Ascaris lumbricoides: características, morfologia, ciclo de vida

Ascaris lumbricoides é um parasita pertencente ao filo do nematóide, conhecido como verme intestinal. É um dos parasitas mais reconhecidos e estudados, pois afeta uma alta porcentagem da população mundial. Foi descrito pela primeira vez em 1758 pelo zoólogo sueco Carlos Linneo. Este parasita vive no intestino de alguns mamíferos, especialmente humanos.

É particularmente abundante nas áreas onde a higiene é precária, uma vez que sua infecção é causada pela ingestão de ovos, que podem estar na água ou mesmo nos alimentos.

Ascaris lumbricoides: características, morfologia, ciclo de vida 1

Espécimes adultos de Ascaris lumbricoides. Fonte: Secretariado SuSanA [CC BY 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.0)]

Taxonomia

A classificação taxonômica de Ascaris lumbricoides é a seguinte:

– Domínio: Eukarya.

– Reino: animalia.

– Borda: nemátodo.

– Classe: Secernentea.

– Ordem: Ascaridida.

– Família: Ascarididae.

– Gênero: Ascaris.

– Espécie: Ascaris lumbricoides.

Caracteristicas

Ascaris lumbricoides é um organismo que tende a ser confundido com outros semelhantes, como a minhoca. No entanto, há uma característica distintiva que permite a identificação diferencial.

Essa característica refere-se ao fato de Ascaris lumbricoides ser um organismo pseudocelomático, o que implica que sua cavidade geral não é de origem mesodérmica. Neles, o mesoderma invade apenas parcialmente a blastocele durante o desenvolvimento embrionário.

Da mesma forma, é um organismo triblástico, pois durante o seu desenvolvimento embrionário aparecem as três placas germinativas: endoderme, mesoderma e ectoderma. Deles se originam os diferentes órgãos e sistemas que compõem o organismo adulto.

É um organismo heterotrófico e parasitário. Os heterotróficos são aqueles que não sintetizam seus próprios nutrientes, portanto devem se alimentar de outros seres vivos ou substâncias produzidas por outros. Também é um endoparasita porque requer viver dentro do hospedeiro, alimentando-se dos nutrientes ingeridos por ele.

É também um organismo patogênico, pois é responsável pelo desenvolvimento de ascaridíase em indivíduos infectados. Essa patologia pode ser de leve a muito grave.

Morfologia

Externo

Os Ascaris lumbricoides dimorfismo sexual; isto é, existem diferenças morfológicas entre indivíduos do sexo feminino e masculino. Em geral, mulheres e homens têm uma cor rosa perolada.

Uma amostra de fêmea adulta é de forma cilíndrica e tem um comprimento médio entre 25-30 cm de comprimento, além de um diâmetro de 5 mm. O corpo da fêmea termina reto.

Os machos, que também têm uma forma cilíndrica, têm um diâmetro de 3 mm e um comprimento aproximado entre 15 e 20 cm. Seu corpo termina em uma extremidade torcida, com duas espículas que eles usam durante o ato copulatório.

A cabeça do Ascaris lumbricoides possui três lábios com dentes pequenos, chamados dentículos. Os três lábios se reúnem deixando um buraco ou cavidade bucal em uma forma triangular que continua com o sistema digestivo.

Relacionado:  Vermelho metílico: características, preparação e aplicações

Ovos

Ovos fertilizados podem ser ovais ou arredondados. Eles também têm uma cobertura composta por várias camadas que ajudam a protegê-lo. O interior é um tipo de massa da qual a larva emergirá e se desenvolverá.

Interno

Em relação à parede corporal, é composta por várias camadas: cutícula, epiderme, musculatura e pseudocele.

– A cutícula é uma camada fina e eletrodensa, composta principalmente de lipídios. Ele também contém fibras de colágeno reticuladas.

– Epiderme: é do tipo sincicial, apresentando quatro espessamentos longitudinais (dois laterais, um ventral e outro dorsal), pelos quais passam dois cordões nervosos. Os ductos excretores estão localizados nos cordões laterais.

