras altas do leste de Ancash. O principal teórico da cultura Chavín foi o médico e antropólogo peruano Julio César Tello , considerado por especialistas como o descobridor das culturas Chavín e Paracas .

Segundo Julio César Tello, a cultura Chavín é a mais antiga de todas, a matriz das culturas incas, disseminada por séculos em várias partes dos Andes.

Quem descobriu a cultura de Chavín e como? 1

Fatos sobre a cultura Chavín e como foi descoberta

O complexo arquitetônico e cerimonial chamado Chavín de Huántar é um dos maiores vestígios da cultura Chavín. É um recinto localizado no vale dos rios Mosna e Huachecsa, conhecido por ser o centro administrativo e religioso da cultura Chavín.

O local é construído com pedras e lama com uma estrutura de pirâmide truncada e é considerado um dos sítios arqueológicos mais importantes das civilizações antigas da América do Sul.

O templo foi descoberto em 1920 por Tello, que encontrou várias dúzias de ” cabeças de pregos ” nas paredes da construção. Esses monólitos esculturais representavam cabeças de seres míticos, alguns com características antropomórficas ou animais, comuns em tribos da Amazônia. Isso contribuiu para sua tese de que a cultura Chavin era de origem na selva.

Tello fez vários estudos e obras de sítios arqueológicos sobre a cultura Chavín – entre eles o Museu de Arqueologia, Antropologia e História do Peru – com os quais pôde afirmar que era de origem amazônica, possuindo uma ampla gama de representações iconográficas da selva. em suas manifestações artísticas. Atualmente, o Chavín de Huántar é um patrimônio cultural mundial da UNESCO.

A cultura Chavin poderia ser descrita de acordo com sua organização política, sua economia e manifestações culturais.

Relacionado:  Templo de Ártemis: características e história

Cultura chavín: estrutura social e econômica

Quanto à organização política, a cultura Chavín era, basicamente, como afirmam os teóricos, uma teocracia . Havia duas classes sociais bem definidas.

A primeira era a classe de sacerdotes, uma casta dominante que possuía conhecimentos avançados de astronomia, ciência e artes. Com isso, eles tiveram influência e poder sobre o resto da sociedade.

A segunda classe era a da maioria das pessoas, que compunham a classe dominada. Era composta principalmente de agricultores e agricultores.

Na ordem econômica, a cultura Chavin apresentou várias atividades que se tornaram a base econômica da sociedade. A agricultura foi a principal, principalmente com base na semeadura de milho, batata e vários tipos de tubérculos.

Havia várias técnicas agrícolas que permitiam o cultivo massivo de alimentos. Por outro lado, o gado também teve alguma relevância, especialmente no desenvolvimento de lhamas, alpacas e porquinhos da índia. Pesca desenvolvida na área costeira adjacente. O comércio foi baseado na troca entre as diferentes cidades amazônicas da região.

As manifestações culturais eram diversas. Houve um desenvolvimento importante da ferraria: as crianças conseguiram trabalhar metais como cobre, prata e ouro, geralmente para a fabricação de ornamentos. A pedra era outro material utilizado intensivamente na construção de edifícios, esculturas e utensílios.

Os têxteis também eram uma atividade importante da cultura Chavin, uma vez que algodão e lã eram usados ​​na fabricação de tecidos. A cerâmica teve uma relevância destacada devido à diversidade e qualidade das obras.

Todos esses elementos foram estudados rigorosamente por Julio César Tello para expor a formação e a natureza da cultura Chavín em suas diversas expressões.

Referências

  1. Cultura Chavin – História do Peru. (2015). Recuperado em 17 de dezembro de 2017 de History of Peru: historiaperuana.pe.
  2. Juárez, TP (2010). A cultura Chavín [PDF].
  3. Chavín de Huantar – Cultura Chavín. (2017). Recuperado em 17 de dezembro de 2017 de Arqueologia do Peru: arqueologiadelperu.com.
  4. Julio César Tello. (2017).Wikipedia, A Enciclopédia Livre . Retirado em 17 de dezembro de 2017 da Wikipedia: wikipedia.org.
  5. Chavin (cultura). (2017). Wikipedia, A Enciclopédia Livre. Retirado em 17 de dezembro de 2017 da Wikipedia: wikipedia.org.
  6. Eles descobrem três “cabeças-chefes” da cultura Chavín. (2013). Recuperado em 29 de dezembro de 2017 no Publimetro: publimetro.pe.

Deixe um comentário