Estepe: características, tipos, flora, fauna, relevo, clima

O estepe é um tipo de bioma caracterizado por vastas extensões de vegetação rasteira, com poucas árvores e arbustos espalhados. Esse ecossistema é encontrado em regiões de clima semiárido a árido, com precipitação anual baixa e variações extremas de temperatura.

Os diferentes tipos de estepe incluem o estepe frio, localizado em regiões de clima temperado, e o estepe quente, presente em áreas de clima tropical. A flora característica desse bioma inclui gramíneas, cactos, arbustos resistentes à seca e plantas adaptadas a condições de escassez de água.

A fauna do estepe inclui animais adaptados às condições áridas, como camelos, antílopes, aves migratórias, roedores e répteis. O relevo do estepe pode variar de planícies extensas a pequenas elevações, com solos geralmente pobres em nutrientes devido à baixa taxa de decomposição da matéria orgânica.

O clima do estepe é caracterizado por verões quentes e secos e invernos frios, com pouca variação de temperatura ao longo do ano. Essas condições climáticas extremas tornam o estepe um ambiente desafiador para a vida vegetal e animal, resultando em uma biodiversidade única e adaptada às condições adversas.

Descubra qual é o clima predominante na região do estepe em poucas palavras.

O clima predominante na região do estepe é o clima semiárido, caracterizado por baixas precipitações pluviométricas e grande amplitude térmica. As chuvas são escassas e irregulares, concentrando-se em determinadas épocas do ano. Isso resulta em vegetação rasteira e espaçada, adaptada às condições de seca e calor intenso.

Principais características das estepes: clima árido, vegetação rasteira e fauna adaptada à seca.

As estepes são ecossistemas caracterizados por um clima árido, uma vegetação rasteira e uma fauna adaptada à seca. Essas características únicas tornam as estepes um ambiente particularmente desafiador para a vida selvagem.

O clima nas estepes é geralmente árido, com pouca chuva e temperaturas extremas. Isso resulta em condições secas e áridas, que favorecem a vegetação rasteira, como grama e arbustos resistentes à seca. Essa vegetação é adaptada para sobreviver em condições de pouca água e nutrientes, e muitas vezes se estende por vastas áreas, criando um cenário característico das estepes.

A fauna das estepes também está adaptada às condições secas do ambiente. Muitos animais que habitam as estepes possuem mecanismos de adaptação, como a capacidade de armazenar água por longos períodos de tempo, ou a habilidade de encontrar água em fontes subterrâneas. Além disso, muitos animais das estepes têm hábitos alimentares especializados, se alimentando de plantas resistentes à seca ou de outros animais adaptados ao clima árido.

Essas características fazem das estepes um ambiente fascinante para estudar a vida selvagem e as adaptações dos seres vivos a condições extremas.

O clima de estepe é predominante em algumas regiões do Brasil?

O clima de estepe, caracterizado por baixas precipitações pluviométricas e temperaturas extremas, é predominante em algumas regiões do Brasil. Essas áreas apresentam uma vegetação rasteira e espaçada, adaptada às condições de aridez e escassez de água.

Os principais tipos de estepe encontrados no Brasil são a estepe do Pantanal, a estepe da Caatinga e a estepe do Cerrado. Cada uma dessas regiões possui características específicas em relação à sua flora e fauna, influenciadas pelo clima e relevo locais.

A flora das regiões de estepe é composta por plantas resistentes à seca, como cactos, arbustos e gramíneas. Essas espécies desenvolveram mecanismos de adaptação, como raízes profundas e armazenamento de água, para sobreviver em ambientes áridos.

Já a fauna dessas regiões é diversificada e inclui animais como tatus, tamanduás, seriemas e aves de rapina. Essas espécies também desenvolveram estratégias para lidar com a escassez de água e alimentos, como hábitos noturnos e capacidade de armazenar gordura.

O relevo das regiões de estepe no Brasil é variado, incluindo planícies, planaltos e chapadas. Essas características topográficas influenciam o clima local, criando áreas de maior ou menor aridez e determinando a distribuição da vegetação e da fauna.

É importante conhecer e preservar esses ecossistemas únicos, que desempenham um papel fundamental na manutenção da biodiversidade do país.

Tipos de vegetação: conheça os 4 principais biomas presentes no Brasil e no mundo.

O bioma Estepe é um dos mais característicos e importantes do planeta, abrangendo vastas áreas em diferentes continentes. No Brasil, o bioma Estepe está presente principalmente na região sul do país, caracterizado por vegetação rasteira, com poucas árvores e arbustos espalhados pelo terreno.

As Estepe são definidas por um clima continental, com invernos rigorosos e verões quentes. A vegetação é adaptada a essas condições climáticas extremas, com plantas resistentes à seca e ao frio. As gramíneas são predominantes nesse bioma, proporcionando alimento para a fauna local, como antílopes, coelhos e aves migratórias.

O relevo das Estepe pode variar, com áreas planas e onduladas, geralmente com solos pouco férteis. A flora é composta por espécies adaptadas à escassez de água, como a grama da estepe e o arbusto espinhoso. A fauna é diversificada, com mamíferos, aves e répteis adaptados às condições do bioma.

Suas características únicas tornam esses ecossistemas essenciais para a manutenção da biodiversidade global.

Estepe: características, tipos, flora, fauna, relevo, clima

A estepe é um prado extenso que se desenvolve em um clima continental seco e frio. Nesta formação de plantas, os elementos herbáceos predominam nas gramíneas como ervas dominantes.

Existem algumas estepes com árvores isoladas, especialmente na fronteira com florestas e a vegetação é xerófila (adaptada a um ambiente seco e, neste caso, frio). Os solos das estepes são geralmente de baixa fertilidade e baixa matéria orgânica.

Estepe: características, tipos, flora, fauna, relevo, clima 1

Estepe no Cazaquistão. Fonte: O usuário original foi Carole a na Wikipedia em inglês. [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0/)]

Esta formação vegetal é distribuída na Eurásia, estendendo-se do leste europeu ao leste asiático. Além disso, estepes podem ser encontradas no cone sul da América do Sul, na Patagônia Argentina e cobrindo uma pequena parte do Chile.

A World Wildlife Foundation ou World Wildlife Fund (WWF) identifica até 21 ecorregiões que incluem estepes. Na Patagônia, 3 dessas ecorregiões são apresentadas, enquanto na Eurásia as outras 18 são apresentadas.

Entre as estepes da Eurásia, na Europa estão a estepe do pôntico (costa norte e leste do Mar Negro) e a Puszta na Hungria. Então, na Ásia, a estepe da Ásia Ocidental, a estepe da Ásia Central, a estepe da Ásia Oriental e a estepe da Sibéria.

O relevo nas estepes é plano a ligeiramente ondulado nas planícies aluviais ou nos planaltos altos. Neles, é desenvolvida uma flora composta por espécies de gramíneas (Poaceae ou Gramineae).Os gêneros mais comuns são Stipa , Festuca e Poa. Entre os arbustos destacam-se os do gênero Artemisia de las Composites (Asteraceae).

Relacionado:  O que é o dorsal atlântico?

A estepe é estabelecida em clima continental semiárido frio, com fortes variações de temperatura entre o inverno e o verão. No inverno, a temperatura pode ser tão baixa quanto -52 ºC, enquanto no verão pode chegar a 42 ºC.Por outro lado, as chuvas são escassas, atingindo apenas entre 200 e 400 mm da média anual.

A fauna varia de acordo com a região, desde pequenos roedores, como ratos de campo, lebres e esquilos, até grandes herbívoros. Entre os últimos estão o antílope saiga e o cavalo mongol na Eurásia, bem como o cervo-campeiro na Patagônia.Outros animais que também habitam as estepes da Patagônia são alguns carnívoros, como o puma, o gato de Geoffroy e a raposa.

A estepe é tradicionalmente dedicada à pecuária e à agricultura e trabalha principalmente gado e ovelhas, além de cereais como trigo. Atividades de turismo também são desenvolvidas em áreas protegidas.

Infelizmente, a caça ainda é uma atividade presente nas estepes, ameaçando as espécies que ali vivem. Nas estepes da Ásia, a caça põe em perigo o antílope saiga e na Patagônia o veado-campeiro.

Alguns exemplos relevantes das estepes do mundo são as estepes da Ásia Ocidental, as grandes estepes da Sibéria e as estepes da Patagônia. Os dois primeiros localizados na Eurásia (Hemisfério Norte) e o último na Argentina-Chile (Hemisfério Sul).É interessante notar que as estepes do oeste da Ásia (Turquia, Geórgia, Armênia, Azerbaijão e Irã) são um centro de diversidade de espécies de trigo.

Características gerais

– Os termos pradaria e estepe

Existe alguma confusão entre os termos pradaria e estepe, porque alguns autores os usam como sinônimos, enquanto outros os consideram categorias subordinadas.

Nesse sentido, em alguns casos, o termo pradaria é usado para se referir a todas as pastagens na zona temperada ou fria. Outros autores consideram que essas mesmas áreas podem ser classificadas em pradarias temperadas e pradarias secas.

Por outro lado, algumas classificações de vegetação usam o termo “pradaria” para toda a vegetação de gramíneas em zonas temperadas. Nesses casos, eles restringem a categoria das estepes aos prados eurasianos e à área seca da Patagônia.

Neste caso, usaremos o termo estepe para nos referir a um tipo de pradaria não arborizada com um clima continental muito seco e frio. Enquanto outros tipos de campos, como os campos norte-americanos ou australianos, correspondem ao clima úmido ou sub-úmido.

– Biogeografia

A estepe surge nas latitudes norte e sul do interior continental, onde é gerado um clima seco e frio. Isso limita o desenvolvimento da vegetação arbórea, instalando uma vegetação herbácea onde predominam as gramíneas.

Europa

Neste contexto climático, a estepe está localizada no Velho Continente, nas planícies da Europa Central e Oriental. Eles estão na Hungria, Moldávia e Ucrânia na costa do Mar Negro pela Romênia e Bulgária.

Portanto, incluem a estepe panoniana ou puszta na Hungria e a estepe pôntica que se estende ao longo da costa oeste e norte do Mar Negro. Essa formação vegetal continua no sul da Europa da Rússia até a Ásia e se conecta com a extensa estepe do Cazaquistão (Cazaquistão).

Também existe vegetação estepe no planalto central da Península Ibérica, principalmente devido à sua altitude (cerca de 600 a 1.000 metros acima do nível do mar). Nessas áreas, a altitude e sua distância da influência marinha determinam um clima árido com invernos severos e verões quentes.

Ásia

A estepe se estende pelo sul da Europa na Rússia, continuando para o leste pela Ásia (da Rússia à Manchúria na China). Desenvolve-se ao sul de florestas decíduas temperadas.

A formação vegetal é distribuída pelo platô da Anatólia, na Turquia, ao sul do Mar Negro e em direção ao sul do platô tibetano.

Estepe da Patagônia

Fora da Eurásia, são encontradas condições para o desenvolvimento da estepe no cone sul da América do Sul, na Patagônia Argentina.

É uma extensa faixa que vai de norte a sul entre o sopé dos Andes e o Oceano Atlântico. Essas estepes limitam ao norte com o Pampa de clima subúmido a úmido.

– Estrutura da planta

A estepe possui uma estrutura vegetal simples, com um único estrato formado por ervas, alguns arbustos e arbustos. O estrato herbáceo é formado principalmente por gramíneas de tamanho médio a baixo, atingindo alturas de 30 a 150 cm.

Existem alguns casos de transição entre a estepe e a taiga, onde é formado um tipo de estepe arborizada com gimnospermas e angiospermas. É o caso da bacia do rio Orjón e Selenga, perto do lago Baikal, embora se deva notar que 88% da área é típica estepe seca.

– Solo

Em geral, os solos das estepes, embora ricos em minerais, são arenosos, barro arenoso ou argila arenosa. Em alguns casos, como na estepe húngara ( puszta ), são solos alcalinos, o que também limita o tipo de vegetação.

– Herbívoro

Como toda a formação dominada por gramíneas, as estepes são caracterizadas por uma associação entre gramíneas e animais herbívoros. Esta condição tem sido usada por seres humanos para desenvolver sistemas produtivos de criação de animais (principalmente bovinos e ovinos).

– Adaptações de plantas

As plantas das estepes são adaptadas às condições de seca e frio desse ambiente.As espécies de gramíneas da estepe são caracterizadas por possuir uma alta proporção de tecido mecânico, de suporte e rígido (esclerênquima).

Os arbustos e arbustos possuem folhas pequenas, também com esclerênquima abundante.

Biótipo predominante

O biótipo predominante nas gramíneas é o de plantas daninhas em tufos ou tufos, onde o mesmo indivíduo produz numerosos rebentos em sua base, do centro para o exterior.

Estepe: características, tipos, flora, fauna, relevo, clima 2

Almofada da estepe patagônica do lago Jeinimeni (Chile). Fonte: Lin linao [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)]

Isso forma um monte espesso de colmos ou caules, o que gera um microclima no interior que protege a planta contra geadas e ventos secos.

Tipos

A World Wildlife Foundation ou World Wildlife Fund (WWF) identifica 18 ecorregiões no Palearctic que incluem estepes. Além disso, reconhece três ecorregiões nos neotrópicos, correspondendo à Patagônia no cone sul da América do Sul.

Relacionado:  Região do Puna: características, relevo, cidades, flora, fauna

Cada uma dessas ecorregiões inclui um tipo de estepe dado pela combinação específica de clima, geografia e biodiversidade.

Você pode estabelecer dois tipos gerais de estepes muito contrastantes, que são a Eurásia e a Patagônia fundamentalmente diferenciadas em suas influências biogeográficas.

– A estepe da Eurásia

Está localizado no hemisfério norte, no reino biogeográfico do Tartic (sub-região palearctica), na fronteira sul com o Paleotropical (especificamente o Indomalayo – Polinésio).

As barreiras geográficas entre os dois reinos biogeográficos são consideráveis, portanto sua flora e fauna são fundamentalmente árticas.

As estepes da Eurásia cobrem uma área muito ampla, para que possam ser subdivididas. Diferenças na flora (ao nível de certos gêneros e espécies) e fauna são detectadas, além de certas variantes de clima e solo.

Dentro das estepes da Eurásia, encontramos:

A estepe pôntica

Estende-se pela Europa Oriental, passando pela Ucrânia e Moldávia, fazendo fronteira com as montanhas dos Cárpatos até o Mar Negro. Em seguida, abrange a costa do Mar Morto, a leste, através do sul da Rússia, no Cáucaso e no Mar Cáspio.

Estepe húngaro ( Puszta )

É um enclave de estepes muito particular localizado na Hungria.

A estepe da Ásia Ocidental

Localizado nas elevações do Cáucaso Menor, no platô da Anatólia e no platô iraniano. Eles se estendem por grande parte da Turquia, Geórgia, Armênia, Azerbaijão e parte do Irã.

A estepe da Ásia Central

Estende-se pela planície do Cazaquistão ao Quirguistão, Tajiquistão e oeste da China (Montanhas Tian ou Montanhas Celestiais).

A estepe do leste da Ásia

Inclui as extensas estepes da Mongólia e norte da China até a Manchúria.

Estepe siberiano

A grande estepe da Sibéria, limitando ao norte com a faixa de floresta temperada de folhas largas (floresta de angiospermas) e floresta mista.

Estepe: características, tipos, flora, fauna, relevo, clima 3

Estepe siberiano (Rússia). Fonte: O usuário original foi Kobsev na Wikipedia russa. [CC BY 2.5 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.5)]

– estepe da Patagônia

Esta estepe é encontrada no hemisfério sul no reino biogeográfico antártico que faz fronteira com o norte e com o reino neotropical. Nesse caso, não existem grandes barreiras geográficas, apenas a transição climática.

Devido a isso, essas estepes recebem uma importante influência tropical, principalmente na fauna.

Alívio

– Planícies

A estepe é uma região de relevo muito plana, embora em alguns casos possa mostrar pequenas ondulações do terreno. Em alguns casos, são grandes planícies desenvolvidas em planícies aluviais (produto da ação de grandes rios).

Enquanto outras são planícies coluviais (formadas pela deposição de erosão de encostas próximas).

– planaltos

Estepes se desenvolvem em planaltos altos, como o sul do planalto do Tibete. Esse platô cobre 2,5 milhões de km2 e atinge uma altitude média de 4.500 metros acima do nível do mar.

Eles também são encontrados no planalto ibérico, no centro da península e no planalto da Anatólia, no leste da Turquia.

Flora

– Estepe da Eurásia

Estepe asiático

São encontradas gramíneas como Leymus chinensis , Stipa baicalensis , Stipa grandis e Sheep Festuca . Outro gênero de grama com várias espécies na estepe é Cleistogenes.

Estepe: características, tipos, flora, fauna, relevo, clima 4

Abundância de gramíneas nas estepes de Ayagoz (Cazaquistão) Fonte: Ghilarovus [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)]

Entre os arbustos destacam-se Reaumuria soongarica (Tamaricaceae) e sub-arbustos como Ajania fruticulosa (Compositae). Além disso, você pode encontrar Ephedra equisetina, arbustos espinhosos pertencentes a gimnospermas.

Na transição da estepe arborizada, estepe-taiga, as espécies arbóreas encontradas são Pinus sylvestris e aspen ( Populus tremula ).

Estepe da Europa Central e Oriental

Nas estepes pônticas são apresentadas gramíneas do gênero Festuca e Stipa , entre outras. Também espécies de outras famílias com estruturas adaptadas às condições ambientais extremas pertencentes aos gêneros Carex , Hyacinthus , Iris e Tulipa .

No Puszta húngaro, existem gramíneas de gêneros como Festuca , Chrysopogon e Bromus , além de sub-arbustos da Artemísia e outros gêneros.

– estepe da Patagônia

Possui alto nível de endemismo (espécies exclusivas da região), principalmente do tipo leguminoso (60%) e de compostos (33%). As espécies de gramíneas dos gêneros Poa e Stipa são abundantes, como Poa ligularis , Stipa tenuissima e Stipa filiculmis .

Você também pode encontrar outras espécies de gramíneas, como Panicum urvilleanum , Elionurus muticus , Sorghastrum pellitum e Eragrostis lugens . Você também pode encontrar arbustos de outras famílias, como o neneo ( Mulinum spinosum ) de Apiaceae.

Tempo

É um clima continental extremo, semi-árido (longe da influência oceânica), com diferenças extremas de temperatura entre o inverno e o verão.

– Temperaturas

As temperaturas do inverno são extremamente baixas e as temperaturas do verão são muito altas. Por exemplo, nas estepes do Cazaquistão, a temperatura mínima chega a -52 ° C (janeiro) e a temperatura máxima até 42 ° C (julho).

Nas estepes de Hulun Buir (Mongólia Interior, China) existem geadas noturnas na maior parte do ano e as temperaturas médias variam entre 0 e 3 ° C.

Nas estepes da Patagônia, a temperatura média do mês mais frio é de -1 a -3 ° C. Além disso, fortes ventos secos sopram do oeste, especialmente no verão.

– Precipitação

A precipitação anual é baixa, variando de 200 a 400 mm em média anual e na estepe de Hulun Buir a precipitação varia de 250 a 350 mm.

Por outro lado, nas estepes da Patagônia, a precipitação média anual não é superior a 200 mm.

Vida selvagem

– Estepe da Eurásia

Estas estepes são particularmente ricas em roedores, incluindo lebres como Lepus tolai , o rato da montanha coreano ( Apodemus peninsulae ) e esquilos ( Sciurus vulgaris ).

Os principais herbívoros da estepe asiática são o antílope saiga ( Saiga tatarica ) e o cavalo Przewalski ou mongol ( Equus ferus ). O antílope saiga habita a Rússia na China, estendendo-se para a Ásia central e corre o risco de caça furtiva.

Estepe: características, tipos, flora, fauna, relevo, clima 5

Antílope Saiga (Saiga tatarica). Fonte: Navinder Singh [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)]

O cavalo mongol é a única espécie de cavalo selvagem do mundo e vive nas estepes, da China e da Mongólia à Ucrânia. Há também o cervo siberiano ou asiático ( Capreolus pygargus ), um parente do cervo europeu, capaz de saltar horizontalmente até 15 metros.

Entre os répteis, destaca-se a tartaruga das estepes ou a russa ( Testudo horsfieldii = Agrionemys horsfieldii ), distribuída pela Eurásia.

– estepe da Patagônia

Pássaros

Nas estepes patagônicas, abundam as aves, entre elas o tinamú ( Tinamotis ingoufi ). Há também o rouxinol da Patagônia ( Mimus patagonicus ) e o tentilhão amarelo da Patagônia ( Sicalis lebruni ).

Relacionado:  Bear Lake: história, características, rios que correm

Entre algumas espécies de aves endêmicas, destaca-se o Pachonaur piquicurva ( Limnornis curvirostris ).

Das duas espécies de ñandú do cone sul da América do Sul, Rhea pennata habita a estepe patagônica. É um pássaro corredor onívoro que se alimenta de sementes, frutas e pequenos animais.

Mamíferos

Entre os mamíferos que habitam a estepe estão o veado- campeiro ( Ozotoceros bezoarticus celer ) e o guanaco ( Lama guanicoe ). Também faz parte da área de distribuição do puma ( Felis concolor ), que é o maior carnívoro da região.

Também é possível encontrar outros carnívoros, como o gato Geoffroy ( Felis geoffroyi ), a raposa pampa ( Dusicyon gymnocercus ) e o gambá comum ( Conepatus chinga ).

Atividades econômicas

Historicamente, as extensas estepes da Eurásia têm sido a rota de migração, comércio e invasões entre a Europa e a Ásia. Por outro lado, tradicionalmente são terras dedicadas à agricultura e pecuária.

– Produção agrícola e pecuária

Do ponto de vista agrícola, os cereais, especialmente trigo, centeio e cevada, além de forragens, são cultivados nas estepes.

O desenvolvimento da pecuária é principalmente bovinos, ovinos e caprinos. Por exemplo, a criação de ovinos é uma atividade difundida nas estepes da Patagônia.

– Operações mineiras

As estepes do Cazaquistão são áreas de exploração de petróleo e vários minerais.

– Caça

As populações de veados dos pampas ainda estão sujeitas a caça furtiva. Da mesma forma, nas estepes asiáticas, o antílope saiga ainda está sendo caçado. Isto se deve principalmente à demanda de seus chifres pela medicina tradicional chinesa.

– Turismo

Existem áreas de estepes protegidas sob a figura de parques nacionais onde ocorrem atividades turísticas. Por exemplo, os parques nacionais de Kiskunság e Hortobágy na estepe húngara ( Puszta ).

Por sua vez, esportes de inverno e caça esportiva são muito comuns nas estepes de Hulun Buir (Mongólia Interior, China).

Exemplos de estepes no mundo

– A estepe siberiana

Esta região se estende até a Sibéria Ocidental, na parte oriental da Rússia, incluindo o norte da Mongólia. Faz fronteira com o norte com florestas de folha caduca temperadas, florestas mistas e em algumas áreas diretamente com a taiga.

Na Mongólia, faz fronteira ao sul com o deserto de Gobi. O termo “estepe” foi cunhado com referência a essa região específica.

Algumas áreas são da própria estepe, enquanto em outras há uma combinação de estepe arborizada. Grandes lagos, como o Lago Baikal, estão localizados na área.

Flora

O número de espécies de plantas nesta região é estimado em 800 e é considerado o centro de origem de alguns gêneros de gramíneas, como Stipa . Entre as espécies predominantes desse grupo estão Stipa zalesskii , Stipa lessingiana e Stipa capillata , entre outras

Também existem muitas espécies de Festuca valesiaca e Festuca rupicola , além de espécies de Koeleria cristata e Agropyron e Helictotrichon .

Entre os arbustos e sub-arbustos, domina o gênero Artemisia , com espécies como Artemisia austríaca e Artemisia lerchiana , entre muitas outras.

Outros arbustos são Rosaceae do gênero Spiraea e leguminosas do gênero Caragana . Existem também espécies de árvores dispersas ou manchas arborizadas, com Pinus sylvestris e Populus tremula .

Vida selvagem

O maior herbívoro é o antílope saiga e também existem roedores do gênero Spermophilus ou hamsters ( Cricetus , Cricetulus , Phodopus ). Outros animais comuns nesta estepe são as toupeiras ( Microtus sp.) Ou a marmota das estepes ( Marmota bobac ).

Entre os carnívoros estão os lobos ( Canis lupus ) e as raposas ( Vulpes vulpes e Vulpes corsac ).

– As estepes da Ásia Ocidental

Esta região é a confluência do platô da Anatólia, do Cáucaso Menor e do platô iraniano, por isso possui uma alta biodiversidade. Infelizmente, o desenvolvimento agrícola e industrial contribuiu para a degradação dos ecossistemas.

Flora

Dominam gramíneas de gêneros como Poa e Stipa e outras espécies como Triticum araraticum , Triticum urartu e Secale vavilovii . Estes últimos fazem parte dos grupos ancestrais de culturas relevantes, como trigo ( Triticum aestivum ) e centeio ( Secale cereale ).

Vida selvagem

Nesta região habita a hiena listrada ( hiena hiena ) e o furão de mármore ( Vormela peregusna ). Também aves como o falcão peregrino ( Falco peregrinus ) e a águia dourada ( Aquila chrysaetos ), bem como répteis como a víbora iraniana ( Vipera raddei ).

– Estepes da Patagônia (Argentina)

Ao sul da Argentina e sudeste do Chile, na Patagônia, existe uma região de montanhas baixas, planaltos e planícies. Nessas terras, estepes (20%), arbustos (30%) e áreas semi-desérticas (45%), além de pastagens úmidas, são desenvolvidas.

É uma área de alta biodiversidade, mas carece de valores de conservação e onde a atividade agrícola é intensa. Especialmente a criação de ovinos teve um alto impacto nessa área, causando desertificação.

Flora

Entre as gramíneas, existem várias espécies de Poa , Festuca e Stipa , acompanhadas de arbustos como Mulinum spinosum e Brachyclados caespitosus .

Vida selvagem

Várias espécies de mamíferos habitam esta estepe, incluindo o guanaco ( Lama guanicoe ). Além disso, existem os pigüis ( Dolichotis patagonum ), a Patagonia vizcacha ( Lagidium wolffsohni ) e o furão patagônico ( Lyncodon patagonicus ).

Outro animal comum que habita as estepes da Patagônia é a raposa vermelha da Patagônia ( Lycalopex culpaeus magellanicus ).

Referências

  1. Borrelli, P. (2001). Produção animal em pastagens naturais. Cap. 5 In: Borrelli, P. e Oliva, G. Pecuária sustentável no sul da Patagônia.
  2. Calow, P. (Ed.) (1998). A enciclopédia de ecologia e gestão ambiental.
  3. Cao G, Tang Y, Mo W, Wang Y, Li Y e Zhao X (2004). A intensidade do pastejo altera a respiração do solo em um prado alpino no planalto tibetano. Biologia do Solo e Bioquímica.
  4. Christensen L, Coughenour MB, Ellis JE e Chen ZZ (2004). Vulnerabilidade das estepes típicas asiáticas ao pastoreio e às mudanças climáticas. Mudança climática
  5. Guias de cobrança cruzada (2008). O guia da natureza para a planície de inundação do rio Hortobágy e tisza – Hungria.
  6. De Soo, R. (1929). Die Vegetation e Die Entstehung der Ungarischen Puszta. O Jornal de Ecologia.
  7. Purves, WK, Sadava, D., Orians, GH e Heller, HC (2001). Vida A ciência da biologia.
  8. Raven, P., Evert, RF e Eichhorn, SE (1999). Biologia das plantas.
  9. World Wild Life (Ver em 5 de agosto de 2019). worldwildlife.org
  10. Zhang G, Xu X, Zhou C, Zhang H e Ouyang H (2011). Respostas da vegetação das pastagens às variações climáticas em diferentes escalas temporais nas pastagens de Hulun Buir nos últimos 30 anos. Revista de Ciências Geográficas.

Deixe um comentário