Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica

A cultura Chorrera era uma civilização pré-hispânica do Equador que existia entre os anos 1200 e 500 antes de Cristo. Sua arte cerâmica é muito rica e vasta, considerando-se um estilo e um modelo únicos.

Segundo Quinatoa (2013), «as sociedades chorrerianas se espalham por toda a região costeira, tanto na costa do oceano quanto na cordilheira costeira e nos pequenos vales. Sua cerâmica é encontrada mesmo nos vales da serra equatoriana, motivo pelo qual tem sido considerada a cultura que se espalhou por todo o território equatoriano ».

Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica 1

Escultura de Chorrera. 1200–300 antes de Cristo.

Pode-se deduzir que as sociedades dessa cultura, devido à extensão geográfica em que estavam, geraram influência em vastas regiões do Equador e, graças à arqueologia, foram encontrados trabalhos em cerâmica com as características de cada área.

Infelizmente, pouco se sabe sobre a chamada cultura Chorrera (1.300 aC – 550 aC, Late Formative), um local localizado próximo ao rio Babahoyo, na província de Guayas. Entre suas técnicas decorativas, a pintura iridescente e a decoração negativa são impressionantes (Borchart, 1997).

Localização

A cultura Chorrera estava localizada na costa equatoriana. Estudos indicam que essa população se estabeleceu na altura do rio Guayas, localizado em frente à cidade de Guayaquil, e que representa um afluente de muita influência para a população do Equador.

Na época da cultura Chorrera, também era um local privilegiado, pois outros rios menores corriam para o rio Guayas. Esse contexto gerou um ambiente próspero, o que lhes permitiu obter provisões e, além disso, facilitar a circulação pela região.

As atuais províncias de Manabí, Guayas, Esmeraldas, Santo Domingo dos Colorados, Los Ríos e o vale do rio Jubones compreendem o território anteriormente ocupado pelos expoentes da cultura Chorrera.

Até mesmo estudiosos dessa cultura milenar indicam que sua localização não estava limitada à costa do Equador, mas foram encontradas evidências da existência da cultura Chorrera em algumas áreas do planalto equatoriano.

Algumas das áreas das montanhas ocupadas por essa cultura são as atuais Pichincha, Cañar, Chimborazo, Azuay e algumas áreas próximas a Quito, capital do Equador. A grande extensão de território ocupado pela cultura Chorrera é uma evidência da amplitude e alcance que alcançou no momento de seu pico.

Características gerais

Aninhamento

Achados arqueológicos mostraram que a cultura Chorrera tinha uma hierarquia bastante rígida. Sabe-se que havia padres ou curandeiros, que historicamente sempre fizeram parte das castas mais altas das sociedades que compõem.

Além disso, estima-se que algumas peças de cerâmica que refletem figuras humanas com brincos grandes nos ouvidos façam referência aos representantes desses estratos mais altos no campo social.

Religião

Embora não existam muitos dados sobre essa área da cultura Chorrera, foi claramente evidenciado que havia curandeiros ou padres que praticavam práticas de cura baseadas no consumo de ervas medicinais.

Acredita-se que os rituais eram comuns; no entanto, até o momento, nenhum vestígio de templos ou estruturas relacionadas foi encontrado.

Há também evidências de que esses curandeiros costumavam usar plantas alucinógenas, sob o efeito de que deveriam se comunicar com outros mundos.

Cerâmica

A cultura Chorrera tem sido caracterizada pela produção de diferentes peças artísticas, mas o elemento mais característico disso é, sem dúvida, a cerâmica.

Relacionado:  A comida típica de Tamaulipas: pratos em destaque

A cerâmica produzida pelos membros da cultura Chorrera é caracterizada por uma superfície extremamente lisa, muito bem polida e com um excelente acabamento. As cores características de suas peças eram preto, vermelho e branco com tons de amarelo.

Os estudiosos dizem que a cultura Chorrera tinha um alto nível estético e uma técnica bastante avançada, de modo que as peças artísticas que produziam tiveram uma influência marcante nas regiões circundantes e até nas gerações posteriores.

Através da cerâmica, refletiam os aspectos cotidianos de sua existência, como a fauna que os cercava e as culturas em que trabalhavam.

Além desses elementos inanimados, a cultura Chorrera também refletia em suas peças de cerâmica os caracteres típicos e emblemáticos de seu cotidiano; assim, é possível encontrar representações de músicos, padres, dançarinos e até acrobatas.

Especialização ocupacional marcada

A partir de evidências arqueológicas, sabe-se que os membros da cultura Chorrera foram caracterizados por serem claramente especializados de acordo com as atividades que cada um realizava.

Em seguida, verificou-se que na comunidade havia pescadores, caçadores, artistas, curandeiros, agricultores etc., e cada membro se tornou um especialista em sua área.

Apenas observar a limpeza das peças artísticas implica que aqueles que as criaram tinham um amplo conhecimento das técnicas aplicadas; O mesmo aconteceu nas demais áreas desenvolvidas por essa cultura.

Esta especialização explica como a cultura Chorrera obteve um desenvolvimento tão rápido e profundo em diferentes áreas: social, econômica e artística.

Carcaça oval

Uma característica da cultura Chorrera é que as casas onde seus membros moravam tinham a peculiaridade de seus tetos serem bastante altos, de modo que a estrutura em si era de forma oval.

Além disso, a base sobre a qual a casa foi construída era um monte de terra feito por eles mesmos, artificialmente, chamado tola.

Ambiente tropical

A costa equatoriana, cenário em que predominou a cultura Chorrera, caracteriza-se por possuir um ambiente tropical úmido que se mostrou bastante benéfico para o desenvolvimento dessa cultura.

Graças a esse ambiente, foi possível aos membros da cultura Chorrera desenvolver especialmente a agricultura e a pesca, duas das atividades econômicas mais importantes para eles.

Economia

Produção agrícola

A principal atividade econômica da cultura Chorrera foi a agricultura. Sabe-se que nesta cultura o milho foi cultivado em abundância.

Graças às peças artísticas encontradas, pode-se deduzir que os membros dessa cultura também colheram abóboras ou abóboras, bem como abacaxis e a planta de guaba, cujas folhas eram usadas para fins medicinais e as raízes estavam disponíveis para consumo como parte de sua dieta

Exploração marinha

Por estar tão perto do mar, na costa equatoriana, a cultura Chorrera caracterizou-se por incluir a fauna marinha em sua dieta.

Eles se caracterizavam praticando a coleta de frutos do mar, e as evidências arqueológicas foram capazes de deduzir que eles usavam até navios, redes, canoas feitas com madeira e ganchos para a pesca. Isso implica que eles alcançaram uma especialização não insignificante no campo da pesca.

Caça

A produção artística e outros achados arqueológicos também nos permitiram afirmar que a cultura Chorrera praticava a caça de diferentes tipos de animais terrestres. Em muitas peças de cerâmica estão representadas cobras, macacos e tamanduás, entre outros animais.

Relacionado:  Cultura da Bahia: características, artesanato e navegação

A noção clara da anatomia desses seres implica que havia abordagens para essas represas e que elas acabavam fazendo parte da dieta dos membros da cultura Chorrera.

Cerâmica na cultura Chorrera

As informações da cultura Chorrera são escassas no nível dos documentos históricos, apenas são conhecidas obras de cerâmica, nas quais foram utilizadas técnicas de cozimento e cores opacas.

As garrafas de apito com temas de animais eram uma questão importante na cultura, com um pescoço alongado e alças nas extremidades.Na imagem a seguir, você pode ver a garrafa de apito, com uma base redonda e um pescoço comprido. A cerâmica foi usada em eventos cerimoniais e tinha uma tinta quase transparente (iridescente) em sua superfície.

Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica 2

«Para acabar com a região da Costa, temos a cultura Chorrera que foi desenvolvida no que hoje inclui a província de Esmeralda, Manabí e Guayas, conseguindo transportar não apenas por terra; também o fizeram por via marítima, tomando o exemplo da cultura Machalilla, que desenvolveu os meios de comunicação pelas águas »( Iza , 2014).

Você pode ver como civilizações pré-hispânicas, como La Chorrera, tiveram meios terrestres e marítimos para trocar com outras culturas nas maiores províncias da costa do Pacífico do Equador.

Garrafas de sibalto

«Na região da Costa encontramos um grande representante da cerâmica, como a cultura Chorrera, revolucionando com a magnífica diversidade de garrafas de apito, com cores vermelhas, preto defumado e branco amarelado com superfícies altamente polidas, usadas para eventos funerários» (Iza , 2014).

A originalidade é vista na maneira como os artistas da cultura chorrera projetaram os instrumentos de comunicação como os assobios. Na imagem a seguir, você pode ver um apito típico, que tem uma fonte através da qual o som passa para as 2 extensões:

Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica 3

A combinação de figuras geométricas no design das garrafas de apito com objetos e seres vivos pode apresentar o grau de desenvolvimento experimentado nas áreas em que essa cultura estava presente e em suas áreas de influência. Eles foram usados ​​para armazenar e / ou reproduzir o som.

As garrafas de apito também foram usadas como instrumentos musicais e ferramentas de caça às presas. A imagem a seguir mostra a garrafa de apito em forma de pelicano:

Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica 4

Para a replicação da pintura da cultura Chorrera, o processo de cozimento foi imitado por meio do qual a cerâmica é aquecida lentamente, a tinta de óxido de ferro (hematita) é colocada e, posteriormente, o recipiente é colocado em uma panela grande coberto. Existem apitos de garrafas, pratos, vasos, medalhões e outros objetos de cerâmica.

A cultura Chorrera é o ponto de partida de outras culturas que se desenvolveram a partir de sua influência no design e elaboração de trabalhos em cerâmica, no uso de cores e no uso de materiais como água, terra, ar e fogo

Tópicos frequentes

Na cultura Chorrera, há aspectos a serem considerados, como as formas simétricas de suas obras, os materiais utilizados em sua elaboração e a cor usada na decoração.

A figura humana, a vida selvagem e a natureza foram os temas sobre os quais se basearam as formas, o barro e as cores escolhidas.

Relacionado:  As 3 cores que começam com a letra E

A cor foi usada de acordo com o tipo de argila e a gama de cores com as quais as figuras foram moldadas. Não se sabe quando esse período começou e terminou, mas essa técnica foi aprimorada até que um resultado significativo de polimento foi obtido.

Os oleiros representam personagens arquetípicos da natureza que incorporam as forças reguladoras cósmicas do mundo. As figuras assumem um realismo delicado que pode ser igualmente estilizado em abstrações lineares de significados mitológicos (Guamán, 2015).

A mitologia deu-lhe inspiração no aperfeiçoamento da técnica de fazer cerâmica. A evidência do politeísmo é vista na representação da natureza, pela crença em seres divinos capazes de lidar com as atividades cotidianas.

Figuras em destaque

Há pouca referência à figura feminina e a figura masculina em pé e solene é enfatizada, no topo ela parece ter um capacete, como mostra a imagem a seguir:

Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica 5

Os recipientes de cerâmica, seguindo a simetria do projeto, serviram para preparar os vegetais utilizados na culinária, remédios e cerimônias religiosas, conforme detalhado na ilustração a seguir:

Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica 6

Na imagem a seguir, há uma figura chamada matrona, que pode ser entendida como a representação de um ser humano ou animal. Você pode apreciar a tranquilidade pela expressão dos olhos fechados e pela maneira como está sentado. A cor bege simboliza a terra.

Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica 7

A garrafa de apito da alça da ponte faz alusão aos pássaros no ninho. Possui 2 cavidades conectadas por uma ponte e possui orifícios para serem usados ​​como recipiente de líquido e apito.

Se o recipiente não tiver líquido, o som é diferente e é projetado mais. Serviu como um instrumento musical, que deveria gerar músicas para vários momentos. Sua cor é avermelhada com toques de cor marrom. A imagem a seguir mostra o frasco mencionado:

Cultura Chorrera: Características, Economia e Cerâmica 8

É um tipo de cerâmica que, ao contrário dos locais de Valdivia , parece ter perdido sua funcionalidade como talismã sexual. A cerâmica Chorrera se torna um marco na arte equatoriana e a primeira grande manifestação dos poderes artísticos do homem equatoriano »(Guamán, 2015).

Agricultura

Na agricultura, há a presença do cultivo de milho, além de suas representações na cerâmica, pode-se identificar a coleta de frutas como abacaxi, abóbora, guaba, entre outras (Zhañay, 2013).

Referências

  1. Aguirre, M. (2012). História da música do Equador. Recuperado de: ftp.puce.edu.ec.
  2. Borchart, C. (1997). UNM Lobovault: Indiana Chronicle of Ancient Ecuador. Recuperado de: repository.unm.edu.
  3. Guamán, O. (2015). Repositório Digital UTMACH: Origens e História da Arte Pré-Colombiana no Equador. Recuperado de: repository.utmachala.edu.ec.
  4. Iza, M. (2014). Repositório Digital da Universidade Central do Equador: A Memória Perdida de Yasuni. Recuperado de: dspace.uce.edu.ec.
  5. Klump, K. (2013). Universidade San Francisco de Quito: replicação da pintura iridescente Chorrera. Recuperado de: usfq.edu.ec.
  6. Polanco, M. (2013). Projeto Achalai. Quito, Ibarra.
  7. Quinatoa, E. (2013). Universidade Tecnológica Equinocial: Culturas Ancestrais Equatorianas. Recuperado de: app.ute.edu.ec.
  8. Seleção Artífices del Barro, Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana. Recuperado de: precolombino.cl.
  9. Zhañay, M. (2013). Repositório Institucional da Universidade de Cuenca: Projeto de medalhões com características pré-colombianas da cultura Chorrera. Recuperado de: dspace.ucuenca.edu.ec.

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies