10 Benefícios dos Microrganismos para o Ser Humano

Os benefícios dos microrganismos para os seres humanos são muitos. Desde aplicações na indústria de alimentos, até processos de degradação de resíduos sólidos ou desenvolvimento de vacinas e avanços médicos.

Micróbios ou microorganismos são pequenas entidades microscópicas que podem ser classificadas em diferentes grupos, como bactérias , fungos, protozoários, microalgas e vírus. Eles vivem no solo, na água, na comida e no intestino dos animais, entre outros meios.

10 Benefícios dos Microrganismos para o Ser Humano 1

Os seres humanos usaram microorganismos em diferentes indústrias, como alimentos ou agricultura, onde alimentos fermentados como cerveja, iogurte e queijo podem ser produzidos, ou microorganismos podem ser usados ​​para liberar nitrogênio do solo que as plantas precisam para crescer. .

Nem todos os microorganismos são benéficos para a vida humana, existem alguns organismos que limitam a produção de alimentos ou estão alojados em animais e plantas que causam doenças (Todar, 2008).

No corpo humano, diferentes microorganismos são responsáveis ​​por contribuir para diferentes processos, como a digestão e defesa de outros organismos invasores em um processo complexo que se reflete no curso natural de uma doença.

Os microrganismos são benéficos em diferentes indústrias e contribuem para vários processos biológicos que ocorrem dentro do corpo humano.

Lista de benefícios de microrganismos para humanos

1- Indústria Alimentícia

Os microrganismos são utilizados na produção de alimentos e bebidas fermentados. Fungos como leveduras ou bactérias como lactobacilos são essenciais na indústria de alimentos (Lasztity, 1996).

O processo de fermentação que dá lugar à produção de bebidas alcoólicas ou laticínios à base de ácido ocorre quando os microorganismos obtêm energia das células alimentares sem a necessidade de tomar oxigênio. Em outras palavras, o processo de fermentação permite a decomposição de substâncias orgânicas complexas.

Alimentos como queijo, azeitonas, salsichas, chocolate, pão, vinho, cerveja e molho de soja são feitos com a ajuda de diferentes tipos de bactérias e leveduras.

Na maioria desses produtos, as bactérias desempenham um papel fundamental. Eles são responsáveis ​​pela produção de ácido lático, substância que permite a preservação de alimentos (Prabhu, 2016).

2- Medicina e Ciência

Os microrganismos também têm um potencial importante no campo da medicina e da ciência. Eles geralmente são usados ​​industrialmente para a produção de antibióticos, vacinas e insulina. Bem como para fazer o diagnóstico de certas doenças.

Na medicina, as bactérias são usadas para produzir milhares de antibióticos. Espécies de bactérias como Streptomyces são responsáveis ​​pela produção de mais de 500 antibióticos diferentes. Da mesma forma, existem antibióticos produzidos a partir de fungos e outros tipos de bactérias.

O nome antibiótico significa “contra a vida”. Esse nome ocorre porque o principal papel desses compostos é atacar bactérias e outros organismos unicelulares que podem ser patogênicos para os seres humanos.

A maioria dos antibióticos usados ​​hoje foi descoberta a partir da observação da disseminação de fungos em animais em estado de decomposição.

3- Tratamento de Resíduos

Os microrganismos desempenham um papel vital na gestão e disposição de resíduos domésticos e industriais. Eles são responsáveis ​​pela limpeza dos resíduos através de um processo biológico de decomposição ou estabilização da matéria orgânica. Esse processo de decomposição é tão antigo quanto a vida no planeta Terra.

O processo de decomposição biológica controlada é conhecido como compostagem. O produto final lançado por esse processo é chamado composto. Pode ser classificado como composto anaeróbico quando a matéria orgânica é decomposta pelo uso de fungos, bactérias e protozoários.

Os microrganismos são responsáveis ​​por decompor a matéria aumentando sua temperatura e produzindo dióxido de carbono. Dessa maneira, é gerada uma substância chamada húmus que tem uma aparência semelhante à da terra a cultivar.

4- Microflora

Existem bilhões de bactérias que habitam o sistema digestivo dos seres humanos. Estima-se que um quilograma do peso corporal de cada pessoa seja composto por bactérias conhecidas como microflora. Essas bactérias são responsáveis ​​pela decomposição de resíduos alimentares que não foram processados ​​e digeridos anteriormente.

A microflora também é responsável por defender o corpo de fungos e bactérias prejudiciais à saúde humana. Produz vitamina K, necessária para regular os processos de coagulação do sangue.

O corpo humano pode abrigar 400 tipos diferentes de espécies de bactérias, algumas delas são apenas benéficas e outras são potencialmente prejudiciais.

É essencial que exista um equilíbrio entre esses dois tipos de microorganismos para garantir a manutenção da vida. As bactérias benéficas que vivem em nossos intestinos são conhecidas como probióticos e podem ser obtidas comercialmente quando o corpo falha em preservá-las.

5- Ar

O ar é composto principalmente de gases, partículas de poeira e vapor de água. No entanto, também contém microorganismos na forma de células vegetativas, esporos, fungos, algas, vírus e cistos de protozoários.

O ar não é um meio no qual os microrganismos possam crescer, mas é responsável por transportá-los junto com o material particulado. No entanto, a quantidade de microrganismos encontrados no ar é consideravelmente menor do que a encontrada na terra ou na água.

Os micróbios encontrados no ar são responsáveis ​​pela degradação das células mortas que se desprendem da pele humana. Se esses microrganismos não existissem, o mundo estaria cheio de montanhas de pele morta.

6- Biotecnologia

A biotecnologia é o ramo da ciência responsável pela manipulação de organismos vivos através da engenharia genética. Possui múltiplas aplicações em ciências biológicas e depende diretamente de microrganismos.

A biotecnologia microbiana é responsável pelo estudo dos genomas, o que permite melhorar as vacinas e desenvolver melhores ferramentas para o diagnóstico de doenças.

Os avanços da biotecnologia microbiana permitiram o controle de pragas em animais e plantas, com base no desenvolvimento de agentes catalíticos para patógenos e organismos de fermentação. Tudo isso permitiu a biorreparação de solos e águas contaminadas principalmente por processos agrícolas.

Em geral, os microorganismos, juntamente com a biotecnologia, permitiram o desenvolvimento de fontes alternativas de energia, biocombustíveis, bioálcoois e pesquisas para o campo da agricultura.

7- Agricultura

Os microrganismos que vivem no solo permitem melhorar a produtividade agrícola. Os seres humanos usam organismos naturalmente para desenvolver fertilizantes e biopesticidas.

O objetivo do desenvolvimento dessas substâncias é contribuir para o crescimento das plantas e controlar pragas, crescimento de plantas daninhas e outras doenças (Schulz, Brankatschk, Dumig e Kogel-Knabner, 2013).

Esses microrganismos presentes no solo permitem que as plantas absorvam mais nutrientes como fontes de energia necessárias para viver. As plantas, por sua vez, entregam seus resíduos aos microorganismos, para que eles se alimentem e gerem biofertilizantes.

A indústria agrícola usou microorganismos nos últimos cem anos para gerar biofertilizantes e biopesticidas.

Dessa forma, os alimentos vegetais podem ser cultivados de maneira controlada e segura, bloqueando possíveis ameaças ambientais e contribuindo para a aceleração de processos naturais, como a liberação de nitrogênio do solo (Mosttafiz, Rahman, & Rahman, 2012).

8- Evolução

A vida como é conhecida hoje, existe graças à evolução de milhões de microorganismos que mudaram a estrutura do mundo e deram origem a formas de vida complexas.

Esses microrganismos são conhecidos como cianobactérias e foram responsáveis ​​pelo desenvolvimento de condições aeróbicas no solo primitivo, possibilitando o processo de fotossíntese. Essa mudança nas condições levou ao desenvolvimento da vida e sua evolução ao longo de milhões de anos (Zilber-Rosenberg & Rosenberg, 2008).

As bactérias são organismos unicelulares que se desenvolveram milhões de anos atrás. Algumas teorias sugerem que, graças ao processo de resfriamento global, uma série de reações químicas complexas ocorreu na água.

Por milhões de anos, essas reações químicas permitiram que as bactérias desenvolvessem ácido nucleico e proteína, assumindo a forma de partículas mais complexas. Eventualmente, essas novas partículas primitivas se uniram e deram lugar à formação de células que mais tarde se tornaram novas formas de vida.

9- Meio Ambiente

Os microrganismos estão presentes em qualquer local da biosfera e sua presença afeta o ambiente em que coexistem. Esses efeitos dos microrganismos no meio ambiente podem ser benéficos, prejudiciais ou neutros, de acordo com os padrões impostos pela observação humana.

Os benefícios que derivam da ação de microrganismos ocorrem graças às suas atividades metabólicas no meio ambiente. Atividades realizadas em relação a plantas e animais, das quais eles consomem energia para realizar processos biológicos.

Dessa forma, existe o conceito de biorreparação, que consiste na eliminação de materiais tóxicos para o meio ambiente, como derramamentos de óleo na água ou no solo.

Os processos de biofiltração e transformação de materiais tóxicos só são possíveis devido à ação de microorganismos, uma vez que a maioria das partículas que poluem o meio ambiente pode ser decomposta por diferentes tipos de bactérias (Zarb, Ghorbani, Koocheki e Leifert, 2005).

10- Equilíbrio corporal

As comunidades mais complexas de microorganismos localizados no corpo humano têm o poder de equilibrá-lo ou desequilibrá-lo. Por esse motivo, compostos como probióticos foram desenvolvidos para administrar as doses necessárias de bactérias benéficas que permitem a regulação dos processos internos do corpo.

Existem terapias biológicas nas quais o material do intestino de um paciente é inserido em outro, a fim de regular o número de bactérias contidas no intestino. Desta forma, o número de microrganismos necessários para realizar processos vitais do corpo é equilibrado.

Referências

  1. Lasztity, R. (1996). MICRORGANISMOS IMPORTANTES EM MICROBIOLOGIA ALIMENTAR. Encyclopedia of Life Support Systems, 1-4.
  2. Mosttafiz, S., Rahman, M., & Rahman, M. (2012). Biotecnologia: papel dos micróbios na agricultura sustentável e na saúde ambiental. O Jornal da Internet de Microbiologia.
  3. Prabhu, N. (19 de 8 de 2016). Quora Obtido de Quais são as 10 maneiras pelas quais os microrganismos são úteis?: Quora.com.
  4. Schulz, S., Brankatschk, R., Dumig, A. e Kogel-Knabner, I. (2013). O papel dos microrganismos em diferentes estágios do ecossistema. Biogeosciences, 3983-3996.
  5. Todar, K. (2008). Livro Online de Bacteriologia de Todar. Obtido em O impacto dos micróbios no meio ambiente e nas atividades humanas (página 1): textbookofbacteriology.net.
  6. Zarb, J., Ghorbani, R., Koocheki, A. e Leifert, C. (4 de 2005). A importância dos microrganismos na agricultura orgânica. Perspectivas sobre manejo de pragas 16, p. 52-55.
  7. Zilber-Rosenberg e Rosenberg, E. (8 de 2008). PubMed Obtido do papel dos microrganismos na evolução de animais e plantas: a teoria da evolução do holograma: ncbi.nlm.nih.gov.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies