Apego desorganizado: características, consequências

O apego desorganizado é um padrão de apego que se desenvolve na infância em resposta a experiências de cuidado inconsistente, abuso ou negligência por parte dos cuidadores. Caracteriza-se por uma mistura de comportamentos contraditórios, como busca de proximidade e rejeição, desorganização e confusão emocional. Este tipo de apego pode ter consequências negativas a longo prazo, afetando o desenvolvimento emocional, social e cognitivo da criança, bem como influenciando seus relacionamentos interpessoais na vida adulta. É importante identificar e tratar precocemente o apego desorganizado para minimizar seus impactos negativos.

Entenda o que é o apego desorganizado: uma relação instável e confusa com os cuidadores.

O apego desorganizado é um padrão de relacionamento instável e confuso com os cuidadores, caracterizado por comportamentos contraditórios e ambivalentes. Crianças com esse tipo de apego podem alternar entre buscar proximidade com o cuidador e rejeitá-lo, demonstrando sinais de medo e desconfiança.

As características do apego desorganizado incluem a falta de uma estratégia coerente para lidar com situações de estresse, a dificuldade em regular emoções e a ambivalência em relação aos cuidadores. Essas crianças podem parecer confusas e desorientadas em suas interações sociais, apresentando comportamentos desorganizados e imprevisíveis.

As consequências do apego desorganizado podem ser graves, afetando o desenvolvimento emocional, social e cognitivo da criança. Estudos mostram que crianças com esse padrão de apego têm maior probabilidade de desenvolver problemas de comportamento, dificuldades de relacionamento e até mesmo transtornos mentais no futuro.

Portanto, é importante identificar e compreender o apego desorganizado para fornecer o suporte adequado e promover um ambiente seguro e acolhedor para a criança. A intervenção precoce e o apoio emocional são essenciais para ajudar a criança a desenvolver relações saudáveis e superar os desafios causados pelo apego desorganizado.

Descubra os quatro tipos de apego e suas características distintas.

O apego é um vínculo emocional que se desenvolve entre uma criança e seus cuidadores. Existem quatro tipos principais de apego: seguro, ansioso-ambivalente, ansioso-evitativo e desorganizado. Cada um desses tipos apresenta características distintas que influenciam o comportamento e as relações futuras da criança.

O apego seguro é caracterizado por uma criança que se sente confortável em explorar o ambiente, sabendo que pode contar com o cuidador para apoio e segurança quando necessário. Já o apego ansioso-ambivalente ocorre quando a criança se mostra ansiosa e insegura em relação ao cuidador, buscando constantemente sua atenção e aprovação. O apego ansioso-evitativo, por sua vez, é marcado por uma criança que evita o contato emocional com o cuidador, mostrando-se independente e distante.

Por fim, o apego desorganizado é caracterizado por um padrão de comportamento contraditório e confuso. As crianças com esse tipo de apego podem apresentar reações extremas e imprevisíveis em relação ao cuidador, alternando entre proximidade e distanciamento de forma desorganizada. Esse tipo de apego está frequentemente relacionado a experiências traumáticas na infância e pode ter consequências significativas para o desenvolvimento emocional e social da criança.

As crianças com apego desorganizado podem apresentar dificuldades em regular suas emoções, estabelecer relacionamentos saudáveis e lidar com situações de estresse. Elas podem desenvolver problemas de comportamento, dificuldades de aprendizagem e até mesmo transtornos mentais no futuro. Por isso, é importante identificar e tratar precocemente esse tipo de apego, proporcionando um ambiente seguro e acolhedor para a criança desenvolver relações saudáveis e construtivas.

Principais características da teoria do apego: o que você precisa saber.

A teoria do apego, desenvolvida por John Bowlby, é uma das teorias mais importantes da psicologia do desenvolvimento. Ela descreve como os bebês e as crianças desenvolvem laços afetivos com seus cuidadores primários e como esses laços influenciam seu desenvolvimento emocional e social. Existem quatro principais características da teoria do apego que são essenciais para entender esse conceito.

A primeira característica é a proximidade, que se refere à tendência natural dos bebês e crianças de buscar a proximidade física com seus cuidadores quando se sentem inseguros ou ameaçados. Isso cria um senso de segurança e confiança que é fundamental para o desenvolvimento saudável.

Relacionado:  Orientação profissional: características, para que serve e processo

A segunda característica é a busca de contato, que é a maneira como os bebês e crianças comunicam suas necessidades emocionais e físicas aos cuidadores. Eles choram, sorriem, agarram-se e fazem outros gestos para atrair a atenção e o cuidado de seus cuidadores.

A terceira característica é a manutenção da proximidade, que envolve a capacidade dos cuidadores de responder de forma sensível e consistente às necessidades emocionais e físicas das crianças. Isso fortalece o vínculo de apego e promove um desenvolvimento saudável.

A quarta característica é a separação e reunião, que descreve como as crianças reagem quando são separadas de seus cuidadores e como se comportam quando são reunidas novamente. Esses momentos de separação e reunião podem ter um impacto significativo no desenvolvimento do apego da criança.

Entender essas características é essencial para promover relacionamentos seguros e afetuosos que contribuam para o bem-estar emocional e social das crianças.

Características de um indivíduo com apego Evitativo: como identificar esse padrão comportamental.

Um dos padrões de apego mais comuns é o apego evitativo. Indivíduos com esse padrão tendem a evitar a proximidade emocional e o contato físico com os outros. Eles podem parecer distantes, desinteressados ou até mesmo frios em seus relacionamentos. Além disso, essas pessoas podem ter dificuldade em expressar suas emoções e em confiar nos outros.

Uma das principais características de um indivíduo com apego evitativo é a tendência a minimizar a importância dos relacionamentos. Eles podem priorizar a independência e a autonomia, evitando assim a vulnerabilidade emocional. Além disso, essas pessoas podem ter dificuldade em lidar com conflitos e em estabelecer conexões profundas e significativas com os outros.

Para identificar um padrão comportamental de apego evitativo, é importante observar como a pessoa se relaciona com os outros. Indivíduos com esse padrão podem evitar demonstrações de afeto, resistir a se envolver emocionalmente e ter dificuldade em confiar nos outros. Além disso, eles podem parecer desconfortáveis com a intimidade e a proximidade emocional.

Eles podem ter dificuldade em expressar suas emoções, em confiar nos outros e em estabelecer conexões profundas e significativas. Identificar esse padrão comportamental pode ajudar a entender melhor o funcionamento dos relacionamentos interpessoais.

Apego desorganizado: características, consequências

O apego desorganizado é um dos quatro tipos de apego descritor por John Bowlby e Mary Ainsworth. Esses psicólogos estudaram a relação entre bebês e seus pais e cuidadores e descobriram que ela pode assumir quatro formas diferentes. O apego desorganizado seria o mais prejudicial de todos.

Esse tipo de apego é formado quando uma criança não pode confiar em seus pais para cuidar dele e protegê-lo, o que pode acontecer por várias razões. Por exemplo, os adultos podem abusar física ou emocionalmente, ou podem ter um comportamento errático ou distraído. Além disso, eles geralmente agem de forma inconsistente em relação ao bebê.

Apego desorganizado: características, consequências 1

Fonte: pexels.com

Dessa maneira, o pequeno enfrenta um dilema. Por um lado, ele precisa que seus pais estejam bem; mas, por outro lado, ele não sabe como eles vão agir ou sabe que pode ser danificado por eles.

Assim, a criança adota um padrão de comportamento errático, às vezes evitando seus cuidadores e outros tentando abordá-los por qualquer meio.

As consequências do apego desorganizado são muito negativas, tanto na infância quanto na vida adulta da pessoa. Assim, traz todos os tipos de problemas em áreas como auto-estima , relações sociais ou o casal. Neste artigo, mostramos tudo o que você precisa saber sobre esse tipo de anexo.

Caracteristicas

Medo no relacionamento com os pais

Se existe uma característica que descreve claramente as conseqüências do apego desorganizado, é o medo. As crianças com esse tipo de relacionamento com os pais, por diferentes motivos, associaram seus cuidadores à dor ou tristeza, e não à segurança, apoio ou afeto.

