As 5 idades da História (e suas características)

As 5 idades da História são uma divisão cronológica amplamente utilizada para organizar e compreender a evolução da humanidade ao longo do tempo. Essa divisão divide a história da humanidade em cinco períodos distintos, cada um marcado por características específicas que influenciaram profundamente a sociedade, a cultura, a política e a economia. Essas idades são a Pré-História, a Idade Antiga, a Idade Média, a Idade Moderna e a Idade Contemporânea. Cada uma delas representa um momento crucial na trajetória da humanidade e contribuiu de forma significativa para moldar o mundo como o conhecemos hoje.

Os 5 períodos da história de forma resumida: descubra suas características principais e influências.

As 5 idades da História são períodos que marcam a evolução da humanidade ao longo do tempo. Cada uma delas possui características únicas e influências que moldaram o mundo como o conhecemos hoje.

A primeira idade da história é a Pré-História, que se estende desde o surgimento dos primeiros hominídeos até a invenção da escrita. Caracterizada pela vida em sociedades nômades, caça e coleta, a Pré-História foi marcada pela descoberta do fogo e o desenvolvimento de ferramentas de pedra.

A segunda idade é a Antiguidade, que compreende o período desde o surgimento das primeiras civilizações até a queda do Império Romano. Caracterizada pelo surgimento de grandes impérios como o Egito, Grécia e Roma, a Antiguidade foi marcada pela filosofia, arte, arquitetura e leis que influenciaram a cultura ocidental.

A terceira idade é a Idade Média, que se estende desde a queda do Império Romano até o final da Idade Moderna. Caracterizada pela descentralização do poder político, a Idade Média foi marcada pela influência da Igreja Católica, as Cruzadas, o feudalismo e o surgimento das universidades.

A quarta idade é a Idade Moderna, que se estende desde o final da Idade Média até a Revolução Francesa. Caracterizada pelo Renascimento, Reforma Protestante, descobrimento da América e Revolução Científica, a Idade Moderna foi um período de grandes avanços culturais, científicos e tecnológicos.

A quinta e última idade é a Idade Contemporânea, que compreende desde a Revolução Francesa até os dias atuais. Caracterizada pela Revolução Industrial, as duas Guerras Mundiais, a Guerra Fria e a globalização, a Idade Contemporânea é marcada pela rápida evolução tecnológica e social que moldou o mundo moderno.

Assim, ao estudar as 5 idades da história, podemos compreender como cada período influenciou o desenvolvimento da humanidade e como essas características ainda reverberam em nossa sociedade atual.

Identificando os períodos históricos: breve descrição de cada um deles.

As 5 idades da História são períodos que marcam diferentes momentos da evolução da humanidade. Cada idade possui características únicas que a distinguem das demais, contribuindo para a compreensão do desenvolvimento da sociedade ao longo do tempo.

A primeira idade da História é a Pré-História, que compreende o período anterior ao surgimento da escrita. Nesse período, os seres humanos eram nômades, viviam da caça, da pesca e da coleta de alimentos. As principais características desse período são o desenvolvimento da linguagem, o surgimento das primeiras ferramentas e a prática da arte rupestre.

A segunda idade da História é a Antiguidade, que se inicia com o surgimento das primeiras civilizações, como a egípcia, a mesopotâmica e a grega. Nesse período, houve avanços significativos nas áreas da arquitetura, da matemática, da filosofia e da política. As guerras entre os impérios e as conquistas territoriais também são marcas desse período.

A terceira idade da História é a Idade Média, que se estende do século V ao século XV. Nesse período, a Europa passou por transformações sociais, políticas e econômicas, com a formação dos feudos, o surgimento do feudalismo e a expansão do cristianismo. As cruzadas, as invasões bárbaras e a peste negra são eventos marcantes desse período.

A quarta idade da História é a Idade Moderna, que se inicia no século XV e se estende até o final do século XVIII. Nesse período, ocorreram grandes descobertas geográficas, como a chegada dos europeus às Américas, o surgimento do capitalismo e o desenvolvimento da ciência e da tecnologia. A Revolução Francesa e a independência das colônias americanas são eventos importantes desse período.

A quinta idade da História é a Idade Contemporânea, que se inicia no século XIX e se estende até os dias atuais. Nesse período, ocorreram grandes transformações sociais, políticas e econômicas, como a Revolução Industrial, as duas guerras mundiais e a globalização. O surgimento das democracias modernas, dos movimentos sociais e das tecnologias digitais são características marcantes desse período.

Os principais marcos históricos que delimitam as diferentes eras da humanidade.

Desde os primórdios da humanidade, os historiadores têm dividido a história em diferentes períodos para facilitar o estudo e compreensão dos eventos que moldaram a sociedade ao longo dos séculos. As cinco idades da história são marcos importantes que delimitam essas diferentes eras, cada uma com suas próprias características distintas.

A primeira idade da história é a idade Antiga, que se estende desde o surgimento da escrita até a queda do Império Romano. Neste período, a agricultura se desenvolveu, as primeiras civilizações surgiram e as religiões politeístas dominaram a vida das pessoas. Grandes civilizações como a egípcia, a grega e a romana floresceram, deixando um legado cultural duradouro.

Relacionado:  As 10 tradições mais importantes do estado de Veracruz

A segunda idade da história é a idade Média, que se inicia com a queda do Império Romano e vai até o final do século XV. Neste período, a Europa passou por grandes transformações, como o surgimento do feudalismo, das cruzadas e da peste negra. A Igreja exerceu grande influência sobre a sociedade, enquanto o comércio e as cidades começaram a se desenvolver.

A terceira idade da história é a idade Moderna, que vai do século XVI até o final do século XVIII. Neste período, ocorreram grandes avanços científicos e tecnológicos, como a Revolução Industrial e as descobertas geográficas. O absolutismo monárquico predominou na Europa, enquanto as ideias iluministas começaram a ganhar força.

A quarta idade da história é a idade Contemporânea, que se inicia no final do século XVIII e continua até os dias atuais. Neste período, ocorreram grandes transformações políticas, sociais e econômicas, como as Revoluções Francesa e Industrial, as duas guerras mundiais e a globalização. A democracia se consolidou em muitos países, enquanto a tecnologia transformou a forma como vivemos.

A quinta e última idade da história é a idade do Futuro, que ainda está por vir. Neste período, a humanidade enfrentará desafios sem precedentes, como as mudanças climáticas, a superpopulação e a inteligência artificial. Será um momento crucial para o destino da humanidade, onde nossas escolhas moldarão o curso da história para as gerações futuras.

A divisão da história em cinco períodos: qual a razão por trás disso?

A história da humanidade é vasta e complexa, repleta de acontecimentos que moldaram a sociedade como a conhecemos hoje. Para facilitar o estudo e a compreensão desse vasto campo de conhecimento, os historiadores dividem a história em cinco períodos distintos, também conhecidos como As 5 idades da História.

A razão por trás dessa divisão em cinco períodos está relacionada às grandes mudanças e transformações que ocorreram ao longo do tempo. Cada período possui características únicas e marcantes, que ajudam a compreender as diferentes fases da evolução da humanidade.

A primeira idade da história é a Pré-História, que abrange o período anterior ao surgimento da escrita. Nessa fase, os seres humanos eram nômades e sobreviviam da caça, pesca e coleta de alimentos. A descoberta da agricultura marca o fim da Pré-História e o início da Antiguidade, período em que surgiram as primeiras civilizações e impérios.

A Idade Média é caracterizada pelo feudalismo, pelas cruzadas e pela influência da Igreja Católica na sociedade. Em seguida, temos a Idade Moderna, marcada pelo Renascimento, pelas grandes navegações e pela Revolução Industrial. Por fim, a Idade Contemporânea engloba os acontecimentos mais recentes, como as duas Guerras Mundiais, a Guerra Fria e a globalização.

Cada idade da história possui características únicas e importantes, que contribuíram para a formação da sociedade atual.

As 5 idades da História (e suas características)

As 5 idades da História (e suas características) 1

Os seres humanos deixaram sua marca no mundo há milhões de anos. Através dos tempos, aprendemos muito: entre muitas outras coisas, desenvolvemos agricultura e pecuária, arte e tecnologia, fé, filosofia e ciência, civilização e cultura. Inúmeros povos, civilizações, impérios e sistemas nasceram e desapareceram, enquanto muitos outros evoluíram para se tornar o que são hoje. Todo o conjunto de eventos que ocorreram ao longo do tempo que temos provas é o que consideramos história.

Mas a história não é completamente uniforme: podemos distinguir períodos específicos dentro dos quais houve diferentes avanços ou grandes mudanças. É sobre as diferentes idades da história .

As idades da história

Consideramos a história o conjunto de eventos e eventos que a humanidade em geral viveu durante o tempo em que esteve na Terra, uma vez que a escrita foi inventada como um método de registro simbólico que nos permite analisar e entender o que aconteceu na Terra. passado Embora tecnicamente antes disso, o ser humano já tivesse sofrido grandes tribulações e tivesse desenvolvido múltiplas habilidades, conhecimentos e técnicas, o fato de não poder conhecer os eventos concretos que vivenciaram faz com que o período de pré-escrita seja considerado fora da história. .

Desde a invenção da escrita , existem inúmeros fatos e eventos que marcaram o futuro da história e mudaram muito o mundo. A história é ampla e os historiadores a dividiram em várias eras para facilitar seu entendimento, identificando grandes momentos de mudança.

Existem quatro grandes épocas em que os historiadores (desde que Cristóbal Cellarius os introduziu) tendem a dividir a história, embora algumas subdivisões possam ser encontradas dentro delas. Ao avaliar o desenvolvimento do ser humano, no entanto, a era anterior também é frequentemente adicionada ao que conhecemos como história: pré-história. No entanto, é preciso ter em mente que esses estágios históricos são separados um do outro, principalmente com base nos eventos que ocorreram na Europa . Uma vez esclarecido, deve-se mencionar que as principais idades da história são as seguintes.

1. Pré-história

Como dissemos, esse estágio não seria realmente parte da história, pois inclui o conjunto de eventos anteriores à invenção da escrita. Mas é um período de grandes avanços, sendo de fato o estágio mais longo que a humanidade viveu . O aparecimento do Homo sapiens , o surgimento da linguagem oral, a descoberta do fogo, a criação das primeiras ferramentas e as primeiras aldeias fixas ou a passagem de caçadores / coletores para agricultores / fazendeiros ocorreram neste momento.

Esse estágio é subdividido em Idade da Pedra (que por sua vez é dividida em Paleolítico, Mesolítico e Neolítico) e Idade do Metal (dividida em Cobre, Bronze e Ferro, embora muitos dos eventos desse último período já pertençam ao história).

2. Velhice

A primeira das eras da história, a Idade Antiga começa com a invenção da escrita (que se considera ter surgido entre 3500 e 3000 aC). A Idade Antiga começaria então em um período entre as idades de Bronze e Ferro acima mencionadas. Sua conclusão é aproximadamente em 476 DC, com a queda do Império Romano do Ocidente.

Esse estágio é caracterizado por ser o mais longo da história e parte dos eventos que ocorreram foram perdidos. É na Era Antiga que o ser humano geralmente abandona o nomadismo e se torna sedentário , sendo nessa época que grandes civilizações como grega, egípcia, mesopotâmica, persa e romana surgiram. Esta etapa também é famosa pela alta prevalência de batalhas e guerras, escravidão e o surgimento de vários sistemas e conceitos políticos, como democracia ou ditadura.

A nível europeu, destaca-se a presença de um grande número de povos e tradições que foram gradualmente invadidas e se perderam ao serem aglutinadas pelo Império Romano, que se expandiu por toda a Europa e parte da Ásia e África.

Por outro lado, esse estágio da história é aquele em que houve grandes avanços no conhecimento do ser humano , sendo o período em que surge o estágio clássico da filosofia (do qual todas as ciências partirão posteriormente). Diferentes sistemas de crenças e valores foram gerados. No nível da religião, diferentes culturas mantinham crenças geralmente politeístas. Também nela emergiram algumas das principais crenças religiosas hoje, tanto politeístas (como o hinduísmo), quanto monoteístas (judaísmo e cristianismo).

Dentro da Idade Antiga, dois estágios podem ser distinguidos: antiguidade clássica e antiguidade tardia.

Antiguidade clássica

O período caracterizado pela expansão das civilizações grega e romana , tecnicamente do quinto ao segundo século antes de Cristo, é chamado de antiguidade clássica . Nesta fase, observamos a ascensão de ambas as civilizações, o Alexandre, o Grande Império, as guerras médicas, a ascensão da democracia, a República Romana e sua expansão pela Itália, a criação e expansão do Império Romano e o início de seu declínio.

Antiguidade tardia

A antiguidade tardia passaria do século II aC a 476 dC, correspondendo ao estágio de declínio do Império Romano e à transição da escravidão para o feudalismo . Nesta fase, Roma e seu império começam a sofrer revoltas cada vez mais frequentes (a de Spartacus) e são invadidos pelos povos germânicos (como foi o caso da Península Ibérica).

Uma das invasões mais conhecidas foi a de Átila, o Huno . Também relevante é o surgimento e expansão do cristianismo como religião oficial do Império, que mais tarde se tornaria a religião dominante no território europeu. A Antiguidade tardia terminaria tecnicamente em 476 DC, com a queda do Império Romano.

3. Idade Média

Esta etapa está curiosamente ligada ao destino do Império Romano, pois deu origem à queda do Império Romano do Ocidente (em 476 dC e termina com a queda das mãos dos otomanos do Império Bizantino ( Império Romano do Oriente) em 1453. Sem No entanto, outros historiadores consideram que sua conclusão corresponde mais à chegada de Colombo na América em 1492.

Após a queda do Império Romano, que centralizou o poder, surgiram diferentes reinos e civilizações, estabelecendo diferentes povos e nações. O feudalismo aparece como um sistema político, no qual os senhores governavam suas terras ao mesmo tempo em que obedeciam à figura do rei . Durante esse estágio, a expansão e o domínio do cristianismo foram observados como a religião predominante na Europa, e o Islã também nasceu na Arábia como religião.

É também nesse período que a burguesia aparece como uma classe social. Conflitos de guerra emoldurados ou justificados por diferenças religiosas são frequentes, sendo o tempo das cruzadas e diferentes perseguições religiosas . Diferentes grupos e seitas aparecem, muitos dos quais são considerados heresias e eliminados. A figura da Inquisição, atos de fé e queima de bruxas também aparecem.

Este período histórico pode ser dividido em duas etapas: Alta Idade Média e Baixa Idade Média. Embora às vezes seja adicionado um estágio intermediário, a Era Feudal.

Alta Idade Média

A Idade Média é considerada o período de tempo entre os séculos 5 e 10. É um período em que diferentes impérios e civilizações lutaram entre si, após a queda do Império Romano. Vikings, húngaros, muçulmanos, bizantinos e o império carolíngio foram alguns dos mais relevantes a nível europeu.

Relacionado:  O problema da demarcação na filosofia da ciência

A população vivia principalmente no campo e era dividida em nobres e plebeus. As diferenças de classe são muito visíveis, com nobreza todos os direitos e cidadãos praticamente nenhum. O feudalismo surge e surgem constantes conflitos bélicos derivados do controle das terras e mansões. A cultura é muito mediada pela Igreja e a Inquisição surge.

Baixa Idade Média

O estágio final da Idade Média, a Baixa Idade Média, corresponde ao período de tempo entre o século XI e a queda de Constantinopla nas mãos dos turcos em 1453 (ou a descoberta da América em 1492, dependendo de onde o limite é colocado). )

Essa etapa supõe um ressurgimento econômico geral, aparecendo a burguesia e iniciando a população a se concentrar nas cidades. O número de conflitos militares diminui e a população começa a aumentar. O moinho é inventado e os primeiros direitos para camponeses e burgueses começam a aparecer, os últimos trabalhando em troca de remuneração e não de servidão. Durante o século XIV, o feudalismo entra em declínio e se dissolve. O poder da Igreja também diminui, embora ainda tenha grande influência.

Outro grande evento de grande importância é o surgimento da epidemia da peste negra, a maior epidemia da qual existem evidências e que terminou com a vida de cerca de um terço à metade da população da época.

4. Idade Moderna

A queda de Constantinopla em 1453 ou a chegada de Colombo na América em 1492 são os dois principais pontos de partida da chamada Era Moderna. O fim desta era é em 1789, especificamente no dia da captura da Bastilha que inicia a Revolução Francesa.

Nesse estágio , aparece o absolutismo, no qual os reis concentram o poder político . O fim dessa forma de governo também levaria ao fim da Era Moderna, com a Revolução Francesa. Outros eventos de grande relevância foram a descoberta da América acima mencionada (e sua subsequente invasão) e a colonização por vários países. O expansionismo é abundante, em um estágio marcado pela colonização do que é considerado novo território. No entanto, ao longo dos séculos, culminam revoltas que culminam na Revolução Americana e na Guerra da Independência dos Estados Unidos e em várias colônias. A escravidão é abolida.

Culturalmente, destaca-se o surgimento do Iluminismo , um movimento cultural que transformou a vida intelectual da época: Deus deixou o núcleo do interesse intelectual se concentrar na figura do ser humano. Foi uma época em que ocorreram grandes avanços científicos e sociais, aparecendo o motor a vapor ou as primeiras vacinas. Houve também mudanças políticas e religiosas, bem como grandes conflitos ligados a essas mudanças, como as produzidas com base na reforma luterana e na contra-reforma. Foi também durante esse período que a Idade do Ouro espanhola passou, sendo o Império Espanhol um dos mais poderosos da época.

A conclusão desta etapa é com a Revolução Francesa , um marco histórico de grande importância no qual o absolutismo foi abolido. Esta etapa e seu fim são caracterizados pelo aparecimento e subsequente persistência dos valores da sociedade ocidental.

5. Idade Contemporânea

A última das eras contempladas na história inclui todos os eventos que ocorreram desde a Revolução Francesa até hoje. Existem muitos marcos conhecidos desse estágio. A própria Revolução Francesa, o avanço da tecnologia até alcançar a chamada Revolução Industrial, a Primeira Guerra Mundial, o surgimento do fascismo e a Segunda Guerra Mundial são alguns dos eventos mais conhecidos.

Além disso, podemos observar a evolução dos direitos, deveres e liberdades dos cidadãos e dos diferentes grupos sociais. A luta pela erradicação das classes sociais, pelos direitos e igualdade das mulheres, das diferentes raças e orientações sexuais são outros marcos que foram alcançados ou estão em processo de serem alcançados nesta etapa.

Ainda existe uma grande desigualdade social, embora as classes sociais tradicionais percam parte de sua validade: o poder começa a ser compartilhado entre a aristocracia e a burguesia. A burguesia é estabelecida como a classe predominante e a classe média aparece. No entanto, o classismo social ainda existe (ainda hoje) , embora desta vez esteja mais ligado à capacidade econômica e não ao estrato social de nascimento.

Aparecem os grandes sistemas econômicos ainda em vigor, o capitalismo e o comunismo, que se deparam em numerosos momentos históricos, como durante a Guerra Fria.

A ciência também evoluiu bastante , melhorando as condições de vida da maioria da população ocidental. Os avanços da medicina para fazer doenças anteriormente fatais podem ser controlados e até erradicados, embora novas doenças (como a AIDS) sejam descobertas ou reconceptualizadas, o Homem se envolve na exploração do espaço, alcançando a Lua e buscando ir além ela Recentemente, a ciência da computação apareceu e, com o tempo, a internet (alguns autores dizem que esse marco pode ser considerado uma mudança para outra nova era).

Deixe um comentário