Cintura escapular: articulações, músculos

A cintura escapular é uma estrutura anatômica que envolve as articulações e músculos responsáveis pelos movimentos dos membros superiores. Composta pelas articulações do ombro e da escápula, e pelos músculos que as envolvem, a cintura escapular desempenha um papel fundamental na estabilização e mobilidade dos braços. Neste contexto, é importante compreender a anatomia e a função das articulações e músculos da cintura escapular para prevenir lesões e melhorar a eficiência dos movimentos dos membros superiores.

Articulações que compõem a cintura escapular: conheça as principais estruturas articulares do ombro.

A cintura escapular é uma região do corpo humano que engloba diversas articulações e músculos responsáveis pela movimentação do ombro. As principais articulações que compõem a cintura escapular são a articulação glenoumeral, a articulação acromioclavicular e a articulação esternoclavicular.

A articulação glenoumeral é a articulação principal do ombro, formada pela cabeça do úmero e a cavidade glenóide da escápula. É uma articulação esferoide, que permite movimentos amplos e variados, como rotação, abdução, adução e flexão do ombro.

A articulação acromioclavicular é a articulação entre a extremidade lateral da clavícula e o acrômio da escápula. É uma articulação plana e permite movimentos de deslizamento durante a elevação do ombro.

A articulação esternoclavicular é a articulação entre a extremidade medial da clavícula e o esterno. É uma articulação em forma de sela, que permite movimentos de elevação, depressão e rotação da clavícula.

Além das articulações, os músculos da cintura escapular desempenham um papel fundamental na estabilização e movimentação do ombro. Os principais músculos envolvidos são o deltoide, o trapézio, o peitoral maior, o romboides e o serrátil anterior.

Portanto, conhecer as articulações e músculos que compõem a cintura escapular é essencial para compreender a biomecânica e funcionamento do ombro, bem como prevenir lesões e garantir uma boa saúde dessa região do corpo.

Quais são os músculos que movimentam a escápula no corpo humano?

A cintura escapular é composta por várias articulações e músculos que permitem uma ampla gama de movimentos no ombro. Os principais músculos responsáveis por mover a escápula no corpo humano são o trapézio, o serrátil anterior, o rombóide e o levantador da escápula.

O trapézio é um músculo grande e triangular que se estende da base do crânio até a coluna vertebral e da escápula até a clavícula. Ele é responsável por elevar, retrair, depressão e rotação da escápula.

O serrátil anterior é um músculo em forma de serra que se estende da costela até a escápula. Ele é responsável por manter a escápula próxima à caixa torácica e ajudar na rotação superior da escápula.

O rombóide é um músculo em forma de losango que se estende da coluna vertebral até a borda medial da escápula. Ele é responsável por retrair a escápula e girá-la para baixo.

O levantador da escápula é um músculo pequeno que se estende da coluna cervical até a borda superior da escápula. Ele é responsável por elevar a escápula e ajudar na rotação superior da mesma.

Estes músculos trabalham em conjunto para permitir uma variedade de movimentos da escápula, proporcionando estabilidade e mobilidade ao ombro. É importante manter esses músculos fortes e flexíveis para evitar lesões e manter a função adequada da cintura escapular.

Conheça as 4 articulações presentes no ombro humano.

A cintura escapular é uma região do corpo humano que engloba diversas articulações e músculos importantes para a movimentação do ombro. No total, são 4 articulações presentes nessa região que permitem a realização de movimentos complexos e variados.

A primeira articulação é a articulação esternoclavicular, que conecta a clavícula ao esterno e permite movimentos de elevação e depressão do ombro. Em seguida, temos a articulação acromioclavicular, que une a clavícula à escápula e é responsável por movimentos de rotação e deslizamento.

Relacionado:  Músculos romboides menores e maiores: características, funções

A terceira articulação é a articulação escapuloumeral, também conhecida como articulação do ombro, que é formada pela cabeça do úmero e a cavidade glenóide da escápula. Essa articulação é responsável por movimentos de rotação, flexão, extensão e abdução do ombro.

Por fim, temos a articulação escapulotorácica, que não é uma articulação verdadeira, mas sim um movimento que ocorre entre a escápula e a parede torácica durante certos movimentos do ombro. Essa “articulação” contribui para a estabilização e coordenação dos movimentos da cintura escapular.

Além das articulações, os músculos da cintura escapular desempenham um papel fundamental na estabilização e realização dos movimentos do ombro. Músculos como o trapézio, deltoides, serrátil anterior e romboides trabalham em conjunto para garantir a mobilidade e a estabilidade dessa região.

Portanto, conhecer as articulações e os músculos da cintura escapular é essencial para compreender a biomecânica e a funcionalidade do ombro humano, permitindo um melhor entendimento da sua complexidade e importância para a realização de atividades do dia a dia.

Quais os músculos responsáveis pelos movimentos da articulação do ombro?

A articulação do ombro é uma das mais complexas do corpo humano, permitindo uma ampla gama de movimentos. Os músculos responsáveis por esses movimentos estão localizados na cintura escapular, que é composta por diversas articulações e músculos.

Os principais músculos responsáveis pelos movimentos da articulação do ombro são o deltóide, o peitoral maior, o trapézio, o romboides, o serrátil anterior e o subescapular. Cada um desses músculos desempenha um papel específico na estabilização e movimentação do ombro.

O deltóide é o principal músculo responsável pela abdução do ombro, ou seja, afastar o braço do corpo. O peitoral maior é responsável pela flexão e adução do ombro, enquanto o trapézio e o romboides auxiliam na elevação e rotação da escápula. O serrátil anterior é responsável pela rotação da escápula para cima e para frente, enquanto o subescapular é responsável pela rotação interna do ombro.

É importante manter esses músculos fortalecidos e flexíveis para garantir a estabilidade e mobilidade da articulação do ombro. Um desequilíbrio ou fraqueza em qualquer um desses músculos pode levar a lesões e limitações nos movimentos do ombro. Por isso, é essencial incluir exercícios específicos para a cintura escapular em sua rotina de treino.

Cintura escapular: articulações, músculos

A cintura escapular é um conjunto de ossos que conecta o membro superior ao esqueleto axial nos lados esquerdo e direito do corpo e serve como local de fixação para os músculos da parte superior das costas, tórax e pescoço. Estende-se da base do pescoço até a parte inferior do peitoral maior.

A maior variedade de movimentos de todas as articulações do corpo é a cintura escapular, portanto, sua compreensão e saúde são importantes para evitar lesões que ameacem o trabalho diário da pessoa.

Cintura escapular: articulações, músculos 1

Articulações e suas funções

A cintura escapular é composta por três articulações: glenoumeral, acromioclavicular e esternocostoclavicular.

Articulação glenoumeral

É a articulação principal, forma o que as pessoas geralmente consideram como a articulação do ombro. O glenoumeral une o úmero (braço) ao tórax (peito). Ele insere o tendão da porção longa do bíceps e dos ligamentos glenoumerais.

Permite uma ampla gama de movimentos, como flexão, extensão, abdução, adução, rotação e desvio. No entanto, sua mobilidade torna a articulação relativamente instável.

Os músculos do lado lateral do ombro permitem o movimento e a estabilidade da articulação. Esses músculos são resistentes nas partes superior e traseira do braço, mas não na parte inferior. Uma força externa forte nessa área pode causar o que é conhecido como deslocamento.

A articulação glenoumeral é sustentada por sua cápsula fibrosa articulada e pelos seguintes ligamentos: ligamento umeral transverso, ligamento coracoacromial e ligamento glenoumeral.

Relacionado:  Onde está o coração humano?

Articulação acromioclavicular

A articulação acromioclavicular ajuda a unir o braço com o corpo no peito. Está a 2 ou 3 cm da ponta do ombro, formada pela parte lateral do acrômio.

Devido à fraca estabilidade óssea nessa articulação, uma série de ligamentos e outros tecidos moles são responsáveis ​​por estabilizar essa articulação.

Algumas dessas estruturas são o ligamento acromioclavicular, a cápsula fibrosa frouxa da articulação, o ligamento trapezoidal quase horizontal, o ligamento coneide vertical e o ligamento coracoclavicular.

O ligamento acromioclavicular superior é o estabilizador horizontal mais importante. Os ligamentos coracoclaviculares permitem a estabilização da clavícula verticalmente.

Uma quantidade significativa de rotação ocorre na clavícula e cerca de um décimo dela ocorre na articulação acromioclavicular.

Articulação esternocostoclavicular

É a única articulação entre o membro superior e o esqueleto axial, e pode ser facilmente palpada, porque a extremidade esternal da clavícula é superior à alça do esterno.

Funciona como uma “junta esférica”. A articulação esternocostoclavicular é dividida em dois compartimentos por um disco articular.

O disco está firmemente preso aos ligamentos esternoclaviculares anterior e posterior, espessamento da camada fibrosa da cápsula articular e também do ligamento interclavicular.

A articulação esternoclavicular é a principal responsável pela rotação e estabilidade da articulação, proveniente de tecidos moles.

A cápsula da articulação esternoclavicular posterior é a estrutura mais importante para evitar o deslocamento para frente e para trás da clavícula medial.

Músculos e suas funções

Músculo angular da omoplata

Começa na borda vertebral e superior da escápula e sua inserção nas pontas transversais das 4 primeiras vértebras cervicais.

Serve como uma função para estabilizar os movimentos laterais do corpo, bem como elevar a escápula.

Músculo braquial do bíceps

Está localizado próximo ao músculo coracobrachial e consiste em duas cabeças; Cabeça longa e cabeça curta.

Serve como uma função da flexão do cotovelo, ajudando na flexão do ombro e contribuindo para a separação com o ombro em rotação externa. Quando o cotovelo não está totalmente estendido, ele realiza uma forte supinação do antebraço.

Músculo coracobrachial

Esse músculo é treinado para movimentos rápidos e não para força. Pode ser encontrada no vértice coracóide da omoplata e sua implantação na face anterior, terço médio inferior da haste umeral.

Ele cumpre uma função de balanceador e sensor.

Músculo deltóide

É nomeado após sua semelhança com a letra grega “delta”. Está localizado no braço e no ombro superior.

Encontre sua origem em três partes distintas; clavícula, acrômio e processo espinhoso da escápula. Sua inserção está na tuberosidade deltóide na superfície lateral do eixo umeral proximal.

Entre suas funções estão a flexão do ombro, rotação interna e extensão do ombro

Músculo dorsal largo

É um dos músculos mais longos e mais largos da cintura escapular. É um músculo no qual todas as suas fibras estão ascendendo.

Encontre sua origem em uma linha contínua em todos os processos espinhosos, da sétima vértebra dorsal à crista do sacro, nos ligamentos lombares e na área superior da crista do sacro. Sua inserção é encontrada em um pequeno tendão espinhal na área infratroquina e no canal bicipital do úmero.

Ele cumpre uma função de retroversão ou extensão do braço, ao mesmo tempo em que executa funções de aproximação e rotação interna.

Músculo esternocleidomastóideo

É um músculo longo que está localizado no lado do pescoço e se estende do peito até a base do crânio. Encontra sua origem no processo mastóide do osso temporal e sua inserção no manúbrio externo e na parte superior do terço médio da clavícula.

Relacionado:  Partes do útero e suas características

Serve como função a rotação da cabeça para o lado oposto, inclinação lateral e ligeira extensão, flexão cervical e extensão craniana.

Músculo infraespinhal

Pode ser encontrada na fossa infraespinhal da escápula e seu envolvimento no troquiter, atrás do músculo supraespinhal.

Serve como rotador externo, co-adaptador.

Músculo omoide

Começa na base da ponta coracóide e seu envolvimento no corno anterior do osso hióide (base da língua).

Músculo peitoral maior

É um músculo espesso, resistente e amplo, que cobre do ombro ao esterno. Um peitoral desenvolvido é mais evidente nos homens, pois os seios de uma mulher geralmente escondem os músculos peitorais.

Encontra sua origem na cabeça clavicular e no esterno, sua inserção é encontrada na crista subtrociterial de forma cruzada.

Como função, é o músculo mais importante para a adução e anteversão da articulação do ombro.

Músculo peitoral menor

É coberto pelo músculo peitoral maior. Encontre sua origem na ponta coracóide da omoplata e sua inserção nas faces anterolaterais da terceira, quarta e quinta costelas.

Serve como uma função para trazer a escápula para frente e para baixo.

Músculo redondo maior

Encontre sua origem na parte inferior da borda axilar da omoplata e sua inserção na crista subtrocineal, mas menor que o músculo subescapular.

Serve como adutor, rotador interno e extensor.

Músculo redondo menor

Encontre sua origem na borda axilar superior da escápula e seu engate no troquiter, atrás do infraespinal.

Serve como um rotador externo.

Músculo romboide menor e maior

Encontra sua origem em toda a borda vertebral da escápula, exceto em seus dois pontos, e o menor tem sua inserção nos processos espinhosos das duas últimas vértebras cervicais, enquanto o maior nos pontos espinhosos das últimas 4-5 vértebras dorsais .

Ele cumpre a função de adutor e rotador da escápula, bem como a rotação da escápula para baixo e proporciona estabilidade ao complexo do ombro.

Serrate Major Muscle

É um músculo formado por 10 barrigas musculares. Encontre sua origem na mesma borda vertebral da escápula, mas pela face anterior e pela inserção nas faces anterolaterais das 10 primeiras costelas.

Eles cumprem a função de manter um ponto sólido da escápula, separação e rotação da escápula.

Músculo subescapular

Encontre sua origem na face costal, fossa subescapular da escápula e sua inserção na parte anterior e média da troquina.

Serve como rotador interno, co-adaptador

Músculo supraespinhal

Encontra sua origem na fossa supraespinhal da omoplata e sua inserção na parte superior do troquiter.

Serve como um seqüestrador. Inicie o início do rapto, de 0º a 30º.

Músculo trapézio

É um músculo zonal do crânio, ocupa quase todo o centro da coluna vertebral. Encontre sua origem ao longo da crista nucal do osso occipital e dos processos espinhosos das vértebras cervicais e torácicas.

Sua inserção é encontrada através dos tendões da clavícula, acrômio e coluna vertebral da escápula. É responsável por mover, girar e estabilizar a escápula (escápula) e estender a cabeça até o pescoço.

Referências

  1. Cintura de ombro, sf, KenHub: kenhub.com
  2. Ossos e ações da cintura escapular, sf, ux1.eiu.edu
  3. CINDY SCHMIDLER, (2017), Estrutura do ombro, Função e problemas comuns, HeathPages: healthpages.org
  4. Jan Modric, (2015), cinta peitoral (ombro), eHealthStar: ehealthstar.com
  5. Segovia, L. Boetsch, D. Díaz Turk, Maria C. Giordanengo, C. Bertona, C. Bertona, J, sf, Estudo da anatomia da cintura escapular por imagens, Clínica Privada Vélez Sarsfield: congreso.faardit.org. ar
  6. Músculos da cintura escapular, sf, ux1.eiu.edu
  7. Cinturão de Ombro, sf, mccc.edu
  8. Cintura escapular, sf, Musculos.org: musculos.org

Deixe um comentário