Classificação de sistemas de produção: recursos

A classificação de sistemas de produção é uma área de estudo que busca categorizar e entender os diferentes tipos de sistemas de produção existentes nas organizações. Essa classificação leva em consideração diversos recursos utilizados no processo produtivo, como mão de obra, maquinário, matéria-prima, tecnologia, entre outros. A análise desses recursos é fundamental para identificar as características de cada sistema de produção e para auxiliar na tomada de decisões estratégicas das empresas. Neste contexto, a classificação de sistemas de produção com base em recursos torna-se uma ferramenta essencial para o planejamento e gestão eficiente das operações produtivas.

Conheça os diferentes tipos de classificação dos sistemas de produção em 5 categorias principais.

Os sistemas de produção podem ser classificados de diversas formas, levando em consideração diferentes aspectos e recursos envolvidos. Conhecer essas classificações é essencial para entender como as empresas organizam suas atividades produtivas. Neste artigo, vamos abordar a classificação dos sistemas de produção em 5 categorias principais relacionadas aos recursos utilizados.

1. Classificação por Intensidade de Capital:

Uma das formas de classificar os sistemas de produção é pela intensidade de capital envolvido. Sistemas de produção intensivos em capital utilizam principalmente máquinas e equipamentos para realizar as atividades produtivas, enquanto os sistemas intensivos em mão de obra dependem mais do trabalho humano.

2. Classificação por Flexibilidade:

Outra forma de classificar os sistemas de produção é pela sua flexibilidade. Os sistemas de produção flexíveis têm a capacidade de se adaptar facilmente a mudanças na demanda ou nos produtos, enquanto os sistemas de produção rígidos são menos suscetíveis a alterações.

3. Classificação por Volume de Produção:

Os sistemas de produção também podem ser classificados de acordo com o volume de produção. Os sistemas de produção em massa são voltados para a produção em larga escala, enquanto os sistemas de produção sob encomenda são mais personalizados e produzem em menor escala.

4. Classificação por Especialização:

Em relação à especialização, os sistemas de produção podem ser classificados como sistemas de produção por processo, nos quais as atividades são agrupadas de acordo com o tipo de processo realizado, e os sistemas de produção por produto, nos quais as atividades são organizadas de acordo com o tipo de produto fabricado.

5. Classificação por Tecnologia:

Por fim, os sistemas de produção também podem ser classificados de acordo com a tecnologia utilizada. Os sistemas de produção tradicionais empregam tecnologias convencionais e de baixa automação, enquanto os sistemas de produção de alta tecnologia utilizam tecnologias avançadas e automatizadas.

Conhecer essas diferentes classificações dos sistemas de produção é fundamental para entender como as empresas organizam seus recursos e atividades produtivas. Cada tipo de sistema apresenta vantagens e desvantagens, e a escolha do mais adequado depende das necessidades e objetivos da empresa.

Tipos de produção: conheça os 4 principais métodos de fabricação utilizados atualmente.

Existem diversos tipos de produção que podem ser adotados pelas empresas, dependendo de seus objetivos e recursos disponíveis. Conhecer os métodos de fabricação mais utilizados atualmente é essencial para garantir a eficiência e qualidade dos produtos. Neste artigo, vamos apresentar os 4 principais tipos de produção:

1. Produção por projeto:

Neste tipo de produção, os produtos são fabricados de acordo com as especificações do cliente. Cada projeto é único e pode envolver a customização de produtos de acordo com as necessidades do cliente. Este método é comumente utilizado em indústrias como a de construção civil e de engenharia.

2. Produção em massa:

A produção em massa é caracterizada pela fabricação em grande escala de produtos padronizados. Este método permite reduzir os custos de produção e atender a uma demanda elevada. Indústrias como a automobilística e a de eletrodomésticos são exemplos de setores que utilizam a produção em massa.

Relacionado:  Os 30 frutos mais comuns da serra equatoriana

3. Produção em lotes:

A produção em lotes consiste na fabricação de uma quantidade limitada de produtos, geralmente em lotes específicos. Este método é utilizado quando a demanda por um produto é variável ou quando é necessário realizar ajustes no processo de fabricação. Indústrias farmacêuticas e de alimentos costumam adotar a produção em lotes.

4. Produção contínua:

A produção contínua é caracterizada pela fabricação ininterrupta de produtos em larga escala. Este método é utilizado em indústrias que demandam alta produtividade e baixo custo unitário, como a indústria química e de petróleo. A linha de montagem é um exemplo de produção contínua.

Agora que você conhece os 4 principais tipos de produção, é importante avaliar qual deles é mais adequado para o seu negócio, considerando os recursos disponíveis e os objetivos da empresa. Cada método possui suas vantagens e desvantagens, por isso é essencial escolher aquele que melhor se adapta às necessidades da organização.

Elementos fundamentais para o funcionamento do sistema de produção na indústria.

A classificação de sistemas de produção na indústria é essencial para garantir a eficiência e a qualidade dos processos. Existem diversos elementos fundamentais que contribuem para o bom funcionamento desse sistema, sendo os recursos um dos mais importantes.

Os recursos são os meios necessários para realizar as atividades de produção, podendo ser classificados em recursos humanos, materiais e tecnológicos. Os recursos humanos são os colaboradores responsáveis por operar as máquinas, controlar o processo produtivo e tomar decisões estratégicas. Já os recursos materiais incluem matérias-primas, máquinas, equipamentos e instalações físicas. Por fim, os recursos tecnológicos englobam os softwares, hardwares e sistemas de informação utilizados no processo produtivo.

Para que o sistema de produção funcione de forma eficiente, é fundamental que todos esses recursos estejam alinhados e sejam adequadamente gerenciados. A falta de um recurso essencial pode impactar negativamente toda a cadeia produtiva, causando atrasos, desperdícios e prejuízos financeiros.

Portanto, a correta classificação e gestão dos recursos são elementos-chave para o sucesso do sistema de produção na indústria. É importante investir na qualificação dos colaboradores, na manutenção preventiva das máquinas e na atualização constante da tecnologia utilizada, garantindo assim a eficiência e a competitividade da empresa no mercado.

Quais são os processos envolvidos no sistema de produção de bens?

No sistema de produção de bens, diversos processos estão envolvidos para garantir a eficiência e qualidade na fabricação dos produtos. Esses processos podem ser classificados de acordo com os recursos utilizados, sendo eles: materiais, mão de obra, máquinas e métodos.

Os materiais são essenciais para a produção de bens, pois são utilizados na fabricação dos produtos. Eles podem ser matérias-primas, componentes ou insumos necessários para a produção. A gestão adequada dos materiais é fundamental para garantir a disponibilidade necessária no momento certo e evitar desperdícios.

A mão de obra também desempenha um papel crucial no sistema de produção de bens. Os trabalhadores são responsáveis por operar máquinas, montar produtos e realizar outras atividades necessárias para a fabricação dos bens. Uma equipe qualificada e bem treinada é fundamental para garantir a eficiência e qualidade na produção.

As máquinas são outro recurso importante no sistema de produção de bens. Elas são responsáveis por realizar tarefas automatizadas, acelerar o processo de produção e garantir a precisão na fabricação dos produtos. A manutenção adequada das máquinas é essencial para garantir o bom funcionamento e evitar paradas inesperadas na produção.

Por fim, os métodos utilizados no sistema de produção de bens também são essenciais para garantir a eficiência e qualidade na fabricação dos produtos. Os métodos incluem as técnicas de produção, os processos de trabalho e os procedimentos adotados para otimizar a produção. A melhoria contínua dos métodos é fundamental para garantir a competitividade da empresa no mercado.

Relacionado:  10 Culturas do Mundo da História e Atualidades

Em resumo, os processos envolvidos no sistema de produção de bens são essenciais para garantir a eficiência, qualidade e competitividade da empresa. A gestão adequada dos recursos materiais, mão de obra, máquinas e métodos é fundamental para o sucesso da produção de bens.

Classificação de sistemas de produção: recursos

Na classificação dos sistemas de produção, são levados em consideração o tipo de produto e o processo de produção, bem como o volume e a variedade de produtos gerados.

Um sistema de produção é um subsistema de fabricação que inclui todas as funções necessárias para projetar, produzir, distribuir e fornecer um produto fabricado.

Classificação de sistemas de produção: recursos 1

Esses sistemas consistem em três componentes principais: receita, processos de conversão e resultados.

A renda inclui todas as matérias-primas, máquinas, trabalho humano, entre outros elementos desse tipo.

O processo de conversão inclui processos de produção, sejam manuais, mecânicos ou químicos. E o resultado é o produto final; isto é, as peças acabadas ou os serviços.

Basicamente, um sistema de produção é o resultado da combinação de renda com processos de conversão para obter um resultado com base na lógica e funções.

Esses sistemas falham se qualquer acordo feito não conceder o nível de resultado desejado.

Classificação dos sistemas de produção

1- De acordo com o tipo de produto e o processo de produção

Fabricação por processos

Ocorre quando a matéria-prima da qual o produto final é composto não pode ser separada.

Estes produtos são fabricados com fórmulas e receitas. Os processos utilizados são contínuos por natureza ou ocorrem por um período de tempo definido.

Exemplos de fabricação por processo incluem produtos químicos orgânicos e não orgânicos, como tintas e ácidos, produtos alimentícios processados, como sucos, cimento, produtos farmacêuticos, polímeros, entre outros.

Fabricação discreta

É a produção de unidades de produtos distintivos identificáveis. O produto final pode ser produzido a partir de uma única peça ou de várias peças.

Os processos utilizados não são contínuos e cada processo pode ser iniciado ou interrompido individualmente; Permite ter diferentes frequências de produção.

Esses processos permitem que uma área seja suspensa temporariamente sem afetar a unidade inteira.

Carros, equipamentos elétricos e eletrônicos de consumo são exemplos desse tipo de fabricação.

Fabricação por projetos

Este sistema foi projetado para fabricar produtos muito complexos, grandes, caros e altamente personalizados, que exigem muito tempo para serem concluídos. Por esse motivo, a fabricação precisa ser gerenciada como um projeto.

Em muitos casos, os produtos são construídos e instalados no local final devido a restrições de transporte.

Exemplos deste tipo de fabricação incluem edifícios, usinas de energia, fábricas de produtos químicos, aviões, barcos, entre outros.

2- De acordo com o volume e variedade de produtos manufaturados

Produção em massa

Este método é usado para a produção de produtos padronizados em grandes volumes. É caracterizada por ter um grande volume e uma variedade limitada.

As máquinas envolvidas são acomodadas em uma linha; Existe a padronização de produtos ou processos, e todos os produtos finais são feitos igualmente.

Aplica-se a vários tipos de produtos: de fluidos e partículas a granel (alimentos, combustível, produtos químicos) a peças sólidas discretas (equipamentos e ferramentas industriais, eletrodomésticos).

Esse tipo de produção pode ser subdividido em três tipos: manufatura contínua, fluxo de manufatura ou manufatura repetitiva.

A fabricação contínua é usada para fabricar, produzir ou processar materiais sem interrupção. As matérias-primas passam por uma sequência de processos contínuos até que o produto final seja produzido.

Relacionado:  Marie-Antoine Carême: Biografia, Obras e Contribuições

O resultado não são unidades de produto final separadas, mas quantidades a granel de pós, fluidos ou gases.

Uma grande variedade de elementos é produzida usando fabricação contínua. Esse método geralmente opera 24 horas por dia, sete dias por semana, com manutenção anual ou semestral, como em refinarias ou fábricas de produtos químicos.

O processamento de papel, cimento, fertilizantes, fibras sintéticas e gás natural se enquadra nessa categoria.

No caso do fluxo de fabricação, o produto é construído através de vários processos distintos, integrados em uma sequência específica e idealmente equilibrados, para que haja tempo para executar todas as etapas.

Seu principal objetivo é reduzir a perda de tempo entre as etapas de um processo, que ocorre quando ocorre em lotes. Portanto, o tamanho do lote nesta categoria é uma unidade.

Elementos semelhantes são agrupados em famílias de produtos para lidar com a variedade de produtos e, em seguida, uma linha de produção separada é montada para cada família.

Um exemplo disso é a linha de montagem de carros, que divide ainda mais a linha de produção de subconjuntos e componentes.

Por sua vez, a fabricação repetitiva é usada para fabricar produtos cujos processos envolvem uma única operação ou uma sequência de operações em sequência rápida, sem tempo de espera entre as etapas.

Tampas de garrafa de alumínio, pequenas folhas para isqueiros elétricos e moldagem por sopro de garrafas de plástico se enquadram nessa categoria.

Produção em série

Nesse tipo de fabricação, produtos idênticos são processados ​​em grupos ou lotes e não em uma base de fabricação contínua. Os produtos passam de uma etapa para outra em grupos.

Este método é usado quando o volume de demanda do mercado não é suficiente para justificar a fabricação contínua. É caracterizada por um volume moderado e uma alta variedade.

Como o requisito não é produzir uma variedade limitada em grandes volumes, as máquinas usadas são de uso geral e podem ser usadas para processar uma ampla variedade de produtos similares.

A fabricação de pães e biscoitos, refeições pré-embaladas e a produção de roupas são feitas com produção em série.

Custom Made

Esse método envolve a produção de produtos em pequenas quantidades, com base em requisitos não padronizados e em pedidos específicos de clientes.

Tem suas raízes na produção artesanal; Os produtos fabricados para um cliente podem não ter outra renovação de pedido.

Uma manufatura personalizada consiste em máquinas de uso geral acomodadas em diferentes departamentos.

Cada trabalho possui requisitos tecnológicos exclusivos, que são processados ​​em máquinas com uma determinada sequência.

As obras são executadas como um projeto, em vez de um produto padrão com materiais e contas fixos.

Elabore grades para uma casa específica, faça arranjos de flores em um casamento, projete uma campanha publicitária ou construa uma nova fábrica dentro dessa categoria.

Por esse motivo, é caracterizado por um pequeno volume e uma variedade bastante grande.

Referências

  1. Classificação do sistema de produção. Recuperado de mbanetbook.co.in
  2. Sistema de classificação da produção: conceitos, modelos e estratégias (2007). Recuperado de tandfonline.com
  3. O que é sistema de produção? (2012). Recuperado de kalyan-city.blogspot.com
  4. Classificação de sistemas de controle de produção – para iniciantes (2016). Recuperado de linkedin.com
  5. Produção de emprego Recuperado de wikipedia.org
  6. Classificação dos sistemas de produção (2014-2015). Recuperado de uotechnology.edu.iq
  7. O que é sistema de produção? Recuperado do businessdictionary.com

Deixe um comentário