– Musculatura: possui fibras musculares longitudinais. Não há musculatura circular. As células musculares que compõem essa camada têm uma série de extensões nervosas. Além disso, essa camada é fixada à cutícula através de fibras que se originam na parte contrátil da célula e são fixadas na camada fibrosa.

– O pseudocele é um espaço que fica entre o trato digestivo e os derivados do ectoderma e do mesoderma da parede do corpo e também não é coberto pelo peritônio. É preenchido com um líquido constituído por plasma e algumas células semelhantes a amebóides. O pseudocele é considerado um órgão hidrostático que participa ativamente do movimento do animal.

Sistema nervoso

Os Ascaris lumbricoides , como todos os nematóides apresenta um anel nervoso ao redor da faringe, que dois cordões nervosos longitudinais são liberados.

Sistema excretor

As A. lumbricoides tem uma grande excretor da glândula. Também possui um sistema de canais excretores que estão localizados nos cordões epidérmicos laterais e que estão ligados por canais que cruzam a parte anterior do corpo.

Sistema digestivo

Esta espécie possui um sistema digestivo completo que contém as seguintes estruturas:

– Stomodeo, que por sua vez é constituído pela boca e faringe.

– Mesenterón, o chamado intestino médio.

– Proctodeo, que é o intestino final. Nas mulheres, é composta pelo reto e ânus, enquanto nos homens é composta pelo reto e pelo esgoto.

Sistema reprodutivo

O sistema reprodutivo de Ascaris lumbricoides está muito bem desenvolvido. No caso de espécimes fêmeas, a vulva está no local exato em que o terço anterior e médio do corpo se encontra. Essa vulva se comunica com a vagina e apresenta um duplo útero, ovários e ovidutos. A fêmea é capaz de depositar até 250.000 ovos por dia.

No entanto, no caso de espécimes masculinos, o sistema reprodutivo é constituído por um tubo tortuoso e sinuoso, além de órgãos convencionais como vas deferens e eferentes, além de testículos. O ducto eferente flui para um esgoto próximo às chamadas espículas copulatórias.

Ciclo de vida

Ascaris lumbricoides: características, morfologia, ciclo de vida 2

O ciclo de vida de Ascaris lumbricoides se desenvolve no corpo do ser humano ou em qualquer outro organismo hospedeiro, em vários de seus órgãos: intestino, pulmões e fígado.

Relacionado:  Cadeia alimentar: elementos, pirâmide trófica e exemplos

O parasita entra no organismo na forma de um ovo infectante, por ingestão. Atinge a primeira porção do intestino delgado (duodeno), onde é atacada por sucos digestivos. Isso faz com que os ovos eclodam liberando as larvas. Estes perfuram a parede intestinal e através da circulação atingem o fígado.

No fígado, eles permanecem por 72-96 horas. Posteriormente, através do retorno venoso, as larvas atingem o coração, especificamente o átrio direito. De lá, eles vão para o ventrículo direito e depois são enviados pela artéria pulmonar para os pulmões.

Ascaris lumbricoides: características, morfologia, ciclo de vida 3

Esquematização do ciclo de vida de Ascaris lumbricoides. Fonte: Secretariado SuSanA [CC BY 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.0)]
Nos capilares pulmonares, eles ficam presos, mas conseguem atravessá-los, alcançar os alvéolos pulmonares e iniciar a rota de subida em direção aos brônquios e traquéia, em direção à epiglote. Uma vez lá, são engolidos e atingem o intestino delgado novamente.

Uma vez lá, as larvas terminam de amadurecer e se diferenciam em indivíduos do sexo feminino ou masculino. Quando ambos amadurecem completamente, ocorrem relações sexuais e fertilização, para que as fêmeas possam finalmente liberar os óvulos (até 250.000 por dia). Estes são liberados com as fezes, para iniciar um novo ciclo.

Habitat

Ascaris lumbricoides é um parasita que se espalha basicamente por todo o mundo. É mais frequente em locais próximos ao campo. Dentro do hospedeiro, as larvas têm uma predileção pelo ambiente do intestino delgado, especialmente a primeira porção do mesmo.

Epidemiologia

Ascaris lumbricoides é um dos parasitas mais comuns no homem. Ele gera uma infecção conhecida como ascaridíase. Globalmente, de acordo com a OMS, existem aproximadamente 1,5 bilhão de pessoas infectadas com esse parasita, e uma média de 20.000 pessoas morrem a cada ano com esse parasita.

A faixa etária mais afetada por esse parasita é a de crianças com idades entre 3 e 8 anos.

Apesar de ser uma infecção não tão grave quanto as outras, se não for tratada a tempo, os parasitas podem proliferar no intestino do indivíduo e causar problemas delicados, como uma possível obstrução do intestino e dos ductos biliares.

Sintomas

A doença tem sintomas diferentes, dependendo do órgão afetado. É importante lembrar que, durante o seu ciclo de vida, esse parasita viaja pelo corpo que cobre os pulmões e o intestino. Em cada um desses lugares, os sintomas serão diferentes.

Intestino

– Evacuações frequentes de textura líquida.

– Banquinho com sangue.

– Dor abdominal difusa.

– vômitos

– Náusea.

Quando o intestino da pessoa é completamente invadido por um grande número de parasitas, os sintomas podem piorar. Nesses casos, há dor abdominal intensa, perda de peso, mal-estar, fadiga e pode haver algumas amostras adultas do parasita nas fezes ou até no vômito.

Relacionado:  Tampão de Fosfato (PBS): justificativa, preparação e usos

Pulmão

Devido ao seu trânsito pelos pulmões durante o seu ciclo de vida, o Ascaris lumbricoides causa uma série de danos no tecido pulmonar que gera muitos sinais e sintomas, que no geral são conhecidos como Síndrome de Löffler. Os sintomas são:

– Tosse persistente, às vezes com expectoração purulenta.

– Aumento da temperatura corporal.

– A respiração soa como um apito.

– Falta de ar com o mínimo esforço.

– Aumento e acúmulo de eosinófilos no tecido pulmonar.

Diagnóstico

O diagnóstico da infecção por Ascaris lumbricoides pode ser feito de três maneiras: análise de fezes, exames de sangue e exames de imagem.

– exame de fezes. Este é um teste de rotina no diagnóstico de infecções por parasitas intestinais. Isso ocorre porque os ovos depositados pelas amostras femininas são expelidos pelas fezes. Um teste negativo não exclui necessariamente a infecção, pois os ovos aparecem aproximadamente 35 a 40 dias após a infecção.

– exames de imagem. Existem várias versões. Entre eles, podem ser mencionadas radiografias do abdome nas quais os vermes são apreciados; radiografias de tórax, onde as larvas podem ser identificadas; ultrassonografia abdominal e tomografia computadorizada (TC).

– exames de sangue. Um dos sinais clínicos observados em uma infecção por Ascaris lumbricoides é o aumento de eosinófilos, um tipo de glóbulo branco. No entanto, este não é um sinal 100% confiável, pois pode ser causado por outras condições de saúde.

Tratamento

O tratamento a seguir depende da gravidade do caso. Por exemplo, se for uma infecção leve, o mais comum é que o médico decida usar um tratamento que inclua agentes antiparasitários conhecidos como albendazol e mebendazol, entre outros.

Da mesma forma, quando a parasitose é tão intensa que pode levar à obstrução intestinal, é possível que a opção cirúrgica seja escolhida. Através de uma operação, os parasitas são extraídos e os danos causados ​​por eles são tratados.

Referências

  1. Becerri, M. Parasitologia Médica. Mc Graw e Hill. 4ª edição
  2. Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Parasitas Ascaris
  3. Curtis, H., Barnes, S., Schneck, A. e Massarini, A. (2008). Biologia Editorial médico pan-americano. 7ª edição.
  4. Dall, P., Cantou, V., Rosano K., De los Santos, K., Fernández, N., Berazategui, R. e Giachetto, G. (2014) Ascaris lumbricoides: complicações graves em crianças hospitalizadas no Hospital Center Pereira Rossell. Arquivos de Pediatria do Uruguai 85 (3).
  5. Dold, C. e Holland, C. (2010) Ascaris e ascaridíase. Micróbios e infecção. 13 (7). 632-637.
  6. Sultan, M. (1996). Ascaridíase Clínicas de gastroenterologia da América do Norte. 25 (3) 553-577.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies