Baquelite: estrutura, propriedades, compras e aplicações

Baquelite é um material termofixo sintético, também conhecido como resina fenólica, que foi o primeiro plástico produzido em larga escala e revolucionou a indústria de materiais plásticos. Neste artigo, vamos explorar a estrutura química do baquelite, suas propriedades físicas e químicas, como ele é produzido, onde pode ser adquirido e suas principais aplicações em diferentes setores industriais. Com uma ampla gama de usos, o baquelite é um material versátil e durável que continua a ser uma escolha popular para muitas aplicações modernas.

Conheça a composição e a organização molecular do baquelite, um plástico termofixo resistente.

O baquelite é um plástico termofixo resistente amplamente utilizado em diversos setores da indústria devido às suas excelentes propriedades. Composto principalmente por fenol e formaldeído, o baquelite possui uma organização molecular em forma de rede tridimensional, o que confere sua alta resistência e rigidez.

Essa estrutura molecular única do baquelite é o que o torna um material tão durável e resistente a altas temperaturas. A ligação cruzada entre as moléculas de fenol e formaldeído impede que o plástico amoleça quando aquecido, tornando-o ideal para aplicações em que a resistência térmica é essencial.

Além disso, o baquelite é um material isolante elétrico eficaz, o que o torna ideal para a fabricação de componentes eletrônicos. Sua resistência a produtos químicos e sua durabilidade também o tornam uma escolha popular para aplicações em que a resistência a corrosão é importante.

Se você está pensando em adquirir baquelite para suas necessidades industriais, é importante garantir que esteja comprando de um fornecedor confiável. Verifique a qualidade do material e certifique-se de que atenda aos padrões de segurança e qualidade exigidos para sua aplicação específica.

Em resumo, o baquelite é um plástico termofixo resistente com uma estrutura molecular única que o torna ideal para uma variedade de aplicações industriais. Suas excelentes propriedades mecânicas, resistência térmica e elétrica o tornam um material versátil e confiável para diversas necessidades. Considere o baquelite como uma opção para suas próximas necessidades de materiais industriais.

Aplicações do baquelite: descubra as diversas utilizações desse material resistente e versátil.

O baquelite é um material termorrígido amplamente utilizado em diversas aplicações devido à sua resistência e versatilidade. Descoberto no início do século XX por Leo Baekeland, o baquelite revolucionou a indústria de plásticos e trouxe inúmeras possibilidades para a fabricação de produtos duráveis e funcionais.

Uma das principais aplicações do baquelite está na indústria elétrica, onde é utilizado na fabricação de interruptores, tomadas, plugues e isoladores elétricos. Sua alta resistência ao calor e à eletricidade faz com que seja um material ideal para esses fins, garantindo a segurança e a eficiência dos equipamentos.

Além disso, o baquelite também é amplamente utilizado na indústria automotiva, sendo empregado na fabricação de peças de motor, manoplas, painéis de instrumentos e componentes elétricos. Sua resistência mecânica e química torna-o uma escolha ideal para suportar as condições adversas encontradas nos veículos.

Outras aplicações do baquelite incluem a fabricação de utensílios domésticos, peças de máquinas, isoladores térmicos e peças de telefones antigos. Sua versatilidade e durabilidade garantem a qualidade e a longevidade desses produtos, tornando o baquelite uma escolha popular em diversos setores da indústria.

Em resumo, o baquelite é um material com inúmeras aplicações devido às suas propriedades únicas de resistência, durabilidade e versatilidade. Se você está buscando um material confiável e eficiente para suas necessidades industriais, o baquelite é uma excelente escolha.

Relacionado:  Hidróxido de lítio (LiOH): fórmula, propriedades, riscos, usos

Atributos do plástico baquelite: descubra as principais características desse material resistente e versátil.

O baquelite é um tipo de plástico termofixo que possui diversas propriedades que o tornam um material muito resistente e versátil. Seu principal atributo é a sua alta resistência mecânica, o que o torna ideal para aplicações que exigem durabilidade e suportam altas temperaturas. Além disso, o baquelite é um material leve e de fácil moldagem, o que o torna muito versátil em diferentes tipos de produção.

Outra característica importante do baquelite é a sua resistência a produtos químicos, tornando-o adequado para uso em ambientes industriais e laboratoriais. Sua estabilidade dimensional também é um atributo relevante, garantindo que o material mantenha suas propriedades físicas mesmo em condições adversas.

Por ser um material isolante elétrico, o baquelite é amplamente utilizado na fabricação de componentes elétricos e eletrônicos. Sua capacidade de absorver vibrações e impactos também o torna uma escolha comum em aplicações que necessitam de amortecimento.

No entanto, é importante ressaltar que o baquelite possui uma baixa resistência à umidade, o que pode limitar suas aplicações em ambientes muito úmidos. Portanto, é essencial considerar esse fator ao escolher utilizar este material em determinados projetos.

Em resumo, o baquelite é um plástico com uma combinação única de propriedades que o tornam uma escolha ideal para uma variedade de aplicações industriais, elétricas e eletrônicas. Sua resistência, versatilidade e durabilidade fazem dele um material amplamente utilizado e valorizado em diferentes setores.

Locais de ocorrência do baquelite na natureza: descubra onde esse material é encontrado.

O baquelite é um material sintético que não é encontrado na natureza. Ele foi criado pelo químico Leo Baekeland em 1907 e é produzido industrialmente. O baquelite é feito através da reação de fenol e formaldeído em alta temperatura e pressão, resultando em um polímero termofixo.

Apesar de não ocorrer naturalmente, o baquelite é amplamente utilizado em diversos produtos do dia a dia, devido às suas propriedades únicas. Ele é conhecido por sua resistência ao calor, eletricidade e produtos químicos, tornando-o ideal para aplicações industriais e domésticas.

Algumas das aplicações mais comuns do baquelite incluem utensílios de cozinha, peças automotivas, componentes eletrônicos e isoladores elétricos. Sua versatilidade e durabilidade o tornam um material muito procurado em diversas indústrias.

Portanto, apesar de não ser encontrado na natureza, o baquelite desempenha um papel fundamental em nossa sociedade moderna, sendo essencial para a fabricação de uma ampla gama de produtos. Se você está procurando por um material resistente e durável, o baquelite pode ser a escolha perfeita para suas necessidades.

Baquelite: estrutura, propriedades, compras e aplicações

A baquelite é uma resina polimérica de fenol e formaldeído, a definição química precisa e é um polioxibenciletilenglicol hidróxido. O surgimento e a comercialização desse material marcaram o início da era do plástico; Ele ocupava e fazia parte de uma infinidade de objetos domésticos, cosméticos, elétricos e até bélicos.

O nome veio do inventor: o químico americano nascido na Bélgica, Leo Baekeland, que em 1907 alcançou a produção e o aprimoramento desse polímero; posteriormente fundou a General Bakelite Company, em 1910. No início, ao modificar as variáveis ​​físicas envolvidas, a baquelite consistia em um sólido esponjoso e frágil de pouco valor.

Baquelite: estrutura, propriedades, compras e aplicações 1

Telefone retro feito com polímero de baquelite. Fonte: Pexels

Após oito anos de trabalho em laboratório, ele conseguiu obter uma baquelite suficientemente sólida e termoestável , com alto valor devido às suas propriedades. Assim, a baquelite substituiu outros materiais plásticos de origem natural; o primeiro polímero puramente artificial nasceu.

Hoje, no entanto, foi substituído por outros plásticos e é encontrado principalmente em acessórios ou objetos do século XX. Por exemplo, o telefone na imagem acima é feito de baquelite, como muitos objetos de cor preta semelhante a esta ou cores âmbar ou branco (com aparência de marfim).

Estrutura de baquelite

Treinamento

Baquelite: estrutura, propriedades, compras e aplicações 2

Formação de uma estrutura de rede tridimensional de polímero de fenol-formaldeído, baquelita. Fonte: MaChe [domínio público].

Como a baquelita é definida como uma resina polimérica de fenol e formaldeído, as duas moléculas devem formar sua estrutura, covalentemente ligadas de alguma maneira; caso contrário, esse polímero nunca teria manifestado suas propriedades características.

O fenol consiste em um grupo OH ligado diretamente a um anel de benzeno; enquanto que o formaldeído é uma molécula de O = CH 2 ou CH 2 O (topo). O fenol é rico em elétrons, porque o OH, embora atraia elétrons para si próprio, também colabora na sua deslocalização pelo anel aromático.

Sendo rico em elétrons, pode sofrer ataques de um eletrófilo (espécies ávidas de elétrons); por exemplo, a molécula de CH 2 O.

Dependendo se o meio é ácido (H + ) ou básico (OH ), o ataque pode ser eletrofílico (o formaldeído ataca o fenol) ou nucleofílico (o fenol ataca o formaldeído). Mas, no final, CH 2 O substitui um H do fenol para se tornar um grupo metilol, -CH 2 OH; -CH 2 OH 2 + em meio ácido, ou -CH 2 O , em meio básico.

Assumindo meio ácido, -CH 2 OH 2 + perde uma molécula de água ocorre durante o ataque electrofílico de um segundo anel fenólico. Uma ponte de metileno, -CH 2 – (azul na imagem) é então formada.

Substituições orto e para

A ponte de metileno não liga dois anéis fenólicos em posições arbitrárias. Se a estrutura for observada, pode-se verificar que as articulações estão em posições adjacentes e opostas ao grupo OH; Estas são posições orto e para, respectivamente. Em seguida, substituições ou ataques de ou para o anel fenólico ocorrem nessas posições.

Tridimensionalidade da rede

Lembrando hibridações químicas, o carbono das pontes de metileno é sp 3 ; portanto, é um tetraedro que localiza suas ligações fora ou abaixo do mesmo plano. Consequentemente, os anéis não estão no mesmo plano, e suas faces têm orientações diferentes no espaço:

Baquelite: estrutura, propriedades, compras e aplicações 3

Segmento da estrutura tridimensional da baquelita. Fonte: Wikimedia Commons.

Por outro lado, quando as substituições ocorrem apenas em posições – bem, é obtida uma cadeia polimérica. Mas, à medida que o polímero cresce pelas posições – para, um tipo de malha tridimensional ou rede de anéis fenólicos é estabelecida.

Dependendo das condições do processo, a rede pode adotar uma “morfologia inchada”, indesejável para as propriedades do plástico. Quanto mais compacto, melhor seu desempenho como material.

Propriedades

Tendo então a baquelita como uma rede de anéis fenólicos unidos por pontes de metileno, a razão de suas propriedades pode ser entendida. Os principais são mencionados abaixo:

-É um polímero termoestável; isto é, uma vez solidificado, não pode ser moldado pelo efeito do calor, tornando-se ainda mais endurecido.

Relacionado:  Hipoclorito de potássio (KOCl): estrutura, propriedades

-Sua massa molecular média é geralmente muito alta, o que torna as peças de baquelite consideravelmente mais pesadas em comparação com outros plásticos do mesmo tamanho.

-Ao esfregar e aumentar sua temperatura, emite um odor característico de formaldeído (reconhecimento organoléptico).

-Uma vez moldado, e sendo um plástico termoendurecido, ele mantém sua forma e resiste ao efeito corrosivo de certos solventes, aumentos de temperatura e riscos.

-É um péssimo condutor de calor e eletricidade.

-Emite um som característico ao atingir dois pedaços de baquelite, o que ajuda a identificá-lo qualitativamente.

-Sintetizado recentemente tem consistência resinosa e é marrom na cor. Quando solidifica, adquire diferentes tons de marrom, até ficar preto. Dependendo do que é preenchido (amianto, madeira, papel etc.), ele pode ter cores que variam de branco a amarelo, marrom ou preto.

Obtenção

Para obter baquelita, primeiro é necessário um reator onde o fenol (puro ou a partir do alcatrão do carvão) e uma solução concentrada de formaldeído (37%) são misturados, mantendo uma proporção molar de fenol / formaldeído igual a 1. A reação começa de polimerização por condensação (porque a água é liberada, uma pequena molécula).

A mistura foi depois aquecida com agitação e na presença de um catalisador ácido (HCl, ZnCl 2 , H 3 PO 4 de base, etc.) ou (NH 3 ). É obtida uma resina marrom à qual é adicionado mais formaldeído e é aquecido em torno de 150 ° C sob pressão.

Posteriormente, a resina é resfriada e solidificada dentro de um recipiente ou molde, acompanhada de material de enchimento (já mencionado na seção anterior), o que favorecerá certo tipo de textura e cores desejáveis.

Aplicações

Baquelite: estrutura, propriedades, compras e aplicações 4

Pranchas de madeira plásticas. Fonte: VarunRajendran na Wikipedia em inglês [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)]

A baquelite é o plástico por excelência da primeira metade e meados do século XX. Telefones, caixas de comando, peças de xadrez, maçanetas de portas de veículos, dominós, bolas de bilhar; Qualquer objeto constantemente sujeito a impactos ou movimentos leves são feitos de baquelite.

Por ser um mau condutor de calor e eletricidade, era usado como plástico isolante em caixas de circuito, como componente dos sistemas elétricos de rádios, lâmpadas, aviões e todos os tipos de dispositivos essenciais durante as guerras mundiais.

Sua consistência sólida era atraente o suficiente para o design de caixas esculpidas e joalherias. Em matéria de ornamentação, quando a baquelite é misturada à madeira, a segunda recebe uma textura plástica, com a qual foram fabricadas tábuas ou tábuas compostas para cobrir o piso (imagem superior) e os espaços domésticos.

Referências

  1. Universidade Federico II de Nápoles, Itália. (sf). Resinas de fenol-formaldeído. Recuperado de: whatischemistry.unina.it
  2. Isa Mary (5 de abril de 2018). Arqueologia e idade dos baquelitos plásticos no lixão brody. Kale Recuperado de: campusarch.msu.edu
  3. Grupos da Divisão de Educação Química da Faculdade de Ciências. (2004). A preparação de baquelite. Universidade de Purdue. Recuperado de: chemed.chem.purdue.edu
  4. Grupo Bakelit 62. (sf). Estrutura Recuperado de: bakelitegroup62.wordpress.com
  5. Wikipedia (2019). Baquelite Recuperado de: en.wikipedia.org
  6. Boyd Andy. (8 de setembro de 2016). Leo Baekeland e baquelita. Recuperado de: uh.edu
  7. NYU Tandon. (5 de dezembro de 2017). Luzes, câmera, baquelite! O Gabinete de Assuntos Estudantis realiza uma noite de cinema divertida e informativa. Recuperado de: engineering.nyu.edu

Deixe um comentário