Artes Menores ou Aplicadas: História e Tipos

As artes menores ou artes aplicadas são aquelas que têm um uso prático, além do meramente artístico, em toda a sua extensão. Artes decorativas, ourivesaria e, em geral, tudo o que une elementos artísticos com objetos de uso habitual foram classificados como menores.

A distinção entre artes menores e as chamadas Belas Artes vem da Grécia. Embora exista uma aparência um tanto desdenhosa ou que, ao menos, subestime as artes menores, a verdade é que elas estiveram tão presentes na história quanto as artes principais.

Artes Menores ou Aplicadas: História e Tipos 1

De fato, algumas das construções pré-históricas que são visitadas hoje podem se encaixar perfeitamente nas artes aplicadas. É o caso de qualquer ânfora romana ou de alguns instrumentos e ferramentas maravilhosamente trabalhados deixados por membros de civilizações pré-hispânicas.

Com o passar do tempo, primeiro durante a Revolução Industrial e depois em uma era mais moderna, o conceito expandiu sua gama de obras. Há estudiosos que acreditam que artes visuais, como fotografia e cinema, devem ser incluídas nas artes menores, enquanto outras discordam.

Existem várias categorias nas artes aplicadas, embora todas sejam caracterizadas por não terem uma origem puramente artística. Uma das características mais relevantes desse tipo de arte é que sua funcionalidade é muito evidente. Dentro das artes aplicadas, todas as modalidades de design se destacam, ou mesmo as relacionadas à arquitetura.

História das artes aplicadas ou menores

Origens do conceito

Segundo sua definição, já existiam artes menores desde a Pré-História; No entanto, foram os gregos que fizeram a distinção teórica. Assim, para eles, as Belas Artes (ou superiores) eram aquelas apreciadas pela visão e pela audição, sem contato físico.

Pelo contrário, as artes menores precisavam que os outros sentidos fossem apreciados. Por exemplo, falou-se em perfumaria ou gastronomia como parte disso. Mais tarde, o conceito variou um pouco, enfatizando se a coisa criada tinha um uso útil ou se era simplesmente artístico.

Relacionado:  11 famosos dançarinos de história e atualidades

Idade Média

Na Idade Média, as artes aplicadas recebem seu primeiro impulso. Por um lado, isso se deve ao aparecimento de guildas de artesãos, que criam oficinas e especializam seus trabalhadores. Por outro lado, o surgimento da burguesia permite novos clientes, além dos senhores ou da Igreja.

Durante o românico, quase todas as obras tiveram um motivo religioso. Assim, os relicários, cálices ou outros elementos podem ser nomeados. Quando eles eram destinados a clientes com dinheiro, quase todo mundo usava ouro e pedras preciosas.

O design têxtil também exige muita força. Não apenas para roupas, mas também com belas tapeçarias para as casas ou castelos dos poderosos. Os materiais mais usados ​​incluem lã e cânhamo, e mais tarde seda e linho oriental são incorporados.

No gótico, sem dúvida o que mais se destaca é a arquitetura com a construção de grandes catedrais. Mas não era apenas o próprio edifício que contava, mas também toda a decoração: dos vitrais às esculturas.

A criação de móveis é beneficiada pela melhoria econômica, assim como as tapeçarias ricamente decoradas.

Neoclassicismo

Outro período histórico em que as artes menores viveram um grande esplendor foi durante o neoclassicismo. Desde 1750, as artes decorativas vivem um boom, especialmente na Inglaterra e na França.

O estilo era bastante solene, até frio. Formas simples e planas foram usadas, talvez como resposta ao estilo rococó anterior, cheio de exageros estilísticos.

Revolução Industrial

Da produção manual e artesanal à industrial; Este é o efeito que a Revolução Industrial tem sobre essas artes. A partir de então, foi possível produzir esses objetos de maneira massiva, destinada ao público em geral. Mesmo nos primeiros anos, perde-se algum interesse pela decoração e eles se tornam objetos totalmente utilitários.

Relacionado:  Manifestações Artísticas: Características e Tipos Destacados

Somente os ricos podiam comprar produtos artesanais, inaugurando uma tendência que dura até hoje: a maior valorização do artesanato fabricado versus industrial.

Artes e Ofícios

Esse movimento começa entre os anos 60 e 70 do século XIX. O significado do nome já dá uma pista sobre seus objetivos: Artes e Ofícios. Assim, dada a pouca importância que os contemporâneos da Revolução Industrial dão às artes aplicadas, os criadores dessa corrente tentam dar-lhes um novo impulso.

Dessa forma, eles tentaram retornar ao trabalho artesanal e tentaram retornar ao tradicional. Para eles, a arte deve ser tão bela quanto útil, sem estar em desacordo com uma coisa.

Século XX

O século XX apresenta uma revolução técnica e material como nunca na história. O design, em todas as suas formas, é consolidado como base da arte aplicada.

Apesar disso, a produção em série dos objetos estava crescendo, mas agora com uma clara intenção de ser bonita para o comprador.

Movimentos como o Bauhaus e, especialmente, o Art Deco, impõem definitivamente que as artes decorativas sejam instaladas na sociedade.

O Art Deco era muito importante até o início da Segunda Guerra Mundial e era caracterizado por linhas curvas nas artes gráficas e linhas geométricas nos móveis.

Século XXI

As décadas vividas até agora no século XXI não mudaram muito as características das artes menores.

Como já vem ocorrendo há muito tempo, os objetos criados em nível industrial, embora sejam bonitos, se distinguem daqueles feitos à mão, que recebem mais valor.

Apenas alguns estilos arquitetônicos, alta tecnologia e desconstrutivismo, quebraram o legado do século passado, com a predominância da chamada arte pós-moderna.

Tipos mais representativos de artes aplicadas

Grosso modo pode falar sobre várias categorias dentro das artes menores ou aplicadas:

Relacionado:  20 famosos trompetistas históricos e atuais

Arquitetura

Não há consenso para incluí-lo nessas artes, mas ele tem uma dupla função inquestionável: estética e utilidade.

Design de moda

Especialmente desde o século XX, tornou-se um dos mais importantes. É necessário distinguir entre as roupas fabricadas em série e os modelos preparados para as passarelas, muito mais próximos do conceito de arte aplicada.

Desenho gráfico

É uma das novas adições a esse tipo de arte. É um dos que tirou vantagem das novas tecnologias.

Desenho industrial

É o design de produtos industriais. Tente ser atraente para chamar a atenção dos compradores.

Gravura e artesanato

Listado entre as artes plásticas, ainda não há consenso sobre se deve considerá-las entre as artes menores.

Publicidade

Esta é uma das artes menores mais recentes. Considera-se assim, porque as peças publicitárias podem ser carregadas com belos elementos artísticos, para serem mais atraentes para os destinatários e para que a mensagem seja transmitida da forma mais eficiente possível.

Fotografia

Embora os fotógrafos criativos ou artísticos discordem dessa classificação, cada vez mais teóricos colocam a fotografia nas artes aplicadas. Isso ocorre porque essa arte possui uma funcionalidade clara como uma ferramenta para registrar situações e contextos diferentes.

Referências

  1. Villalba Salvador, Maria. Artes decorativas e objetos do cotidiano. Obtido em magazine-critica.es
  2. Arkiplus Artes Aplicadas Obtido em arkiplus.com
  3. História da arte. Artes Aplicadas Obtido de historiadelarte.us
  4. Monash University Definição de maior e menor – Faculdade de Artes. Obtido em monash.edu
  5. Link, John. Glorioso Menor Art. Recuperado de newcrit.org
  6. L’Estrange, Elizabeth. De menor a maior: as artes menores na história da arte medieval. Recuperado de arthistoriography.files.wordpress.com
  7. Godward, Frederic. A variedade de artes aplicadas. Obtido em widewalls.ch

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies