Blocos Econômicos: Características, Vantagens e Desvantagens

Um bloco econômico ou comercial é uma forma de integração econômica entre um grupo de países que normalmente compartilham uma área geográfica comum.

Seu objetivo é estabelecer acordos econômicos para facilitar o comércio entre os países membros.

Blocos Econômicos: Características, Vantagens e Desvantagens 1

MERCOSUL, bloco econômico da América Latina

Este é um fenômeno típico da globalização . Graças a esse tipo de bloco, é possível eliminar as barreiras econômicas existentes entre os países, permitindo o crescimento do comércio e uma maior circulação de trabalho e capital.

Tipos de blocos econômicos

Existem diferentes tipos de blocos econômicos. São classificados de acordo com o grau de abertura de tarifas e a profundidade dos acordos estabelecidos.

Em alguns casos, o comércio é apenas facilitado, mas em outros são tomadas decisões conjuntas importantes e até a moeda é compartilhada.

Zona de comércio preferencial

As áreas comerciais preferenciais são aquelas em que um grupo de países concorda em reduzir ou eliminar tarifas para o comércio de alguns produtos. No entanto, cada país mantém suas próprias tarifas contra países terceiros.

Existem zonas comerciais multilaterais e bilaterais preferenciais. O primeiro é estabelecido entre três ou mais países e o segundo, menos frequente, é estabelecido apenas entre dois países.

Por exemplo, a Organização de Cooperação Econômica (ECO), por sua sigla em inglês, é uma zona comercial preferencial estabelecida entre o Irã, Paquistão e Turquia.

Seu objetivo é facilitar o comércio entre os países membros, mas também serve como um primeiro passo para a criação de um mercado comum.

Área de livre comércio

Áreas de livre comércio, como áreas preferenciais de comércio, são aquelas em que os países de uma região concordam em eliminar ou reduzir as barreiras comerciais.

No entanto, nesse caso, os acordos se aplicam a todos os bens trocados entre eles.

União aduaneira

A união aduaneira refere-se à eliminação de barreiras tarifárias entre os países membros. Sua particularidade é que inclui a criação de uma tarifa externa unificada contra não-membros.

Isso implica que os membros podem negociar como um único bloco com outros países ou com outros blocos comerciais.

Por exemplo, a União Aduaneira da África Austral – SACU, por sua sigla em inglês. É uma união existente entre cinco países da África do Sul: Botsuana, Lesoto, Namíbia, África do Sul e Suazilândia.

Esta é a união aduaneira mais antiga do mundo, que remonta a 1910, antes de seus países membros serem independentes. Por esse motivo, foi relançado em 1969 para entrar oficialmente em vigor em 1970.

Mercado comum

O mercado comum consiste na existência de livre comércio entre países, com todos os recursos econômicos e não apenas com bens tangíveis. Isso significa que todas as barreiras ao comércio de bens, serviços, capital e trabalho são removidas. Isso inclui a eliminação total de tarifas.

Para que um mercado comum seja possível, é necessário harmonizar as políticas microeconômicas dos países membros do bloco. Isso também inclui regras relacionadas ao poder de monopólio e outras práticas que prejudicam a concorrência.

Por exemplo, o MERCOSUL é um mercado comum formado pela Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai, Venezuela e Bolívia e com países associados da América Latina. Como o ECO, é um mercado comum com o objetivo de aprofundar a união.

Prova disso é a criação do PARLASUR, uma assembléia que funciona como órgão deliberativo das decisões do MERCOSUL.

União econômica

A união econômica possui praticamente as mesmas características de um mercado comum. No entanto, sua particularidade é que, além da abertura comercial, eles também compartilham um sistema tributário e uma moeda.

Por exemplo, a União Europeia é um grupo de países que não apenas compartilham um mercado comum.

Nesse caso, também são compartilhadas uma série de políticas econômicas comuns, incluindo o uso de uma moeda comum.

Vantagens dos blocos econômicos

Crescimento do comércio

O fácil acesso aos mercados de outros países implica um aumento do comércio nacional.

Isso permite substituir os produtores locais de alto custo por importações mais baratas e mais eficientes. Também leva à especialização da indústria de cada país.

Esse fenômeno leva a custos reduzidos e permite preços mais baixos para o consumidor.

Conseqüentemente, é alcançado um aumento na demanda que gera um crescimento no comércio.

Crescimento da economia

A promoção do comércio entre os países membros protege as indústrias nacionais.

Isso acontece porque é difícil a entrada de produtos mais baratos que vêm de outras regiões do mundo. Graças a isso, é mantida uma negociação baseada nos produtos do bloco.

Globalização

Além disso, os blocos comerciais são considerados para ajudar a globalização porque facilitam as negociações globais entre os blocos.

Por exemplo, as negociações feitas pela União Europeia são úteis para o desenvolvimento simultâneo das relações comerciais de um grupo completo de países.

Desvantagens dos blocos econômicos

Perda de benefícios

Quando um país entra em um bloco econômico, recebe benefícios dos países membros. No entanto, perde as vantagens que o relacionamento com outros países fora do bloco pode eventualmente representar.

Perda de soberania

Uma das principais críticas dos blocos econômicos é a perda de soberania dos países membros.

Isso ocorre porque, quando acordos comuns são estabelecidos entre diferentes nações, é possível perder até certo ponto a independência com que cada nação decide.

Por exemplo, no caso da União Européia, pode-se ver como o bloco econômico também começa a participar de outras decisões.

Interdependência econômica

Os blocos econômicos são apresentados como uma oportunidade para a especialização da produção de cada país.

O que é promovido é a ideia de que cada país gera produtos diferentes e complementares para a economia comum.

No entanto, essa especialização gera interdependência econômica com os outros países membros do bloco.

Dessa maneira, as nações estarão condicionadas a situações políticas e econômicas que flutuam no valor dos produtos e acabam perdendo a soberania.

Referências

  1. Argarwal, P. (SF). Blocos de negociação Recuperado de: Intelligeconomist.com
  2. Organização de Cooperação Econômica. (SF). Breve introdução Recuperado de: eco.int
  3. Economics Online (SF). Blocos de Negociação Recuperado em: economicsonline.co.uk
  4. Mercosul (SF). O que é o MERCOSUL? Recuperado de: mercosur.int
  5. Pettinger, T. (2008). Blocos de negociação e globalização. Recuperado em: economicshelp.org.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies