A religião dos toltecas e seus costumes

Os toltecas eram um povo pré-colombiano que habitava a região central do México entre os séculos IX e XII. Sua religião era baseada em uma complexa mitologia que envolvia a adoração de divindades como Quetzalcoatl e Tezcatlipoca, além de rituais e cerimônias para homenagear seus deuses. Os toltecas acreditavam na existência de um plano espiritual paralelo ao mundo físico e buscavam manter o equilíbrio entre esses dois planos por meio de práticas religiosas e cerimoniais. Seus costumes incluíam sacrifícios humanos, a prática da medicina tradicional, a realização de festivais e celebrações em honra aos deuses, e a crença na vida após a morte. A religião tolteca desempenhava um papel central na vida cotidiana do povo, influenciando seus valores, crenças e práticas sociais.

Principais características e contribuições dos toltecas para a sociedade mesoamericana.

A religião dos toltecas era baseada em uma complexa mitologia que incluía diversos deuses e rituais. Eles acreditavam na existência de um deus criador chamado Quetzalcóatl, que era associado à sabedoria, à agricultura e à fertilidade. Além disso, os toltecas praticavam rituais de sacrifícios humanos, acreditando que isso garantiria a fertilidade da terra e a proteção dos deuses.

Em relação aos seus costumes, os toltecas eram conhecidos por sua habilidade em artesanato, especialmente na produção de cerâmica, tecidos e objetos de metal. Eles também eram guerreiros habilidosos, que utilizavam armas como arcos, flechas e lanças em batalhas.

Uma das principais contribuições dos toltecas para a sociedade mesoamericana foi a disseminação de sua cultura e conhecimento em diversas regiões, influenciando outras civilizações como os astecas e os maias. Eles também desenvolveram técnicas avançadas de agricultura, como a construção de terraços para o cultivo de alimentos em terrenos montanhosos, o que permitiu o crescimento populacional e o desenvolvimento de centros urbanos.

Em resumo, os toltecas foram uma civilização importante na história mesoamericana, com uma religião rica em mitologia e rituais, e costumes que contribuíram para o desenvolvimento cultural e tecnológico da região.

Estilo de vida dos toltecas: alimentação, moradia, costumes e crenças na civilização mesoamericana.

A religião dos toltecas era um elemento central em suas vidas, influenciando não apenas suas crenças, mas também seus costumes e estilo de vida. Os toltecas acreditavam em diversos deuses e deusas, e realizavam rituais e cerimônias para homenageá-los.

Em relação à alimentação, os toltecas baseavam sua dieta principalmente em milho, feijão, abacate, pimenta e chocolate. Eles também consumiam carne de animais como coelhos, peixes e aves. A dieta dos toltecas era rica em nutrientes e contribuía para sua saúde e bem-estar.

Quanto à moradia, os toltecas viviam em cidades construídas com pedras e argila. Suas casas eram simples, feitas de adobe e palha, mas eram confortáveis e adequadas para o clima da região. Além disso, as cidades toltecas eram organizadas de forma a facilitar a comunicação e o comércio entre os habitantes.

Em relação aos costumes, os toltecas valorizavam a honra, a coragem e a lealdade. Eles realizavam festivais e celebrações em homenagem aos seus deuses, e também praticavam jogos de bola e danças tradicionais. Além disso, os toltecas tinham um forte senso de comunidade e ajudavam uns aos outros em momentos de necessidade.

Em relação às crenças, os toltecas acreditavam na existência de um mundo espiritual paralelo ao mundo físico. Eles realizavam rituais de purificação e ofereciam sacrifícios aos deuses como forma de manter o equilíbrio entre os dois mundos. Além disso, os toltecas acreditavam na vida após a morte e na existência de um paraíso para os virtuosos.

Relacionado:  Desenvolvimentismo: na Argentina, México, Colômbia e Espanha

Em resumo, o estilo de vida dos toltecas era marcado por uma alimentação saudável, moradias simples mas confortáveis, costumes baseados na honra e na comunidade, e crenças profundamente enraizadas na espiritualidade e na relação com os deuses. Esses elementos fundamentais da civilização tolteca contribuíram para o desenvolvimento e a prosperidade dessa cultura mesoamericana.

Quais civilizações causaram a queda do império tolteca?

A religião dos toltecas era profundamente ligada à natureza e aos astros, com rituais e cerimônias realizadas para honrar os deuses do sol, da lua e das estrelas. Seus costumes incluíam práticas de sacrifícios humanos e a crença na vida após a morte.

Após atingirem seu auge no século X, o império tolteca começou a declinar devido às invasões de outras civilizações. Os povos chichimecas, liderados por Mixcoatl, foram os primeiros a atacar os toltecas, seguidos pelos astecas, que finalmente causaram a queda do império.

Os astecas, liderados por Huitzilopochtli, o deus da guerra, realizaram uma série de ataques contra os toltecas, enfraquecendo seu poder e levando à destruição de suas cidades. Com a derrota dos toltecas, os astecas se tornaram a civilização dominante na região.

Assim, a combinação de ataques dos chichimecas e dos astecas foi o que levou à queda do império tolteca, marcando o fim de uma era de esplendor e influência na região.

Entendendo o conceito de domínio tolteca: uma abordagem essencial para autoconhecimento e transformação.

A religião dos toltecas é uma das mais antigas e misteriosas da história da humanidade. Originária da região do México Central, os toltecas desenvolveram uma cultura rica em sabedoria e conhecimento espiritual. Seus costumes e tradições eram baseados em um profundo respeito pela natureza e pelos ciclos da vida.

Um dos conceitos fundamentais da religião tolteca é o domínio pessoal, que está intrinsecamente ligado ao autoconhecimento e transformação. Para os toltecas, o domínio pessoal é a capacidade de controlar as próprias emoções, pensamentos e ações, buscando sempre a harmonia e o equilíbrio interior.

Segundo a sabedoria tolteca, o caminho para o domínio pessoal passa pela prática da atenção plena e da consciência do momento presente. Através da meditação, da contemplação e do autoquestionamento, é possível alcançar um estado de consciência expandida e despertar para a verdadeira natureza do ser.

Os toltecas acreditavam que cada indivíduo possui um poder interior inato, que pode ser ativado através do cultivo da vontade e da disciplina. Este poder, conhecido como Teotl, é a essência divina que habita em cada ser humano e que o capacita a transformar a si mesmo e o mundo ao seu redor.

Portanto, compreender o conceito de domínio tolteca é essencial para aqueles que buscam a evolução espiritual e o crescimento pessoal. Ao integrar os ensinamentos dos toltecas em sua vida cotidiana, é possível alcançar um maior nível de autoconhecimento, transformação e realização pessoal.

A religião dos toltecas e seus costumes

A religião dos toltecas era politeísta – isto é, crente em vários deuses – em que Quetzalcoatl e Tezcatlipoca emergiram como os mais importantes de todos.

No entanto, a cultura tolteca foi caracterizada por ter uma casta militar que era a mais importante, substituindo a casta sacerdotal que costumava exercer controle administrativo e político em muitas das civilizações antigas.

Relacionado:  Idade do Metal: Cronologia, Recursos, Ferramentas

A religião dos toltecas e seus costumes 1

A cultura tolteca precedeu o asteca na Mesoamérica e existiu entre 900 e 1200 dC. Eles se estabeleceram no platô central da área que hoje ocupa os estados de Tlaxcala, México, Hidalgo, Morelos e Puebla, no México.

Tula (ou Tollan) era sua capital, localizada em um vale fértil regado por um rio e protegido por uma série de colinas e montes como o Xicocot, então a cidade também era chamada Tollan-Xicocotitlan.

As principais características da religião tolteca são as seguintes

A religião dos toltecas e seus costumes 2

1- Religião politeísta . Crença em vários deuses.

2- religião xamânica . Isso significa que eles não exercitaram suas práticas religiosas em um local de culto permanente, como um templo, mas o fizeram em vários lugares de acordo com as circunstâncias, principalmente em cerimônias ao ar livre.

3- religião panteísta . No panteísmo, Deus também é a natureza e o universo; portanto, os toltecas adoravam o céu, a água, a terra, o sol como uma força fertilizadora, etc.

4- religião dualista . Seus deuses principais são antagônicos e se opõem: Quetzalcoatl é o oposto de Tezcatlipoca.

5- Religião esotérica . Eles mantinham parte secreta de suas crenças e práticas religiosas.

Os deuses toltecas

Como muitos dos povos pré-hispânicos da Mesoamérica, os toltecas tinham vários deuses que eles adoravam. A seguir, os principais:

Quetzalcoatl

A religião dos toltecas e seus costumes 3

É um dos deuses mais complexos e fascinantes de toda a Mesoamérica. Ele era considerado um monstro reptiliano, sendo representado como uma serpente emplumada.

Suas principais funções eram fertilidade e criatividade, mas à medida que ele crescia em importância, outros atributos ou funções foram anexados, como criador, Senhor dos Ventos e Estrela da Noite, deus do planeta Vênus e herói cultural.

Tezcatlipoca

Em Nahuatl, significa fumar espelho preto, por isso está relacionado aos espelhos de jade que foram usados ​​para fins místicos e divinatórios.

Ele é o senhor do céu e da terra, fonte de vida, proteção e proteção do homem, origem do poder e da felicidade, dono das batalhas, onipresente, forte e invisível. Estava relacionado à noite e à escuridão, por isso é sempre representado em preto.

É o antagonista de Quetzalcoatl, a ponto de às vezes ser chamado de Tezcatlipoca branco. É a representação clássica do bem e do mal que na religião católica ocidental é representada por Deus e pelo diabo.

A lenda conta que Tezcatlipoca enviou Quetzalcoatl para o exílio. Ele estava associado à onça-pintada, um animal relacionado à bruxaria nas culturas mesoamericanas.

Centeoltl

Nas mitologias da Mesoamérica, ele era literalmente o deus do milho. Originalmente era uma deusa e se tornou um deus duplo, homem-mulher, ou simplesmente a versão masculina, desde que a fêmea se tornou Xicomecoahc.

Itztlacoliuhque

Ele era o deus dos desastres, da temperatura e da obsidiana, principalmente dos objetos de obsidiana na forma de facas.

Ele também é identificado alternadamente como parte dos deuses Quetzalcoatl ou Tezcatlipoca.

Mixcoatl

Ele é o deus da caça. Seu nome significa cobra das nuvens e também foi associado à Via Láctea. Ele foi o criador do fogo celestial, dos homens e da guerra.

Suas representações gráficas têm certas variações, dependendo do local geográfico em que foram feitas.

Tlaloc

Ele é o deus da chuva e da fertilidade, embora seja conhecido por outros nomes em outras áreas da Mesoamérica.

Relacionado:  3 Causas e Consequências da Guerra do Pacífico

Originalmente representava a água terrestre, enquanto a serpente emplumada representava a água celeste.

É originalmente da cultura de Teotihuacán ; No outono da cidade, ele foi para Tula e de lá seu culto se espalhou entre os povos nahuatl.

Nahuaque Tloque

Divindade da criação do universo, símbolo do começo de tudo o que existe e a noção filosófica da palavra “téotl” entre os homens.

Ele é considerado o pai de tudo, da inteligência, que coloca ordem no caos, harmonizador da vida e protetor da natureza.

Ele é o deus pai da fé e religião nahuatl, o princípio criativo de tudo, avô do deus do fogo e pai de Quetzalcoatl e Tezcatlipoca; Todos os pequenos deuses são partes dele.

Xipé Totec

Geralmente é mostrado usando a pele de outra pessoa ou a sua própria que parece marcada por varíola.

Isso se deve à lenda que diz que, no início da criação, Xipé Totec se sacrificou rasgando seus próprios olhos e se esfolando vivo para que o milho pudesse germinar e seu povo pudesse subsistir.

Ele é filho do primeiro casal divino e irmão de Quetzalcóatl e Tezcatlipoca. Simboliza a vegetação da natureza que retorna todos os anos e representa os trabalhadores do ouro.

Você pode estar interessado Os 30 deuses toltecas mais importantes .

Costumes religiosos

A religião dos toltecas e seus costumes 4

Sacrifícios humanos

Os sacrifícios humanos eram costumes religiosos habituais dentro dos toltecas. Para eles, era uma forma de comunhão e serviço aos deuses, pois consideravam que suas vidas dependiam e existiam graças a eles.

Acredita-se que as principais ofertas humanas foram cativos de guerra, embora achados mais recentes sugiram que crianças entre 5 e 15 anos de idade também foram oferecidas.

Esses achados nos informaram que a maneira de sacrificá-los era matá-los e eles foram sacrificados coletivamente.

Costumes funerários

As descobertas arqueológicas permitem garantir que existiam dois tipos de enterros: decúbito dorsal ou posição fetal, fossem incinerados e as cinzas enterradas em vasos.

Os crânios foram deformados artificialmente em forma tubular e os dentes foram trabalhados.

Conhecimento esotérico (Os 4 acordos)

O conhecimento tolteca esotérico foi herdado e transmitido de geração em geração.

Entre eles estão os chamados “quatro acordos” que se tornaram famosos no século passado, quando foram publicados sob a forma de um livro de auto-ajuda pelo médico mexicano Miguel Ruiz, garantindo que ele fosse baseado na sabedoria tolteca.

Esses acordos nada mais são do que princípios éticos de conduta que, na realidade, por sua simplicidade, é muito bom lembrar e colocar em prática em nossos dias. Os quatro acordos podem ser resumidos em:

1- “Seja impecável com suas palavras”

2- “Não leve nada para o lado pessoal”

3- “Não faça suposições”

4- “Sempre faça o seu melhor”

Referências

  1. JR Acosta (2010) Jornal da Coordenação Nacional de Arqueologia, página 257. Recuperado de journals.inah.gob.mx.
  2. Jorge Javier Hernández Gallardo. História pré-hispânica II. Recuperado de ipesad.edu.mx
  3. Os toltecas Recuperado de ux1.eiu.edu.
  4. Cultura tolteca. Recuperado de historiacultural.com.
  5. O México descobre o primeiro sacrifício de crianças na cultura tolteca. Reuters Notícias de 17.04.2007. Recuperado de 20minutos.es.
  6. “Mitologia tolteca” e “os quatro acordos”. Recuperado de es.wikipedia.org.

Deixe um comentário