Dermatoma: o que é, tipos e significado clínico

Os dermatomas são áreas específicas da pele que são inervadas por um único nervo espinhal. Cada nervo espinhal é responsável por inervar uma determinada região da pele, músculos e articulações do corpo. Os dermatomas são importantes na prática clínica, pois ajudam os profissionais de saúde a localizar possíveis lesões nervosas e determinar a origem de dores ou sensações anormais em pacientes. Existem diferentes tipos de dermatomas ao longo da coluna vertebral, cada um com sua própria distribuição e função no corpo. Compreender os dermatomas é essencial para o diagnóstico e tratamento de condições neurológicas e musculoesqueléticas.

Entendendo o conceito de Dermatoma: o que é e sua importância na medicina.

O termo Dermatoma refere-se a uma área específica da pele que é inervada por um único nervo espinhal. Cada nervo espinhal é responsável por fornecer sensação a uma região específica do corpo, e os dermatomas são essenciais para entender a distribuição das sensações e possíveis problemas neurológicos que afetam uma determinada área.

Os dermatomas são classificados de acordo com a região do corpo que eles inervam. Existem dermatomas cervicais, torácicos, lombares e sacrais, cada um responsável por uma região específica do corpo. Por exemplo, o dermatoma cervical está relacionado à sensibilidade da pele do pescoço e parte superior dos ombros, enquanto o dermatoma lombar está associado à sensibilidade da parte inferior das costas e parte superior das pernas.

A importância dos dermatomas na medicina é fundamental para o diagnóstico de condições neurológicas, como hérnias de disco, lesões na medula espinhal e neuropatias periféricas. Ao avaliar a sensibilidade de um paciente em determinadas áreas da pele, os médicos podem identificar possíveis problemas no sistema nervoso e direcionar o tratamento adequado.

Portanto, é importante reconhecer a importância dos dermatomas na prática clínica e sua relevância para a medicina moderna.

Significado e função do Dermatome: conheça mais sobre essa estrutura corporal importante para a saúde.

Dermatoma: o que é, tipos e significado clínico

O dermatoma é uma estrutura corporal importante para a saúde que desempenha um papel crucial no sistema nervoso. Ele é responsável por fornecer inervação sensorial para diferentes regiões da pele, permitindo a percepção de estímulos externos como calor, frio, pressão e dor.

Cada dermatoma está associado a um segmento específico da medula espinhal, o que significa que lesões ou disfunções nessa região podem afetar a sensibilidade da pele em áreas específicas do corpo. Por isso, os dermatomas são frequentemente utilizados na prática clínica para diagnosticar condições neurológicas, como compressão de nervos, hérnias de disco e neuropatias.

Existem diferentes tipos de dermatomas, cada um correspondendo a uma região anatômica específica. Por exemplo, o dermatoma C5 está relacionado à parte lateral do braço, enquanto o dermatoma L4 está associado à região anterior da coxa.

Portanto, é importante entender a importância dessas estruturas para garantir a saúde e o bem-estar do paciente.

Localização e função dos dermátomos: saiba mais sobre esses pontos-chave do sistema nervoso.

Os dermátomos são regiões da pele inervadas por fibras nervosas provenientes de um único segmento medular da medula espinhal. Cada dermátomo possui uma localização específica no corpo e desempenha uma função importante no sistema nervoso.

Relacionado:  Helicasa: características, estruturas e funções

Os dermátomos são essenciais para a sensibilidade da pele e para a transmissão de informações sensoriais ao cérebro. Eles são responsáveis por detectar estímulos como temperatura, pressão e dor em áreas específicas do corpo.

É crucial conhecer a localização dos dermátomos para diagnosticar lesões neurológicas e determinar a origem de sintomas como dormência, formigamento e fraqueza em determinadas regiões do corpo. Através da avaliação dos dermátomos, os profissionais de saúde podem identificar possíveis problemas no sistema nervoso e prescrever o tratamento adequado.

Existem diferentes tipos de dermátomos, cada um correspondendo a uma região específica do corpo. Alguns exemplos incluem o dermátomo C5, que abrange a região do pescoço, e o dermátomo L4, que abrange a região lombar.

No contexto clínico, os dermátomos desempenham um papel fundamental na avaliação neurológica de pacientes com lesões na medula espinhal, hérnias de disco, traumas ou outras condições que afetam o sistema nervoso. A análise dos dermátomos pode fornecer informações valiosas para o diagnóstico e o planejamento do tratamento.

Conhecer sua localização e função é fundamental para a prática clínica e para o entendimento das condições neurológicas que afetam os pacientes.

Entenda o que é a compressão de raiz nervosa e seus sintomas associados.

A compressão de raiz nervosa é uma condição em que uma raiz nervosa na coluna vertebral fica comprimida, causando dor, formigamento, fraqueza e outros sintomas. Isso pode ocorrer devido a hérnias de disco, espondilose, estenose espinhal ou lesões na coluna vertebral.

Os sintomas associados à compressão de raiz nervosa incluem dor que se irradia para os braços ou pernas, formigamento, fraqueza muscular e diminuição da sensibilidade na área afetada. Em casos mais graves, pode haver perda de controle da bexiga ou do intestino.

O diagnóstico da compressão de raiz nervosa geralmente é feito por um médico especialista, que pode solicitar exames de imagem, como ressonância magnética ou tomografia computadorizada. O tratamento pode incluir fisioterapia, medicamentos para dor, injeções de esteroides ou, em casos mais graves, cirurgia.

É importante buscar ajuda médica se você apresentar sintomas de compressão de raiz nervosa, pois o tratamento adequado pode ajudar a aliviar a dor e prevenir complicações a longo prazo.

Dermatoma: o que é, tipos e significado clínico

Um dermátomo é uma área da pele inervada por um único nervo espinhal. Especificamente, eles são controlados por neurônios sensoriais que surgem de um gânglio do nervo espinhal.

Existem oito nervos cervicais, doze torácicos, cinco lombares e cinco sacrais. Cada um desses nervos nos permite sentir a temperatura, o toque, a pressão e até a dor.

Dermatoma: o que é, tipos e significado clínico 1

A informação viaja de uma região específica da pele para o cérebro. Os dermatomas são organizados como uma pilha de discos no peito e no abdômen, sendo cada disco fornecido por um nervo espinhal diferente.

Relacionado:  Pepsina: Estrutura, Funções, Produção

Nas extremidades, o padrão é diferente. Dessa maneira, os dermátomos cruzam os braços e as pernas longitudinalmente. Assim, cada metade de cada membro tem um dermátomo diferente.

Embora todos os indivíduos usualmente tenham o mesmo padrão geral na organização dos dermátomos, áreas específicas de inervação podem variar em cada pessoa, como se fossem impressões digitais.

A coluna possui mais de 30 vértebras diferentes, divididas de acordo com sua localização, começando do pescoço ao cóccix. Eles são classificados em cervical, torácico, lombar e sacral. Cada vértebra contém um nervo espinhal específico que inervará áreas específicas da pele.

Todos os nervos, exceto o primeiro nervo cervical (C1), estão conectados a um dermátomo. Os dermatomas permitem que você construa um mapa da medula espinhal muito útil para profissionais de saúde e pesquisadores. Bem como para o diagnóstico e tratamento de patologias.

Existem dois mapas principais atualmente aceitos na profissão médica. O primeiro é o mapa de Keegan e Garret de 1948. Enquanto o segundo é o mapa de Foerster de 1933. O último é o mais utilizado.

O que é um dermátomo?

Você já se perguntou por que a dor nas costas leva a sensações de formigamento nas pernas? Ou por que as cãibras no pescoço fazem você se sentir dormente?

Parece que isso ocorre porque há uma ligação entre sensações e irregularidades na superfície da pele com as raízes nervosas específicas que começam na coluna vertebral. Portanto, cada região que é inervada por cada uma dessas raízes nervosas é chamada de dermátomo.

“Dermatoma” é dividido em “dermat”, que significa “pele”, e “oma”, que significa “massa”. Temos 29 dermátomos no corpo humano. Esses nervos estão relacionados entre si, pois se originaram dos mesmos grupos somitos durante o desenvolvimento embrionário. Somitos são estruturas formadas nas laterais do tubo neural durante a quarta semana de desenvolvimento humano.

Por exemplo, as fibras nervosas na superfície da pele que cobrem parte das pernas e pés formam um dermátomo que vem de uma raiz nervosa na região lombar.

Dermatomas não devem ser confundidos com miomas. Os miomas, por outro lado, são aqueles que inervam os músculos esqueléticos do mesmo grupo somita.

Tipos

Dermatomas, como a coluna, diferem em quatro seções: cervical, torácica, lombar e sacral. Cada dermátomo é classificado de acordo com o nervo espinhal que o inerva. Ou seja, o sétimo nervo cervical inervaria o dermátomo C7.

Esse dermátomo daria sensibilidade à pele do ombro, a algumas partes do braço e aos dedos indicador e anular.

Dermatomas cervicais

Eles mantêm a pele do pescoço, pescoço, costas, braços e mãos.

Dermatite torácica

Elas cobrem a pele da parte interna do braço, tórax, abdômen e a região central das costas.

Dermatomas lombares

Inervam a pele que fica na parte inferior das costas, na área frontal das pernas, nas coxas externas e na parte superior e inferior dos pés.

Relacionado:  Cintura escapular: articulações, músculos

Dermatomas sacrais

Elas cobrem a pele das áreas genitais e anais, a parte de trás das pernas, a parte de trás das coxas e panturrilhas, além da borda externa dos pés.

No entanto, é importante mencionar que os dermátomos foram descobertos nos últimos anos por observações clínicas e são apenas um guia. Cada pessoa pode ter pequenas variações nos limites dos dermátomos.

Significado clínico

É importante saber como os dermátomos funcionam no ambiente clínico para localizar lesões nos nervos ou medula espinhal.

Se certos sintomas estiverem localizados ao longo da área associada a um dermátomo (dor, irritação da pele, erupções cutâneas …), pode ser devido a algo relacionado à raiz nervosa. Por exemplo, um disco de hérnia que comprime a raiz nervosa L5 resulta em dor e formigamento na perna e no pé.

Dermatomas são úteis para estabelecer um diagnóstico e tratamento de diferentes condições. As principais são doenças virais, radiculopatia e lesões na medula espinhal.

Doenças virais

Existem certas doenças virais localizadas em dermátomos específicos, como telhas. Esse vírus está latente na medula espinhal e, quando se manifesta, se move pelo nervo espinhal, causando uma erupção cutânea dolorosa que está ligada a esse nervo.

A erupção cutânea com herpes zoster é geralmente limitada a um dermátomo específico, como no peito, perna ou braço. Geralmente aparece em anos e até décadas após a recuperação da varicela.

Radiculopatia

Esta condição consiste em dores causadas por danos na raiz de qualquer nervo. Também pode causar perda ou redução da função sensorial. As regiões afetadas mais comuns são L5 e S1 e menos comumente C6 e C7.

A dor aumenta quando nos colocamos em posições em que as raízes nervosas são alongadas. Pode ser cervical ou lombar, dependendo de onde está a dor.

Lesões na medula espinhal

Quando houver lesões na medula espinhal, o profissional de saúde procurará o dermátomo afetado. Para fazer isso, a parte da pele que o paciente notou alterações começará. Você o percorrerá com um alfinete ou garfo em ambos os lados do corpo até chegar à sensação normal.

Você também pode verificar se captura a vibração ao longo das vértebras. Geralmente, o nível sensorial é dois ou três níveis abaixo da lesão.

Referências

  1. DERMATOMS (sf). Obtido em 16 de abril de 2017, em Ensine-me anatomia: teachmeanatomy.info.
  2. Mapa do Dermatoma – Gráfico de Visão Geral, Anatomia e Significado Clínico. (sf). Retirado em 16 de abril de 2017, de Pain care: paincare.org.
  3. Dermatomes (sf). Retirado em 16 de abril de 2017, da Queen’s University em Kingston: meds.queensu.ca.
  4. Dermatomes (sf). Recuperado em 16 de abril de 2017, de Boundless: boundless.com.
  5. Kishner, S. (sf). Dermatomes Anatomy. Recuperado em 12 de agosto de 2015, no MedScape: emedicine.medscape.com.
  6. O que é um Dermatoma? – Definição e distribuição. (sf). Retirado em 16 de abril de 2017, de Study: study.com.

Deixe um comentário