Bandeira do Cazaquistão: história e significado

A bandeira do Cazaquistão é um símbolo nacional que carrega consigo uma rica história e significado. Adotada em 4 de junho de 1992, a bandeira do país é composta por um fundo azul celeste, uma faixa amarela e o sol nascente com 32 raios em sua parte central. O azul representa o céu e a paz, o amarelo simboliza a riqueza e a prosperidade, enquanto o sol nascente representa o futuro brilhante e a liberdade do povo cazaque. Esses elementos combinados refletem a identidade e os valores do Cazaquistão como nação independente e progressista. Ao longo dos anos, a bandeira do Cazaquistão se tornou um símbolo de orgulho e unidade para seus cidadãos, representando a história e a cultura do país.

Significado da bandeira do Cazaquistão: cores e símbolos da história e cultura.

O Cazaquistão é um país da Ásia Central com uma bandeira que reflete sua história e cultura. A bandeira do Cazaquistão é composta por um fundo azul celeste, uma águia dourada no canto esquerdo e um sol nascente com raios na parte superior do mastro.

As cores da bandeira têm significados específicos. O azul celeste representa o céu, a paz e a pureza. O dourado simboliza a riqueza e a prosperidade. A águia no canto esquerdo representa a independência e a liberdade do país, enquanto o sol nascente simboliza o renascimento e o futuro brilhante do Cazaquistão.

A bandeira do Cazaquistão foi adotada em 1992, após a independência do país da União Soviética. Ela substituiu a bandeira soviética anterior, que era vermelha com a foice e o martelo. A nova bandeira foi projetada para representar a identidade nacional e a história do povo cazaque.

Em resumo, a bandeira do Cazaquistão é um símbolo importante da história e cultura do país. Suas cores e símbolos refletem a herança do povo cazaque e sua aspiração por um futuro próspero e independente.

Conheça a trajetória histórica do Cazaquistão, um país rico em cultura e tradições.

O Cazaquistão é um país localizado na Ásia Central, com uma rica história que remonta a milhares de anos. Desde os tempos antigos, a região foi habitada por diferentes grupos étnicos e culturas, contribuindo para a diversidade cultural que define o país hoje em dia. Com a chegada do Império Mongol no século XIII, o Cazaquistão passou por diversas mudanças políticas e culturais, até se tornar parte do Império Russo no século XIX.

No início do século XX, o Cazaquistão enfrentou a Revolução Russa e a subsequente guerra civil, que resultou na criação da República Socialista Soviética do Cazaquistão em 1936. Durante a era soviética, o país passou por industrialização e coletivização forçada, resultando em fome e repressão. Após a dissolução da União Soviética em 1991, o Cazaquistão conquistou sua independência e se tornou uma república democrática.

Hoje, o Cazaquistão é conhecido por sua rica cultura e tradições, que refletem a influência de diferentes grupos étnicos e religiões. A população do país é composta por cazaques, russos, ucranianos, uzbeques, entre outros grupos, cada um contribuindo para a diversidade cultural do país. A música tradicional cazaque, a culinária e as festividades são apenas alguns exemplos da riqueza cultural do Cazaquistão.

Além disso, o Cazaquistão possui uma paisagem deslumbrante, que varia desde as estepes sem fim até as montanhas cobertas de neve. O país também abriga o cosmódromo de Baikonur, que foi o local de lançamento do primeiro ser humano no espaço, Yuri Gagarin.

Em resumo, o Cazaquistão é um país com uma história fascinante e uma cultura rica, que vale a pena ser explorada e apreciada. Sua bandeira, com suas cores e símbolos, reflete a diversidade e a história do país, representando sua identidade única e sua trajetória histórica.

Principais características do Cazaquistão: um guia completo sobre o país da Ásia Central.

O Cazaquistão é o maior país da Ásia Central, com uma área de cerca de 2,7 milhões de quilômetros quadrados. Sua população é de aproximadamente 18 milhões de habitantes, sendo a maioria de etnia cazaque. A capital do país é Astana, que recentemente foi renomeada para Nur-Sultan. A língua oficial é o cazaque, mas o russo também é amplamente falado.

O Cazaquistão tem uma economia em crescimento, impulsionada principalmente pela indústria de petróleo e gás. O país é rico em recursos naturais, como petróleo, gás, minerais e metais. Além disso, o Cazaquistão é conhecido por suas vastas estepes, montanhas, lagos e rios.

A cultura cazaque é rica e diversificada, com influências da Rússia, China, Mongólia e Turquia. A música tradicional, danças, culinária e vestimentas são aspectos importantes da cultura cazaque. O país também possui uma rica herança histórica, com locais arqueológicos e monumentos antigos.

O Cazaquistão é um país multicultural e multiétnico, com mais de 130 grupos étnicos vivendo em harmonia. A tolerância religiosa é um dos princípios fundamentais do país, com o islã sendo a religião predominante, seguida pelo cristianismo, judaísmo e outras crenças.

A geopolítica do Cazaquistão é estrategicamente importante, devido à sua localização entre a Rússia, China, Ásia Central e o Mar Cáspio. O país desempenha um papel significativo na cooperação regional e internacional, sendo membro de várias organizações, como a ONU, a OSCE e a OMC.

Descubra as maravilhas do Cazaquistão: cultura, paisagens e gastronomia surpreendentes!

Se você está planejando uma viagem para o Cazaquistão, prepare-se para descobrir um país cheio de surpresas e encantos. Além das paisagens deslumbrantes e da gastronomia deliciosa, a cultura cazaque é rica em tradições e história.

Relacionado:  Masculinismo: origens, características, diferenças com o feminismo

Para começar a sua jornada de descoberta, é importante entender um pouco mais sobre a bandeira do país. A bandeira do Cazaquistão é composta por um fundo azul claro, com uma águia dourada no centro e o sol nascente acima dela. Esses elementos representam a liberdade, a independência e o futuro brilhante do país.

A águia no centro da bandeira simboliza a soberania e a força do povo cazaque, enquanto o sol nascente representa o renascimento e a esperança. Juntos, esses símbolos refletem a identidade e os valores do Cazaquistão.

Além do significado simbólico, a bandeira do Cazaquistão também possui uma história interessante. Ela foi adotada em 1992, após a independência do país da União Soviética. Desde então, tornou-se um símbolo de orgulho nacional e unidade para os cazaques.

Portanto, ao explorar as maravilhas do Cazaquistão, não deixe de admirar a sua bela bandeira e refletir sobre o seu significado profundo. Afinal, a cultura, as paisagens e a gastronomia surpreendentes deste país estão intrinsecamente ligadas aos seus símbolos nacionais.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado

A bandeira do Cazaquistão é a bandeira nacional desta república da Ásia Central. Consiste em um pano azul claro com um sol dourado de 32 raios na parte central. Emoldurando a parte inferior do sol está a silhueta de uma águia de estepe, da mesma cor. Perto do mastro, há uma gravura artística, também amarela. É a bandeira nacional desde 1992.

O Cazaquistão é um país jovem, mas sua história remonta a muitos séculos. A Ásia Central recebeu invasões de diferentes grupos, dos turcos, dos mongóis à islamização. Essas mudanças foram refletidas através das bandeiras que eles acenavam. Finalmente, no século 19, o território tornou-se parte do Império Russo.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 1

Bandeira do Cazaquistão. (-xfi- O código-fonte deste SVG é válido.Esta imagem vetorial foi criada com o Inkscape. [Domínio público]).

A história do Cazaquistão na União Soviética foi protagonista de sucessivas mudanças de bandeira. Todos adotaram a simbologia comunista até a independência e a mudança do pavilhão.

O céu azul representa os povos turcos e tem alusões divinas, embora também se relacione com o céu. A impressão é o símbolo da arte e da cultura, enquanto a águia pode identificar os cazaques, bem como o poder do Estado. Finalmente, o sol é vida e energia.

Histórico da bandeira

No território cazaque, diferentes poderes aconteceram desde antes do início de nossa era. Primeiro, as estepes eram habitadas por povos nômades de diferentes pontos cardeais. Além disso, os hunos estavam entre os primeiros a ocupar toda a área no primeiro século aC

Outra das primeiras tentativas de unidade foi no segundo século, através da confederação Xiongnu. O objetivo disso era a união de várias tribos nômades na Ásia Central.

Jaganato Köktürk

Os turcos começaram a ampliar seu poder na Ásia Central com o Köktürk Jaganato, que foi fundado no século VI. O azul claro desde então era da cor dos túrquicos e hoje permanece na bandeira cazaque. Naquela época, uma das bandeiras era um pano azul claro que mantinha a silhueta do focinho de um animal em verde.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 2

Bandeira do Köktürk Jaganato. (Dolatjan [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]).

Os Köktürk Jaganato acabaram sendo divididos em estados ao leste e oeste, mas se reuniram no século VII. Isso novamente se fragmentou e foi seguido por diferentes estados túrquicos, como o Oghuz Yagbu.

Mais tarde, nos séculos 8 e 9, o Islã começou a se espalhar na região. No século IX, foi formado o Kanato Qarajánida, que foi convertido ao Islã.

Domínio mongol

Mais tarde, o território foi conquistado pelo Kanato de Kara-Kitai, composto por mongóis da China. Em meados do século XIII, foi estabelecido o Estado de Khorazm, que permaneceu até a invasão mongol das forças de Genghis Khan.

O domínio mongol nesse território foi exercido através da Horda Dourada, que era o estado mongol que foi estabelecido no império ocidental. Sua composição era tribal e permaneceu até o século XV, quando diferentes kanatos foram fundados como o cazaque.

O símbolo da Horda Dourada era constituído por um pano branco sobre o qual eram impostas silhuetas vermelhas.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 3

Bandeira da Horda Dourada. (1339). (Vorziblix [CC0]).

Kazakh Kanato

A maior história de um estado para o Cazaquistão ocorreu em 1465, com a fundação do Kanato do Cazaquistão. Isso foi realizado no sudeste do país atual, mas estava se expandindo em seu primeiro meio século de existência para várias regiões da Ásia Central.

Este kanato representou um dos momentos históricos mais importantes do futuro do país. Embora nem sempre tenha mantido um governo com um único chefe, o poder foi dividido entre os Zhuzes , o Médio e o Baixo. A dissolução do Kanato ocorreu quando essas três facções foram incorporadas individualmente ao Império Russo.

Relacionado:  O que é uma hierarquia de valores? Elementos e exemplos

A bandeira atual do Cazaquistão tem uma clara inspiração na que manteve o Kanato do Cazaquistão. Então, sua cor era azul claro, tinha três estrelas de cinco pontas perto do mastro e no centro mantinha uma série de linhas cruzadas brancas.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 4

Bandeira do Kanato cazaque. (Rastreado pelo usuário: Slashme de Image: Kazakh Khanate.gif [Domínio público]).

Império russo

A influência comercial russa veio do século XVII. No entanto, não foi até o século XVIII, quando os Kanatos começaram a ceder às tropas russas, que entraram em conflitos e deram proteção a muitos deles.

Entre 1822 e 1848, as três entidades do Cazaquistão Kanato cederam, antes das quais os russos conquistaram territórios. Não foi até 1863 quando o Império Russo decidiu anexar várias áreas e criou duas entidades.

O Cazaquistão estava principalmente no governo geral das estepes. Todo esse movimento forçou o estilo de vida sedentário de muitas tribos, além da russificação do lugar.

A bandeira do Império Russo é da mesma cor tricolor das palestinas que existe atualmente naquele país. As cores branco, azul e vermelho o identificam desde então. Às vezes, o escudo real dourado era adicionado na parte central.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 5

Bandeira do Império Russo. (Zscout370 [Domínio público ou Domínio público], via Wikimedia Commons).

Autonomia Alash

O colapso do regime czar no Império Russo ocorreu definitivamente em 1917. Nesse ano, um grupo de nacionalistas seculares chamado Alash Orda formou um governo independente na região, chamado Autonomia Alash. Isso permaneceu por quase três anos, até que em 1920 o território caiu nas mãos dos bolcheviques.

A bandeira que usava a Autonomia Alash consistia em um pano vermelho com um crescente amarelo e uma estrela nele. Muito semelhante à do Império Otomano, essa bandeira representava o símbolo mais importante do Islã.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 6

Bandeira da autonomia de Alash. (1917-1920). (Walden69 [domínio público]).

União Soviética

O fim do pequeno projeto do estado cazaque ocorreu em 1920, com a entrada definitiva da Rússia soviética e sua incorporação no território. Naquele ano, foi criada a República Autônoma Socialista Soviética do Quirguistão, que agrupava cazaques e quirguizes.

Sua bandeira era de pano vermelho, com um retângulo da mesma cor, mas com uma borda amarela. Dentro dela, as iniciais das entidades foram colocadas em dois alfabetos: cirílico e latino.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 7

Bandeira da República Autônoma Socialista Soviética do Quirguistão (1920-1925). (Tohaomg [domínio público).

Em 1925, a distinção entre cazaques e quirguizes passou a ser representada nas entidades políticas do país. Nesse ano, nasceu a República Autônoma Socialista Socialista Soviética do Cazaquistão, de modo que esse grupo étnico tinha sua própria identidade política.

República Socialista Soviética do Cazaquistão

Apesar de ter se separado como entidade, até a República do Cazaquistão fazia parte da República Socialista Soviética da Rússia. Somente em 1936 o território se separou dele, tornando-se uma república autônoma sobre a União Soviética. Esta se tornou a segunda república do país por causa de seu tamanho.

A primeira bandeira escolhida levou um ano para ser aplicada, até 1937. Este símbolo era novamente um pano vermelho com a foice e um martelo no lado esquerdo. Abaixo dele estavam concentradas duas inscrições com nomes republicanos: a primeira em alfabeto latino e a mais baixa em cirílico.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 8

Bandeira da República Socialista Soviética do Cazaquistão. (1937-1940). (Nenhum autor legível por máquina é fornecido. Assumido com facilidade (com base em reivindicações de direitos autorais). [Domínio público]).

Bandeira de 1940

Em 1940, houve a primeira mudança de bandeira desta república. Nesse caso, a cor escureceu e o martelo e a foice ganharam relevância, aumentando de tamanho. Após a modificação do alfabeto dos idiomas do país para cirílico, as duas inscrições foram escritas nesse alfabeto. Eles ocuparam toda a superfície da esquerda para a direita.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 9

Bandeira da República Socialista Soviética do Cazaquistão. (1940-1953). (Nenhum autor legível por máquina é fornecido. Assumido com facilidade (com base em reivindicações de direitos autorais). [Domínio público]).

Bandeira de 1953

A estética dos símbolos soviéticos mudou com o tempo e tornou-se uniforme. Em 1953, foi a vez do Cazaquistão, quando o Presidium do Supremo Soviético aprovou uma bandeira em sintonia com o resto das repúblicas do país.

Esta bandeira era, novamente, um pano vermelho, que mantinha uma versão estilizada do martelo e da foice com a estrela. A diferença foi a adição de uma faixa horizontal azul clara na parte inferior.

A nova faixa azul ocupava duas nona partes da bandeira e foi separada do final por uma faixa vermelha que ocupa uma nona da superfície. As especificações para a construção da bandeira foram aprovadas em 1981 e permaneceram em vigor até a aprovação da nova bandeira, já no Cazaquistão independente, em 1992.

Bandeira do Cazaquistão: história e significado 10

Bandeira da República Socialista Soviética do Cazaquistão. (1953-1992). (Nenhum autor legível por máquina foi fornecido. Urmas assumiu (com base em reivindicações de direitos autorais). [Domínio público]).
Relacionado:  Os 5 pratos típicos da região insular mais popular

República do Cazaquistão

A mudança na União Soviética começou a ser implementada através da perestroika e glasnost, por seu novo líder, Mikhail Gorbachev. Uma sucessão de líderes do Politburo soviético no Cazaquistão expressou insatisfação com a população, até que em 1989 o Nursultan cazaque Nazabayev assumiu a liderança.

A independência do Cazaquistão não foi acelerada como as dos outros países ao seu redor. Em junho de 1990, Moscou declarou a soberania do governo central em relação ao Cazaquistão.

Nesta república começou a enfrentar cazaques e russos. Nazarbayev era um defensor de uma união de estados soberanos para manter a unidade daqueles que compunham a União Soviética.

Antes da tentativa de golpe de estado de 1991, Nazarbayev permaneceu ambivalente. Após a derrota do movimento, ele continuou apoiando Gorbachev porque pensava que a independência seria economicamente suicida. Ao mesmo tempo, ele começou a administrar a economia do país de maneira mais generalizada.

Finalmente, Nazarbayev foi eleito presidente e, após a dissolução da União Soviética, proclamou sua independência em 16 de dezembro de 1991.

Concurso de criação de banner

A bandeira com o martelo e a foice permaneceu em vigor até 1992, quando foi realizada uma competição para substituí-la. O Conselho Supremo da República do Cazaquistão formou um grupo de trabalho para a preparação de novos símbolos em 2 de janeiro daquele ano. Sua maneira de trabalhar era fazer um concurso nacional para defini-los.

Depois de receber cerca de 453 designs para a bandeira, 245 para o escudo e 51 propostas para o hino, houve quatro meses de trabalho para definir os novos símbolos. Entre os finalistas, houve considerações diferentes. Primeiro, as propostas finalistas diferiam do desenho da bandeira soviética de 1952.

A cor azul começou a ser reconhecida como a cor cazaque, representando honestidade, um céu claro e um futuro próspero. Isso contrastava com o vermelho da União Soviética que poderia provocar uma ameaça ou rebelião.

Símbolos em consideração

Diante disso, o debate tornou-se quais símbolos a bandeira deveria ter. Entre os projetos considerados finalistas, surgiram diferentes opções. O projeto Sultanbekov MT propôs uma estrela de oito pontas, composta por dois quadrados. Este seria um símbolo de uma vasta viagem, que aspira a representar a eternidade e pode ser vista em diferentes mausoléus.

Outro dos símbolos levantados foi o crescente e a estrela, presentes nas bandeiras de vizinhos como o Uzbequistão e o Turquemenistão. Em vez de representar o Islã, em um fundo azul, esse símbolo completaria a paisagem do céu. Além disso, ele poderia ter se identificado com a alta posição que o Cazaquistão deveria ocupar no mundo.

Finalmente, os símbolos escolhidos foram três: o sol, a águia e a impressão em uma extremidade. Os símbolos tinham que ser estilizados o suficiente para que pudessem ser representados e também identificados à distância.

O projeto vencedor foi o do artista Shaken Niyazbekov, acompanhado pelo arquiteto Shota Ualikhanov, pelo designer Timur Suleimenov e pelo artista Erbolat Tulepbaev. A bandeira entrou em vigor em 4 de julho de 1992.

Significado da bandeira

A bandeira do Cazaque tem grandes representações nos símbolos escolhidos. A cor azul é a que mais se presta a ter significados diferentes. Historicamente, tem sido um símbolo dos povos turcos e representado o Kanato cazaque. No entanto, tem sido associado mais à pureza, tranquilidade e ao céu sagrado que cobre o país.

Além disso, a cor azul também foi vista como o símbolo da paz e da liberdade, bem como da união étnica entre os povos do Cazaquistão. O azul agrupa tudo e, portanto, aspira a um futuro e prosperidade.

Por outro lado, o sol é uma fonte de energia e vida, além de simbolizar a abundância. Seus raios são o que iluminam os grãos da estepe. A impressão é uma pequena representação da arte e cultura cazaque, que se manifesta como autônoma.

Finalmente, a águia é o símbolo que representa o poder do Estado, além de independência e força. Emula os símbolos mongóis Genghis Khan.

Referências

  1. Adibayeva, A. e Melich, J. (2014). Construção de nação e política cultural no Cazaquistão. European Scientific Journal, ESJ , 9 (10). Recuperado de eujournal.org.
  2. Aydıngün, A. (2008). Símbolos de estado e construção de identidade nacional no Cazaquistão. Direito Beller-Hann, İldiko. O passado como recurso no mundo de língua turca, Wünzburg: Ergon Verlag . Recuperado de ergon-verlag.de.
  3. Chebotarev, A. e Karin, E. (2002). A política de cazaque em instituições estatais e governamentais no Cazaquistão. A questão das nacionalidades no Cazaquistão pós-soviético . Recuperado de cambridge.org.
  4. Grousset, R. (1970). O império das estepes: uma história da Ásia Central . Rutgers University Press. Recuperado de books.google.com
  5. Omelicheva, M. (2014). Nacionalismo e construção de identidades na Ásia Central: Dimensões, Dinâmica e Direções . Lexington Books Recuperado de books.google.com.
  6. Smith, W. (2018). Bandeira do Cazaquistão. Encyclopædia Britannica, inc . Recuperado de britannica.com.
  7. Suleimenov, A. (5 de junho de 2017). Bandeira nacional do Cazaquistão. Qazaqstan Tarihy . Recuperado de e-history.kz.

Deixe um comentário