Criacionismo: o que é e por que causa controvérsia

O criacionismo é uma crença religiosa que defende a ideia de que o universo, a Terra e toda a vida foram criados por um ser divino, geralmente associado ao Deus descrito na Bíblia. Esta visão contrasta com a teoria científica da evolução, que explica a origem das espécies através de processos naturais ao longo de milhões de anos. A controvérsia em torno do criacionismo surge principalmente no contexto do ensino de ciências nas escolas, onde defensores do criacionismo argumentam pela sua inclusão ao lado da teoria da evolução, enquanto cientistas e educadores defendem a separação entre ciência e religião no currículo escolar. A discussão sobre o criacionismo levanta questões importantes sobre a liberdade religiosa, a laicidade do Estado e a importância do ensino de ciências baseado em evidências empíricas.

Entendendo o conceito de criacionismo no Brainly: uma explicação simples e clara.

O criacionismo é uma crença que defende a ideia de que o universo e a vida foram criados por um ser divino, geralmente associado a Deus. De acordo com essa perspectiva, todas as formas de vida na Terra foram criadas por um ato sobrenatural, conforme descrito em textos religiosos como a Bíblia.

Essa visão contrasta com a teoria da evolução, proposta por Charles Darwin, que sugere que as espécies evoluíram ao longo do tempo por meio de um processo natural de seleção natural. O criacionismo, por sua vez, defende a ideia de que todas as espécies foram criadas individualmente e de forma instantânea.

Essa controvérsia entre criacionismo e evolução tem sido tema de debates e discussões ao longo dos anos, principalmente no campo da educação. Enquanto alguns defendem o ensino do criacionismo nas escolas como uma explicação válida para a origem da vida, outros argumentam que a teoria da evolução é baseada em evidências científicas sólidas e deve ser ensinada de forma exclusiva.

Entenda o conceito de criacionismo sendo ensinado nas escolas atualmente.

O criacionismo é a crença de que todas as formas de vida na Terra foram criadas por um ser divino, geralmente de acordo com um relato religioso, como a Bíblia. Esta teoria contrasta com a teoria da evolução, que propõe que as espécies evoluíram ao longo do tempo através do processo de seleção natural.

Relacionado:  Qual é a filosofia da mente? Definição, histórico e aplicações

Atualmente, há um debate em andamento sobre se o criacionismo deve ser ensinado nas escolas ao lado da teoria da evolução. Alguns defendem que o criacionismo é uma explicação válida para a origem da vida e que os alunos devem ser expostos a diferentes pontos de vista. No entanto, outros argumentam que o criacionismo não é científico e, portanto, não deve ser ensinado em salas de aula de ciências.

Essa controvérsia tem levado a várias disputas legais em diferentes países, com muitas escolas sendo proibidas de ensinar o criacionismo como uma alternativa à teoria da evolução. No entanto, em algumas regiões, especialmente em áreas com forte influência religiosa, o criacionismo ainda é incorporado ao currículo escolar.

É importante notar que o ensino do criacionismo nas escolas pode ter um impacto significativo na compreensão dos alunos sobre a ciência e a religião. Portanto, é essencial que os educadores abordem esse tema com sensibilidade e forneçam aos alunos as ferramentas necessárias para avaliar criticamente as informações que recebem.

Criacionismo: o que é e por que causa controvérsia

Criacionismo: o que é e por que causa controvérsia 1

Desde os primórdios da humanidade, os seres humanos tentam explicar sua presença no mundo. De onde viemos, para onde estamos indo, como nos tornamos o que somos ou para que existimos são algumas das perguntas que ainda hoje ainda são objeto de controvérsia e questionamento. Religião, assinatura e ciência tentaram formular as respostas, às vezes surgindo conflitos entre as abordagens uma da outra.

Dentro das tentativas de explicar a realidade do ponto de vista religioso, podemos encontrar o criacionismo como um dos mais conhecidos e atualmente controversos por causa de sua total rejeição da teoria da evolução.

Criacionismo: o que é isso?

O criacionismo é conhecido como um conjunto de diferentes crenças baseadas na doutrina religiosa , cuja principal característica é a consideração de que tudo o que existe no universo tem sido obra divina.

Embora, em princípio, seja criacionista toda essa interpretação da realidade que tenha essa base, independentemente da própria religião, é geralmente conhecido como criacionismo para essa tendência ou corrente de pensamento baseada no catolicismo e na Bíblia .

Sua oposição à evolução biológica

O criacionismo mais clássico também se caracteriza por manter uma interpretação literal da Bíblia e do Gênesis, negando a teoria da evolução . Considere que os seres que existem hoje são aqueles que existem desde o início dos tempos, não aceitando que tenham uma origem evolutiva e descartando evidências existentes ou reinterpretando-os (por exemplo, fósseis podem ser uma prova da existência do dilúvio) universal).

Relacionado:  Bule de Russell: como pensamos sobre a existência de Deus?

Para aqueles que sustentam essa teoria literalmente, a Terra não teria mais de dez mil anos. Embora a quantidade de evidências que contradizem essa idéia seja esmagadora e pertença a diferentes campos científicos (da geologia à biologia), dentre os que defendem essa visão da realidade, destacam-se homens e mulheres com formação universitária e científica, não sendo seus seguidores necessariamente membros do clero ou com pouco nível educacional.

Os principais princípios dessa versão do criacionismo são a criação repentina de todo o universo e tudo o que existe do nada, a consideração de que a evolução não existe e, embora possa haver mudanças nos organismos, apenas ocorrem dentro de limites e sem variar muito os animais e plantas, que existem desde o início da criação.

Ele também considera que os seres vivos que existem hoje são aqueles que sempre existiram, e a orografia da Terra é explicada pela presença de catástrofes como o dilúvio universal.

  • Você pode estar interessado: ” A teoria da evolução biológica “

Design inteligente

Os princípios da teoria criacionista não são muito evidentes e sustentáveis ​​no nível científico, razão pela qual, em princípio, eles deveriam ter pouca aceitação no mundo acadêmico. No entanto, surgiu uma teoria baseada no criacionismo que procurou defender a postura criacionista com uma linguagem semelhante à do cientista , propondo como hipótese: a teoria do design inteligente.

Nesse caso, propõe-se que o modelo de seleção natural e evolução não explique suficientemente o desenvolvimento e a origem dos seres vivos de alguns organismos. Ele também propõe que a grande biodiversidade, o funcionamento do universo e as leis naturais mostram a existência de um criador que os projetou com um propósito. Acredita que o acaso não pode explicar a existência da realidade e que ela existe implica um plano elaborado e elaborado por algo ou alguém. No entanto, essa teoria não é falsificável, portanto não pode ser comprovada e, portanto, não pode ser científica.

Relacionado:  As 20 principais tribos urbanas (características e estética)

Nem todo criacionismo é contrário à teoria da evolução

Embora a verdade seja que talvez o tipo mais conhecido de criacionismo seja o criacionismo anti-evolucionista, precisamente por causa da controvérsia que ele levantou ao negar a teoria da evolução, a verdade é que nem todo criacionismo é contrário a ela.

De fato, existe um criacionismo pró-evolução que, embora considere que o universo tem sua origem em um criador , aceita a existência da evolução e as teorias científicas que o cercam, sem negar seu valor. Isso mostra que a doutrina religiosa não precisa ser combatida ou confrontada com a ciência, mas pode ser complementar.

Uma visão ampliada na América

Provavelmente muitos dos que leem estas linhas já ouviram em alguma ocasião a existência de um poderoso conflito entre a teoria da evolução e o criacionismo na América (embora, do ponto de vista científico, não haja debate). E é que, nos Estados Unidos, a teoria criacionista tem grande poder e expansão , anos atrás, para ser ensinada nas escolas de tal maneira que a teoria da evolução foi negada e não ensinada, sob o nome de teoria do design inteligente.

Durante 2004, no entanto, o ensino na escola pública da teoria do design inteligente foi declarado inconstitucional e proibido, mas isso não impediu que essa doutrina continuasse a exercer grande influência no nível acadêmico. Com base nessa proibição, foi gerada a idéia de uma análise crítica da evolução, que hoje ainda exerce uma influência notável e alcançou até a defesa de leis favoráveis . A partir dessa modalidade em que não é apresentada diretamente, a influência exercida pelo criacionismo anti-evolucionário tem um efeito que gera dúvidas sobre a evolução e outros tópicos, como aborto ou clonagem.

O conflito entre a perspectiva evolucionista e criacionista tem sido uma questão que pode ter efeitos consideráveis ​​na sociedade. No entanto, por outro lado, permite um debate que possa fazer com que ambas as posições sejam faladas e discutidas, revelando os defeitos e as fraquezas que ambas podem ter.

Referências bibliográficas:

  • Collado, S. (2009). Visão geral do debate criacionismo-evolucionismo nos últimos cem anos nos EUA. Anuário da História da Igreja XVIII, 41-53.

Deixe um comentário