As 5 áreas arqueológicas mais importantes de Tabasco

Alguns dos sítios arqueológicos mais importantes de Tabasco são Comalcalco – a oeste do estado – La Venta – na cidade de Villahermosa – e Malpasito – na região sudeste.

Localizado no sudeste do México, Tabasco é um dos estados que compõem o país. O relevo da área é plano e baixo, e é coberto por lagoas, estuários, rios e pântanos.

As 5 áreas arqueológicas mais importantes de Tabasco 1

Comalcalco

Os povos olmeca, maia, chontal e nahua estiveram presentes nesta área durante o período pré-clássico e clássico, motivo pelo qual Tabasco é atualmente rico em sítios arqueológicos.

De acordo com o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH), existem aproximadamente mil locais na área e, embora a maioria seja inexplorada, existem várias áreas arqueológicas abertas ao público.

Estes incluem Comalcalco, La Venta, Malpasito, Moral-Reforma e Pomorá.

Comalcalco

Comalcalco está localizado a oeste do estado de Tabasco. Graças às rotas comerciais durante o período Clássico, muitas peças de cerâmica e figuras moldadas da época foram encontradas nessa área.

Nos últimos anos, através de escavações controladas, uma grande quantidade de informações foi recuperada do local. A morfologia do assentamento mostra um planejamento urbano.

Neste local, o centro é integrado pela Acrópole Leste, a Grande Acrópole, a Praça Norte e o Grupo Oeste. Nas casas periféricas, estão localizados campos de cultivo e canais de água.

A venda

Neste local de grande antiguidade, destacam-se sua arquitetura terrestre, esculturas em pedra e seu projeto arquitetônico planejado.

A cidade possui avenidas, praças, prédios civis e cerimoniais e áreas residenciais. Por sua vez, é cercada por rios e abundante flora e fauna comestível. A terra, rica em solos aluviais, é propícia à agricultura.

Os olmecas importaram pedras de outras áreas e fizeram esculturas principalmente de figuras humanas e animais.

Malpasito

Esta zona arqueológica tem grande valor histórico, pois é o único local do país em que a cultura zoque maia estava presente e onde seu legado pode ser encontrado.

Nesta cultura, diferente dos olmecas e maias, a arquitetura baseia-se no uso de blocos de arenito e na sua adaptação ao relevo através de terraços artificiais.

Grande parte do conjunto de 114 hectares ainda não foi explorada. No entanto, parte desses recursos está em risco devido às práticas de atividade agrícola e pecuária na área.

A parte explorada e reconstruída do local consiste na praça principal, um setor de jogos de bola, um pátio sul e áreas com gravuras em pedra.

Reforma moral

Originalmente, o assentamento Moral-Reforma era do tipo aldeão, embora ao longo dos anos tenha ganhado grande importância regional devido ao controle exercido sobre o tráfego fluvial que gerava rotas de comunicação comercial com o Golfo do México.

Isso se reflete em sua arquitetura monumental e no que está documentado nas inscrições hieroglíficas, típicas da arte maia clássica.

A grande atividade construtiva se reflete na Plaza Oriente, em suas construções cerimoniais complementadas por um jogo de bola e dois edifícios do tipo palácio com pátios internos.

Pomora

A posição geográfica de Pomorá contribuiu muito para o intercâmbio cultural com outros locais e culturas contemporâneos. A economia do local era diversificada graças à sua proximidade com os sistemas fluviais.

A população vivia em cabanas feitas de troncos e galhos, construídas em plataformas terrestres.

Tanto a cerâmica quanto os elementos feitos de pedra são culturalmente semelhantes aos feitos por outros grupos indígenas contemporâneos.

Referências

  1. Pichardo, D. (29 de julho de 2016). TRABALHO ARQUEOLÓGICO NA REGIÃO COSTEIRA DE TABASCO, SUDESTE DO MÉXICO. Obtido no Dia da Arqueologia: dayofarchaeology.com
  2. Rede de zonas arqueológicas. (sf). Obtido no Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH): inah.gob.mx
  3. Gallegos, MJ, & Gómez, A. ATIVIDADES E ATTAVIOS DE MAN MAYA: A REPRESENTAÇÃO MASCULINA EM TABASCO, MÉXICO.
  4. Jiménez, FJ e Domínguez, CDCP Perspectivas e complexidades do turismo comunitário em Agua Selva. Este trabalho foi realizado com o apoio do Programa de Fortalecimento Institucional Integral (PIFI), 149.
  5. MANGE, E., FERNÁNDEZ, FJ, & MOYANO, IG Evidências tafonômicas da exploração de micro-mamíferos no sítio arqueológico de Pomona (Holoceno tardio, Patagônia norte, rio Negro). Constitui um processo de intensificação?
  6. Álvarez, ADG, Calacich, SN, & Paz, ROTAS CICLOTURÍSTICAS GLB, PARA REATIVAR A ECONOMIA DAS COMUNIDADES DE TENOSIQUE NO ESTADO DE TABASCO.
  7. Tabasco (sf). Obtido em Encyclopædia Britannica: britannica.com.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies