Fagossomo: características, formação e funções

O fagossomo é uma estrutura celular presente em organismos eucariontes, que desempenha um papel fundamental no processo de fagocitose. Ele é formado a partir da fusão da membrana plasmática com uma vesícula contendo partículas ou microrganismos a serem fagocitados. Uma vez formado, o fagossomo se funde com lisossomos, formando um fagolisossomo, onde ocorre a digestão dos materiais fagocitados.

As principais funções do fagossomo incluem a ingestão de partículas estranhas, como bactérias, vírus e restos celulares, e a eliminação de substâncias indesejadas ou prejudiciais ao organismo. Além disso, o fagossomo também desempenha um papel importante na regulação do sistema imunológico, na degradação de proteínas e no transporte de moléculas dentro da célula.

Em resumo, o fagossomo é uma estrutura essencial para a manutenção da homeostase celular e para a defesa do organismo contra agentes patogênicos, desempenhando um papel crucial na saúde e no funcionamento adequado dos organismos eucariontes.

Entendendo o processo de formação do fagossomo: uma visão detalhada sobre sua estrutura.

O fagossomo é uma estrutura celular responsável pela digestão intracelular em organismos eucarióticos. Ele é formado a partir da fusão da membrana plasmática com uma partícula estranha, como uma bactéria ou um fragmento de alimento.

Para entender melhor o processo de formação do fagossomo, é importante observar sua estrutura detalhadamente. O fagossomo é delimitado por uma membrana chamada de membrana fagossômica, que envolve o material a ser digerido. Dentro do fagossomo, ocorre a digestão enzimática do conteúdo, que é realizada por enzimas lisossômicas.

Uma vez formado, o fagossomo se funde com os lisossomos, formando um fagolisossomo. Nesse compartimento, as enzimas lisossômicas atuam na degradação do material fagocitado, liberando os nutrientes que serão utilizados pela célula.

O fagossomo desempenha um papel fundamental no sistema imunológico, permitindo a eliminação de agentes patogênicos e no processo de reciclagem de componentes celulares. Além disso, sua formação está diretamente relacionada com a capacidade da célula de manter a homeostase e garantir seu funcionamento adequado.

Em resumo, o fagossomo é uma estrutura essencial para a sobrevivência das células eucarióticas, responsável pela digestão intracelular e pela manutenção da integridade celular. Compreender o processo de formação e as funções do fagossomo é fundamental para o avanço do conhecimento na área da biologia celular.

Principais atributos da fagocitose: entenda o processo de ingestão de partículas pelas células.

A fagocitose é um processo fundamental para o funcionamento do sistema imunológico, no qual as células são capazes de englobar e destruir partículas estranhas ao organismo, como bactérias, vírus e restos celulares. Esse mecanismo é essencial para a defesa do corpo contra agentes patogênicos.

Os principais atributos da fagocitose envolvem a capacidade das células fagocíticas de reconhecer e capturar as partículas alvo, formando uma estrutura chamada fagossomo. Esse processo é mediado por receptores específicos na membrana celular, que reconhecem moléculas presentes na superfície das partículas a serem fagocitadas.

Uma vez formado o fagossomo, ocorre a fusão com lisossomos, organelas responsáveis pela digestão das partículas englobadas. Essa fusão resulta na formação de um fagolisossomo, onde enzimas digestivas atuam na quebra das partículas em componentes menores, que podem ser absorvidos pela célula ou expelidos através da exocitose.

Além de atuar na eliminação de agentes infecciosos, a fagocitose também desempenha um papel importante na regulação do sistema imunológico, na remoção de células mortas e no processo de cicatrização de tecidos. Portanto, é um mecanismo essencial para a manutenção da homeostase do organismo.

Relacionado:  Como os animais que vivem debaixo d'água conseguem respirar?

Quem são os principais tipos de células fagocíticas no organismo humano?

As células fagocíticas são um grupo de células do sistema imunológico responsáveis por englobar e destruir microrganismos invasores e outras substâncias estranhas. Os principais tipos de células fagocíticas no organismo humano são os macrófagos, os neutrófilos e as células dendríticas.

Os macrófagos são células grandes e especializadas que podem ser encontradas em vários tecidos do corpo, como no fígado, pulmões e baço. Eles são capazes de englobar uma grande quantidade de microrganismos e células danificadas, contribuindo para a defesa do organismo.

Os neutrófilos são células fagocíticas de rápida mobilização que circulam no sangue e são atraídos para locais de infecção ou inflamação. Eles são responsáveis por englobar e destruir bactérias, fungos e outros patógenos, ajudando a combater infecções.

As células dendríticas são células fagocíticas especializadas na apresentação de antígenos para outras células do sistema imunológico, desempenhando um papel crucial na ativação das respostas imunes adaptativas. Elas são encontradas em tecidos como a pele, os pulmões e os órgãos linfoides.

Características, formação e funções do Fagossomo

O fagossomo é uma estrutura celular que se forma quando uma célula fagocítica engloba partículas estranhas, como microrganismos, por meio de um processo chamado fagocitose. Após a formação do fagossomo, ele se funde com lisossomos, que contêm enzimas digestivas capazes de degradar o material englobado.

As funções do fagossomo incluem a destruição de microrganismos patogênicos, a eliminação de células mortas e a regulação da resposta imune. Além disso, o fagossomo desempenha um papel importante na apresentação de antígenos para outras células do sistema imunológico, auxiliando na ativação de respostas imunes específicas.

Em resumo, as células fagocíticas, como os macrófagos, os neutrófilos e as células dendríticas, desempenham um papel crucial na defesa do organismo contra agentes infecciosos e outras substâncias estranhas. O fagossomo, por sua vez, é uma estrutura essencial para a realização das funções fagocíticas, contribuindo para a manutenção da homeostase e a proteção do organismo contra agressores externos.

Entendendo a distinção entre fagossomo e fagolisossomo: qual a diferença entre eles?

Entendendo a distinção entre fagossomo e fagolisossomo: qual a diferença entre eles? Para compreendermos melhor essas estruturas celulares, é importante conhecer suas características, formação e funções.

O fagossomo é uma vesícula formada pela célula para englobar partículas sólidas do meio externo. Essas partículas são capturadas através do processo de fagocitose, no qual a célula as envolve com sua membrana plasmática. Uma vez formado, o fagossomo se funde com os lisossomos, formando o fagolisossomo.

O fagolisossomo é o resultado da fusão entre o fagossomo e os lisossomos. Nele, as enzimas lisossômicas realizam a digestão das partículas fagocitadas, liberando os nutrientes para serem utilizados pela célula. Após a digestão, os resíduos são eliminados pela célula através da exocitose.

Portanto, a diferença entre fagossomo e fagolisossomo está na etapa de digestão das partículas fagocitadas. Enquanto o fagossomo é a vesícula que engloba as partículas, o fagolisossomo é o resultado da fusão entre o fagossomo e os lisossomos, onde ocorre a digestão dessas partículas.

Em resumo, o fagossomo é responsável pela captura das partículas do meio externo, enquanto o fagolisossomo é responsável pela digestão dessas partículas para fornecer nutrientes à célula. Ambos desempenham um papel fundamental no processo de fagocitose e na manutenção do equilíbrio celular.

Fagossomo: características, formação e funções

Um fagossomo, também conhecido como vesícula endocítica, é uma vesícula formada como uma invaginação da membrana plasmática para abranger uma partícula ou microorganismo fagocitado. A fagocitose é o único método de alimentar alguns protistas e também é usada para esses fins por alguns metazoários mais baixos.

Na maioria dos animais, no entanto, a função fagocítica de algumas células é mantida, mas deixa de ter uma função nutricional para se tornar um mecanismo inespecífico de proteção contra patógenos, bem como para a remoção de células mortas ou senescentes.

Fagossomo: características, formação e funções 1

Ilustração básica da fagocitose. Tirada e editada em: GrahamColm na Wikipedia em inglês [CC BY-SA 3.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0)].

O fagossomo, formado durante a fagocitose, é então fundido a um lisossomo, para dar origem a um fagolisossomo. Nisto ocorre a digestão do material ingerido. Dessa maneira, o organismo pode capturar e eliminar bactérias. No entanto, alguns deles são capazes de sobreviver e até prosperar dentro dos fagossomos.

Caracteristicas

Para que os fagossomos se formem, os organismos patogênicos ou opsoninas devem se ligar a um receptor transmembranar, que é distribuído aleatoriamente na superfície das células dos fagócitos.

Opsoninas são moléculas que servem como marcadores, como anticorpos, que se ligam a patógenos e regulam o processo de fagocitose.

Como o fagossomo é formado como uma invaginação da membrana plasmática, sua membrana terá a mesma composição básica da bicamada lipídica.

Os fagossomos têm proteínas ligadas à membrana para recrutar e fundir com lisossomos para formar fagolisossomos maduros.

Treinamento

A fagocitose é um processo seqüencial que inclui várias etapas, tais como: quimiotaxia, adesão, endocitose, formação de fagossomo, formação de fagolisossomo, acidificação de fagolisossomo, formação de metabólitos reativos de oxigênio, ativação de hidrolases lisossômicas, liberação de material digerido, formação de corpo residual e finalmente exocitose.

Endocitose e fagossomo

A endocitose é o mecanismo pelo qual partículas ou microorganismos passam do exterior para o interior das células. Esse processo pode ser otimizado pela opsinização das partículas e geralmente ocorre através de receptores localizados nas regiões da membrana revestida com clatrina.

O processo inclui a invaginação da membrana plasmática, dando origem ao vacúolo fagocítico. A adesão das partículas ou microorganismos à membrana causa a polimerização da actina e também a formação de pseudópodes. Esses pseudópodes cercam o material a ser ingerido e se fundem por trás dele.

Durante esse processo, é importante a participação de várias proteínas, como a cinase C, a fosfoinositida 3-cinase e a fosfolipase C. Quando a invaginação termina pelo fechamento, forma-se uma vesícula ou fagossomo que se separa da membrana e se desloca em direção ao dentro da célula.

Fagolisossomo

Logo após a formação do fagossomo, ocorre despolimerização da actina F, que é inicialmente associada ao fagossomo. A membrana desta célula se torna acessível aos endossomos iniciais.

Em seguida, o fagossomo se move ao longo dos microtúbulos do citoesqueleto, passando por uma série de eventos de fusão e fissão, que envolvem várias proteínas, como anexinas e GTPases rap7, rap5 e rap1.

Esses eventos tornam a membrana do fagossomo e seu conteúdo maduros e podem ser fundidos com endossomos tardios e subsequentemente com lisossomos para formar o fagolisossomo.

A velocidade com que o fagossomo e o lisossomo se fundem depende da natureza da partícula ingerida, mas geralmente leva 30 minutos para isso. Essa fusão não requer necessariamente que as membranas se juntem completamente para que o fagolisossomo se forme.

Relacionado:  Washingtonia filifera: características, habitat, cuidados, doenças

Em alguns casos, a união entre o fagossomo e o lisossomo é alcançada através de pontes aquosas estreitas. Essas pontes permitem apenas a troca limitada do conteúdo de ambas as estruturas.

Corpo residual

Uma vez ocorrida a hidrólise da partícula ou do microorganismo, as moléculas resultantes serão liberadas no citosol da célula e o material residual será contido dentro da vesícula, que se torna um corpo residual.

Posteriormente, esse material residual será liberado para fora da célula através de um procedimento chamado exocitose.

Funções

Eliminação de Patógenos

Os fagossomos conhecidos como macrófagos e neutrófilos são chamados fagócitos profissionais e são as células responsáveis ​​pela maior parte da captura e também pela eliminação de patógenos. Esses dois tipos de células têm métodos diferentes para degradar bactérias.

Os neutrófilos produzem oxigênio tóxico, bem como derivados de cloro para matar bactérias, e também usam proteases e peptídeos antimicrobianos. Os macrófagos, por outro lado, dependem mais da acidificação dos fagolisossomos, bem como do uso de enzimas proteolíticas e glicolíticas para destruir patógenos.

Inchaço

O processo de formação de fagossomos está relacionado aos processos de inflamação através de moléculas de sinalização comuns. A PI-3 cinase e a fosfolipase C, por exemplo, participam da formação de fagossomos e também são componentes importantes da resposta imune inata.

Essas proteínas induzem a produção de citocinas pró-inflamatórias em um processo estritamente regulado e cuja resposta inflamatória dependerá do tipo de partícula que está englobada no fagossomo.

Apresentação antigênica

As células dendríticas imaturas são capazes de realizar o processo de fagocitose de elementos patogênicos. Os fagossomos dessas células degradam apenas parcialmente patógenos fagocitados.

Devido a essa degradação parcial, fragmentos de proteínas de tamanho adequado para resultado específico de reconhecimento bacteriano. Esses fragmentos são direcionados para o principal complexo de histocompatibilidade e são usados ​​para ativar as células T para a resposta imune.

Nutrição

Muitos protistas usam a fagocitose como mecanismo de alimentação. Mesmo em alguns casos, esse é o único mecanismo para obter nutrientes. Nesses casos, o tempo decorrido entre a abrangência da partícula alimentar e a digestão no fagossomo é muito menor do que o usado pelos fagócitos profissionais.

Fagossomo: características, formação e funções 2

Os estágios da fagocitose na ameba. Tirada e editada de: Miklos [Domínio público].

Remoção de células

Os fagossomos são responsáveis ​​pela remoção de células antigas e apoptóticas como um mecanismo para alcançar a homeostase tecidual. Por exemplo, os glóbulos vermelhos têm uma das maiores taxas de rotatividade no corpo. Assim, os eritrócitos senescentes são fagocitados por macrófagos localizados no fígado e no baço.

Referências

  1. G. Karp (2008). Biologia celular e molecular. Conceitos e experimentos. 5ª Edição John Wiley & Sons, Inc. Empresas
  2. SL Wolfe (1977). Biologia Celular Ediciones Omega, SA
  3. O. Rojas-Espinosa e P. Arce-Paredes (2003). Fagocitose: mecanismos e consequências. Primeira parte. Bioquímica
  4. O. Rojas-Espinosa e P. Arce-Paredes (2004). Fagocitose: mecanismos e consequências. Segunda parte. Bioquímica
  5. O. Rojas-Espinosa e P. Arce-Paredes (2004). Fagocitose: mecanismos e consequências. Terceira parte. Bioquímica
  6. Fagossomo Na Wikipedia Recuperado de en.wilipedia.org
  7. Fagossoma: O que é isso? Formação, Estrutura, Função, Processo de Maturação e Manipulação Bacteriana. Recuperado de arribasalud.com

Deixe um comentário