Por que isso acontece? Existem duas alternativas. Por um lado, é possível que a criança tenha sofrido algum tipo de trauma, como um episódio de abuso físico por um de seus cuidadores.

Relacionado:  Estratégias didáticas: características, para que servem, exemplos

No entanto, às vezes é possível que a criança desenvolva apego desorganizado devido ao acúmulo de pequenas situações negativas.

Por exemplo, se uma criança recebe críticas constantes ou é desprezada pelos pais quando pede ajuda, ela pode desenvolver esse padrão de apego ao longo do tempo.

Comportamento errático com seus cuidadores

Quando uma criança desenvolve apego desorganizado, encontra o que os especialistas chamam de “dilema biológico”. Por um lado, as crianças precisam receber cuidados e apoio de seus pais; por outro, o medo que sentem em relação a eles os leva a tentar se afastar o mais possível.

Assim, uma criança com apego desorganizado costuma agir de maneiras aparentemente contraditórias na presença de seus cuidadores. Você pode chorar por conforto enquanto evita o contato físico; ou que responde de maneiras totalmente opostas a duas situações idênticas.

Os pesquisadores identificaram dois subtipos de apego desorganizado: o “seguro” e o “inseguro”. Ambos têm consequências muito negativas, mas as consequências que causam na vida das crianças são bem diferentes.

É importante lembrar que crianças com apego desorganizado podem agir como se pertencessem a um ou outro subtipo com frequência, dependendo do que estão vivendo em cada momento.

Anexo desorganizado seguro

O primeiro subtipo ocorre quando as crianças decidem inconscientemente que seus pais precisam cuidar deles é mais importante do que o medo que produzem. Dessa forma, apesar do desconforto (que geralmente é claramente visível), eles tentam abordar seus cuidadores repetidamente.

Os pesquisadores provaram que os pais dessas crianças geralmente se sentem sobrecarregados com as necessidades de seus filhos. Quando uma criança com apego desorganizado mostra com certeza que precisa de amor ou compreensão, os adultos geralmente o ignoram, causando tentativas de reforçar sua atenção.

Finalmente, na maioria dos casos, crianças com esse tipo de apego fazem com que os pais prestem atenção, mas à custa de sofrer um grande desconforto. Além disso, os pais dessas crianças geralmente se sentem sobrecarregados, o que deteriora ainda mais o relacionamento de longo prazo.

Acessório desorganizado inseguro

As crianças com o outro subtipo de apego desorganizado reagem ao dilema da necessidade de proteção contra o medo que sentem em relação aos pais de maneira diferente.

Essas crianças aprenderam que as consequências de pedir ajuda ou compreensão aos mais velhos são muito mais negativas do que os benefícios potenciais de fazê-lo.

Dessa forma, eles tentam agir de forma completamente independente, mesmo em situações em que normalmente seria necessário pedir ajuda ou apoio.

Os pais dessas crianças tendem a agir de maneira violenta e imprevisível, que os pequenos aprendem a evitar desde muito cedo.

Em crianças

As conseqüências dessa relação de terror e necessidade das crianças com seus pais podem ser vistas em todas as áreas da vida das crianças.

Com seus cuidadores, seu comportamento varia entre a mais absoluta evitação e as tentativas de chamar sua atenção de todos os modos possíveis, apesar do medo por eles.

Quanto ao restante das áreas da vida das crianças, é comum o apego desorganizado causar todos os tipos de problemas. Assim, crianças com esse tipo de relacionamento com os pais geralmente não têm auto-estima, poucas habilidades sociais e dificuldades para realizar suas tarefas.

Na escola, crianças com apego desorganizado tendem a adotar dois tipos possíveis de comportamento com os outros. Ou eles se esforçam para fazer com que os demais os aceitem, esquecendo suas próprias necessidades, ou se tornam agressivos, frios e distantes. Além disso, eles frequentemente mudam entre os dois tipos de comportamento com frequência.

Em adultos

As crianças que desenvolveram um vínculo desorganizado com os pais, se não intervieram, geralmente acabam se tornando adultos com todos os tipos de problemas.

Relacionado:  O que é o processo de aquisição de conhecimento?

A falta de auto-estima, o medo de outras pessoas e a necessidade de atenção geralmente se tornam mais graves e permanecem inconscientemente presentes.

Pessoas com esse tipo de apego geralmente abrigam uma série de crenças negativas sobre os outros e seus relacionamentos com eles. Por exemplo, eles podem pensar que o medo e a dor são componentes necessários da amizade ou do amor, ou que seus amigos e amantes sempre tentarão tirar vantagem deles.

Além disso, a dança entre medo e necessidade ainda está presente nesses adultos, embora geralmente se concentre no parceiro e nos amigos. Assim, as pessoas com esse estilo de relacionamento às vezes tentam procurar desesperadamente a atenção dos outros, enquanto outras ocultam seus sentimentos e se comportam com indiferença.

Por outro lado, esses indivíduos tendem a idealizar relacionamentos românticos e a temê-los ao mesmo tempo. Isso lhes causa uma grande confusão e geralmente é a causa de muita dor e desconforto em suas vidas.

Consequências

As consequências de ter sofrido apego desorganizado de uma criança e não ter resolvido esse problema são extremamente negativas. P

Por um lado, como vimos, os relacionamentos românticos dessas pessoas são geralmente irregulares e causam muita dor e confusão; mas outras áreas de sua vida também são igualmente danificadas.

Assim, uma característica muito comum entre essas pessoas é a violência descontrolada e a raiva. Por causa disso, eles podem acabar tendo problemas com a lei.

Por outro lado, geralmente são mais propensos a desenvolver doenças psicológicas, como depressão ou ansiedade, e cair no abuso de substâncias.

Em relação ao aspecto trabalhista, as pessoas com apego desorganizado geralmente têm grandes dificuldades em manter um emprego por um longo tempo, devido ao seu comportamento irregular. Além disso, o estresse os torna mais pronunciados do que outros indivíduos.

Finalmente, se essas pessoas tiverem filhos em algum momento, o mais comum é que elas reproduzam o comportamento que seus pais demonstraram com elas, criando filhos com apego desorganizado. Nesse sentido, o apego inseguro é considerado “hereditário”.

Você tem tratamento?

Mudar o padrão de apego de alguém durante a vida adulta é muito complicado, principalmente porque nos leva a ver o mundo de uma certa maneira em que não podemos sequer pensar. No entanto, com paciência, esforço e a abordagem correta, é possível desenvolver um estilo de relacionamento seguro.

Geralmente, considera-se que existem três maneiras de desenvolver apego seguro durante a vida adulta: ir à terapia psicológica, manter um relacionamento com alguém que já tenha esse estilo ou fazer um trabalho profundo de desenvolvimento pessoal. No caso de alguém com apego desorganizado, muitas vezes é necessário recorrer a todas as três rotas ao mesmo tempo.

Assim, uma pessoa com esse estilo relacional terá que trabalhar muito em suas próprias crenças e comportamentos para mudar sua maneira de entender o mundo; e você geralmente precisará de todo apoio possível de seus entes queridos.

No entanto, o esforço geralmente vale a pena, pois o desenvolvimento de apego seguro tem efeitos muito benéficos em praticamente todos os aspectos da vida da pessoa.

Referências

  1. “Anexo desorganizado: como os anexos desorganizados se formam e como podem ser curados” em: Psychalive. Retirado em: 12 de janeiro de 2019 de Psychalive: psychalive.org.
  2. “Apego desorganizado: medos que não são respondidos” em: Psychology Today. Retirado em: 12 de janeiro de 2019 de Psychology Today: psychologytoday.com.
  3. “Relacionamentos: o estilo de apego desorganizado” em: Um lugar de esperança. Retirado em: 12 de janeiro de 2019 de A Place of Hope: aplaceofhope.com.
  4. “O que é anexo desorganizado e como funciona?” In: Better Help. Retirado em: 12 de janeiro de 2019 de Better Help: betterhelp.com.
  5. “O que fazer se você tiver um anexo desorganizado” em: Recuperar. Retirado em: 12 de janeiro de 2019 de Regain: regain.us.

Deixe um comentário