Brasão de Neuquén: História e Significado

Brasão de Neuquén: História e Significado

O escudo de Neuquén é o resultado de um concurso no qual o vencedor Mario Aldo mastigou, no início de 1958, e foi usado pela primeira vez em setembro do mesmo ano, graças à Lei Provincial nº 16.

Esta heráldica leva elementos da bandeira argentina juntamente com elementos da identidade de Neuquén e, por não ter a forma oval tradicional, seu design está longe do da maioria dos escudos argentinos.

Esta província leva o nome do rio Neuquén, que por sua vez vem do dialeto Newenken na língua mapuche, que significa “ousadia ou ousadia”.

Aldo conseguiu usar o termo que dá nome à entidade e traduzi-lo em seu design inovador de heráldica, de forma hexagonal e com traços lisos e minimalistas.

História

Pela lei número 1.532, de 16 de outubro de 1884, o Território Nacional de Neuquén foi estabelecido e seus limites foram especificados. Depois tornou-se província, em 28 de junho de 1955.

Ainda assim, o brasão nacional foi o usado no território até 19 de setembro de 1958, graças a uma lei que determinava o uso de sua própria heráldica.

Essa heráldica foi o resultado de um concurso no qual participaram 125 pessoas de todo o país e venceram o cartunista e piloto Mario Aldo Mastice.

Sua paixão pela cordilheira e pelo vulcão Lanín o fez integrar esse vulcão como elemento central do escudo.

Significado

A forma do escudo é hexagonal, com lados irregulares, dourados e preenchidos com azul claro, na mesma tonalidade da bandeira nacional da Argentina.

Sobre este fundo azul, você pode ver o vulcão Lanín, que representa a cordilheira dos Andes e, mais especificamente, o vulcão emblemático da província.

Três árvores se destacam da diversidade biológica de Neuquén: o cedro, o lariço e o pehuén. Esta é uma conífera emblemática (pinheiro) da província e, em geral, da região andina da Patagônia.

O pehuén assume o primeiro plano no escudo, posicionado no centro e na imagem do vulcão.

Na base do pehuén e do vulcão, você pode ver um par de mãos abertas, como uma oferta, da qual sai um fluxo de água. Isso se refere aos rios Neuquén e Limay, que correm por toda a entidade.

Em seguida, um diadema de 16 estrelas aparece sobre o vulcão. Essas estrelas estão posicionadas no céu azul e se referem aos 16 departamentos em que a província está dividida.

Finalmente, um sol coroa o escudo na parte superior externa, semelhante ao Sol de Mayo presente na maior parte da iconografia argentina, mas sem incluir as características faciais presentes na bandeira nacional.

Dois ramos de louro também aparecem nos lados esquerdo e direito, na parte externa inferior do hexágono.

Os louros representam tradicionalmente a liberdade, mas nesse design plano e dourado também lembram símbolos de piloto, o que não seria surpreendente no caso de Aldo, que era piloto.

Referências

  1. Governo da província de Neuquén – Símbolos provinciais: w2.neuquen.gov.ar
  2. Site Mario Aldo Mastice: marioaldomastice.wordpress.com
  3. TYH Turismo – História do Brasão da Província de Neuquén: tyhturismo.com
  4. San Martín a Diadio – 59º aniversário do escudo da província de Neuquén: sanmartinadiario.com
  5. Material educacional regional – Brasão e bandeira do provincial de Neuquén: materialdidacticoregional.blogspot.com
  6. All Portal – O significado do escudo de todas as províncias argentinas: taringa.net

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies