3 lendas etiológicas da América Latina

As lendas etiológicas são aquelas que narram a origem de elementos inerentes à natureza, como rios, lagos, montanhas, florestas, etc.

Por definição, as lendas tentam explicar e justificar a origem e a lógica de elementos reais. Para isso, a ficção é usada, introduzindo detalhes ficcionais ou irreais na narrativa.

3 lendas etiológicas da América Latina 1

Geralmente, eles são baseados em personagens individuais a quem muitas vezes características sobrenaturais são atribuídas como parte desse recurso à ficção.

As lendas muitas vezes jogado através da tradição oral. Em muitos casos, é difícil estabelecer a origem de muitos deles até chegar aos nossos dias.

Eles podem ser usados ​​para fins educacionais e informativos ou para exaltar pessoas famosas. No caso das lendas etiológicas, há uma ligação muito mais estreita com o mundo rural, o campo e a agricultura.

Exemplos de lendas etiológicas

A lenda da ‘Origem do Cerro Prieto’

Esta lenda etiológica explica a origem deste vulcão mexicano. Diz a lenda que uma feiticeira habitava uma caverna na área de Cerro Prieto.

Os índios Cucapá eram os habitantes originais do morro. A feiticeira os estava matando um a um dentro de sua caverna, seguindo rituais mágicos.

Quando apenas uma última família foi deixada viva, a feiticeira matou a filha. Quando seu irmão o descobriu, ele se deixou arrastar através dela para dentro da caverna e, uma vez lá, ele a matou.

Toda a família incendiou o corpo da feiticeira e o fogo, as cinzas e a fumaça emergiram da estrutura vulcânica que compõe o Cerro Prieto.

A lenda da ‘Origem da Cidade do México’

Essa lenda tenta explicar, nem mais nem menos, a origem da maior e mais importante cidade do México.

Segundo esse relato etiológico, os astecas vagaram por mais de um século em busca da terra que lhes foi prometida por Deus Huitzilopochtli.

Relacionado:  Os 6 elementos do gênero lírico mais destacado

Quando chegaram ao vale do México, descobriram um grande olho de água cercado por fontes, salgueiros brancos e juncos brancos. Sapos e peixes brancos começaram a emergir da água, e os astecas estavam convencidos de que haviam chegado ao seu destino.

Então, eles decidiram esperar que seu Deus lhes desse instruções. Deus indicou a eles o lugar onde deveriam encontrar uma águia que, de fato, encontraram.

Assim, eles sabiam, através da boca de vários sacerdotes, que aquele era o lugar prometido, a maravilhosa terra que deveria ser povoada e denominada Tenochtitlan.

A lenda do cenote Zaci

Cenotes são poços de água, conhecidos por esse nome no México. Surgem da erosão do calcário. Zaci era um lugar onde dois jovens amantes viviam.

Ela se chamava Sac-Nicte e ele, Hul-Kin. Quando as famílias se enfrentavam, o pai do jovem o mandou para outra aldeia e foi forçado a se casar com outra jovem.

Sua mãe, uma feiticeira, usou vários feitiços para trazê-lo de volta, em vão. Angustiada, a jovem se jogou no poço uma noite com uma pedra amarrada no pescoço.

À distância, ele sentiu uma forte dor no peito, voltou para sua aldeia e se jogou no poço com ela, morrendo os dois afogados.

Referências

  1. A lenda da Fundação Tenochtitlán no interior do México, em inside-mexico.com
  2. Mitos e lendas no Inside Mexico, em inside-mexico.com
  3. A cidade perdida de Aztlan – pátria lendária dos astecas sobre origens antigas, em ancient-origins.net
  4. Os mitos do México e do Peru, de Lewis Spence. Cosimo Classics, Nova Iorque. (2010).
  5. Tenochtitlán: Legend of Aztec Capital no LiveScience, em livescience.com/34660-tenochtitlan.html.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies