Termômetro de laboratório: recursos, tipos, história

O termômetro de laboratório é uma ferramenta essencial para a medição precisa da temperatura em ambientes de laboratório. Com uma longa história que remonta ao século XVII, os termômetros de laboratório evoluíram ao longo do tempo, oferecendo uma variedade de recursos e tipos para atender às necessidades específicas de diferentes aplicações científicas. Neste artigo, exploraremos os recursos, tipos e história do termômetro de laboratório, destacando sua importância na pesquisa e experimentação científica.

Origem do termômetro: descubra como surgiu esse importante instrumento de medição de temperatura.

O termômetro é um instrumento fundamental para medir a temperatura em diversos ambientes, incluindo laboratórios. Mas você sabe como surgiu esse importante equipamento? A história do termômetro remonta ao século XVI, quando o cientista italiano Galileu Galilei desenvolveu um dispositivo para medir a temperatura de líquidos e gases. No entanto, foi o físico alemão Daniel Gabriel Fahrenheit quem aperfeiçoou o instrumento e criou a escala de temperatura que leva seu nome.

Os primeiros termômetros eram compostos por um tubo de vidro com mercúrio e uma escala graduada. Com o passar dos anos, novos modelos foram desenvolvidos, incluindo os termômetros digitais e infravermelhos, que facilitam a medição da temperatura de forma mais precisa e rápida.

Atualmente, o termômetro de laboratório é um equipamento essencial em diversas áreas, como química, física e biologia. Ele permite medir a temperatura com precisão, garantindo a realização de experimentos com segurança e eficiência.

Graças aos avanços tecnológicos, hoje podemos contar com diversos tipos de termômetros que nos auxiliam no dia a dia.

Definição e função do termômetro utilizado em ambientes de experimentação científica.

O termômetro é um instrumento de medição de temperatura amplamente utilizado em ambientes de experimentação científica. Sua função principal é aferir a temperatura de substâncias e ambientes, possibilitando o controle preciso das condições de um experimento.

Existem diversos tipos de termômetros de laboratório, cada um com características específicas que os tornam mais adequados para determinados tipos de experimentos. Alguns dos tipos mais comuns são o termômetro de mercúrio, o termômetro de vidro e o termômetro digital.

O termômetro de mercúrio, por exemplo, é composto por um bulbo de vidro contendo mercúrio, que se expande ou contrai de acordo com a temperatura ambiente. Já o termômetro de vidro possui uma escala graduada que permite a leitura precisa da temperatura. O termômetro digital, por sua vez, possui um display que mostra a temperatura de forma digital, facilitando a leitura e elimando possíveis erros de interpretação.

A história do termômetro remonta ao século XVII, quando o físico italiano Galileu Galilei desenvolveu um dispositivo que utilizava a expansão do ar para medir a temperatura. Desde então, o termômetro passou por diversas evoluções e aprimoramentos, tornando-se um instrumento fundamental para a realização de experimentos científicos.

Importância do termômetro no laboratório: saiba como utilizá-lo corretamente em experimentos científicos.

O termômetro é um instrumento fundamental em um laboratório, pois permite a medição precisa da temperatura em experimentos científicos. Com a utilização correta do termômetro, é possível obter resultados confiáveis e garantir a precisão das análises realizadas.

Para utilizar o termômetro corretamente em experimentos científicos, é essencial seguir algumas recomendações. Primeiramente, é importante calibrar o termômetro antes de cada utilização, garantindo a precisão das medições. Além disso, é necessário manusear o termômetro com cuidado, evitando quedas e danos que possam comprometer sua precisão.

Relacionado:  O que são as forças de Van der Waals?

Existem diversos tipos de termômetros disponíveis no mercado, cada um adequado para diferentes aplicações. Os termômetros de laboratório podem ser de vidro, digital ou infravermelho, cada um com suas próprias vantagens e desvantagens. É importante escolher o tipo de termômetro mais adequado para o experimento em questão, levando em consideração a faixa de temperatura a ser medida e a precisão necessária.

A história do termômetro remonta ao século XVII, quando o cientista italiano Galileu Galilei desenvolveu um termoscópio primitivo. Ao longo dos anos, o termômetro evoluiu e se tornou um instrumento indispensável em laboratórios de todo o mundo.

Ao utilizar corretamente o termômetro e escolher o tipo adequado para cada aplicação, é possível obter análises precisas e confiáveis em laboratórios.

Conheça os cinco tipos de termômetros mais comuns utilizados atualmente.

O termômetro é um instrumento de medição de temperatura amplamente utilizado em laboratórios e em diversas áreas da ciência. Atualmente, existem cinco tipos de termômetros mais comuns utilizados, cada um com suas características e aplicações específicas.

O termômetro de mercúrio é um dos mais tradicionais e conhecidos. Ele consiste em um tubo de vidro com mercúrio, que se expande ou contrai conforme a temperatura. Apesar de ser eficiente, seu uso tem sido desencorajado devido aos riscos à saúde associados ao mercúrio.

O termômetro digital é uma opção mais moderna e precisa. Ele funciona por meio de sensores eletrônicos que convertem a temperatura em valores digitais. É fácil de usar e oferece resultados rápidos e precisos.

O termômetro infravermelho é ideal para medir a temperatura de objetos sem contato físico. Ele emite um feixe de luz infravermelha que detecta a temperatura do objeto sem tocá-lo, sendo muito utilizado em laboratórios e na indústria.

O termômetro de máxima e mínima é utilizado para registrar a temperatura máxima e mínima de um determinado local em um determinado período de tempo. Ele possui dois ponteiros que registram os valores extremos, facilitando o acompanhamento das variações de temperatura.

O termômetro de resistência é um dos mais precisos, sendo utilizado em laboratórios e em aplicações que exigem alta precisão. Ele funciona com base na variação da resistência elétrica de um material em função da temperatura, oferecendo resultados muito precisos.

Cada um possui suas vantagens e aplicações específicas, sendo importante escolher o mais adequado para cada situação.

Termômetro de laboratório: recursos, tipos, história

Termômetro de laboratório: recursos, tipos, história

O termômetro de laboratório  é um instrumento usado para medir a temperatura exata das substâncias. Ao poder medir a temperatura através de um termômetro, ele pode ser controlado. Este instrumento é feito para calcular baixas e altas temperaturas.

Existem materiais que respondem a diferentes temperaturas, como alguns metais, como mercúrio (substância líquida). Por esse motivo, o termômetro é projetado com um tubo, geralmente de vidro, que contém mercúrio no interior.

Do lado de fora, escreveu as temperaturas que pode medir. Além disso, uma ponta de metal se sobressai em uma extremidade, que entra em contato com o que deve ser medido.

Relacionado:  O que é densidade eletrônica?

Quando a ponta do metal entra em contato com uma substância, o mercúrio começa a se dilatar quando sente uma temperatura diferente. Isso faz com que ele suba ao longo do tubo, passando a escala numérica até parar na figura que indicará a temperatura em que a substância é encontrada.

Esta é a descrição de um termômetro de laboratório moderno. Antigamente, o tubo tinha uma abertura em uma das extremidades, submersa no líquido (água com álcool) a ser medida.

Dentro do tubo havia uma esfera que se elevava dependendo da temperatura do líquido.

História do Termômetro de Laboratório

O termômetro de laboratório nasceu da aspiração de medir temperaturas em geral. A primeira idéia de um instrumento para medir a temperatura é atribuída a Galileu Galilei, que em 1593 criou uma maneira de medir a mudança de temperatura na água. Isso é o que é atualmente conhecido como termoscópio.

Em 1612, o italiano Santorio Santorio adicionou uma escala numérica à idéia de Galileu Galilei. Isso pode ser considerado como uma primeira abordagem ao termômetro clínico.

No entanto, Fernando II, duque da Toscana, modificou o design de Galilei e Santorio em 1654. Suas modificações consistiram em fechar as duas extremidades do tubo e trocar a água por álcool para determinar a temperatura. Apesar de suas reformas, este também não era um termômetro totalmente funcional.

A pessoa que transformou o termômetro no modelo moderno foi Daniel Gabriel Fahrenheit. Em 1714, este homem decidiu mudar o líquido usado para o mercúrio. Dessa forma, tornou-se possível medir temperaturas mais baixas e mais altas.

Balanças de medição

Existem diferentes tipos de escalas nas quais um termômetro pode marcar a temperatura, seja ele de laboratório ou não. As escalas são as seguintes:

Celsius ou centígrado (ºC), criado por Anders Celsius, astrônomo sueco. Em 1742, ele propôs uma escala de 0 ºC a 100 ºC, 0 representando a temperatura mais baixa e 100 a mais alta.

Fahrenheit (ºF), nomeado após seu criador, Daniel Fahrenheit, em 1724. Essa escala é de 180 divisões, sendo 32ºF o ponto mais frio e 212ºF o ponto mais quente. Fahrenheit criou essa balança usando como referência o calor do corpo humano, medido a 98,6ºF.

Kelvin (ºK), como os anteriores, este também recebeu o nome de seu inventor, Lord Kelvin (William Thomson). Essa escala foi inventada em 1848 e foi baseada na escala Celsius.

Manutenção

Pode-se pensar que um termômetro não precisa de nenhum tipo de manutenção, pois trabalha com a mudança de temperatura.

No entanto, como muitos outros instrumentos de medição, o termômetro deve ser calibrado para evitar erros em sua operação.

Existem alguns termômetros usados ​​para calibrar. Às vezes, a calibração pode ser feita internamente, mas se isso não for possível, um especialista deve ser contatado.

Tipos

A maioria dos termômetros funciona da mesma maneira. No entanto, mesmo quando o objetivo é o mesmo (ou seja, medir a temperatura para poder controlá-la), existem diferentes tipos de termômetros de laboratório e alguns deles são os seguintes:

Relacionado:  Sulfato de alumínio (Al2 (SO4) 3): estrutura, usos, toxicidade

Termômetro líquido em vidro

Esse tipo é o mais comum. É um tubo de vidro selado que contém mercúrio ou álcool vermelho no interior, uma vez que o perigo apresentado pelo contato com mercúrio foi estudado.

Esses dois tipos de líquidos reagem com a mudança de temperatura, contraindo se estiver baixa ou expandindo se estiver alta.

Esse tipo de termômetro geralmente é representado em uma escala Celsius, mas também pode ser encontrado na escala Fahrenheit.

Termômetro com folha bimetálica

O termômetro com folha bimetálica é formado, como o próprio nome indica, com duas folhas metálicas que são unidas, mas que reagem de maneira diferente. Essas folhas se enrolam em contato com uma mudança de temperatura.

Esse movimento é percebido por uma espiral, que traduz através de uma agulha o nível da temperatura que está sendo medida.

Termômetro digital

Os termômetros digitais são feitos com um microchip que recebe as informações capturadas pelos circuitos eletrônicos sobre a temperatura. O microchip recebe e analisa as informações e exibe os resultados numéricos na tela.

Além disso, uma característica vantajosa desse modelo é que ele não possui nenhum tipo de componente que possa ser prejudicial à vida.

Esses termômetros, fazendo parte dos avanços tecnológicos, podem fazer mais do que apenas medir a temperatura. Quanto mais suas funções, maior seu custo.

Termômetro infravermelho

O termômetro infravermelho, também conhecido como pirômetro infravermelho ou termômetro sem contato, difere de outros tipos de termômetros medindo a radiação térmica e não a temperatura como tal.

Graças à sua tecnologia infravermelha integrada, ele é capaz de medir a temperatura do que você deseja, sem precisar tocá-lo ou estar perto.

Portanto, este termômetro é funcional para medir as substâncias ou objetos com os quais não é recomendável entrar em contato.

Termômetro de resistência

A temperatura com esse tipo de termômetro é medida através de uma resistência elétrica e um cabo de platina ou outro tipo de material incorporado puro, que responde a mudanças de temperatura.

Considera-se que, embora os níveis estabelecidos sejam exatos, é um pouco lento.

Referências

  1. Bellis, M. (17 de abril de 2017). A história do termômetro. Recuperado em 14 de setembro de 2017, em thoughtco.com.
  2. Quem inventou o termômetro. Recuperado em 14 de setembro de 2017, de brannan.co.uk.
  3. Termômetros de laboratório: qual é a melhor escolha para sua aplicação? Recuperado em 14 de setembro de 2017, de globalgilson.com.
  4. Diferentes tipos de termômetro e seus usos. Recuperado em 14 de setembro de 2017, em atp-instrumentation.co.uk.
  5. Termômetro de laboratório. Recuperado em 14 de setembro de 2017, em miniphysics.com.
  6. Líquido em termômetro de laboratório de vidro. Recuperado em 14 de setembro de 2017, de brannan.co.uk.
  7. Termômetro de resistência. (21 de julho de 2017). Recuperado em 14 de setembro de 2017, em en.wikipedia.org.
  8. Termômetro. (13 de setembro de 2017). Recuperado em 14 de setembro de 2017, em en.wikipedia.org.

Deixe um comentário