As 10 partes de uma peça de teatro e suas características

As partes de uma peça são divididas entre a peça escrita e a encenação. No total, existem 10 elementos essenciais.

A peça é um formato literário que apresenta uma história através de seus personagens, diálogos e dimensões publicados na imprensa.

As 10 partes de uma peça de teatro e suas características 1

Essas publicações são criadas como base para uma encenação, na qual um diretor e vários atores são responsáveis ​​por representar o trabalho para o público.

As origens do teatro remontam à Grécia Antiga e o primeiro ato teatral da história aconteceu em 534 aC, quando, durante um festival, um bardo chamado Tespis recitou poesia caracterizando diferentes personagens. Seu ato entrou na história, pois ele é considerado o primeiro ator e um dos pais do teatro.

Desde então, o teatro não parou de evoluir e se tornar a sofisticada performance de palco que conhecemos agora.

Apesar das diferentes inovações trazidas para essa tendência artística, o teatro mantém uma série de elementos que a compõem e a tornam única.

Quais são as diferentes partes de uma peça?

Apesar da grande variedade de estilos e representações do teatro ao longo da história, possui alguns elementos característicos.

O filósofo Aristóteles escreveu sobre as 6 características que compõem o teatro: roteiro, personagens, idéia, dicção, música e espetáculo.

Durante muito tempo, os 6 elementos foram considerados o cerne do teatro, mas as constantes inovações hoje em dia dão origem a novas categorias que, quando unidas, criam esse espetáculo artístico.

Na peça escrita

Essas partes que estruturam a peça são responsáveis ​​pelo dramaturgo – autor da peça – e são a essência literária da peça.

1- Diálogos

Talvez seja a parte fundamental de uma obra, porque é sobre o que os personagens dizem. Ou há trocas entre dois ou mais personagens (que é conhecido como colóquio) ou também pode ser uma história que só pode ser ouvida pelo público.

Relacionado:  Antonimia: Tipos e Exemplos

Também existem monólogos, quando se trata de um personagem conversando com o público ou outro interlocutor, mas sempre sem resposta; ou os solilóquios, que são a parte do diálogo em que um personagem fala “consigo mesmo”.

2- Dimensões

As dimensões são um desses elementos únicos do teatro. Essas características são sobre as descrições que o dramaturgo oferece para facilitar a representação da obra.

Nas dimensões, você pode descrever como o personagem é fisicamente (suas roupas, suas feições, seu corpo ou seus maneirismos) ou como ele diz o diálogo (se ele grita, ele sussurra, se ele diz que está triste ou com raiva); Eles também servem para descrever o cenário e todos os elementos visuais.

3- Estrutura do script

Sendo o modo de contar uma história, o roteiro de uma peça deve atender a certas características literárias, ou seja, a divisão em três partes; no começo os personagens, seus motivos são estabelecidos e um problema é nomeado; no desenvolvimento, a ação da história se expande para provocar um clímax; Finalmente, a conclusão representa as soluções e o fim dos conflitos.

As peças, diferentemente de outros formatos literários, são separadas por atos, cenas e pinturas; Os três atos são o começo, desenvolvimento e conclusão.

A mudança de cenário acontece quando os atores entram ou saem do palco e cada pintura representa mudanças no cenário.

4- Personagens

No começo, as obras da Grécia Antiga se concentravam em um personagem – chamado protagonista – e a história se desenrola graças a suas ações.

Existem outros tipos de personagens, como o antagonista – a contraparte – que geralmente age contrariamente ao protagonista.

As 10 partes de uma peça de teatro e suas características 2

Personagens arquetípicos da Comédia de Arte

Os personagens do elenco são aqueles secundários que geralmente são arquétipos, como raiva, engraçado ou preocupado. O narrador também é considerado um personagem, embora geralmente não seja visível ao público.

Relacionado:  485 Exemplos de palavras com B (classificados em ordem alfabética)

5- Gênero

Como em outros aspectos artísticos, as obras são geralmente divididas de acordo com o gênero. Os principais são tragédia, comédia, melodrama e tragicomédia.

A tragédia é considerada uma questão séria, na qual o protagonista lidera várias adversidades com ação; A comédia é uma história leve e positiva, cheia de exageros e inconsistências.

O melodrama coloca o protagonista e o resto dos personagens em dificuldades fora de suas possibilidades e a tragicomédia, como o nome sugere, é uma mistura de tragédia e comédia que assimila situações da vida cotidiana.

Na encenação

Por outro lado, essas são as partes encarregadas do diretor encarregado de organizar o trabalho. Às vezes, é o mesmo dramaturgo que decide levar o bastão da performance no palco.

1- Cenografia

Para encenar uma peça no palco, o cenário é vital, porque são os elementos visuais que decoram o espaço que emula um local ou situação específica.

É uma arte dedicada à criação de objetos, decoração e cenário, para que o público fique totalmente imerso na obra.

2- Traje

Parte crucial da montagem de uma obra, especialmente quando se trata de uma peça periódica – de outra época.

Ele se concentra no design e na criação do traje apropriado para cada um dos atores, já que muitas vezes o vestido é uma característica importante para certos personagens.

As 10 partes de uma peça de teatro e suas características 3

Elenco de uma peça

3- Tecnologia de iluminação

Entre os elementos que Aristóteles descreveu, está o espetáculo, ou seja, a produção que o trabalho tem. Grandes quantidades de velas foram usadas por muito tempo para iluminar o teatro, de modo que o uso de luz artificial é relativamente novo.

A tecnologia de iluminação é aquela técnica que cria e manipula luzes artificiais para o show, enfatizando certos objetos ou personagens.

Relacionado:  Carlos de Sigüenza e Góngora: biografia, contribuições e obras

4- Música e som

No tempo de Aristóteles, todas as obras tinham música e, às vezes, os atores cantavam suas falas.

Atualmente, às vezes é ouvida música de fundo, mas, em geral, o uso do som é limitado apenas à geração de efeitos sonoros, como trovões ou chuva.

5- Dança

Por fim, a dança, representada no movimento coreográfico, está presente em algumas obras, principalmente as clássicas.

Esse elemento anda de mãos dadas com a música escolhida para animar o trabalho, embora haja ocasiões em que a história não exige esse recurso.

Referências

  1. Adair-Lynch, T. (sf) Os elementos básicos do teatro. História do Teatro. Recuperado de homepage.smc.edu
  2. Bermúdez, E. (sf) Estrutura e características da peça. Instituto de Washington Recuperado de institutowashington.com
  3. Serviço Público de Radiodifusão (sf) As Origens do Teatro. Serviço Público de Radiodifusão. Recuperado de pbs.org
  4. Trumbull, E. (2008) As seis partes de uma tragédia de Aristóteles. Faculdade Comunitária do Norte da Virgínia. Recuperado de novaonline.nvcc.edu
  5. Universidade Estadual de Utah (2005) Hein? Teatro? O básico! Mercadorias de Curso Aberto Recuperado de ocw.usu.edu.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies