Comércio Interno: Recursos e Revitalização

O comércio interno , doméstico, interno ou nacional, é realizada entre diferentes indivíduos ou entidades comerciais dentro das fronteiras de um país, por isso as suas operações são regidas pelos mesmos padrões de direito e do comércio.

O comércio em geral está relacionado à troca de bens e serviços, de pequena e grande escala. Inclui sistemas econômicos, legais, sociais, políticos, tecnológicos e culturais eficazes em qualquer país ou na arena internacional.

Comércio Interno: Recursos e Revitalização 1

O comércio interno existe graças às diferentes fontes de recursos, especialização e divisão do trabalho. Como uma pessoa geralmente se concentra em um pequeno aspecto da produção, ela precisa comercializar com outras pessoas a aquisição de bens diferentes que produz.

Esse tipo de comércio pode ser atacado e varejo, dependendo do volume de marketing e do público-alvo. Na maioria dos países, o comércio interno ocupa o segundo ou terceiro lugar entre os tipos de indústrias que compõem o produto nacional nacional.

Características do comércio interno

– O comércio interno é regido por um conjunto de normas, princípios e critérios do direito comercial que buscam regular as relações comerciais. Essas regras estão incluídas em um instrumento chamado código comercial, que deve ser respeitado pelos representantes envolvidos nessa atividade; Quem o transgredir poderá receber sanções.

– Como resultado dessa ação comercial, o Estado recebe diferentes impostos para serem utilizados na solução das principais necessidades do país; Entre eles estão educação, saúde e segurança.

– A lei da oferta e demanda é o que estabelecerá o fluxo comercial e sua intensidade no país. O jogo grátis entre os dois estipulará as quantidades de mercadorias a serem produzidas e seus custos.

– O comércio interno ocorre dentro do mesmo país. Difere do externo, pois é o intercâmbio de bens e serviços realizado por duas ou mais nações entre si.

Relacionado:  Organização política dos astecas: figuras de poder

Comércio atacadista e varejista

O comércio interno pode ser dividido em dois grandes grupos: atacado e varejo.

Comércio por grosso

Consiste no atacado de uma grande quantidade de produtos, geralmente para distribuidores, clientes corporativos ou intermediários, que não são os compradores finais. Por esse motivo, é a primeira etapa da atividade comercial.

Varejo

O comércio varejista é baseado em vendas diretas ao consumidor final. Esses comerciantes adquirem os produtos dos atacadistas e os vendem diretamente aos consumidores. Um exemplo desse tipo de comércio pode ser uma loja de frutas.

Comércio formal e informal

O comércio interno não funciona apenas através da atividade realizada pelo comércio formal; ou seja, aqueles que estão devidamente registrados no registro comercial e cumprem as normas vigentes.

Também funciona através do chamado comércio informal, também conhecido como comércio de rua. Eles trabalham sem um registro legal e, portanto, são proibidos.

Como os produtos chegam ao consumidor?

Existem várias modalidades pelas quais os produtos chegam ao consumidor final. Estes são dados de acordo com as diferentes partes do mundo e nos diferentes países que o realizam.

A maneira mais conhecida de comprar e vender mercadorias é através de empresas especializadas em algum item. Especialmente localizado nas grandes cidades do mundo, atualmente está sendo substituído gradualmente pelos supermercados.

No entanto, o modo de marketing mais comum nos países desenvolvidos é representado por shopping centers.

Sua principal característica é ser um local que agrupe várias lojas de diferentes categorias, mais locais de entretenimento e recreação. Essa modalidade está ganhando crescente importância nos países em desenvolvimento.

As modalidades de marketing descritas estão localizadas em áreas urbanas. Nas áreas rurais, a comercialização é geralmente do tipo varejo e com características específicas.

Relacionado:  Oswald Avery: Biografia e experiências

Por exemplo, pode ser a existência de pequenos estabelecimentos, onde produtos básicos, como itens alimentares, podem ser acessados. O consumo restante é obtido em grandes centros urbanos.

O que é a revitalização do comércio interno?

Através da revitalização do comércio interno, busca dar mais força e vitalidade a ele, facilitando e incentivando sua operação por meio de uma boa regulamentação, comprando produtos nacionais no país e até substituindo importações, devido ao grande valor que esse comércio tem para qualquer país.

Claramente, seu principal valor reside no fato de que o comércio interno é o que permite à comunidade sobreviver: por um lado, existem suprimentos e, por outro, existe uma maneira de obter dinheiro para comprá-los.

Importância do comércio interno em um país

– Seu principal valor é que ele fornece a troca de mercadorias dentro do país. Ao fazer isso, também garante que os elementos da produção cheguem aos locais apropriados para o crescimento da economia da nação.

– Melhora a qualidade de vida de seus cidadãos, permitindo que diferentes tipos de mercadorias cheguem a todos os pontos da nação.

– Ajudar o crescimento da indústria, garantindo a disponibilidade de matérias-primas.

– Fornece resultados diretos sobre o desenvolvimento econômico de um país.

– Tem efeitos no desenvolvimento geral da nação. Se o comércio interno for principalmente formal, a arrecadação tributária resultante será maior e permitirá ao Estado compensar os pedidos sociais. Se a renda for distribuída efetivamente e sem corrupção, isso trará maior prosperidade à população.

– A importância desse comércio na reprodução de empregos é indiscutível. É o setor empregador mais importante da população trabalhadora de um país.

– Um comércio interno bem-sucedido serve para avaliar os fornecedores que desejam se abrir para o mercado internacional, o que permite que essas empresas locais projetem internacionalmente.

Relacionado:  Os 5 elementos da gestão de negócios mais destacada

Referências

  1. Mark McCracken (2018). Termos Financeiros Retirado de: teachmefinance.com.
  2. Wikipedia, a enciclopédia livre (2018). Comércio Retirado de: en.wikipedia.org.
  3. Wikipedia, a enciclopédia livre (2018). Comércio interno Retirado de: en.wikipedia.org.
  4. B. Heflebower (2018). Comércio Interno Enciclopédia Internacional de Ciências Sociais. Retirado de: Encyclopedia.com.
  5. Florencia Ucha (2012). Comércio Interno Definição ABC Economy. Retirado de: definicionabc.com.
  6. Claudia Nagel (2018). Conceito de compra e venda de comércio internacional internacional. Retirado de: historiaybiografias.com.
  7. Andrés Sevilla Arias (2018). Comércio Economipedia Retirado de: economipedia.com.

Deixe um comentário