As 10 competições de vida mais importantes

As competências para a vida são o conjunto de habilidades e valores aprendidos pelas pessoas para agir com responsabilidade em determinadas situações, desenvolvendo uma capacidade de assumir comportamentos adequados aos problemas que geralmente ocorrem na vida.

Essas habilidades fornecem segurança ao indivíduo para enfrentar positivamente certos desafios, que podem surgir nos diferentes espaços em que atua, seja em casa, na escola, na rua com os amigos, no local de trabalho, entre outros locais de interação.

As 10 competições de vida mais importantes 1

Nas competências para a vida, todos os conhecimentos, habilidades, habilidades e valores da pessoa são integrados, para gerar comportamentos ou comportamentos que proporcionam satisfação, equilíbrio e bem-estar.

10 Habilidades e Competências Importantes para a Vida

Esse conjunto de habilidades deve ser lembrado o tempo todo, pois facilita a detecção de um problema, busca o conhecimento respectivo, adapta-o à situação e age de maneira satisfatória.

1- Aplicar habilidades sociais

  • Ouça, com atenção às pessoas e mostre interesse no que elas dizem.
  • Diga olá, gentilmente quando chegar a um site, sem cair na bajulação.
  • Diga adeus a todos os presentes quando sair de um lugar.
  • Agradecer, pela atenção recebida, expressando gratidão.
  • Por favor, peça ajuda a alguém ou apenas peça um horário.
  • Peça desculpas, se algo que foi feito incomoda alguém ou uma atividade é interrompido.
  • Aguarde a curva, esperando com calma e paciência.

2- Pratique o respeito

  • Aceite as pessoas como elas são, sem discriminação.
  • Reconheça discrepâncias, individuais e em grupo.
  • Valorizar direitos e deveres, como forma de conviver.
  • Tolerar as opiniões de outras pessoas, mesmo que sejam contrárias.
  • Cumprir os padrões morais, dependendo de sua cultura e região.
  • Defenda a liberdade, valorize a democracia e mantenha a paz.
  • Cumprir as leis, fazer cumprir os regulamentos.

3- Comunicação

  • Expresse suas próprias idéias claramente, para que as mensagens cheguem corretamente.
  • Use um tom de voz adequado, adaptado para onde eles estão.
  • Gerencie o idioma apropriado no nível social e educacional de outras pessoas, evitando palavrões.
  • Ouça atentamente a mensagem de outras pessoas e o feedback para garantir que a mensagem foi entendida.
  • Mantenha uma atitude favorável para conseguir uma conversa agradável.

4- Aja assertivamente

  • Mantenha uma atitude equilibrada em relação a certas situações, nem passivas nem agressivas.
  • Defenda os direitos e deveres de todos objetivamente, sem permitir abuso de poder ou intimidação.
  • Expresse sua decisão e diga “não” de forma clara e firme a uma proposta, além de aceitar que outros também digam “não”.
  • Não permitir ser coagido por grupos, isto é, forçado a executar uma atividade de risco.
  • Evite tomar decisões sob pressão, seja de parentes, amigos ou grupos rivais, até ter certeza.

5- Empatia

  • Coloque-se no lugar da outra pessoa, antes de agir, para entender seus sentimentos e opiniões.
  • Entenda os motivos que levaram a uma decisão, mesmo se você não concordar.
  • Demonstre consideração pelos sentimentos dos outros sem sentir pena ou compaixão.
  • Leve em conta as necessidades dos outros, antes de tomar decisões.
  • Aja com generosidade sem criar um compromisso.
  • Respeite as diferentes opiniões entre o que cada pessoa sente sobre os mesmos tópicos.
  • Ouça ativamente os interesses dos outros, demonstrando sensibilidade e consideração.

6- Cooperação ou trabalho em equipe

  • Estabeleça metas com pessoas com interesses ou funções semelhantes.
  • Organize grupos de pessoas que assumem responsabilidades comprometidas.
  • Motive a equipe de trabalho através de uma atmosfera de comunhão.
  • Estabeleça uma comunicação sincera, clara e aberta, sem implicar o uso de palavrões.
  • Faça com que cada pessoa se sinta importante para desenvolver o senso de pertencer.
  • Integrar a equipe na tomada de decisões
  • Exercer liderança participativa, onde as ações são direcionadas em conjunto.

7- Gerenciamento de emoções

  • Identifique elementos que possam perturbá-los e evitá-los.
  • Reaja pacificamente ao comportamento de outras pessoas que estão fora de controle.
  • Entenda que as emoções podem surgir antes de qualquer estímulo externo e esteja preparado.
  • Mantenha a calma em situações que geram medo, raiva, indignação etc., evitando gestos, gritos ou palavras obscenas que demonstrem isso.
  • Antes de uma pessoa com mau cheiro e sujeira, evite demonstrar nojo.
  • No caso de um argumento que produz ansiedade, tente encontrar equilíbrio e não se deixe levar pelo outro.

8- Controle de estresse

  • Reduza a tensão, diante de situações desagradáveis, encarando-as com uma atitude positiva.
  • Evite se sentir preocupado, para isso você tem que fazer as coisas na hora certa.
  • Em situações emocionais dolorosas, procure uma atividade que prenda sua atenção.
  • Transforme o estresse em força positiva, identificando as fontes que o produzem.
  • Reconheça que você está estressado e peça apoio a pessoas de confiança.
  • Evite situações que gerem desconforto, incapacidade ou frustração.
  • Aumente os espaços para se distrair saudável e praticar um esporte.

9- Prevenção e resolução de conflitos

  • Identifique possíveis problemas interpessoais que possam surgir de mal-entendidos.
  • Antecipe uma situação de confronto e estabeleça distância.
  • Enfrente conflitos que surgem de maneira equilibrada, dialogando.
  • Identifique possíveis situações que requerem uma decisão preventiva.
  • Avalie possíveis riscos, em caso de perda de um bem.
  • Enfrentando os conflitos de maneira positiva, soluções que surjam entre todos devem ser propostas.
  • Negocie e faça mediação diretamente com os envolvidos no conflito, para obter uma solução pacífica, levando em consideração suas opiniões, necessidades e sentimentos.

10- Tomada de decisão

  • Avalie os aspectos positivos e negativos antes de tomar uma determinada decisão.
  • Consulte o material bibliográfico e especialistas sobre a situação antes de decidir.
  • Evite pressionar a família e os amigos para tomar uma decisão.
  • Implementar mecanismos para tomar decisões , consultando os envolvidos.
  • Assumir as consequências para as decisões tomadas, considerando os aspectos éticos, econômicos e sociais.

Referências

  1. Bisquerra, R. (2008). Rafael Bisquerra: Competência pela vida e bem-estar. Recuperado de: rafaelbisquerra.com
  2. Habilidades para a vida Manual de conceitos básicos para facilitadores e educadores. Recuperado de: cedro.org.pe
  3. Educação de habilidades para a vida de crianças e adolescentes nas escolas. Recuperado de: apps.who.int
  4. Caminho formativo Educação básica. Recuperado de: nivelacionplandeestudio2011.wordpress.com
  5. Sesento García, L. Eumed: modelo sistêmico baseado em competências para instituições públicas de ensino, recuperado em: eumed.net.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies