Estimulação precoce: objetivos, exercícios e benefícios

A estimulação precoce é uma abordagem terapêutica que visa promover o desenvolvimento integral de bebês e crianças desde os primeiros meses de vida. Através de exercícios e atividades específicas, busca-se estimular as habilidades motoras, cognitivas, sociais e emocionais, proporcionando um ambiente propício para o desenvolvimento saudável da criança. Neste contexto, este artigo irá abordar os principais objetivos da estimulação precoce, exemplos de exercícios e os benefícios que podem ser alcançados por meio dessa prática.

Por que é importante estimular crianças desde cedo: conheça os objetivos da estimulação precoce.

Estimular crianças desde cedo é de extrema importância para o seu desenvolvimento global. A estimulação precoce consiste em atividades que visam promover o desenvolvimento físico, cognitivo, emocional e social da criança desde os primeiros anos de vida. É fundamental proporcionar um ambiente rico em estímulos para que a criança possa explorar, aprender e se desenvolver de forma saudável.

Um dos principais objetivos da estimulação precoce é promover o desenvolvimento das habilidades motoras, cognitivas e sociais da criança. Através de atividades lúdicas e desafiadoras, a criança é estimulada a explorar o mundo ao seu redor, desenvolvendo sua capacidade de aprendizado e interação com o ambiente.

Além disso, a estimulação precoce também tem como objetivo prevenir possíveis atrasos no desenvolvimento, identificando precocemente possíveis dificuldades e intervindo de forma adequada. Dessa forma, é possível potencializar as habilidades da criança e minimizar possíveis impactos negativos no seu desenvolvimento futuro.

Existem diversos exercícios que podem ser realizados para estimular a criança desde cedo, como brincadeiras que estimulam a coordenação motora, jogos que desenvolvem a cognição e atividades que promovem a interação social. É importante adaptar as atividades de acordo com a idade e as habilidades da criança, garantindo um estímulo adequado e positivo.

Os benefícios da estimulação precoce são inúmeros, contribuindo para o desenvolvimento saudável da criança, a promoção da sua autonomia e independência, a melhoria da sua autoestima e a prevenção de possíveis dificuldades no futuro. Portanto, é fundamental investir na estimulação desde cedo para garantir um desenvolvimento pleno e saudável da criança.

Qual é a finalidade principal da educação infantil?

A finalidade principal da educação infantil é proporcionar um ambiente seguro, estimulante e acolhedor para as crianças em sua fase inicial de desenvolvimento. Neste período crucial, as crianças estão formando suas bases cognitivas, emocionais, sociais e físicas, e a educação infantil desempenha um papel fundamental nesse processo.

Uma das formas de promover um desenvolvimento saudável é por meio da estimulação precoce. A estimulação precoce consiste em atividades e exercícios que visam estimular o desenvolvimento global da criança desde os primeiros anos de vida. Estes exercícios têm como objetivo promover o desenvolvimento motor, cognitivo, emocional e social da criança, preparando-a para as etapas seguintes da educação.

Alguns dos exercícios utilizados na estimulação precoce incluem brincadeiras que estimulam a coordenação motora, jogos que desenvolvem a atenção e a concentração, atividades que promovem a linguagem e a comunicação, entre outros. Essas atividades são planejadas de acordo com a idade e o desenvolvimento de cada criança, respeitando suas individualidades e necessidades.

Os benefícios da estimulação precoce são inúmeros. Quando as crianças recebem estímulos adequados desde cedo, elas têm mais chances de desenvolver habilidades importantes, como a resolução de problemas, a criatividade, a autonomia, entre outras. Além disso, a estimulação precoce contribui para a formação de uma base sólida para o aprendizado futuro, preparando as crianças para os desafios da vida escolar e além.

Portanto, a educação infantil e a estimulação precoce caminham juntas na busca pelo desenvolvimento integral das crianças, preparando-as para um futuro promissor e cheio de oportunidades. Investir nesse período inicial da vida das crianças é fundamental para garantir um crescimento saudável e uma base sólida para o seu desenvolvimento futuro.

Qual a finalidade da estimulação na prática clínica e educacional?

A estimulação precoce é uma prática fundamental tanto na área clínica quanto na educacional. Seus principais objetivos são promover o desenvolvimento global da criança, prevenir possíveis atrasos ou deficiências e potencializar suas habilidades desde os primeiros anos de vida.

Na prática clínica, a estimulação precoce é utilizada para identificar precocemente possíveis problemas de desenvolvimento, permitindo intervenções mais eficazes e direcionadas. Isso contribui para o bem-estar e qualidade de vida da criança, além de facilitar o trabalho dos profissionais de saúde.

Já na área educacional, a estimulação precoce visa preparar a criança para os desafios da aprendizagem, estimulando suas habilidades cognitivas, motoras, sociais e emocionais. Dessa forma, crianças que recebem uma estimulação adequada desde cedo tendem a ter um melhor desempenho escolar e a desenvolver todo o seu potencial.

Os exercícios de estimulação precoce podem envolver atividades lúdicas, sensoriais, motoras e cognitivas, adaptadas às necessidades e características de cada criança. Eles são planejados de forma a estimular o desenvolvimento de habilidades específicas e a promover a interação e a comunicação.

Entre os benefícios da estimulação precoce, destacam-se a melhoria da coordenação motora, o estímulo da linguagem e da cognição, o fortalecimento dos laços afetivos e a promoção da autonomia. Além disso, essa prática contribui para a inclusão social e o desenvolvimento saudável da criança.

A relevância da estimulação e seus impactos positivos no desenvolvimento das crianças.

A estimulação precoce é de extrema importância para o desenvolvimento saudável das crianças, pois contribui para o aprimoramento das habilidades cognitivas, motoras, sociais e emocionais. Estimular a criança desde cedo pode trazer inúmeros benefícios a longo prazo, impactando positivamente em seu crescimento e aprendizado.

Um dos principais objetivos da estimulação precoce é proporcionar um ambiente favorável para que a criança possa explorar, descobrir e se desenvolver de forma adequada. Através de exercícios simples e estimulantes, é possível promover o desenvolvimento de habilidades essenciais, como a coordenação motora, a linguagem, a percepção sensorial e a socialização.

Além disso, a estimulação precoce também pode contribuir para a prevenção de possíveis atrasos no desenvolvimento e para a superação de eventuais dificuldades que a criança possa enfrentar. Com a prática regular de exercícios estimulantes, a criança pode adquirir maior autonomia, confiança e autoestima, o que refletirá positivamente em sua qualidade de vida e interação com o meio.

Portanto, é fundamental que os pais, cuidadores e educadores estejam atentos à importância da estimulação precoce e se empenhem em proporcionar um ambiente estimulante e enriquecedor para as crianças. Investir na estimulação desde cedo pode fazer toda a diferença no desenvolvimento e no futuro das crianças, preparando-as para enfrentar os desafios e oportunidades que surgirão ao longo de suas vidas.

Estimulação precoce: objetivos, exercícios e benefícios

A estimulação precoce é um conjunto de exercícios / atividades que servem para melhorar certas características de bebês de diferentes idades. Entre outras coisas, os sentidos são trabalhados, além de habilidades mentais como memória , atenção, curiosidade e desenvolvimento do sistema nervoso .

A estimulação precoce é essencial para ajudar as crianças a alcançar marcos do desenvolvimento o mais rápido possível, além de criar as bases para que mais tarde possam gerar habilidades motoras e cognitivas avançadas. Além disso, também é essencial incentivar o desenvolvimento da inteligência.

Relacionado:  10 Deveres das Crianças em Casa de Ajudar

Estimulação precoce: objetivos, exercícios e benefícios 1

Fonte: pixabay.com

Os exercícios específicos relacionados aos cuidados precoces dependerão da idade da criança. Dependendo do mês ou ano que você tiver, será necessário executar diferentes tarefas que levem em conta suas necessidades específicas e as habilidades mais convenientes para se trabalhar.

Neste artigo, você descobrirá uma série de atividades que você pode usar para desenvolver as habilidades do seu bebê através de estímulos precoces. Nós os dividimos por meses, para que você possa facilmente encontrar aqueles que melhor se adequam ao momento específico em que ambos estão vivendo.

Objetivos

Estimulação precoce: objetivos, exercícios e benefícios 2

Permita que a criança se desenvolva ao máximo

Numerosas investigações provaram que, para uma criança atingir seu potencial máximo em termos de habilidades físicas, sociais e cognitivas, ela precisa ser estimulada o suficiente durante seus primeiros meses e anos de vida.

Assim, por exemplo, habilidades mentais, como inteligência ou criatividade, não podem se desenvolver ao máximo, se não forem realizadas boas atividades de estimulação precoce. Ao mesmo tempo, certas habilidades físicas também podem se desenvolver menos do que o normal sem esse tipo de intervenção.

Ajudá-lo a passar por cada estágio de desenvolvimento da melhor maneira

Nos primeiros anos de vida, as crianças passam por uma série de fases no desenvolvimento cognitivo e físico. Embora se acredite que eles possam fazer isso sem ajuda, a estimulação precoce permitirá que eles sejam alcançados mais rapidamente e sem enfrentar tantas dificuldades.

Melhore a interação pai-filho

Ter uma estrutura e diretrizes que indiquem como é necessário agir durante os primeiros meses de vida da criança ajuda muitos pais (especialmente os novatos) a saber como se comportar com eles.

Isso pode ser muito útil no sentido de que tira muita pressão dos adultos, que, de outra forma, podem estar excessivamente preocupados com a forma como eles devem agir para aproveitar plenamente a experiência de ter um filho.

Benefícios

Estimulação precoce: objetivos, exercícios e benefícios 3

Já vimos que a estimulação precoce é um processo fundamental para ajudar os pequenos em seu desenvolvimento. Mas quais são seus principais benefícios? A seguir, veremos uma pequena lista com as mais importantes.

Estimula o desenvolvimento psicomotor

O benefício que podemos começar a observar em uma criança quando realizamos um processo de estimulação precoce é o desenvolvimento de suas habilidades psicomotoras. Esse é o conjunto de habilidades que permitem que as crianças aprendam a controlar seu corpo de maneiras cada vez mais sofisticadas.

Assim, por exemplo, durante os primeiros meses de vida, as crianças aprenderão a controlar seus membros, ficar em pé e agarrar objetos; e quando eles são um pouco mais velhos, eles podem começar a se mover por conta própria. Habilidades como engatinhar ou caminhar também são adquiridas mais rapidamente com a ajuda da estimulação precoce.

Promove o desenvolvimento de habilidades cognitivas

O desenvolvimento intelectual das crianças é ainda mais complexo do que o relacionado às habilidades físicas. Capacidades como inteligência, curiosidade, observação e criatividade só aparecerão da melhor maneira se forem corretamente estimuladas durante os primeiros anos de vida da pessoa.

Assim, a genética limita as habilidades intelectuais que uma criança pode adquirir ao longo de sua vida; mas somente por estímulo precoce será possível atingir esse máximo.

Identificar possíveis distúrbios do desenvolvimento

A estimulação precoce é a melhor ferramenta para levar uma criança a alcançar os diferentes estágios de maturidade o mais rápido possível. Por esse motivo, também serve para perceber o mais rápido possível o aparecimento de qualquer tipo de distúrbio, seja intelectual, linguagem ou psicomotor.

Esse benefício é especialmente importante, pois quanto mais cedo um problema for detectado, mais cedo você poderá começar a trabalhar nele. A intervenção precoce nesse sentido é essencial para que a criança alcance a melhor qualidade de vida possível.

Permite que a criança desenvolva suas habilidades emocionais

A última das áreas em que você pode ver os benefícios da estimulação precoce é emocional. A interação das crianças com seus pais e pessoas próximas formará a base das habilidades sociais e emocionais que elas têm quando adultos. Portanto, muitas das atividades que veremos abaixo também integram um componente social.

Exercícios por idade

Estimulação precoce: objetivos, exercícios e benefícios 4

A seguir, veremos quais são os melhores exercícios de estimulação precoce que você pode realizar com seu bebê, dependendo da idade dele. Lembre-se de que, embora não seja necessário fazer todas elas, quanto mais você praticar, mais benefícios obterá.

Recém nascido

Durante o primeiro mês de vida do bebê, o objetivo mais importante que você deve ter em mente é se acostumar a reagir a diferentes tipos de estímulos. Portanto, a estimulação precoce nesse período se concentra no fornecimento de informações visuais, auditivas, táteis, olfativas e de sabor de forma contínua.

Nesse período, não é necessário realizar atividades muito complexas. Estímulos simples como cantar para a criança, manter contato visual com ela, fazer caretas ou tentar agarrar um objeto são mais do que suficientes para mantê-lo ativo. Obviamente, também é altamente recomendável conversar com o bebê (especialmente de maneira suave e doce).

Além disso, desde que nascem, é interessante mantê-los durante o horário de vigília em ambientes com muitos estímulos. Assim, em vez de deixá-lo trancado em seu quarto, levá-lo a todos os lugares, passear e passear pela casa podem ser atividades muito benéficas.

Finalmente, o contato físico é muito importante durante este primeiro mês. Levá-lo nos braços, acariciá-lo e, em geral, interagir com seu bebê é essencial para o seu desenvolvimento.

Primeiro mês

Quando atingem o primeiro mês de vida, as crianças podem começar a exercer algum controle sobre seu próprio corpo. Portanto, embora seja necessário continuar mantendo as atividades mencionadas na seção anterior, você também pode começar a realizar exercícios voltados à estimulação física e psicomotora.

Nesse sentido, você pode executar basicamente dois tipos de exercícios. Por um lado, agarrar gentilmente os membros da criança e movê-los com cuidado pode ajudá-lo a perceber onde estão os limites do seu corpo. Exemplos de exercícios podem ser tocar as palmas das mãos com ele, fazer as mãos se entrelaçarem ou fazer cócegas nos pés.

Por outro lado, nesse estágio, começa a ser mais importante para ajudá-lo a ter algum controle sobre seus membros. Para isso, é melhor apresentar objetos leves e estimulantes (como chocalhos ou pulseiras com sinos) e incentivá-lo a pegá-los e movê-los por conta própria.

Segundo mês

Durante o segundo mês, a criança começa a ser capaz de se sustentar e fazer pequenos movimentos coordenados com todo o corpo. Portanto, nesta fase, os exercícios devem se concentrar em ajudá-lo a controlar melhor seus membros e começar a se mover voluntariamente.

Relacionado:  Lista de verificação: características, como fazê-lo, vantagens e exemplos

Um exercício muito útil nesta fase é derrubar a criança de cabeça para baixo com a intenção de se virar sozinha. Provavelmente eu não entendo a princípio; mas o simples ato de tentar já ajudará bastante em seu desenvolvimento. Para ajudá-lo, pode ser aconselhável empurrá-lo levemente para o lado enquanto estiver nessa posição.

Por outro lado, também é necessário ajudá-lo a manter a cabeça erguida. Um dos melhores exercícios nesse sentido é o seguinte. Coloque um objeto estimulante ao nível dos olhos (como um chocalho) e, quando estiver olhando para ele, levante-o lentamente até ficar acima da cabeça. O bebê deve tentar mexer o pescoço.

Finalmente, nesta fase, as crianças também começarão a fazer suas primeiras vocalizações. Converse muito com o bebê; e quando emitir algum ruído, sorria e repita o mais fielmente possível. Dessa forma, você é incentivado a produzir mais e mais sons, que acabarão se tornando palavras.

Terceiro mês

O terceiro mês de vida é provavelmente um dos mais importantes para o desenvolvimento de um bebê. Nesse período, as crianças começam a observar seus arredores mais de perto e tentam entender como o mundo ao seu redor funciona. Portanto, a estimulação sensorial e cognitiva é mais importante do que nunca.

Durante o terceiro mês, as atividades anteriores (especialmente aquelas relacionadas ao movimento e controle de membros) permanecem muito importantes; mas é necessário colocar mais ênfase nos sentidos e na interação com a criança.

Um dos exercícios mais úteis nesse período é jogar “cuco”; isto é, coloque um objeto ou mãos em seu próprio rosto e, em seguida, descubra-o e faça barulhos engraçados enquanto a criança está assistindo. Isso pode ajudar os pequenos a desenvolver o que é conhecido como “permanência do objeto”, algo fundamental nesta fase.

Por outro lado, no terceiro mês, os bebês já podem interagir mais com o ambiente. O estímulo precoce nesta fase deve se concentrar em conversar com eles o máximo possível, ensinando-lhes diferentes tipos de estímulos e permitindo-lhes explorar seu ambiente e agir por si mesmos. É provável que, nesta fase, a curiosidade do bebê aumente bastante.

Quarto mês

Durante o quarto mês, os marcos mais importantes do desenvolvimento permanecem os mesmos: alcançar autonomia de movimento, incentivar a curiosidade e começar a estimular a produção de sons. Os exercícios deste mês podem ser muito semelhantes aos do anterior, embora seja bom colocar desafios crescentes à criança.

Assim, por exemplo, é aconselhável colocar o bebê de cabeça para baixo para brincar por longos períodos de tempo, para que ele próprio tenha que se virar, se quiser.

Você também deve sentar-se na posição vertical e tentar mantê-lo sozinho, mantendo-o com a força mínima necessária para que não caia.

Quinto e sexto mês

Durante esse período, o bebê começará a interagir de forma mais autônoma. Entre outras coisas, é comum as crianças começarem a pegar objetos e jogá-los no chão para verificar suas propriedades. A tarefa dos pais é colocar à sua disposição uma ampla variedade de estímulos para investigá-los.

Além disso, colocar objetos estimulantes um pouco fora do alcance, para tentar engatinhar e agarrá-los, pode ser muito útil para o bebê.

De seis meses por ano

Durante a segunda metade do primeiro ano, todos os tipos de mudanças ocorrem enquanto o bebê deixa de ser um ser totalmente desamparado para adquirir os primeiros vestígios de autonomia. Nesse período, normalmente são alcançados marcos muito importantes, como a produção das primeiras palavras ou o rastreamento.

A estimulação precoce nesse momento deve se concentrar tanto nos aspectos físicos e cognitivos quanto nos sociais. Algumas atividades recomendadas podem estar conversando com a criança tentando “responder”, mostrar imagens dos objetos e descrevê-los, ou fazer com que ela rasteje no chão para encontrar seus pais.

Por outro lado, todos os jogos típicos de bebês que envolvem contato físico (como os “cinco lobos”) são altamente recomendados nessa idade.

Até o segundo ano

Desde o primeiro ano, o desenvolvimento dos bebês parece disparar. Nesse período, surgem novas habilidades, como caminhar, desenhar, falar de maneira simples, responder perguntas e poder interagir com outras pessoas de maneira bidirecional.

Se o trabalho de estimulação precoce foi realizado corretamente em estágios anteriores, as crianças com mais de um ano de idade tendem a ser muito mais autônomas e entram em uma fase totalmente diferente. A partir deste momento, os pequenos poderão explorar por conta própria e terão um papel mais ativo em seu desenvolvimento.

Exercícios por habilidade

Motilidade fina

1- Estimula a sensibilidade do rosto . Coloque os polegares no centro da testa do bebê e deslize-os para os lados. Em seguida, coloque os dedos nas laterais do nariz e faça o mesmo nas bochechas. Para estimular os lábios, faça o mesmo movimento como se você estivesse marcando bigodes.

2- Estimula a sensibilidade do corpo . Percorra o corpo do seu filho com uma toalha ou algodão e acaricie cada parte do corpo, tentando fazer cócegas, como você o chama.Recomenda-se que o bebê fique sem roupa; portanto, após o banho, pode ser um bom momento para ele.

Quando estiver um pouco maior, você pode usar a mão para tocar em cada uma das partes enquanto as nomeia. E quando ele aprender a falar, será o mesmo que o indicado por cada um deles.

3- Coloque na mão objetos com texturas diferentes, por exemplo, uma colher, um papel, uma esponja, uma toalha … e incentive-o a examiná-lo e brincar com ele. Você também pode usar objetos de tamanhos diferentes e motivá-los a passá-los de uma mão para outra.

Enquanto isso, converse e interaja com seu bebê, você pode perguntar qual dos objetos ele mais gosta, explicar o que é cada coisa etc.À medida que cresce, você pode deixá-lo brincar com argila, massa de farinha, papel que pode quebrar e enrugar, areia, água …

4- Sente-se com ele , abra uma história e deixe as folhas passarem. Leia a história e veja as ilustrações do livro. Você também pode pedir ao seu bebê que as mostre enquanto conta a história de cada personagem.

5- Brinque com ele para retirar e retirar objetos de um balde ou barco e classificá-los por cor, tamanho e forma. Você também pode incentivá-lo a fazer torres e construções com peças ou caixas e ensiná-lo a amarrar aros em uma corda, ajudando-o até que ele possa fazer isso sozinho.

6- Desenhar é algo muito importante durante a infância , para que você possa motivá-lo a pegar um lápis e papel e começar a desenhar. No começo, começará com riscas e rabiscos até adquirir mais habilidade e chegar a desenhar figuras e quem sabe se existe alguma obra de arte.

Relacionado:  O que as crianças e os jovens do século XXI devem aprender a agir no mundo de hoje?

– Motor bruto

1- Coloque-o em gatos , colocando uma toalha ou cobertor enrolado embaixo dele e mostre-lhe um brinquedo para que ele tente alcançá-lo para que seja apoiado em uma mão. Além disso, você pode apoiar as mãos nas solas dos pés e empurrá-lo para ajudá-lo a engatinhar e pegar o brinquedo.

Se ele já engatinha, incentive-o a ir buscar o brinquedo ou chegar até você.

2- Deite-se de costas e puxe delicadamente as mãos até que você esteja sentado; se ainda não estiver sozinho, você pode colocar almofadas ao redor para evitar que se desloquem para os lados.

Quando estiver sentado, segure-o pelos ombros e balance-o suavemente para os lados, depois faça o mesmo exercício para frente e para trás.

Se você já se sente sozinho, ensine-o a usar as mãos para descansar no chão. Quando você aprender, empurre-o levemente para os lados com a intenção de usar as mãos para evitar cair.

3-Quando você tiver idade suficiente, mostre a ele como se levantar. Você pode começar ajoelhado e, em seguida, levantar-se segurando você ou algum outro apoio. Então, você pode ensiná-lo a sentar e agachar.

Para encorajá-lo a andar, mostre-lhe como ajudá-lo a seguir em frente e apoiar um pé e depois o outro. Quando ele aprender um pouco de mecânica, você pode colocar um brinquedo na frente dele e incentivá-lo a alcançá-lo. Você será o apoio dele até que ele consiga fazê-lo por conta própria.

10-À medida que cresce, você pode aumentar a complexidade dos exercícios que pode fazer levantados. Por exemplo, brinque com ele para se abaixar e se levantar, persegui-lo para correr, pular corda ou de pequenas alturas como um degrau. Incentive-o a jogar bola, ponta dos pés, pular obstáculos, dançar …

-Idioma

1 – Embora os bebês nascidos não saibam articular palavras ou frases, isso não significa que eles não sabem se comunicar. Sua forma de comunicação, na ausência de palavras, é através de gestos, balbuciando, gritando e, acima de tudo, chorando. Então, toda vez que você emitir um som ou tagarelar , imite-o e converse com seu bebê e, é claro, se ele chorar, ele atenderá sua ligação. Com isso, você será motivado a se comunicar, pois o bebê aprende que toda vez que ele se expressa, alguém responde.

2-É importante que você chame seu filho pelo nome com um tom afetuoso e fale com ele, sorria para ele e mostre afeto a ele.

3-Na hora do almoço, nomeie cada um dos alimentos para identificá-los. Além disso, você pode interagir com ele perguntando se ele gosta de comida ou se quer mais. Se você ainda não fala, sua resposta será um sorriso ou algum gesto.

4-À medida que aprende as palavras, incentive -o a chamá-lo pelo nome sempre que ele quiser algo e reserve algum tempo para conversar com ele.

Ao conversar com crianças, o uso de diminutivos ou palavras modificadas é muito frequente e isso é um erro. É importante que as crianças sejam ditas de forma clara e com frases completas, evitando diminutivos e incluí-las nas conversas familiares, como se pudessem falar perfeitamente.

5- Compartilhe momentos de leitura com ele . Você pode ler uma história para ele e depois ele / ela repete parte da história e você pode até fazer isso na forma de teatro. Muito mais divertido!

Você também pode ensinar-lhes canções infantis, tocar formação de palavras ou enigmas.

-Social

1 – Toda vez que você interagir com seu bebê, faça-o olhando para o rosto dele , com um sorriso e acompanhado de alguma carícia ou gesto de carinho. Faça-o rir e celebrar sua risada, para ver o que é apreciado enquanto é alegre.

2- É costume o pequeno estar com outras pessoas , brincar com elas e interagir. Sempre respeitando seu tempo e não forçando-o a estar com alguém que ele não quer.

3- Ensine a ele as regras sociais básicas como dizer olá, adeus, por favor, obrigado … e bons hábitos como lavar as mãos, pegar os brinquedos depois de terminar de brincar ou ajudá-lo a fazer as tarefas domésticas.

4 – Ajude-o a se conhecer , a saber como se sente, a gerenciar e expressar esses sentimentos.

Algumas sugestões

  • Desenvolva atividades com seu bebê em um ambiente silencioso, relaxado e seguro. Você pode acompanhá-los com músicas, músicas e rimas e transformá-los em um jogo.
  • Se você não quiser fazer os exercícios, não o force. Deve ser um momento divertido para compartilhar, não para se divertir.
  • Lembre-se da idade e do momento evolutivo do seu bebê e adapte as atividades às habilidades dele.
  • Seria interessante se todas as pessoas encarregadas do cuidado diário do bebê estivessem envolvidas e envolvidas.
  • Um bom momento para realizar os exercícios de estimulação é quando você está acordado e calmo. Se você acabou de alimentá-lo, deixe pelo menos 30 minutos antes de iniciar as atividades.
  • Você pode tirar proveito das tarefas diárias, como alimentar, vestir ou tomar banho, para realizar atividades de estimulação.
  • Todos nós gostamos de saber o que fazemos de algo bem e que eles nos reforçam, para que seu bebê não seja menor. É importante que você recompense os resultados obtidos com um carinho, um sorriso ou um gesto afetivo.
  • A repetição é necessária para que a estimulação seja eficaz. Repita os exercícios pelo menos cinco vezes, de preferência diariamente, e mantenha-os por um longo período de tempo para alcançar os resultados desejados.
  • É aconselhável reservar algum tempo entre um exercício e outro para o seu pequeno descansar, pois isso o manterá interessado e com maior disposição para realizar a atividade a seguir.
  • Não é necessário investir em instrumentos ou brinquedos caros para realizar os exercícios de estimulação; você pode projetar os jogos e ferramentas que deseja usar.

Referências

  1. “A importância da estimulação infantil” em: Brill Baby. Retirado em: 08 de março de 2019 de Brill Baby: brillbaby.com.
  2. “Benefícios da estimulação precoce” em: Floresta de fantasias. Retirado em: 08 de março de 2019 de Fantasy Forest: blog.bosquedefantasias.com.
  3. “Estimulação para bebês de 0 a 6 meses, mês a mês” em: Children’s Guide. Retirado em: 08 de março de 2019 de Children’s Guide: guiainfantil.com.
  4. “Estimulação mês a mês” em: Cara mãe. Retirado em: 08 de março de 2019 de Face Mamá: facemama.com.
  5. “Jogos de bebê” em: Caminhos. Retirado em: 08 de março de 2019 de Pathways: pathways.org.

Deixe um comentário