Comunicação oral: características, elementos, tipos, vantagens

A comunicação oral é um tipo de interação na qual uma mensagem entre dois ou mais pessoas usando para isso o código de voz linguagem natural ea transportadora é transmitida. A oralidade envolve a produção e transmissão de mensagens através dos órgãos da fala: lábios, dentes, região alveolar, palato, véu, úvula, glote e língua.

Em geral, o meio físico pelo qual a mensagem é transmitida é tradicionalmente o ar. No entanto, com o avanço da tecnologia , a comunicação oral pode ocorrer por outros meios físicos. Entre outros, esse tipo de comunicação pode ser realizado por telefone, bate-papos interativos e videoconferências.

Comunicação oral: características, elementos, tipos, vantagens 1

A oralidade está entre as formas mais antigas de comunicação humana. Compartilhe esta posição com sons e pintura não-verbais. Antes da chegada da escrita, a comunicação oral era usada para registrar as atividades da vida diária. Isso foi especialmente útil em casos de histórias longas e complexas.

Por outro lado, desde o início dos tempos, essa tem sido a forma predominante de comunicação nas relações entre os seres humanos. Nesse sentido, é realizado em todos os lugares, tanto em conversas informais quanto em discursos formais. Isso oferece a possibilidade de fazer mensagens que transmitem informações.

Além disso, ao longo dos anos, a comunicação oral se mostrou mais eficaz do que a comunicação escrita para transmitir sentimentos, atitudes e reações. Essa forma de comunicação é mais poderosa, pois inclui não apenas as palavras do falante, mas também mudanças de tom, matiz, velocidade e volume da voz.

Caracteristicas

Capacidade natural

Na comunicação oral, a produção de mensagens requer a intervenção dos pulmões e cordas vocais para a emissão de sons.

Da mesma forma, os articuladores (língua, dentes, entre outros), outras cavidades e músculos participam da modulação. Por outro lado, são necessários órgãos auditivos para recepção.

Assim, a possibilidade do ser humano se comunicar oralmente é uma habilidade natural. A menos que haja alguma dificuldade com qualquer um desses órgãos, alguém pode ser potencialmente um remetente ou um destinatário de mensagens por via oral.

Bidirecionalidade

Toda comunicação oral precisa de pelo menos um transmissor (ou codificador) e um receptor (ou decodificador). Geralmente, no processo, ambos os papéis intercalados se revezam para ocupar essas posições. Isso o diferencia de outras formas que são claramente unidirecionais.

Personagem fugaz

Na comunicação oral, tanto o remetente quanto o destinatário precisam ocupar a mesma posição temporária no momento do ato comunicativo.

No passado, eles também precisavam ocupar o mesmo espaço físico. No entanto, os avanços nas comunicações oferecem a possibilidade de entrar em contato com pessoas separadas por milhares de quilômetros.

A natureza fugaz desta comunicação exige que o conteúdo comunicacional seja codificado, decodificado e o feedback produzido dentro de um curto período de tempo. Quanto mais longos esses três processos, maior a possibilidade de comunicação deficiente.

Contexto informal

Devido à natureza fugaz de seu caráter, na maioria dos casos, as conversas não podem ser verificadas desde que não deixem registros.

É por isso que eles estão associados a contextos bastante informais. Portanto, entre outras implicações, a comunicação oral não é usada com muita frequência em circunstâncias formais como nos campos legais.

Erros de desempenho

Por ter caráter informal, é comum a comunicação oral apresentar erros. Entre eles, você pode mencionar os lugares comuns, os muffins e as frases inacabadas.

Da mesma forma, erros de concordância, uso desnecessário de inconsistências aumentativas ou diminutivas e linguísticas são frequentes.

Possibilidade de dúvida e retificação

Graças à sua temporalidade, as comunicações orais permitem uma rápida troca entre o codificador e o decodificador. Da mesma forma, permite retificações rápidas na mensagem e explicações adicionais para garantir o entendimento correto.

Reflexão da diversidade

Não existe uma maneira única de falar, mesmo entre aqueles que lidam com o mesmo idioma. A origem e a cultura das pessoas envolvidas em um diálogo podem ser reveladas no processo.

Dessa forma, a comunicação oral pode refletir a diversidade social, linguística e até geográfica. O uso de expressões idiomáticas, o estilo e os sotaques de ambos os lados da conversa oferecem essa possibilidade.

Corpo e suporte proxêmico

A postura corporal, a proximidade entre os interlocutores, os gestos e até a maneira de olhar podem, sob certas condições, acompanhar a transmissão oral de uma mensagem.

Esse suporte pode facilitar sua compreensão. Mesmo, às vezes, pode demonstrar as verdadeiras intenções do emissor.

Elementos da comunicação oral

Emissor

O emissor é a parte responsável por gerar a mensagem ou evento comunicativo durante o processo de comunicação oral. Isso, também conhecido como remetente ou codificador, concebe a mensagem com o objetivo de informar, influenciar, persuadir, mudar atitudes, comportamentos ou opiniões dos destinatários do texto.

Assim, de dentro, selecione as idéias, codifique-as e finalmente as transmita. O maior peso do sucesso da comunicação recai sobre ele. Se o remetente conseguir que a mensagem possa ser formulada de acordo com as expectativas do destinatário, o nível de aceitação será maior.

Receiver

Na comunicação oral, o destinatário é a quem a mensagem é endereçada. Também é chamado de decodificador ou ouvinte. É ele quem o recebe, entende, interpreta e tenta perceber seu significado da maneira como foi transmitido pelo remetente. Geralmente, o processo é realizado em um ambiente comum e nos mesmos termos para ambos.

Mensagem

A mensagem é a informação que circula entre o remetente e o destinatário. Esta mensagem, como qualquer elemento de comunicação, é organizada, estruturada e modelada de acordo com as intenções do emissor. Também é seletivo e adaptado às necessidades de comunicação do remetente e do destinatário.

Por outro lado, dependendo da formulação dessa idéia, o destinatário pode ou não estar interessado na mensagem. Assim, o interesse pela mensagem surge quando ela atende aos requisitos do ouvinte. Se ele encontra seus ideais codificados na mensagem, ele ouve e responde, dando-lhe o máximo impacto.

Canal

O canal, ou meio, é outro elemento importante da comunicação oral. Essa é a estrutura na qual a mensagem se baseia. Originalmente, o canal usado era apenas a palavra falada e o ar que vibrava para fazer os sons viajarem.

Com o avanço das comunicações, o canal passou por atualizações. Atualmente, outros meios, como telefones, aplicativos de internet e vídeo e áudio, também são usados ​​para estabelecer a conexão entre o codificador e o decodificador. A composição da mensagem dependerá do tipo de mídia a ser usado.

Código

O código refere-se ao tipo de código de idioma (idioma) usado pelo emissor. Este código deve ser comum para o remetente e o destinatário. Caso contrário, o processo comunicativo é interrompido, pois a mensagem não chega ao seu destino.

Comentários

Feedback é o loop que conecta o receptor ao remetente no processo de comunicação. Com isso, o remetente descobre se sua mensagem foi recebida e garante que o destinatário a entenda como concebida.

Este é um dos componentes mais importantes da comunicação. A comunicação oral eficaz ocorre somente quando há feedback positivo. Erros e falhas que podem aparecer em situações de comunicação podem ser alterados se houver retorno.

Codificação

A codificação consiste no processo de mudança que o remetente faz para passar o conteúdo a ser transmitido de sua forma mental para um padrão compreensível pelo receptor.

Em geral, isso é feito usando palavras, símbolos, imagens e sons. No entanto, no caso da comunicação oral, a palavra falada é usada.

Decodificação

No processo de comunicação oral, a decodificação consiste em traduzir os símbolos recebidos na comunicação em sua interpretação comum. Isso é feito do ponto de vista do receptor. A operação também leva em consideração o tom e a atitude do remetente.

Situação

A situação em que o conteúdo comunicacional é transmitido corresponde ao contexto em que a comunicação ocorre. Esse elemento influencia a maneira como a mensagem é recebida, pois ajuda a configurar seu significado.

Tipos

Comunicação oral espontânea

A comunicação oral espontânea é informal. Por excelência, a expressão representativa desse tipo de comunicação é a conversa.

Esta é uma ferramenta para a troca de informações sobre situações cotidianas na vida real. É pessoal e, através dele, situações, sentimentos e pontos de vista são compartilhados.

As conversas são iniciadas sem a existência de um plano rígido previamente estabelecido para guiá-lo. Apenas um pouco de consistência é necessária nos conteúdos compartilhados e um contexto favorável para sua compreensão. Não sendo planejado, pode estar cheio de situações emocionais e impensadas e, às vezes, parecer confuso.

Comunicação oral planejada

A comunicação oral planejada é aquela que responde a um planejamento previamente delineado. Esse planejamento inclui tópicos ou estrutura pré-projetada, diretrizes e qualquer recurso que ajude a manter a comunicação dentro de certos níveis.

Nesse tipo de comunicação, você pode encontrar, por um lado, os planos unidirecionais que são aqueles que possuem apenas uma emissora dirigida a uma audiência. Dentro desta aula, existem palestras, discursos e masterclasses, entre outros.

Por outro lado, existem comunicações orais planejadas multidirecionais. Eles têm um grupo de interlocutores dirigindo-se a uma audiência.

Esse tipo de comunicação é visto nos debates em que várias emissoras oferecem suas opiniões e pontos de vista em relação a um tópico previamente definido.

Vantagens

  1. A comunicação oral é interpessoal. Por esse motivo, tanto o nível de entendimento quanto a transparência são altos.
  2. É caracterizada por ter um feedback rápido e espontâneo. Conseqüentemente, decisões rápidas podem ser tomadas.
  3. Não há rigidez. Isso permite maior flexibilidade na tomada de decisão. Essas decisões podem mudar durante o intercâmbio de informações.
  4. A comunicação oral é eficaz na resolução de problemas repentinos. Sua simplicidade, velocidade e manobrabilidade permitem avaliar as abordagens e implementar essas soluções rapidamente.
  5. O uso da comunicação oral economiza tempo, dinheiro e esforços. Portanto, é o tipo de comunicação usada preferencialmente.
  6. Esse tipo de comunicação gera bem-estar e prazer. E incentiva o trabalho em equipe e a troca de informações. Também aumenta a energia do grupo nas equipes de trabalho.

Desvantagens

  1. O conteúdo da comunicação oral é instável. Esses tipos de comunicação são difíceis de manter ao longo do tempo devido à sua transitoriedade. O conteúdo é válido apenas durante a interação remetente-receptor. No final, o conteúdo não é mais válido.
  2. Eles não são recomendados em questões comerciais e jurídicas. Nesses casos, a mensagem precisa permanecer válida no tempo, uma condição que não garante a comunicação oral.
  3. Mal-entendidos podem ocorrer durante a comunicação oral. Isso ocorre porque é menos detalhado que outros tipos de comunicação.

Exemplos

Exemplos de comunicação oral espontânea ou informal incluem conversas presenciais e telefônicas. Graças aos avanços tecnológicos dos últimos anos, esse tipo de interação foi possível através de redes sociais e aplicativos de áudio e vídeo.

Quanto ao lado formal ou planejado, podem ser mencionadas as apresentações realizadas durante as reuniões de negócios e conferências nas salas de aula. Da mesma forma, os discursos ou palestras proferidos por ocasião de eventos de graduação ou eventos de alta importância entram nessa classificação.

Referências

  1. História da África do Sul (s / f). As formas mais antigas de comunicação humana. Retirado de sahistory.org.za.
  2. Swarthout, D. (s / f). Comunicação Oral: Definição, Tipos e Vantagens. Retirado de study.com.
  3. Aprendizado triplo A. (s / f). Comunicação verbal / oral. Retirado de textbook.stpauls.br.
  4. Flormata-Ballesteros, TM (2003). Fala e comunicação oral. Cidade de Quezon: Katha Publishing.
  5. Revista Ministros. (s / f). Comunicação oral: O que é, Significado e Conceito. Retirado de ministros.org.
  6. Molisch, AF (2012). Comunicações sem fio Sussex Ocidental: John Wiley & Sons.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies