Alfred Binet: biografia do criador do primeiro teste de inteligência

Alfred Binet foi um psicólogo francês nascido em 1857, conhecido por ser o criador do primeiro teste de inteligência, o Teste Binet-Simon. Sua pesquisa e trabalho pioneiro na área da psicologia educacional e da inteligência humana foram fundamentais para o desenvolvimento de métodos de avaliação que possibilitaram a identificação de indivíduos com dificuldades de aprendizagem e a implementação de medidas educacionais adequadas para cada caso. Através de seus estudos e experimentos, Binet contribuiu significativamente para o avanço da psicometria e para a compreensão do funcionamento da mente humana.

Qual era o conceito de Binet sobre a inteligência na psicologia cognitiva?

Alfred Binet foi um renomado psicólogo francês responsável por criar o primeiro teste de inteligência. Seu trabalho revolucionou a forma como a inteligência era avaliada e compreendida na psicologia cognitiva. Binet acreditava que a inteligência não era uma característica fixa e imutável, mas sim algo que poderia ser desenvolvido e aprimorado ao longo da vida.

Para Binet, a inteligência era uma habilidade complexa que envolvia não apenas a capacidade de resolver problemas lógicos, mas também a capacidade de adaptar-se a novas situações, aprender com experiências passadas e tomar decisões eficazes. Ele enfatizou a importância do contexto e das experiências individuais na formação da inteligência de uma pessoa.

Binet desenvolveu o teste de inteligência com o objetivo de identificar crianças que precisavam de apoio adicional na escola, permitindo assim que fossem oferecidas intervenções educacionais adequadas. Seu teste avaliava várias habilidades cognitivas, como raciocínio lógico, memória, compreensão verbal e habilidades matemáticas.

Seu trabalho foi fundamental para o desenvolvimento de novas abordagens na avaliação e no entendimento da inteligência, influenciando gerações de psicólogos e educadores.

Qual foi a pessoa responsável por realizar o primeiro teste de inteligência?

Alfred Binet foi o responsável por realizar o primeiro teste de inteligência. Nascido em Nice, França, em 1857, Binet foi um psicólogo pioneiro no estudo da mente humana. Seu teste de inteligência, criado em colaboração com seu colega Theodore Simon, foi desenvolvido com o objetivo de identificar crianças que precisavam de ajuda educacional adicional.

O teste de Binet-Simon media habilidades como raciocínio lógico, memória e capacidade de resolver problemas. Foi um marco na história da psicologia, pois foi o primeiro instrumento a mensurar a inteligência de forma sistemática. Graças a esse teste, foi possível identificar crianças com necessidades especiais e direcionar recursos para ajudá-las em seu desenvolvimento educacional.

Apesar de algumas críticas e limitações, o teste de inteligência de Binet-Simon foi o ponto de partida para muitas outras pesquisas na área da psicometria. Seu trabalho influenciou gerações de psicólogos e educadores, e sua contribuição para a compreensão da inteligência humana é inegável.

Qual foi o impacto de Binet no desenvolvimento do conceito de inteligência?

Alfred Binet foi um psicólogo francês conhecido por ter criado o primeiro teste de inteligência, o famoso teste de QI. Seu trabalho teve um impacto significativo no desenvolvimento do conceito de inteligência e na avaliação das habilidades cognitivas das pessoas.

Binet acreditava que a inteligência era uma capacidade complexa e multifacetada, que não podia ser medida apenas por testes de memorização ou conhecimento factual. Ele desenvolveu o teste de QI com o objetivo de avaliar a capacidade mental geral de uma pessoa, levando em consideração diferentes aspectos como raciocínio lógico, capacidade de solucionar problemas e compreensão verbal.

O teste de Binet foi uma inovação revolucionária na época, pois permitia avaliar a inteligência de forma mais abrangente e objetiva. Sua abordagem influenciou outros pesquisadores e psicólogos a desenvolverem novas formas de medir a inteligência e compreender melhor suas diferentes dimensões.

Graças ao trabalho de Binet, o conceito de inteligência passou a ser visto de forma mais dinâmica e maleável, levando em consideração não apenas o quociente de inteligência, mas também outros fatores como a criatividade, a capacidade de adaptação e a resolução de problemas práticos do dia a dia.

Relacionado:  Hermann Ebbinghaus: biografia deste psicólogo e filósofo alemão

Principais contribuições de Alfred Binet para a história dos testes psicológicos.

A história dos testes psicológicos deve muito a Alfred Binet, um renomado psicólogo francês que ficou conhecido por criar o primeiro teste de inteligência. Nascido em Nice em 1857, Binet dedicou sua carreira ao estudo da mente humana e ao desenvolvimento de métodos para avaliar as capacidades cognitivas das pessoas.

Uma das principais contribuições de Binet foi a criação da Escala Binet-Simon, um teste de inteligência elaborado em colaboração com o médico Theodore Simon. Este teste foi o precursor de muitos outros instrumentos de avaliação psicológica que surgiram posteriormente e ainda é utilizado como referência na área.

Além disso, Binet também foi responsável por introduzir o conceito de idade mental, que se tornou fundamental para a compreensão das diferenças individuais em termos de desenvolvimento cognitivo. Este conceito revolucionou a forma como as capacidades mentais eram avaliadas e influenciou diretamente o campo da psicometria.

Apesar de ter cometido alguns erros em sua pesquisa, como a crença na existência de uma inteligência única e mensurável, as contribuições de Alfred Binet para a história dos testes psicológicos são inegáveis. Seu trabalho abriu caminho para o desenvolvimento de novas técnicas de avaliação psicológica e para uma compreensão mais profunda das capacidades mentais humanas.

Alfred Binet: biografia do criador do primeiro teste de inteligência

Alfred Binet: biografia do criador do primeiro teste de inteligência 1

Hoje, a maioria de nós sabe que é um teste de inteligência. Empregados nas áreas de clínica, escola e mundo do trabalho, graças a eles, podemos ter uma medida aproximada da capacidade intelectual de cada um, o que permite, por exemplo, ajustar a educação e o treinamento às necessidades individuais específicas daqueles sujeitos com um nível bem acima ou abaixo da média.

No entanto, os testes de inteligência nem sempre foram realizados, sendo de fato uma invenção relativamente recente. O primeiro deles foi criado por Alfred Binet ; Em seguida, revisaremos brevemente sua biografia.

Biografia de Alfred Binet

Como pai médico e pintor, Alfred Binet nasceu em Nice em 8 de julho de 1857 .

Seus pais se separariam em breve, mudando-se com sua mãe para Paris. Lá, ele continuou seus estudos no Louis-le-Grand Lyceum, onde terminaria o ensino médio. Quando esses estudos terminassem, e Piaget faria algum tempo depois, Alfred Binet decidira estudar direito na Sorbonne. No entanto, ele acabaria desenvolvendo um certo interesse em psicologia, no qual começaria a ser autodidata.

Binet casou-se em 1884 com a filha do embriologista Edouard-Gérard Balbiani, que o incentivou a estudar ciências naturais, e mais tarde ele seria incentivado por Ribot a continuar seus estudos em psicologia.

  • Você pode estar interessado: ” Os 12 tipos de inteligência: qual você possui? “

Casa e pesquisa na área psicológica

Atraído pelo trabalho psicológico sobre hipnose e sugestão, temas de grande interesse na época, ele acabaria trabalhando junto com Charcot na Salpêtrière em aspectos como hipnose, transferência e polarização perceptiva. Ele permaneceu naquele hospital até 1891, quando foi forçado a reconhecer publicamente por si próprio uma série de erros metodológicos cometidos por Charcot como diretor da investigação durante a investigação com sujeitos supostamente hipnotizados. Depois disso, ele deixaria Salpetriere e seu mentor até então, além de pesquisas sobre hipnose e sugestões.

O nascimento (em 1885 e 1888) e o crescimento de suas filhas o ajudariam a se concentrar em outros aspectos da psicologia, contribuindo muito para concentrar sua pesquisa no desenvolvimento evolutivo. Ele faria um grande número de observações sobre seu crescimento, o que o levaria a desenvolver um conceito de inteligência e até a começar a desenvolver uma base para o surgimento da psicologia diferencial.

Relacionado:  Mikhail Bakhtin: biografia deste linguista russo

Com o tempo, ele ajudou a fundar o primeiro laboratório de pesquisa psicológica em seu país em 1889. Ele se tornaria diretor daquele laboratório, mantendo o cargo até sua morte.

Durante o ano de 1892, ele o contataria com o psiquiatra Théodore Simon, que eventualmente colaboraria com ele na criação da primeira escala de inteligência. Binet ensinaria sua tese de doutorado sobre crianças com deficiência intelectual.

Além disso, em 1895, Binet criou o primeiro jornal de psicologia francês, l’Année Psychologique.

Inteligência de medição

Naquela época, o governo francês declarou escolaridade obrigatória de todas as crianças entre seis e quatorze anos de idade. No entanto, o surgimento repentino dessa lei causou uma grande diferença no nível básico de conhecimentos e habilidades dos alunos , com os quais a administração decidiu que era necessário poder classificar os alunos que apresentavam grandes dificuldades para continuar a educação. formal.

Para isso, o governo gaulês organizou uma comissão para estudar de maneira científica como identificar os indivíduos com dificuldades em seguir uma educação comum, bem como a maneira pela qual eles poderiam ser educados e as medidas que deveriam ser tomadas com eles. A Binet faria parte dessa comissão, que terminou determinando que era necessário estabelecer um método para identificar os alunos com atrasos educacionais e / ou intelectuais. A necessidade de separar esses alunos das classes comuns também seria determinada, com o surgimento de educação especial.

Embora, para classificar as habilidades dos estudantes, fosse necessário o uso de algum tipo de mecanismo ou instrumento, na época as únicas medidas psíquicas existentes eram baseadas no método biométrico de Galton , que obtinha dados a partir da medição de atributos físicos. e fisiológico No entanto, a inteligência é um construto que não pode ser medido da mesma maneira; portanto, seria solicitado ao Binet que desenvolvesse algum tipo de instrumento para esse fim.

  • Você pode estar interessado: ” A teoria da inteligência de Francis Galton “

A escala Binet-Simon

Com a ajuda de Simon, Binet desenvolveria em 1905 a primeira escala de medição de inteligência, a escala Binet-Simon. Essa escala usaria um critério do tipo executivo no qual as crianças deveriam usar suas habilidades para resolver determinadas tarefas. Esses testes variaram dos testes mais sensoriais aos mais abstratos que forçaram o uso da capacidade intelectual. Ele procura medir o que Binet e Simon entendiam como um fator fundamental de inteligência, julgamento prático ou senso comum (com base na capacidade de entender, julgar e raciocinar corretamente).

Foram desenvolvidas trinta tarefas, principalmente relacionadas a aspectos verbais e resolução de problemas. O objetivo principal era ser capaz de distinguir as crianças entre três e treze anos que tinham dificuldades em seguir uma educação normativa para oferecer-lhes reforço. A idade do sujeito foi levada em consideração, a dificuldade e o nível de abstração dos testes aumentaram com a idade. Uma medição precisa do nível intelectual não era pretendida; portanto, em sua versão original, essa escala não inclui um método de pontuação preciso.

Isso mudaria em 1908, quando Binet realizaria uma revisão da referida escala na qual incluiria o conceito de idade mental, entendido como a idade em que a maioria das pessoas consideradas normativas são capazes de resolver o mesmo número de problemas. Isso permitiu estabelecer se houve atrasos mais ou menos significativos , bem como uma melhor classificação dos indivíduos.

Relacionado:  Gregor Mendel: biografia do pai da genética moderna

Alfred Binet era contrário à idéia de que as habilidades intelectuais não eram modificáveis , aumentando a necessidade de as crianças com capacidades abaixo da média fazerem cursos de treinamento especiais para aumentá-las. Ele considerou que o ambiente era de fundamental importância no desenvolvimento de capacidades, não acreditando que as diferenças de inteligência se devessem apenas a causas biológicas.

Essa escala foi rapidamente popularizada devido à sua necessidade e facilidade de aplicação. Binet continuaria a fazer melhorias, logo após sua terceira revisão ser publicada, ele morreu devido a um derrame em 1911.

O legado de Binet em Psicologia

Após sua morte e mesmo antes dela, muitos outros autores estavam interessados ​​na escala criada em colaboração com Simon. Um ano antes de sua morte, Goddard traduziria essa escala para o inglês e tentaria levá-la aos Estados Unidos , embora a presença de diferenças significativas entre a população francesa e americana causasse dificuldades metodológicas.

Logo após, em 1912, Stern trabalharia nos resultados obtidos na escala e enfatizaria que a presença de atrasos específicos em diferentes idades tem um significado mais relevante e implica maior ou menor alteração em uma certa idade, criando o conceito de Quociente de Inteligência .

Consciente das dificuldades de aplicação devido às diferenças populacionais e no conhecimento dos conceitos desenvolvidos por outros autores, como Stern, Terman revisaria a escala de Binet, denominada escala de Stanford-Binet . Essa escala incluiria a medição do Quociente de Inteligência Stern, multiplicando-o por cem, a fim de eliminar frações. Então, eu criaria o quociente intelectual conhecido hoje, permitindo uma medição mais precisa do nível de inteligência.

A escala de Stanford-Binet seria o principal teste de inteligência por décadas, até ser superada pelo nascimento das escalas de Weschler .

Em conclusão, as contribuições de Alfred Binet à psicologia foram de grande importância, sendo suas obras inspiração para muitos outros autores, como Weschler ou Piaget . No entanto, seu trabalho tem sido utilizado em muitas ocasiões para separar, rotular e desagregar crianças com dificuldades intelectuais, sendo sua escala aplicada com um objetivo oposto ao pretendido pelo autor (reforçar e ajudar crianças com dificuldades).

Outras contribuições

Embora Alfred Binet seja conhecido principalmente por ser o criador do primeiro teste de inteligência, seu trabalho não tratou exclusivamente desse aspecto.

Por exemplo, Binet trabalhou na definição do que agora consideramos fetichismo , entendendo-o como o produto da memória de uma excitação sexual que apareceu durante a infância, sendo o objeto do fetiche o causador dessa memória. Da mesma forma, também proporia uma diferenciação entre um fetiche pequeno e um fetiche grande, sendo o comportamento parafílico deste último.

Ele também fez várias contribuições durante seu tempo em Salpêtrière, como vários estudos sobre hipnose e sugestionabilidade, ou outras contribuições, como algumas relacionadas ao estudo da personalidade.

Outros trabalhos de interesse incluem vários estudos sobre memória visual e inteligência , que seriam realizados com base no jogo de xadrez. Embora inicialmente tenha sido sugerido que o bom jogador tinha uma memória visual alta e isso o induzia a tocar corretamente, as conclusões do estudo mostraram que criatividade e experiência também eram necessárias.

Finalmente, também é conhecido seu trabalho em grafologia, ou como a maneira de escrever de uma pessoa pode nos fornecer informações sobre sua maneira de ser e de perceber.

Referências bibliográficas:

  • Binet, A. (1887). Le fétichisme in l’amour. Paris, Payot.
  • Gregory, RJ (2001). Avaliação psicológica. Conceitos, métodos e estudos de caso. Ed. Pirâmide: Madri.
  • Sanz, LJ e Álvarez, CA (2012). Avaliação em Psicologia Clínica. Manual de preparação do CEDE PIR. 05. CEDE: Madri.

Deixe um comentário