As 67 melhores frases de cem anos de solidão

“Cem Anos de Solidão”, do renomado autor colombiano Gabriel García Márquez, é considerado uma das obras mais importantes da literatura latino-americana. Neste romance, o autor nos transporta para o fictício vilarejo de Macondo, onde acompanhamos a saga da família Buendía ao longo de várias gerações. Com sua narrativa envolvente e repleta de realismo mágico, García Márquez nos presenteia com diversas frases marcantes que refletem a complexidade e a profundidade das relações humanas, da solidão e da passagem do tempo. Neste artigo, apresentaremos as 67 melhores frases de “Cem Anos de Solidão”, que nos fazem refletir sobre a vida, o amor, a morte e a condição humana.

Qual a mensagem central de Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez?

A mensagem central de Cem Anos de Solidão, de Gabriel García Márquez, gira em torno da solidão e da incapacidade de comunicação entre as pessoas. A história da família Buendía, que se repete ao longo de várias gerações, mostra como a falta de diálogo e a falta de conexão emocional levam ao isolamento e à deterioração das relações.

As melhores frases do livro capturam essa essência, como a famosa frase: “Muitos anos depois, diante do pelotão de fuzilamento, o Coronel Aureliano Buendía haveria de recordar aquela tarde remota em que seu pai o levou para conhecer o gelo.” Essa frase ilustra a solidão e a nostalgia presentes na obra.

Outra frase marcante é: “Aprendi que um homem só tem o direito de olhar um outro de cima para baixo para ajudá-lo a levantar-se.” Essa citação enfatiza a importância da empatia e da solidariedade para superar a solidão e construir laços significativos com os outros.

A obra nos lembra que, no final das contas, somos todos seres humanos em busca de conexão e sentido em um mundo cheio de isolamento e distância.

A narrativa de Cem Anos de Solidão e sua representação da história latino-americana.

A obra de Gabriel García Márquez, Cem Anos de Solidão, é um marco da literatura latino-americana que narra a saga da família Buendía ao longo de sete gerações em Macondo. Através da história dos Buendía, García Márquez cria uma narrativa que reflete a complexidade da história latino-americana, marcada por conquistas, revoluções, traições e amores proibidos.

As 67 melhores frases de Cem Anos de Solidão capturam a essência da obra, trazendo à tona temas como o isolamento, a solidão, a memória e a passagem do tempo. Frases como “A vida não é a que se viveu, mas a que se recorda e como se recorda para contá-la” e “A solidão não vem de não ter pessoas ao redor, mas de não poder comunicar as coisas que parecem importantes” revelam a profundidade dos personagens e suas experiências.

Através de sua escrita mágica e envolvente, García Márquez constrói um universo ficcional que dialoga com a realidade latino-americana, retratando questões como a colonização, as ditaduras, as lutas sociais e a busca pela identidade. Cem Anos de Solidão se torna, assim, não apenas uma obra de ficção, mas um espelho da história e da cultura da América Latina.

Os motivos que tornam Cem Anos de Solidão uma obra excelente e memorável.

Um dos maiores clássicos da literatura latino-americana, Cem Anos de Solidão de Gabriel García Márquez é uma obra que se destaca por diversos motivos. Desde sua linguagem poética até a complexidade de sua trama, o livro cativa leitores de todas as idades e gerações.

Uma das razões que tornam Cem Anos de Solidão uma obra excelente é a riqueza de sua escrita. Gabriel García Márquez utiliza uma linguagem repleta de metáforas e imagens vívidas, criando um universo único e fascinante para seus personagens e leitores.

Além disso, a história da família Buendía, que se desenvolve ao longo de várias gerações, aborda temas universais como amor, solidão, poder e morte. Esses temas profundos e atemporais fazem com que a obra se torne memorável e continue a ser lida e estudada por muitos anos.

Outro aspecto que contribui para a excelência de Cem Anos de Solidão são os personagens inesquecíveis criados por García Márquez. Desde o patriarca José Arcadio Buendía até a matriarca Úrsula Iguarán, cada personagem é único e complexo, contribuindo para a riqueza da trama e para a compreensão mais profunda dos temas abordados na obra.

Em suma, Cem Anos de Solidão é uma obra que se destaca não apenas pela sua linguagem poética e trama complexa, mas também pela sua capacidade de abordar temas universais de forma profunda e impactante. É por esses motivos que o livro de Gabriel García Márquez permanece como uma das maiores obras da literatura mundial.

Por que as linhagens estão fadadas à solidão eterna por cem anos?

Em “Cem Anos de Solidão”, Gabriel García Márquez narra a história da família Buendía, condenada à solidão eterna por cem anos. Esta maldição parece estar ligada à própria natureza das linhagens e das relações familiares descritas no livro.

Relacionado:  As 41 melhores frases PXNDX

Uma das razões para essa solidão é a busca incessante dos personagens por algo inalcançável, como a felicidade plena ou o conhecimento absoluto. Esta busca desenfreada acaba por afastá-los uns dos outros, criando um sentimento de isolamento e desamparo. Além disso, a repetição de padrões de comportamento ao longo das gerações contribui para a perpetuação da solidão, já que os personagens parecem estar presos em um ciclo interminável de ações e consequências.

Outro fator que contribui para a solidão das linhagens é a falta de comunicação efetiva entre os membros da família. Muitas vezes, as palavras são insuficientes para expressar o que realmente sentimos, levando a mal-entendidos e conflitos que afastam as pessoas. A incompreensão mútua e a incapacidade de se colocar no lugar do outro também são temas recorrentes no livro, reforçando a ideia de que as linhagens estão destinadas à solidão eterna.

Em suma, as linhagens em “Cem Anos de Solidão” estão fadadas à solidão eterna por cem anos devido à sua própria natureza complexa e contraditória. A busca por algo inalcançável, a repetição de padrões de comportamento e a falta de comunicação efetiva são apenas alguns dos elementos que contribuem para esse destino trágico e inevitável.

As 67 melhores frases de cem anos de solidão

Deixo as melhores frases de Cem Anos de Solidão (em ordem de aparição), um romance publicado em 1967 pelo escritor colombiano Gabriel García Márquez, vencedor em 1982 do Prêmio Nobel de Literatura.

É uma das obras mais representativas do realismo mágico. Após a publicação, foi traduzido para mais de 37 idiomas e vendeu mais de 37 milhões de cópias.Você também pode se interessar por estas frases de Gabriel García Márquez ou de escritores famosos .

1-O mundo era tão recente, que muitas coisas careciam de um nome e, para mencioná-las, era preciso apontá-las com o dedo.

As 67 melhores frases de cem anos de solidão 1

2-Está provado que o diabo tem propriedades sulfúricas, e isso não passa de um pouco de soliman.

As 67 melhores frases de cem anos de solidão 2

3-O essencial é não perder a orientação. Sempre esperando a bússola, ele continuou a guiar seus homens para o norte invisível, até que eles conseguiram deixar a região encantada.

As 67 melhores frases de cem anos de solidão 3

4-Ainda não temos um homem morto. Você não é do nada desde que não tenha uma pessoa morta no subsolo.

As 67 melhores frases de cem anos de solidão 4

5 – Era uma boa noite de junho, fresca e com lua, e eles estavam acordados e brincando na cama até o amanhecer, indiferentes ao vento que passava pelo quarto, carregado com o choro dos parentes de Prudencio Aguilar.

As 67 melhores frases de cem anos de solidão 5

6-Ele perguntou em que cidade era, e eles responderam com um nome que ele nunca ouvira, que não tinha significado, mas que tinha uma ressonância sobrenatural em seu sonho: Macondo.

As 67 melhores frases de cem anos de solidão 6

7-Ele prometeu segui-la até o fim do mundo, mas mais tarde, quando ele resolveu seus problemas, e ela se cansou de esperar por ele, sempre o identificando com homens altos e baixos, loiros e morenos …

As 67 melhores frases de cem anos de solidão 7

8-Ele estava entre a multidão que testemunhou o triste espetáculo do homem que se tornou uma víbora por desobedecer a seus pais.

9-Fascinado por uma realidade imediata que era mais fantástica do que o vasto universo de sua imaginação, ele perdeu todo o interesse no laboratório de alquimia …

As 67 melhores frases de cem anos de solidão 8

10 – A adolescência tomou a doçura da sua voz e o deixou silencioso e definitivamente sozinho, mas, em vez disso, restaurou a intensa expressão que possuía nos anos em que nascera.

11-Em todas as casas eles escreveram chaves para memorizar os objetos e sentimentos. Mas o sistema exigia tanta vigilância e força moral, que muitos sucumbiram ao feitiço de uma realidade imaginária …

12-Time aplacou seu propósito atordoado, mas agravou seu sentimento de frustração.

13-Então ele retirou o dinheiro acumulado em longos anos de trabalho duro, assumiu compromissos com seus clientes e empreendeu a expansão da casa.

14-Eu vivi nisso. Estivera no mundo 65 vezes, alistado em uma tripulação de marinheiros apátridas.

15-Ele ficou tão impressionado com sua enorme nudez tarabiscoteada que sentiu vontade de recuar.

16-Um tiro de arma foi disparado no peito e o projétil saiu por trás sem ferir nenhum centro vital. A única coisa que restava de tudo era uma rua com seu nome em Macondo.

17-Eram imagens de amantes em parques solitários, com vinhetas de flechas e fitas douradas sustentadas por pombos.

18-A guerra, que até então não passava de uma palavra para designar uma circunstância vaga e remota, foi concluída em uma realidade dramática.

Relacionado:  As 57 melhores frases do Grande Gatsby

19-Ele realmente não se importava com a morte, mas com a vida, e é por isso que o sentimento que experimentou quando pronunciaram a frase não era um sentimento de medo, mas de nostalgia.

20-Então o brilho de alvorecer desapareceu, e ele se viu de novo, muito jovem, com bermuda e um laço no pescoço, e viu o pai em uma tarde esplêndida o levando para dentro da tenda e viu o céu.

21-Prometeram estabelecer um terreno fértil para animais magníficos, não tanto para desfrutar de vitórias que não precisariam na época, mas por terem algo para se distrair nos tediosos domingos da morte.

22-Tantas flores caíram do céu, que as ruas amanheceram estofadas em uma colcha compacta e tiveram que limpá-las com pás e ancinhos para que o enterro pudesse acontecer.

23-Sua cabeça, agora com entradas profundas, parecia ferver. Seu rosto rachado pelo sal do Caribe adquirira uma dureza metálica. Ele foi preservado contra a idade iminente por uma vitalidade que tinha algo a ver com a frieza do intestino.

24-Mas não esqueça que, enquanto Deus nos der vida, continuaremos sendo mães, e não importa quão revolucionárias sejam, temos o direito de abaixar as calças e dar-lhes uma corda para a primeira falta de respeito.

25-Quando o ar azul da névoa saiu, seu rosto ficou umedecido como em outra aurora do passado, e só então ele entendeu por que havia providenciado que a sentença fosse cumprida no pátio, e não na parede do cemitério.

26-Ele acabou perdendo todo contato com a guerra. O que antes era uma atividade real, uma paixão irresistível de sua juventude, tornou-se para ele uma referência remota: um vazio.

27-Só ele sabia então que seu coração atordoado estava para sempre condenado à incerteza.

28-A embriaguez do poder começou a se decompor em explosões de inquietação.

29-Mas quando a proximidade do armistício era conhecida e pensava-se que ele estava retornando novamente convertido em ser humano, finalmente resgatado pelo coração de seu povo, os afetos letárgicos da família por tanto tempo renasceram com mais força do que nunca.

30-Em um instante, ele descobriu os arranhões, os vergões, os assassinatos, as úlceras e as cicatrizes que ele deixara nela mais de meio século de vida diária, e descobriu que aqueles estragos não provocavam nele nem um sentimento de misericórdia. Ele fez um esforço final para encontrar em seu coração o lugar onde apodrecera suas afeições e não conseguia encontrá-lo.

31-Pouco depois, quando seu médico pessoal terminou de remover seus glondrinos, ele perguntou sem demonstrar particular interesse qual era o local exato do coração. O médico o patrocinou e depois pintou um círculo no peito com um algodão sujo de iodo.

32-Embora depois de tantos anos de guerra pareçam familiares, desta vez ele experimentou o mesmo desânimo nos joelhos e a mesma espionagem de pele que experimentara em sua juventude na presença de uma mulher nua.

33-O que acontece é que o mundo está terminando gradualmente e essas coisas não vêm mais.

34-Ninguém deve conhecer o seu significado até completar cem anos.

35-Como todas as coisas boas que lhe aconteceram em sua longa vida, essa infeliz sorte teve sua origem no acaso.

36-Suas tigelas de café estavam exasperadas às cinco horas, a desordem de sua oficina, o cobertor desgastado e o hábito de ficar sentado à porta da rua ao pôr do sol.

37-Tarde demais, eu me convenci de que teria feito um grande favor se tivesse deixado você atirar.

38-O trem amarelo inocente que tantas incertezas e evidências, e tantos elogios e desventuras, e tantas mudanças, calamidades e nostalgia tiveram que levar Macondo.

39-O incrível de seu instinto simplificador foi que, quanto mais ele se livrava da moda em busca de conforto, mais perturbadora era sua incrível beleza e mais provocativo era seu comportamento em relação aos homens.

40-Abra bem os olhos. Com qualquer um deles, as crianças vão deixar você com um rabo de porco.

41-A única diferença atual entre liberais e conservadores, é que os liberais vão para a massa de cinco e os conservadores vão para a massa de oito.

42-Foi então que lhe ocorreu que sua falta de jeito não era a primeira vitória da decrepitude e da escuridão, mas uma falha do tempo.

43-O prestígio de sua selvagem voracidade, de sua imensa capacidade de desperdício, de sua hospitalidade sem precedentes, ultrapassou os limites do pântano e atraiu os glutões mais qualificados da costa.

44-A vida ia bordar a mortalha. Teria sido dito que ele bordava durante o dia e transbordava à noite, e não na esperança de derrotar a solidão dessa maneira, mas pelo contrário, para sustentá-la.

Relacionado:  As 30 melhores frases de Sylvester Stallone

45-Ele elaborou o plano com tanto ódio que ficou chocado com a idéia de que o teria feito da mesma maneira se tivesse sido com amor, mas não ficou surpreso com a confusão, mas continuou a refinar os detalhes tão minuciosamente que se tornou mais do que um especialista, um virtuoso nos ritos da morte.

46-O mundo foi reduzido na superfície de sua pele, e o interior estava a salvo de toda amargura.

47-Choveu quatro anos, onze meses e dois dias. Houve momentos de garoa quando todos vestiram suas roupas pontificiais e um rosto convalescente foi feito para celebrar a escamapada, mas logo eles se acostumaram a interpretar os intervalos como anúncios de ressurgimento.

48-Os jatos de água triste que caíam no caixão estavam soprando a bandeira que haviam colocado nele, e que na verdade era a bandeira suja de sangue e pólvora, repudiada pelos veteranos mais dignos.

49-O espírito do seu invencível coração a guiou na escuridão. Aqueles que notaram sua gagueira e tropeçavam com o braço arcanjo sempre erguido ao nível da cabeça, pensavam que ele mal podia com o corpo, mas ainda não acreditavam que estava cego.

50-Nos seus últimos anos, ocorreu a eles substituir os números por enigmas, para que o prêmio fosse distribuído entre tudo o que eles achavam certo, mas o sistema acabou sendo tão complicado e se prestou a tantas suspeitas, que desistiram da segunda tentativa.

51 – A última vez em que a ajudaram a ter em conta sua idade, na época da bananeira, ela a calculou entre cento e quinze e cento e vinte e dois anos.

52-Na realidade, seu hábito pernicioso de não chamar as coisas pelo nome havia causado uma nova confusão, porque a única coisa que os cirurgiões telepáticos encontraram foi uma descida do útero que poderia ser corrigida com o uso de um pessário.

53-No tumulto de última hora, os bêbados que os levaram para fora da casa confundiram os caixões e os enterraram em túmulos errados.

54-Mais do que uma livraria, que parecia um monte de livros usados, espalhados nas prateleiras que tinham que ir para as passagens.

55 anos antes, quando completou cento e quarenta e cinco anos, havia renunciado ao costume pernicioso de manter contas de sua idade e continuado vivendo no tempo estático e marginal das memórias, em um futuro perfeitamente revelado e estabelecido, além de dos futuros perturbados pelos caules e suposições insidiosas dos conveses.

56 – A cidade alcançou tantos extremos de inatividade que, quando Gabriel venceu o concurso e foi a Paris com duas mudas de roupa, um par de sapatos e as obras completas de Rabelais, teve que assinar com o motorista o trem Ele parava para pegar.

57-Uma noite eles foram cobertos da cabeça aos pés com xarope de pêssegos, lambiam como cachorros e se amavam como loucos no chão do corredor, e eram despertados por uma torrente de formigas carnívoras que se preparavam para devorá-los vivos.

58-Eu os tinha visto passando, sentados nos aposentos com os olhos absorvidos e os braços cruzados, sentindo um tempo inteiro, um tempo sem quebrar, porque era inútil dividi-lo em meses e anos, e dias em horas, quando eu não podia tornar-se nada mais do que contemplar a chuva.

59-Ele se aprofundou tanto nos sentimentos dela, que, procurando interesse, encontrou amor, porque, tentando fazê-la querer, acabou amando-a.

60-A busca por coisas perdidas é dificultada por hábitos rotineiros, e é por isso que é tão difícil encontrá-las.

61-Ele elaborou o plano com tanto ódio que a idéia de que ele teria feito da mesma maneira se tivesse sido com amor a abalou.

62 – Não lhe ocorrera pensar até então que a literatura era o melhor brinquedo inventado para tirar sarro das pessoas.

63 – Ele precisara de muitos anos de sofrimento e miséria para conquistar os privilégios da solidão, e não estava disposto a renunciá-los em troca de uma velhice perturbada pelos falsos encantos da misericórdia.

64-Ele havia perdido na espera a força das coxas, a dureza dos seios, o hábito de ternura, mas manteve intacta a loucura do coração.

65-Não entendi como chegar ao extremo da guerra por coisas que não podiam ser tocadas com as mãos.

66 – A solidão selecionara suas memórias, e ela havia cremado as pilhas maçantes de lixo nostálgico que a vida havia acumulado em seu coração, e purificado, ampliado e eternizado os outros, os mais amargos.

67-Ele teve que promover trinta e duas guerras e violar todos os seus pactos com a morte e se afundar como um porco na mula da glória, para descobrir com quase quarenta anos de atraso os privilégios da simplicidade.

Deixe um comentário