Abordagem de Competência: Recursos, Fundamentos

A abordagem por competência é um modelo educacional baseado no ensino do conhecimento, de forma que eles sejam colocados no contexto específico para o qual são úteis. Dessa maneira, o que é aprendido é entendido como útil e necessário, pois foi projetado para ajudar os alunos a lidar com situações do mundo real.

Em face da educação tradicional, que se concentra na memorização de dados puros sem grande relevância para os alunos, a educação por competência se concentra na aquisição de conhecimento por meio de experimentação e prática. É uma abordagem muito mais dinâmica, na qual os alunos deixam de ser meros destinatários de informações.

Abordagem de Competência: Recursos, Fundamentos 1

Os dois pilares fundamentais da educação por competência são a funcionalidade e o significado do aprendizado. Para alcançar esses dois objetivos enquanto o conhecimento também é transmitido, os alunos trabalham com seus valores, suas habilidades e suas habilidades.

Recursos e princípios

No contexto educacional, uma competência é definida como “o desenvolvimento de habilidades complexas que permitem aos alunos pensar e agir em vários campos” (Cecilia Braslavsky).

Por várias décadas, os sistemas educacionais vêm evoluindo, de modo que, atualmente, as competências são usadas como base do currículo dos alunos. Competências nesse contexto são definidas como os problemas que os alunos devem ser capazes de resolver depois de concluir seu processo educacional.

O avanço mais importante na educação por competência é o abandono da memorização de dados teóricos como única medida de conhecimento.

Os estudos mais recentes sobre aprendizado mostram que a memória pura é o pior método de reter a aprendizagem e que, pelo contrário, colocar o conhecimento em prática o fortalece por um período muito mais longo.

As características mais importantes da abordagem de competência são as seguintes:

– Maior especificidade da unidade de aprendizagem.

– Aquisição de conhecimento gradualmente.

– Modularidade do conhecimento.

– Concentre-se no aprendiz.

Maior especificidade da unidade de aprendizagem

No ensino tradicional, a única maneira de saber se um aluno adquiriu novos conhecimentos é através de um exame ou teste no qual terá que testar seu aprendizado. Esses exames geralmente ocorrem de tempos em tempos, de modo que em um, várias unidades de conhecimento são geralmente testadas.

Pelo contrário, na aprendizagem por competência, cada habilidade ou conhecimento adquirido pode ser testado separadamente e com mais facilidade.

Por exemplo, um aluno que está aprendendo a tocar violino pode demonstrar que domina a capacidade de segurar o arco corretamente em pouco tempo, sem ter que fazer um exame.

Essa maneira de verificar a aquisição de conhecimento é possível porque, na abordagem por competências, as unidades de aprendizagem são menores e mais específicas.

Aquisição de conhecimento gradualmente

Devido a essa divisão de competências em unidades muito pequenas, o aprendizado ocorre pouco a pouco, para que o aluno possa adquirir gradualmente novos conhecimentos de maneira lógica e lógica.

Voltando ao exemplo anterior, alguém interessado em aprender a tocar violino primeiro pratica a maneira correta de segurá-lo; então, o movimento do arco nas cordas. Somente depois de dominar essas duas habilidades, você passará para a próxima fase, onde poderá começar a interpretar melodias simples.

Essa abordagem é bem diferente da educação tradicional, onde geralmente pode levar vários meses até que o aluno receba algum tipo de feedback sobre se ele aprendeu corretamente.

Dessa forma, muitos estudantes tentam adquirir todo o conhecimento que supostamente precisavam ter aprendido durante um quarto apenas quando precisavam fazer um exame.

Modularidade do conhecimento

Devido à maior divisão entre as diferentes partes da aprendizagem, o aluno pode se concentrar em praticar apenas os componentes do mesmo que ainda não domina.

É o oposto do que acontece na educação tradicional, onde, se um aluno não passar em um exame de cinco disciplinas, ele terá que repeti-la, apesar de ter falhado em apenas duas delas.

Portanto, na abordagem por competências, o aprendizado é mais rápido. Ao detectar suas fraquezas, o aluno pode se concentrar em melhorá-las, para que sua atenção e esforço traga muitos mais benefícios.

Concentre-se no aprendiz

No sistema educacional tradicional, os alunos são vistos como receptores passivos de conhecimento; A tarefa do professor é transmitir o que ele sabe. Nesta abordagem, os alunos são considerados um “quadro em branco”.

No entanto, os estudos mais recentes sobre aprendizagem mostram que a recepção passiva de informações não leva a uma boa aquisição de conhecimento. Portanto, na abordagem por competências, o foco está no aluno. Ele é quem deve praticar e se esforçar para gerar novos aprendizados.

Nesse modelo educacional, o papel do educador é facilitar o aprendizado de seus alunos. Por exemplo, você pode fazer isso apontando as falhas ou propondo exercícios para melhorar mais rapidamente.

Impacto no processo educacional

A abordagem por competências tem sido usada em certos campos da educação há mais de um século, especialmente naqueles relacionados à aquisição de habilidades. Algumas dessas áreas podem ser, por exemplo, educação musical ou esportiva.

No entanto, nas últimas décadas, houve uma ênfase maior na introdução da aprendizagem por competência no sistema de ensino formal. Um dos projetos mais conhecidos nessa área é a British Summerhill School, que defendia a liberdade dos estudantes de escolher seu próprio aprendizado com base em seus interesses.

Quanto às escolas tradicionais, a abordagem da competência foi gradualmente introduzida em alguns setores da educação. Essa maneira de entender a educação está especialmente presente nas seguintes áreas:

– Treinamento vocacional, onde o foco está na aquisição de habilidades.

– O plano de Bolonha para estudos universitários, onde a teoria deve ser complementada por práticas relevantes para as disciplinas aprendidas.

– Alguns setores do ensino médio – como a abordagem de escopo – que enfatizam menos o conhecimento puro e mais a prática.

No entanto, o sistema educacional atual ainda se concentra muito na teoria e muito pouco na aquisição de conhecimento através da prática.

Referências

  1. “Foco nas competências” em: Escritório Internacional de Educação. Retirado em: março de 2018 do International Bureau of Education: ibe.unesco.org.
  2. “Foco nas competências” em: Gob.mx. Retirado em: 6 de março de 2018 de Gob.mx: gob.mx.
  3. “Aprendizagem baseada em competências” em: Wikipedia. Retirado em: 6 de março de 2018 da Wikipedia: en.wikipedia.org.
  4. “A importância do foco nas competências do sistema educacional” em: Educação e Negócios. Retirado em: 6 de março de 2018 de Education and Business: educacionyempresa.com.
  5. “Educação tradicional versus educação por competência” em: Educalab. Retirado em: 6 de março de 2018 de Educalab: blog.educalab.es.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies