Anfíbios: elementos, propriedades e compostos

Os anfíbios são uma classe de animais vertebrados que possuem a capacidade de viver tanto na água quanto na terra. São conhecidos por sua pele úmida e permeável, que lhes permite absorver oxigênio e água diretamente do ambiente. Além disso, apresentam um ciclo de vida peculiar, passando por uma fase larval aquática e uma fase adulta terrestre. Neste contexto, este artigo irá explorar os elementos, propriedades e compostos que caracterizam os anfíbios, destacando sua importância e diversidade biológica.

Principais características dos anfíbios: o que você precisa saber sobre esses animais aquáticos e terrestres.

Os anfíbios são animais fascinantes que possuem características únicas que os distinguem de outros grupos de animais. Eles são conhecidos por serem animais aquáticos e terrestres, o que significa que passam parte de suas vidas na água e parte em terra firme.

Uma das principais características dos anfíbios é a sua pele permeável, que lhes permite absorver água e oxigênio diretamente do ambiente. Isso os torna muito sensíveis a mudanças ambientais, como a poluição da água e do ar. Além disso, os anfíbios possuem um ciclo de vida complexo, que geralmente envolve uma fase larval aquática e uma fase adulta terrestre.

Outra característica marcante dos anfíbios é a sua capacidade de sofrer metamorfose, ou seja, de passar por diferentes estágios de desenvolvimento. Por exemplo, os girinos se transformam em sapos ou rãs durante o processo de metamorfose. Isso os torna animais muito interessantes de se observar e estudar.

Em relação à reprodução, os anfíbios geralmente colocam ovos em ambientes aquáticos, onde as larvas se desenvolvem até se tornarem adultos. Alguns anfíbios, como as salamandras, são capazes de regenerar partes do seu corpo, como membros perdidos.

Em resumo, os anfíbios são animais aquáticos e terrestres com características únicas, como a pele permeável, a capacidade de sofrer metamorfose e a reprodução em ambientes aquáticos. São animais fascinantes que merecem ser estudados e protegidos.

Anfíbios: conheça a estrutura do corpo desses animais que vivem na água e na terra.

Os Anfíbios são animais fascinantes que possuem características únicas que os permitem viver tanto na água quanto na terra. Eles são conhecidos por sua estrutura corporal adaptada a esses dois ambientes distintos.

Os Anfíbios possuem pele úmida e permeável que lhes permite respirar pela absorção de oxigênio diretamente através da pele. Além disso, eles possuem glândulas mucosas que mantêm a pele hidratada e protegida. Essa característica é essencial para sua sobrevivência em ambientes aquáticos e terrestres.

Outra característica marcante dos Anfíbios é o seu ciclo de vida, que inclui uma fase larval aquática e uma fase adulta terrestre. Durante a fase larval, muitos Anfíbios respiram através de brânquias, que posteriormente são substituídas por pulmões na fase adulta.

Além disso, os Anfíbios possuem membros adaptados para diferentes formas de locomoção, como patas palmadas para natação e patas com garras para escavação. Essas adaptações permitem que eles se movimentem com facilidade tanto na água quanto na terra.

Em resumo, os Anfíbios são animais incríveis que possuem uma estrutura corporal única que lhes permite sobreviver em ambientes aquáticos e terrestres. Sua pele permeável, ciclo de vida complexo e membros adaptados são algumas das características que tornam esses animais tão especiais.

Relacionado:  Iodeto de prata (AgI): estrutura, propriedades, obtenção, usos

Classificação dos anfíbios: qual a ordem taxonômica desses animais aquáticos e terrestres?

Os anfíbios são animais pertencentes à classe Amphibia, que inclui sapos, rãs, salamandras e tritões. Eles são caracterizados por possuírem pele úmida e permeável, além de passarem por um estágio larval aquático durante seu desenvolvimento. Mas qual é a ordem taxonômica desses animais aquáticos e terrestres?

Os anfíbios são divididos em três ordens principais: Anura, Caudata e Gymnophiona. A ordem Anura inclui os sapos e rãs, que são os anfíbios mais conhecidos e abundantes. A ordem Caudata engloba as salamandras e tritões, que possuem corpos alongados e caudas distintas. Já a ordem Gymnophiona inclui as cobras-cegas, animais com corpos alongados e sem membros.

Essas três ordens compõem a classe Amphibia, que é uma das principais classes de vertebrados. Os anfíbios desempenham um papel importante nos ecossistemas, atuando como indicadores de qualidade ambiental e contribuindo para o equilíbrio ecológico.

Portanto, a classificação dos anfíbios é essencial para compreender a diversidade e a importância desses animais aquáticos e terrestres. Conhecer a ordem taxonômica dos anfíbios nos ajuda a compreender melhor sua evolução e seu papel nos ecossistemas.

Principais características dos anfíbios e répteis: conheça as diferenças e semelhanças entre esses animais.

Os anfíbios e répteis são dois grupos de animais que compartilham algumas semelhanças, mas também apresentam algumas diferenças distintas. Vamos analisar as principais características de cada um deles para entender melhor suas particularidades.

Os anfíbios são animais que geralmente possuem pele úmida e permeável, o que lhes permite absorver água e oxigênio através dela. Eles têm um ciclo de vida que inclui uma fase larval aquática, como girinos, e uma fase adulta terrestre. Além disso, os anfíbios são ectotérmicos, o que significa que sua temperatura corporal depende do ambiente externo.

Por outro lado, os répteis são animais que possuem pele seca e escamosa, que atua como uma barreira protetora contra a perda de água. Eles também possuem pulmões bem desenvolvidos para a respiração aérea. Os répteis são ectotérmicos, assim como os anfíbios, o que significa que sua temperatura corporal varia de acordo com a temperatura ambiente.

Uma diferença importante entre anfíbios e répteis está relacionada ao seu habitat. Enquanto os anfíbios são geralmente encontrados em ambientes úmidos, como florestas e pântanos, os répteis são mais comuns em ambientes secos, como desertos e savanas. Além disso, os anfíbios se reproduzem através de ovos que precisam de água para se desenvolver, enquanto muitos répteis possuem ovos com casca dura que podem se desenvolver em ambientes terrestres.

Em resumo, os anfíbios e répteis são dois grupos de animais com características distintas, mas também com algumas semelhanças. Enquanto os anfíbios são geralmente encontrados em ambientes úmidos e possuem pele permeável, os répteis são mais comuns em ambientes secos e possuem pele seca e escamosa. Ambos são ectotérmicos e apresentam diversas adaptações que lhes permitem sobreviver em diferentes ambientes.

Anfíbios: elementos, propriedades e compostos

Os Calcogênios ou calcogeno são elementos químicos pertencentes ao grupo ou oxigénio família tabela periódica . Eles estão no grupo VIA ou 16, localizado no lado direito ou no bloco p.

O chefe do grupo, como o nome indica, é ocupado pelo elemento oxigênio, que difere física e quimicamente de seus elementos no mesmo grupo. A palavra “calcogênio” deriva da palavra grega chalcos , que significa cobre.

Relacionado:  Propileno: Estrutura Química, Propriedades e Usos

Anfíbios: elementos, propriedades e compostos 1

Fonte: Pxhere

Muitos químicos denominaram esses elementos como cinzas, giz, bronzes e correntes. No entanto, a melhor interpretação corresponde à dos ‘formadores minerais’.

Assim, os calcógenos são caracterizados por estarem presentes em inúmeros minerais; como silicatos, fosfatos, óxidos, sulfetos, selenetos, etc.

Por outro lado, a palavra “anfígeno” significa capaz de formar compostos ácidos ou básicos. Um exemplo simples disso é o fato de que existem óxidos ácidos e básicos.

O oxigênio não só pode ser encontrado no ar que é respirado, mas também faz parte de 49% da crosta terrestre. Portanto, não basta olhar para as nuvens para enfrentá-lo; e para contemplar a máxima manifestação física dos calcógenos, é necessário visitar uma montanha ou um minério.

Elementos de calcogênio

Anfíbios: elementos, propriedades e compostos 2

Fonte: Gabriel Bolívar

Quais são os elementos do grupo 16? A imagem superior mostra a coluna ou grupo com todos os seus elementos, encabeçados por oxigênio. Nomeando-os em ordem decrescente, você tem: oxigênio, enxofre, selênio, telúrio e polônio.

Embora não mostrado, o elemento radioativo sintético e o segundo elemento mais pesado após o oganeson estão localizados abaixo do polônio: livermorio (Lv).

Oxigênio

O oxigênio é encontrado na natureza principalmente como dois alótropos: O 2 , oxigênio molecular ou diatômico e O 3 , ozônio. É gás em condições terrestres e é obtido a partir da liquefação do ar. No estado líquido, apresenta tons azulados pálidos e, na forma de ozônio, pode formar sais marrons avermelhados chamados ozonídeos.

Enxofre

Naturalmente ele tem vinte allotropes diferentes, o mais comum de todos os S 8 “coroa de enxofre”. O enxofre é capaz de formar moléculas cíclicas ou cadeias helicoidais com ligação covalente SSS …; Isso é conhecido como catenación.

Sob condições normais, é um sólido amarelo, cujas cores avermelhadas e esverdeadas dependem do número de átomos de enxofre que compõem a molécula. fase gasosa, somente, é como molécula diatómica S = S, S 2 ; semelhante ao oxigênio molecular.

Selênio e telúrio

O selênio forma cadeias mais curtas que o enxofre; mas com diversidade estrutural suficiente para encontrar alótropos pretos, cristalinos acinzentados e pretos amorfos.

Alguns o consideram um metalóide e outros um elemento não metálico. Surpreendentemente, é essencial para os organismos vivos, mas em concentrações muito baixas.

O telúrio, por outro lado, cristaliza como um sólido acinzentado e possui características e propriedades de um metalóide. É um elemento muito escasso na crosta terrestre, estando em concentrações muito baixas em minerais raros.

Polônio

De todos os calcógenos, é o único elemento metálico; Mas, como seus 29 isótopos (e outros), é instável, altamente tóxico e radioativo. É encontrado como um oligoelemento em alguns minerais de urânio e fumaça de tabaco.

Propriedades

Configuração eletrônica e estados de valência

Todos os calcógenos têm a mesma configuração eletrônica: ns 2 np 4 . Eles, portanto, têm seis elétrons de valência. Estando no bloco p, no lado direito da tabela periódica, eles tendem a ganhar elétrons em vez de perdê-los; portanto, eles ganham dois elétrons para completar seu octeto de valência e adquirem como conseqüência uma valência de -2.

Eles também podem perder todos os seus seis elétrons de valência, deixando um estado +6.

Os possíveis estados de valência para os calcógenos variam de -2 a +6, sendo esses dois os mais comuns. À medida que o grupo desce (do oxigênio ao polônio), aumenta a tendência dos elementos de adotar estados de valência positiva; que é igual a um aumento no caráter metálico.

Relacionado:  Propileno glicol: estrutura, propriedades, síntese e usos

O oxigênio, por exemplo, adquire em quase todos os seus compostos um estado de valência de -2, exceto quando forma ligações com o flúor, forçando-o a perder elétrons devido à sua maior eletronegatividade, adotando um estado de valência de +2 (OF 2 ) . Os peróxidos também são um exemplo de compostos em que o oxigênio tem uma valência de -1 e não de -2.

Caráter metálico e não metálico

Ao descer pelo grupo, os raios atômicos aumentam e, com eles, as propriedades químicas dos elementos são modificadas. Por exemplo, o oxigênio é um gás, e termodinamicamente é mais estável como uma molécula diatômica O = O do que como uma “cadeia oxigenada” OOOO…

É o elemento de maior caráter não metálico do grupo e, portanto, forma compostos covalentes com todos os elementos do bloco pe alguns metais de transição.

O caractere não metálico diminui à medida que o caractere metálico aumenta. Isso se reflete em propriedades físicas, como pontos de ebulição e fusão, que aumentam de enxofre para polônio.

Outra característica do aumento do caráter metálico é o aumento das configurações cristalinas dos compostos formados por telúrio e polônio.

Compostos

Alguns compostos formados pelos calcógenos são geralmente mencionados abaixo.

Hidretos

-H 2 O

-H 2 S

De acordo com a nomenclatura da IUPAC, é denominado sulfeto de hidrogênio e não hidreto de enxofre; já que H não possui uma valência de -1.

-H 2 Se

Da mesma forma, é chamado de seleneto de hidrogênio, como o restante dos hidretos.

-H 2 Te

-H 2 Po

O hidreto de oxigênio é a água. Os outros são fedorentos e venenosos, sendo o H 2 S o mais conhecido de todos, mesmo na cultura popular.

Sulfuretos

Todos têm em comum o ânion S 2- (o mais simples). Entre eles estão:

-MgS

-FeS

-CuFeS 2

-Na 2 S

-BaS

Da mesma forma, existem selenidas, Se 2 ; Telenuros, Te 2- e polonetos, Po 2- .

Halides

Os calcógenos podem formar compostos com halogênios (F, Cl, Br, I). Alguns deles são:

-TeI 2

-S 2 F 2

-OF 2

-SCl 2

-SF 6

-SeBr 4

Óxidos

Finalmente, existem os óxidos. Neles, o oxigênio tem uma valência -2, e eles podem ser iônicos ou covalentes (ou têm características de ambos). Por exemplo, você tem os seguintes óxidos:

-SO 2

-TeO 2

-Ag 2 O

-Fe 2 O 3

-H 2 O (óxido de hidrogênio)

-SeO 3

Existem centenas de milhares de outros compostos, que envolvem estruturas sólidas interessantes. Além disso, podem apresentar polianiões ou policatiões, principalmente nos casos de enxofre e selênio, cujas cadeias podem adquirir cargas positivas ou negativas e interagir com outras espécies químicas.

Referências

  1. López A. (2019). Oxigênio e seu grupo (a família de oxigênio). Academia Recuperado de: academia.edu
  2. Shiver & Atkins. (2008). Química Inorgânica Nos elementos do grupo 16. (quarta edição). Mc Graw Hill
  3. Wikipedia (2018). Chalcogen Recuperado de: https://en.wikipedia.org/wiki/Chalcogen
  4. Catherine H. Banks (2019). Chalcogens Advameg Recuperado de: chemistryexplained.com
  5. William B. Jensen (1997). Uma nota sobre o termo «Chalcogen». Journal of Chemical Education , 74 (9), 1063. DOI: 10.1021 / ed074p1063.
  6. Libretexts de Química. (16 de maio de 2017). Os elementos do grupo 16 (os calcogênios). Recuperado de: chem.libretexts.org.

Deixe um comentário