Diego Rivera: biografia, estilo e obras

Diego Rivera (1886 – 1957) foi um famoso artista plástico mexicano do século XX. Juntamente com David Alfaro Siqueiros e José Clemente Orozco , ele foi responsável por dar vida ao Renascimento do Muralismo Mexicano.

Desde tenra idade, suas inclinações artísticas eram reconhecíveis. Foi considerado um prodígio do desenho. Com apenas dez anos, ele se matriculou para estudar arte na Academia de San Carlos, na Cidade do México.

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 1

Carl Van Vechten [Domínio público]

Depois de estudar na Europa, Diego Rivera retornou ao México, onde começou a trabalhar com seu próprio estilo: uma fusão de afrescos italianos da Renascença, pós-impressionismo, realismo social, futurismo e arte pré-colombiana.

Rivera capturou imagens da cultura mexicana em suas obras. Além disso, sendo um defensor da ideologia socialista, ele expressava neles a luta de classes e a exaltação do trabalhador e do campo.

Ele foi um dos fundadores do Sindicato dos Trabalhadores Técnicos, Pintores e Escultores em 1922. No mesmo ano, ingressou no Partido Comunista do México, do qual se tornou parte do Comitê Central.

Diego Rivera foi casado cinco vezes. Após seu segundo divórcio, ele se casou com Frida Kahlo em 1929, uma artista plástica que havia sido sua modelo.

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 2

Carl Van Vechten [Domínio público]

Esse relacionamento teve um hiato em 1939, quando ambas as partes decidiram dissolver o casamento, mas se casaram novamente em 1940 e o relacionamento durou até sua morte em 1954.

Biografia

Primeiros anos

Diego María da Conceição Juan Nepomuceno Estanislau de Rivera e Barrientos Acosta y Rodríguez, nasceu em Guanajuato, México, em 8 de dezembro de 1886.

Seus pais eram Diego Rivera Acosta e María Del Pilar Barrientos. Ele era professor, inspetor de saúde e editor de um jornal. Ela era professora e parteira.

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 3

Usuário: Dominik [GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html), CC-BY-SA-3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/) ou CC BY 2.5 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.5)], do Wikimedia Commons

A família mudou-se para a Cidade do México em 1893, quando Diego tinha seis anos de idade. Naquela época, o garoto já havia demonstrado habilidades em desenho e pintura.

Aos dez anos, ingressou na Academia de San Carlos, um famoso centro de estudos de artes plásticas. Ele frequentou o turno da noite, enquanto de manhã ia ao liceu católico hispânico mexicano.

Na Academia de San Carlos, ele absorveu conhecimento de professores como Santiago Rebull, Salomé Piña, Félix Parra, José María Velasco e Antonio Fabrés. Da mesma forma, ele foi influenciado por José Guadalupe Posada, que tinha uma gráfica perto da escola.

Em 1905, o secretário de Instrução Pública e Belas Artes do México, Justo Sierra, conhecido como “O Professor da América”, concedeu a Rivera uma pensão. Dois anos depois, o governador de Veracruz concedeu a ele outra pensão de 300 pesos por mês que lhe permitiria viajar para a Europa.

Primeiros anos na Europa

Ele chegou à Espanha em janeiro de 1907. Lá ele ingressou na Academia de Madri e trabalhou na oficina do retratista Eduardo Chicharro. Então ele absorveu o máximo que pôde das pinturas de El Greco, Goya e Velázquez. Durante esse período, seu trabalho foi marcado pelo realismo e pelo impressionismo.

Em 1909, mudou-se para Paris, França, onde frequentou os círculos artísticos de Montparnasse e tornou-se amigo de Amadeo Modigliani e sua esposa Jeanne Hebuterne. Ele também conheceu a pintora russa Angelina Beloff com quem ela começou um caso.

Em 1910, ele retornou brevemente ao México, onde fez uma exposição patrocinada pelo presidente Porfirio Díaz, provavelmente para garantir a continuidade de sua bolsa de estudos em meio à turbulência política mexicana.

Retorno ao velho continente

Diego Rivera se encontrou novamente na cidade da luz em 1911. Naquela época, seu círculo de amizades no mundo da pintura se expandiu e ele se casou com Beloff, que em 1916 deu à luz Miguel Ángel Diego. No entanto, catorze meses depois, o menino morreu.

Em 1919, Marika Rivera e Vorobieva nasceram de sua aventura com Marievna Vorobieva-Stebelska. Ele nunca reconheceu Marika como sua filha; no entanto, ele os ajudou financeiramente e alugou para eles uma casa onde os visitou até seu retorno ao México, dois anos depois.

No ano seguinte, o embaixador mexicano na França, Alberto J. Pani, conseguiu ajuda financeira para ele ir para a Itália. Ele terminou seu relacionamento com Beloff, que já estava enfraquecido por seu caso de amor com Marievna desde 1916 e pelo nascimento de Marika em 1919.

Retorno ao México

José Vasconcelos foi nomeado Secretário de Instrução Pública do recém-formado governo de Álvaro Obregón em 1921.

Um de seus planos era usar o patrocínio estatal para fins de propaganda e para isso ele convenceu David Alfaro Siqueiros, José Clemente Orozco e Diego Rivera a voltar ao país. Eles três foram os fundadores do Renascimento do Muralismo Mexicano.

Sua primeira comissão, em 1921, foi o mural intitulado A Criação no Anfiteatro Simón Bolívar da Universidade Nacional do México. O tema fundamental do trabalho é a criação da raça mexicana a partir da árvore da vida. O mural foi concluído em 1923.

Relacionado:  8 instrumentos musicais da região do Caribe da Colômbia

Um dos modelos que posou para o mural foi Guadalupe Marín, com quem Rivera se casou em 1922.

Anos de revolução

No mesmo ano, ele fundou, juntamente com Siqueiros, o Sindicato dos Trabalhadores Técnicos, Pintores e Escultores, também ingressou no Partido Comunista Mexicano e depois integrou seu Comitê Central.

Então, começou uma de suas obras mais monumentais: 124 painéis no prédio da Secretaria de Educação Pública, na Cidade do México. Eles refletiram a sociedade mexicana, sua cultura e costumes, e seu passado revolucionário. O trabalho foi concluído em 1928.

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 4

Kgv88 [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)], do Wikimedia Commons

Em 1924, Guadalupe Marín deu à luz Lupe Rivera Marín. Dois anos depois, nasceu a terceira filha da mexicana, Ruth Rivera Marín.

O artista foi convidado à União Soviética para comemorar o 10º aniversário da Revolução de Outubro, em 1927. No ano seguinte, “La Gata” Marín e Rivera se divorciaram.

O pintor se casou em 1929 e fora sua modelo, Frida Kahlo. Nesse mesmo ano, Diego Rivera foi candidato à presidência do Partido Comunista do México antes de ser expulso.

Muralismo no norte

O trabalho de Rivera foi admirado nos Estados Unidos, apesar da ideologia socialista expressa em suas pinturas. Em meados da década de 1930, ele foi convidado pelo arquiteto Timothy L. Pflueger para São Francisco, com a promessa de que vários trabalhos seriam encomendados.

Depois de chegar com Kahlo, Rivera pintou afrescos para o San Francisco Stock Exchange Club e para a California School of Fine Arts. Em 1931, o Museu de Arte Moderna, em Nova York, realizou uma exposição retrospectiva da obra de Rivera.

Especialmente para essa exposição, Rivera criou o conceito aparentemente contraditório de “mural transportável”, graças ao qual trabalhos em larga escala podiam ser desmontados em painéis menores que facilitavam sua transferência.

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 5

Carl Van Vechten [Domínio público]

Em 1932, a pedido de Edsel Ford, Rivera iniciou uma série de 27 painéis chamados The Detroit Industry para adornar o Detroit Institute of Arts. O trabalho, concluído em 1933, mostra trabalhadores de diferentes raças trabalhando com máquinas industriais no processo de construção de automóveis.

Depois de Detroit, ele recebeu um pedido de Nelson Rockefeller para fazer um afresco no saguão do edifício da RCA em Nova York. A pedido de Rockefeller, Rivera apresentou a ele um esboço da obra O homem na encruzilhada antes de começar o trabalho.

Devido a conflitos ideológicos, este trabalho foi cancelado, assim como outras comissões solicitadas ao mexicano. Rivera retornou ao México no final de 1933.

Última viagem aos Estados Unidos

Diego Rivera dedicou os últimos anos dos anos 30 à pintura, acima de tudo, telas de paisagens e retratos. Além disso, junto com André Breton, ele publicou o Manifesto de Arte Revolucionária em 1938.

Rivera foi o centro de um evento de grande importância no cenário político: em 1937, ele convenceu o governo de Cárdenas a oferecer asilo a Leon Trotsky, perseguido pelo governo stalinista da União Soviética, oferecendo sua residência como acomodação para o político e sua esposa. .

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 6

Casa de Diego Rivera e Frida Kahlo, San Angel, Cidade do México {{GFDL}}

Seu relacionamento com Frida Kahlo, em que houve infidelidade de ambos os lados, teve uma natureza tempestuosa. Em 1939, eles decidiram se divorciar. No entanto, em 1940 eles se casaram novamente.

Em 1940, ele voltou aos Estados Unidos, novamente a pedido de Pflueger, para pintar um afresco na Exposição Internacional Golden Gate. Foi a última visita que ele fez a esse país.

Últimos anos

Foi membro fundador do Colégio Nacional do México em 1943. Três anos depois, ingressou na Comissão de Pintura Mural do Instituto Nacional de Belas Artes.

Em 1947, ele terminou uma de suas obras emblemáticas, Sonho de uma tarde de domingo na Alameda Central , originalmente localizada no Hotel del Prado, na Cidade do México. Por causa do terremoto de 1985, o prédio foi declarado inabitável, mas o mural, com alguns danos, foi resgatado e transferido para seu próprio museu.

Ele ganhou o Prêmio Nacional de Artes e Ciências do México em 1950 e ilustrou, juntamente com Siqueiros, a edição mexicana de Canto General de Pablo Neruda.

Em 1953, culminou uma de suas últimas e mais importantes obras, o mural sem nome na fachada do Teatro dos Insurgentes na Cidade do México. Sua intenção era representar quatro séculos da história mexicana, colocando a realidade social dos anos 50 no centro da imagem.

Frida Kahlo, sua esposa de 25 anos, morreu em sua Casa Azul depois de um longo sofrimento em 1954. Nesse mesmo ano, ele foi readmitido no Partido Comunista Mexicano.

Depois de diagnosticado com câncer em 1955, casou-se com Emma Hurtado, sua amiga e agente nos últimos 10 anos.

Relacionado:  Muralismo Mexicano: Origem, Características, Obras

Morte

Diego Rivera morreu em sua Casa de Estudo em 24 de novembro de 1957, quando tinha 70 anos por causa de um câncer. Apesar de ter sido submetido a cirurgia em várias ocasiões, a saúde de Rivera se deteriorou rapidamente.

Embora seu último desejo fosse que suas cinzas permanecessem ao lado de Frida na Casa Azul, o governo decidiu colocá-las na Rotunda de Homens Ilustres.

Estilo artístico

O estilo desenvolvido por Diego Rivera levou elementos como o espaço cubista e formas industriais e pré-colombianas ligadas à linguagem do realismo, para que sua mensagem fosse acessível a todos.

As cores sólidas do pós-impressionismo e as formas aglomeradas mas definidas, sejam pessoas, flores ou maquinaria, seriam a marca visual em seu trabalho.

Paris e as mudanças

Depois de se instalar na capital francesa, Diego Rivera participou, em 1910, de uma exposição patrocinada pela Society of Independent Artists de Paris.

Suas pinturas desta época foram grandemente influenciadas pelas obras impressionistas e pós-impressionistas de Cézanne, Van Gogh e Gaugin. Em 1913, Rivera adotou o estilo cubista graças à influência de Pablo Picasso, Georges Braque e, em particular, Juan Gris.

Nesse breve período cubista, nasceram obras como Mulher no Poço e Maternidade, Angelina e o menino Diego . Mas ele foi abruptamente interrompido em 1917. As críticas à sua arte eram variadas, uma vez que os puristas do cubismo não aceitavam Rivera.

Além disso, o desenvolvimento da revolução russa e os eventos ocorridos no México devido à revolução mexicana despertaram em Rivera o interesse de que sua arte fosse uma maneira de expressar a ideologia.

Inspirado por Cézanne, o trabalho de Diego Rivera assumiu nuances pós-impressionistas. Os acabamentos definidos e o uso de grandes extensões de cores sólidas e vivas renderam-lhe os aplausos do crítico.

Muralismo

Na Itália, ele passou um ano, durante o qual estudou os afrescos de Quattrocento e ficou especialmente impressionado com as obras de Giotto.A idéia de que a arte mural era o meio ideal para representar as idéias da revolução socialista e mexicana em sua terra natal começou a se formar.

Foi assim, patrocinado pelo governo revolucionário do México, começou a fazer murais carregados com a ideologia marxista e a idealização dos trabalhadores mexicanos e do povo agrário.

Essa visão da arte foi controversa durante o tempo em que esteve nos Estados Unidos. Seus companheiros de ideologia o criticaram por ele ter se vendido à burguesia, enquanto os anticomunistas americanos até fizeram ameaças ao trabalho e à vida de Rivera.

O maior exemplo disso foi a comissão de Nelson Rockefeller, na qual Rivera tentou mostrar suas idéias revolucionárias.

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 7

Jaontiveros [GFDL (http://www.gnu.org/copyleft/fdl.html) ou CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)], do Wikimedia Commons

O pintor incluiu uma imagem de Lenin, então Rockefeller exigiu removê-la da pintura. Rivera recusou, o trabalho foi deixado inacabado e depois destruído.

Mas em janeiro de 1934, o artista trabalhou na recriação do mural com algumas modificações, que ele então intitulou O Homem Controlador do Universo , no Palácio de Bellas Artes, na Cidade do México.

Agradecimentos

– Em 1950, ele ganhou o Prêmio Nacional de Ciência e Artes no México.

– Em 1951, foi realizada uma exposição no Palácio de Bellas Artes, na Cidade do México, em homenagem aos 50 anos de obras de Diego Rivera.

– A casa que ele habitava junto com Frida Kahlo foi convertida em Diego Rivera e no Museu de Estudo da Casa Frida Kahlo, e a rua adjacente é chamada Diego Rivera Street.

– Em 1986, foi criado o Museu Mural Diego Rivera, onde o sonho de um trabalho da tarde de domingo seria localizado permanentemente na Alameda Central, que havia sido danificada pelo terremoto de 1985 na Cidade do México.

– Desde 2010, o Banco do México homenageia Diego Rivera e Frida Kahlo, apresentando-os na nota de 500 pesos.

Além disso, a vida de Diego Rivera, e especialmente o período de seu relacionamento com Frida Kahlo, foi representada em várias ocasiões no cinema e na literatura.

Trabalhos completos

Quadros de cavalete

Pintura a óleo

A Era (óleo sobre tela, 1904).

– A noite de Ávila (óleo sobre tela, 1907).

– Auto-retrato (óleo sobre tela, 1907).

– A casa na ponte (óleo sobre tela, 1909).

– Notre Dame de Paris (óleo sobre tela, 1909).

– Retrato de Angelina Beloff (óleo sobre tela, 1909).

– Breton girl (óleo sobre tela, 1910).

– Chefe de uma mulher bretã (óleo sobre tela, 1910).

– Vista de Toledo (óleo sobre tela, 1912).

– Retrato de Oscar Miestchaninoff (óleo sobre tela, 1913).

– Retrato de Adolfo Best Maugard (óleo sobre tela, 1913).

– Mulher no poço (óleo sobre tela, 1913).

– A Torre Eiffel (óleo sobre tela, 1914).

– Retrato de duas mulheres (óleo sobre tela, 1914).

– Marinheiro no café da manhã (óleo sobre tela, 1914).

Relacionado:  Tommaso Cavalieri: Biografia, Obras e Técnica

– Retrato de Martín Luis Guzman (óleo sobre tela, 1915).

– Retrato de Ramón Gómez de la Serna (óleo sobre tela, 1915).

– Paisagem Zapatista (óleo sobre tela, 1915).

– Maternidad, Angelina e Niño Diego (óleo sobre tela, 1916).

– Natureza morta com espremedor de alho (óleo sobre tela, 1918).

– Natureza morta (óleo sobre tela, 1918).

– O matemático (óleo sobre tela, 1918).

– Os arredores de Paris (óleo sobre tela, 1918).

– Bañista de Tehuantepec (óleo sobre tela, 1923).

– O moedor (óleo sobre tela, 1924).

– Festa das flores (óleo sobre tela, 1925).

– Os filhos do meu compadre (Retrato de Modesto e Jesús Sánchez) (óleo sobre metal, 1930).

Edsel B. Ford (óleo sobre tela, 1932) .

– O vendedor de pinole (óleo sobre tela, 1936).

– Retrato de Lupe Marín (óleo sobre tela, 1938).

– Mulher de branco (óleo sobre tela, 1939).

– Dançarina descansando (óleo sobre tela, 1939).

– Retrato de Modesta e Inesita (óleo sobre tela, 1939).

– As mãos do Dr. Moore (óleo sobre tela, 1940).

– Retrato de Paulette Goddard (óleo sobre tela, 1941).

– Auto-retrato dedicado a Irene Rich (óleo sobre tela, 1941).

– Retrato de Carlos Pellicer (óleo sobre madeira, 1942).

– Retrato de Natasha Zakólkowa Gelman (óleo sobre tela, 1943).

– Nu com enseadas (óleo sobre madeira, 1944).

– Dia dos mortos (óleo sobre madeira, 1944).

O Chapeleiro. Retrato de Henri de Chatillon (óleo em Masonite, 1944).

– Retrato de Adalgisa Nery (óleo sobre tela, 1945).

– Retrato de Cuca Bustamante (óleo sobre tela, 1946).

– Retrato de Linda Christian (óleo sobre tela, 1947).

– As tentações de San Antonio (óleo sobre tela, 1947).

– Retrato de uma atriz (óleo sobre tela, 1948).

– Retrato de Evangelina Rivas de De Lachica, a senhora de Oaxaca (óleo sobre tela, 1949).

– Retrato de Dona Doña Evangelina Rivas de De Lachica (óleo sobre tela, 1949).

– Retrato de Ruth Rivera (óleo sobre tela, 1949).

– Retrato da menina Elenita Carrillo Flores (óleo sobre tela, 1952).

– Retrato da senhora Dona Elena Flores de Carrillo (óleo sobre tela, 1953).

– Estudo do pintor (óleo sobre tela, 1954).

– Retrato de Silvia Pinal (óleo sobre tela, 1956).

– 1 de maio, procissão em Moscou (óleo sobre tela, 1956).

– A rede (óleo sobre tela, 1956).

Lápis

Cabeça de cabra (lápis sobre papel, 1905).

Aguarela

– Paisagem de Toledo (aquarela sobre papel, 1913).

– Carregador com cachorro (aquarela, 1927).

Outros

– Natureza morta (pintura de têmpera sobre tela, 1913).

– A adoração da Virgem e do Menino (pintura encáustica sobre tela, 1913).

– O carregador de flores (pintura a óleo e têmpera sobre tela, 1935).

– Pôr do sol em Acapulco (pintura a óleo e têmpera sobre tela, 1956).

Murais

– A Criação (afresco com placas de ouro, 1923).

Série de murais no Ministério da Educação Pública (fresco, 1923-1928).

Série de murais na capela da Universidade de Chapingo (afresco, 1923-1927).

Série mural História de Cuernavaca e Morelos (fresco, 1927-1930).

– Alegoria da Califórnia (fresco, 1931).

– Fundos Congelados (afrescos em aço e concreto, 1931).

– A confecção de um afresco, mostrando a construção de uma cidade (afresco, 1931).

– A indústria de Detroit (nova, 1932-1933).

– O homem na encruzilhada / O homem controlador do universo (fresco, 1933-1934).

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 8

Palácio Nacional do México, por Thelmadatter.

Série de murais História do México (afresco, 1929-1935).

– Carnaval da vida mexicana (afresco transportável, 1936).

– Unidade Pan-Americana (fresca, 1940).

– Sonho de uma tarde de domingo na Alameda Central (fresco transportável, 1948).

Diego Rivera: biografia, estilo e obras 9

Adam Jones de Kelowna, BC, Canadá [CC BY-SA 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0)], via Wikimedia Commons

Série México pré-hispânica e colonial (1945-1952).

– Água, origem da vida (poliestireno e borracha no concreto, 1951).

– As pessoas exigem saúde (História da medicina no México) (fresco, 1953).

Referências

  1. In.wikipedia.org. (2018).Diego Rivera . [online] Disponível em: en.wikipedia.org [Acesso em 28 dez. 2018].
  2. Biografia (2018). Diego Rivera . [online] Disponível em: biography.com [Acesso em 28 dez. 2018].
  3. Diego Rivera (2010).Diego Rivera – Pinturas, murais, biografia de Diego Rivera . [online] Disponível em: diegorivera.org [Acesso em 28 dez. 2018].
  4. Diego-rivera-foundation.org. (2012).Diego Rivera – Os trabalhos completos – Biografia – diego-rivera-foundation.org . [online] Disponível em: diego-rivera-foundation.org [Acessado em 28 dez. 2018].
  5. Diego Rivera (2010).Biografia de Diego Rivera . [online] Disponível em: diegorivera.org [Acesso em 28 dez. 2018].
  6. Notablebiographies.com. (nd)Diego Rivera Biografia – vida, família, pais, morte, história, escola, mãe, jovens, idosos, informações, nascidos . [online] Disponível em: notablebiographies.com/Pu-Ro/Rivera-Diego [Acesso em 28 dez. 2018].
  7. Felipe, A. (2017).História e biografia de Diego Rivera . [online] História e biografia. Disponível em: historia-biografia.com [Acesso em 28 dez. 2018].

Deixe um comentário