25 animais do deserto e suas características

25 animais do deserto e suas características

Alguns dos animais do deserto mais representativos são camelo, dingo, coiote, gerbil, escorpião do deserto, entre outros. Os animais que vivem no deserto geralmente têm métodos de adaptação que lhes permitem sobreviver nas condições extremas deste ecossistema. Por exemplo, camelos e dromedários podem passar longos períodos sem água potável.

Desertos são regiões onde a precipitação é muito baixa e pode ser quente ou fria. Isso gera uma grande variedade de áreas desérticas, como o deserto do Saara, os desertos no sudoeste dos Estados Unidos e os da Antártica.

Apesar dessas condições adversas, os desertos abrigam uma grande variedade de espécies, tanto vegetais quanto animais. Além disso, pode-se dizer que, devido a essas condições, não há ambiente em que a evolução das espécies seja mais precisamente evidenciada do que em um ecossistema desértico.

Você também pode estar interessado em conhecer  as 20 plantas do deserto mais extraordinárias . 

Lista de animais que habitam áreas desérticas

1- camelo

Os camelos são sem dúvida um dos primeiros animais a serem considerados quando se diz “deserto”. Esses animais reservam grandes quantidades de gordura nos quadris, que são queimados quando os camelos não conseguem encontrar comida.

Além disso, os camelos têm pelos grossos nos ouvidos, o que mantém a areia fora dos ouvidos; O mesmo vale para os seus cílios, que são grossos e longos.

Para tudo isso, devemos adicionar as membranas especiais que têm nos olhos e nos cascos, que podem ser comparadas aos sapatos que os humanos usam para andar na neve.

2- Dingo

Os dingoes são descendentes de cães domésticos, que habitam as áreas desérticas da Austrália e podem chegar a 1,5 metro. Eles geralmente vivem em grupos familiares, mas podem ser organizados em grupos para garantir a caça.

Inicialmente, os dingoes se alimentavam de cangurus, mas com a chegada do homem na Austrália, esses animais mudaram seus hábitos alimentares e agora caçam ovelhas e coelhos.

3 – Pecari

O pecari é um mamífero com um sistema digestivo forte o suficiente para comer cactos sem ser afetado pelos milhares de espinhos que essas plantas possuem.

Este é um ótimo método de sobrevivência, pois os cactos não são apenas uma fonte de alimento, mas também fornecem ao animal grandes quantidades de água.

4 – Pechincha

As pechinchas são aves encontradas principalmente nos desertos da Ásia e norte da África. As penas na barriga deste pássaro têm um mecanismo que permite absorver e conservar pequenas quantidades de água.

Os machos desta espécie usam essas penas como esponjas para transportar água para os ninhos e compartilhá-la com seus parceiros e seus filhotes.

5- Roadrunner

O roadrunner é um pássaro que vive nos desertos da América do Norte. Esses animais magníficos podem sobreviver sem ter que beber uma única gota de água, pois obtêm os líquidos necessários através dos alimentos que ingerem.

No entanto, como todas as espécies, o papa-léguas precisa excretar minerais de que não precisa, mas não pode fazê-lo através da urina, pois isso seria um desperdício de líquidos.

Então, o que essas aves fazem é concentrar os animais em uma única gota que é secretada na forma de uma lágrima através de uma glândula perto do olho.

6- Víbora de areia

A víbora de areia é uma das cobras mais mortais do mundo, devido à hemotoxina produzida por ela, capaz de matar qualquer presa quase imediatamente.

Relacionado:  Autopoiese: características e exemplos

A víbora de areia se alimenta de pequenos mamíferos, pássaros e lagartos. Esta espécie habita o deserto do Saara e pode medir entre 20 e 35 cm. Sua cabeça é triangular e tem olhos minúsculos.

7- besouros

Existem várias espécies de besouros no deserto, como as acatangas ou o besouro Stenocara gracilipes.

Acatanga, também conhecido como escaravelho, era um símbolo sagrado no Egito antigo. Esta espécie sobrevive graças às fezes de outros animais, que geralmente se transformam em uma bola (daí o nome “jogador de beisebol”).

O gracilipes Stenocara fica no deserto do Namibe, no sul da África. Devido à proximidade do mar, este deserto recebe neblina marinha durante as primeiras horas do dia. Graças a este nevoeiro, os besouros desta espécie conseguiram sobreviver neste deserto.

A técnica desses besouros é ficar muito quieta para que o nevoeiro condense em seus corpos; Depois que algumas gotas se formam, os besouros bebem essa água.

8- Adax

Adax é uma espécie de antílope que vive no deserto do Saara e está em perigo de extinção devido à caça indiscriminada e ao aquecimento global; Atualmente, apenas cerca de 500 indivíduos desta espécie permanecem. Estes animais são nativos da Mauritânia, Chade e Nigéria.

Os antílopes Adax são caracterizados por seus chifres tortos e pelo claro, e é por isso que às vezes são chamados de “antílopes brancos”.

Alimentam-se de ervas, folhas e plantas típicas do deserto. A partir dessas plantas, eles obtêm água, razão pela qual conseguem sobreviver, apesar da escassez de água no deserto do Saara.

9- Varánidos

Os varánidos são uma família que inclui várias espécies de lagartos, típicas do continente africano; a maioria delas está no deserto do Saara. Eles são venenosos e agressivos quando se sentem ameaçados. Esta criatura é de sangue frio, por isso hiberna de setembro a abril.

Esses lagartos se alimentam de roedores, peixes e ovos, embora também possam se alimentar de pássaros, pequenos mamíferos e outras criaturas, se a situação permitir. Os varánidos medem entre um e dois metros de comprimento e têm uma expectativa de vida de 8 anos.

10- Avestruz de pescoço vermelho

O avestruz do norte da África é uma das maiores aves do mundo e pode atingir 2,7 metros de altura. Esses pássaros têm penas rosa e avermelhadas no pescoço e nas demais áreas do corpo têm plumagem em preto e branco (no caso dos machos) e cinza (no caso das fêmeas).

É um dos animais mais rápidos do Saara: pode percorrer 64 km por hora, quase tão rápido quanto as gazelas. É uma espécie ameaçada devido à caça por seres humanos e perda de habitats. Atualmente, as avestruzes são encontradas apenas em 6 dos 18 países onde existiam originalmente.

11- Hyrax

O Hyrax é um mamífero herbívoro encontrado ao sul do deserto do Saara e no Oriente Médio. Existem quatro espécies desses mamíferos.

Esses animais geralmente vivem em fendas entre rochas, em grupos de 10 a 80 indivíduos. Essas grandes concentrações de hyrax são devidas ao fato de não terem um bom sistema de controle de temperatura; portanto, devem estar muito próximas de outras pessoas para manter o calor corporal.

12- Gazela comum

A gazela comum ou dorca é uma espécie de gazela que habita o deserto do Saara que está na lista da IUCN de espécies ameaçadas; Atualmente, existem apenas 35.000 ou 40.000 indivíduos desta espécie.

A gazela comum está muito bem adaptada à vida no deserto, tanto que pode passar a vida inteira sem beber água. Esses animais são ativos no período entre o pôr do sol e o nascer do sol, quando se alimentam de folhas, frutos, raízes ou qualquer outra vegetação disponível no deserto.

Relacionado:  O que é neolamarquismo?

13 – Raposas do deserto

Entre as raposas do deserto estão a erva-doce e a raposa pálida. Quanto à raposa fennec, este é o menor membro da família canida. Essas raposas habitam Marrocos, Egito, Nigéria e Kuwait.

Eles têm mecanismos que lhes permitem viver nesses climas áridos, por exemplo: eles têm orelhas compridas que permitem dissipar o calor. O funcho alimenta-se de pássaros, insetos e roedores.

No que diz respeito à raposa pálida, estes são encontrados no território entre o Senegal e o Sudão. Seu pêlo é de cor muito clara, semelhante ao tom da areia, permitindo-lhes camuflar-se no deserto.

14- Chita do Saara

Entre os predadores que habitam o deserto do Saara, a chita do Saara é uma das mais proeminentes; eles habitam a zona centro-oeste do deserto. Esses animais aparecem na lista de espécies ameaçadas da IUCN, já que atualmente existem entre 250 e 300 chitas adultas, um número alarmante.

Esta espécie se alimenta de antílopes como adax e gazelas; eles costumam caçar à noite e desacompanhados, pois são de natureza solitária.

A chita do Saara difere das outras espécies porque a cor de sua pele é bastante pálida e os pontos e listras são menos visíveis.

15- Coiote

Os coiotes são membros da família dos cães, semelhantes aos cães, porém são animais selvagens. Esta é uma espécie impressionante, pois pode ser adaptada a praticamente qualquer condição climática, desde áreas cobertas de neve até áreas desérticas.

Da mesma forma, essa espécie pode habitar perto de populações humanas ou viver isoladamente, o que é uma prova de sua adaptabilidade.

Nos desertos, os coiotes se alimentam de roedores, escorpiões, pássaros e répteis. Em geral, pesam no máximo 25 quilos e vivem em média 13 anos.

16- Ovelha com chifres

A ovelha com chifres é uma espécie de ovelha encontrada em desertos no sudoeste dos Estados Unidos. Os machos desta espécie têm chifres grossos e pontiagudos.

17- elefante do deserto

O elefante do deserto é encontrado em áreas desérticas no noroeste da Namíbia e é uma das poucas espécies de elefantes que pode se adaptar às condições do deserto.

Para iniciantes, suas pernas são mais longas e planas que as de outros elefantes, facilitando o transporte na areia. Da mesma forma, eles são menores que outras espécies, para que possam sobreviver na vegetação do deserto.

18- gerbil

Os gerbos são pequenos roedores que são frequentemente adotados como animais de estimação, como é o caso dos hamsters. No entanto, os gerbos selvagens são capazes de sobreviver sem intervenção humana.

Esses animais são encontrados nos desertos da África, Ásia e Oriente Médio. Alimentam-se de grãos, frutas, raízes, sementes e flores.

Note-se que a dieta desses roedores pode variar de acordo com as condições do ambiente; por exemplo, os gerbos podem se alimentar de vermes e insetos se as circunstâncias o justificarem. Eles não crescem mais de 17 centímetros de comprimento e seu pêlo geralmente é marrom claro, cinza ou branco.

19- Ouriço

Ouriços são criaturas muito únicas devido à sua aparência, pois parecem ser uma mistura entre um rato e um porco-espinho. Seu tamanho pode variar entre 15 e 30 centímetros de comprimento.

Relacionado:  Fauna do México: os 10 animais mais característicos

Esses animais se alimentam de insetos, entre os quais se destacam os besouros. Eles também podem se alimentar de ratos, pássaros, lagartos, caracóis e cobras. Sua capacidade de se adaptar a quase qualquer dieta significa que esses animais podem sobreviver no deserto.

20- Falcão peregrino

O falcão peregrino é uma ave de rapina que pode sobreviver em praticamente qualquer ambiente do planeta, graças às suas habilidades de caça e grande velocidade. O falcão peregrino é o pássaro mais rápido conhecido, podendo voar até 144 km por hora.

Seu senso de visão é excepcional, permitindo que encontrem presas a até 300 metros de distância. Esses animais se alimentam de outras aves, principalmente pombos.

21- Escorpião imperador 

É um dos maiores escorpiões e pode atingir 21 cm de comprimento com um peso de 30 gramas. Sua cor depende do seu habitat, varia entre preto e marrom.

O veneno que produzem não é tão potente quanto outros escorpiões, embora sua picada seja dolorosa. O escorpião-imperador é uma espécie nativa da África Ocidental, embora seja popular como animal de estimação exótico.

22- Diabo Espinhoso

O Diabo Espinhoso é um animal em particular que habita apenas naturalmente as áreas arenosas do Grande Deserto da Austrália na Austrália. Seu corpo é marrom com áreas escuras e é coberto por espinhos afiados que usa como defesa e para reter água.

Um macho adulto com espinhos cresce até 10 cm de comprimento, enquanto a fêmea atinge 20 cm. Eles pesam aproximadamente 50 gramas e sua dieta é baseada exclusivamente em formigas.

23- Tartaruga do deserto de Mojave

É uma tartaruga com uma concha marrom escura com manchas laranja ou amarelas. Seu pêlo é muito espesso e têm pernas traseiras longas e delgadas que eles usam para cavar tocas no chão.

Eles medem entre 25 a 36 centímetros de comprimento e entre 10 a 15 centímetros de altura. Por outro lado, seu peso varia entre 11 e 23 kg.

24- Puma 

O puma é um felino também conhecido como leão da montanha. São animais de grande porte, que podem atingir 120 kg e medir 2,8 m de comprimento. Seus ouvidos são pontudos e têm um senso agudo de audição

Sua pelagem é marrom com diferentes variações. Este felino não tem a capacidade de rugir, mas pode produzir outros sons como rosnar e ronronar. É também um animal carnívoro e geralmente solitário.

25- Lebre de antílope

A lebre antílope é nativa do Arizona e do México. São lebres grandes e são caracterizadas por terem orelhas muito longas e pontudas. Sua pelagem varia entre cinza, marrom, laranja e branco.

Alimentam-se principalmente de cactos e vegetação exuberante, embora tenham sido observados alimentando-se em terra com a intenção de obter minerais.

Referências

  1. Animais do deserto. Recuperado em 16 de abril de 2017 de desertanimals.net.
  2. Dingo. Recuperado em 16 de abril de 2017 de mbgnet.net.
  3. Baker, Craig. 20 incríveis adaptações de animais para viver no deserto. Recuperado em 16 de abril de 2017 de mentalfloss.com.
  4. Addax. Recuperado em 16 de abril de 2017 de mbgnet.net.
  5. Quais animais vivem no deserto do Saara? Recuperado em 16 de abril de 2017 de worldatlas.com.
  6. Hyrax. Recuperado em 16 de abril de 2017 de skyenimals.com.
  7. Animais que vivem no deserto. Recuperado em 16 de abril de 2017 de factualfacts.com.
  8. 10 Animais do deserto do Saara incrivelmente adaptáveis (2013). Retirado em 16 de abril de 2017 de conservationinstitute.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies