Flora e fauna de Misiones (Argentina): espécies representativas

Misiones, uma província localizada no nordeste da Argentina, abriga uma rica diversidade de flora e fauna. Suas paisagens exuberantes e variadas oferecem um habitat ideal para uma grande variedade de espécies representativas da região. Neste ecossistema único, é possível encontrar desde espécies endêmicas até animais e plantas típicas da região subtropical. Neste artigo, vamos explorar algumas das espécies mais representativas da flora e fauna de Misiones, destacando sua importância e singularidade neste cenário natural deslumbrante.

Floresta misioneira: um santuário de biodiversidade e mistérios selvagens na América Latina.

A Floresta Misioneira é um verdadeiro tesouro natural localizado na região de Misiones, na Argentina. Este ecossistema único é considerado um santuário de biodiversidade devido à grande variedade de espécies de flora e fauna que abriga.

A flora da região é composta por uma grande diversidade de árvores, plantas e flores. Destacam-se espécies como a aroeira, o pinheiro-do-paraná e a guatambu. Além disso, a fauna da Floresta Misioneira é igualmente impressionante, com animais como o jaguar, a anta e o tucano.

Essas espécies representativas são apenas uma pequena amostra da rica biodiversidade que pode ser encontrada na Floresta Misioneira. No entanto, este ecossistema único também guarda seus mistérios selvagens, com histórias de avistamentos de criaturas misteriosas e lendas locais que despertam a curiosidade dos visitantes.

Explorar a Floresta Misioneira é embarcar em uma jornada de descobertas e maravilhas naturais, onde a beleza da flora e fauna se mistura com os segredos e mistérios que permeiam essa região fascinante da América Latina.

Biodiversidade da fauna e flora da Argentina: riqueza natural em destaque.

A Argentina é um país com uma rica biodiversidade de fauna e flora, destacando-se pela variedade de espécies que abriga. Com uma extensão territorial diversificada, que vai desde as regiões áridas do norte até as florestas subtropicais do sul, o país se destaca como um verdadeiro paraíso natural.

Na província de Misiones, localizada no extremo nordeste da Argentina, encontramos uma das regiões mais ricas em termos de biodiversidade. Com uma grande diversidade de ecossistemas, que vão desde as florestas tropicais até os ambientes de transição entre o Brasil e o Paraguai, Misiones abriga uma grande variedade de espécies representativas da fauna e flora do país.

Entre as espécies mais emblemáticas da região, podemos destacar o mbaé-ti, uma árvore nativa da região que se destaca pela sua imponente altura e beleza. Além disso, Misiones também é lar de diversas espécies de orquídeas, que encantam os visitantes com suas cores e formas exóticas.

No que diz respeito à fauna, a região de Misiones também não deixa a desejar. Espécies como o tucano-toco, conhecido por sua plumagem colorida e seu bico enorme, e o macaco-prego, ágil e curioso, são apenas alguns exemplos da diversidade de animais que habitam a região.

Portanto, a riqueza natural da fauna e flora de Misiones, assim como de toda a Argentina, merece ser preservada e valorizada. A conservação dessas espécies é essencial para garantir o equilíbrio dos ecossistemas e a manutenção da beleza e da diversidade do nosso planeta.

Descubra as maravilhas de Misiones, Argentina em uma viagem turística inesquecível!

Se você é um amante da natureza e está em busca de uma experiência turística única, Misiones, Argentina é o destino perfeito para você! Localizada no nordeste do país, esta região é conhecida por sua rica biodiversidade e paisagens deslumbrantes. Durante sua visita, você terá a oportunidade de explorar a flora e fauna únicas que tornam Misiones um lugar tão especial.

Uma das espécies mais representativas da flora de Misiones é a selva subtropical, que abriga uma grande variedade de plantas exóticas, como as orquídeas, as bromélias e as palmeiras. Além disso, a região é conhecida por suas impressionantes árvores gigantes, como o guapuruvu e a timbaúva, que dominam a paisagem com sua imponência.

Relacionado:  Episoma: tipos e suas características

No que diz respeito à fauna, Misiones é o lar de diversas espécies de animais selvagens, incluindo o tucano-toco, o quati e o bugio-ruivo. Além disso, a região também é conhecida por abrigar o jaguar, um dos maiores felinos das Américas, que pode ser avistado em seu habitat natural durante passeios pela selva.

Portanto, se você deseja vivenciar de perto a riqueza da flora e fauna de Misiones, não deixe de incluir esta região em seu roteiro de viagem. Com certeza, você se encantará com as maravilhas naturais que este destino tem a oferecer!

A fascinante história da província de Misiones: colonização, cultura guarani e biodiversidade exuberante.

A província de Misiones, localizada no nordeste da Argentina, possui uma história fascinante que combina colonização europeia, cultura guarani e uma biodiversidade exuberante. Durante o período colonial, os jesuítas estabeleceram missões na região para converter os nativos guaranis ao cristianismo, criando assim uma fusão única entre as tradições indígenas e a influência europeia.

Atualmente, a cultura guarani ainda está presente em Misiones, refletindo-se em sua música, dança e artesanato. As ruínas das antigas missões jesuíticas são um testemunho da rica história da região e atraem visitantes de todo o mundo em busca de conhecer mais sobre essa interação cultural.

Além da sua história fascinante, Misiones também se destaca pela sua biodiversidade. A província abriga uma grande variedade de espécies de flora e fauna, algumas das quais são consideradas representativas da região. Entre as espécies mais emblemáticas estão o Yerba Mate, planta usada para fazer o tradicional chimarrão argentino, e o puma, um dos principais predadores da região.

A diversidade de aves em Misiones também é impressionante, com espécies como o tucano, o pica-pau e o guaruba sendo comuns na região. Além disso, a província possui uma grande quantidade de espécies de borboletas, como a morfina e a caligo, que encantam os observadores de natureza.

Em resumo, a província de Misiones oferece uma combinação única de história, cultura e biodiversidade, tornando-se um destino imperdível para aqueles que desejam explorar as maravilhas naturais da Argentina.

Flora e fauna de Misiones (Argentina): espécies representativas

A flora e fauna de Misiones (Argentina) é caracterizada por espécies como o guatambú, o palo rosa, a anta ou o carayá vermelho. Misiones forma uma das 23 províncias que existem na Argentina. Geograficamente, está localizado na área metropolitana, a nordeste do país.

Essa região, a segunda menor do país, é uma continuidade geográfica do planalto do Paraná, localizado no Brasil. Portanto, no meio de florestas subtropicais, pode haver elevações de 200 a 800 metros.

Flora e fauna de Misiones (Argentina): espécies representativas 1

Yaguarete. Fonte: Charles J Sharp [CC BY-SA 4.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0)] Ceibo Fonte: Frank Vincentz [CC BY-SA 3.0 (http://creativecommons.org/licenses /by-sa/3.0/)]

A província possui o Parque Nacional do Iguaçu, onde estão localizadas as Cataratas do Iguaçu. Estes foram designados pela UNESCO, em 1984, como Patrimônio Mundial da humanidade.

A selva de Misiones poderia abrigar mais de 2000 espécies de plantas e numerosos animais. Assim, dentro da diversidade animal, você pode encontrar os desvios da cachoeira, o tucano e o yaguareté.

Missões Flora

Guatambú ( Balfourodendron riedelianum )

Esta árvore, pertencente à família Rutaceae, está localizada no Brasil, Argentina e Paraguai. Geralmente tem um crescimento de 1,6 metros por ano, devido ao qual pode atingir 18 metros de altura.

Relacionado:  Água-viva: características, morfologia, habitat, reprodução

O guatambú possui tronco reto, com diâmetro aproximado de 0,75 metros. O copo é globoso e é formado por folhas trifoliadas em tons de verde.

É uma árvore que cresce em climas subtropicais. Na floresta alta, essa espécie possui alta densidade por hectare, apesar de ser pouco tolerante à seca.

A madeira obtida desta árvore possui uma cor branca amarelada, sendo amplamente utilizada na indústria madeireira. É utilizado, por exemplo, na fabricação de pisos em parquet, móveis e na elaboração de skates.

Jacarandá (Aspidosperma polyneuron)

O pau-rosa, também conhecido popularmente como peroba rosa, é uma árvore nativa da Argentina, Paraguai e Brasil. Em 1986, o jacarandá foi declarado monumento natural da província argentina de Misiones.

É uma árvore emergente que cresce aproximadamente 40 metros de altura. A coroa domina sobre o resto das árvores que a rodeiam, formando assim extensas e densas arquibancadas. A floração ocorre de setembro a novembro, enquanto a frutificação ocorre durante os meses de outubro a novembro.

A madeira de Aspidosperma polyneuron é rosa escuro, com um peso de 0,7 g / cm3. Devido à sua alta resistência, é utilizado em carpintaria, fabricação de móveis e construção. Também é amplamente utilizado na apicultura, como uma espécie de mel.

Curupáy ( Anadenanthera colubrina )

Esta árvore, originária da América do Sul, cresce rapidamente de 1 a 1,5 metros por ano. Por isso, pode atingir uma altura máxima de 30 metros. Sua casca é cinza escuro, com numerosos espinhos. Em relação às folhas, elas têm a particularidade de dobrar à noite. A floração desta espécie ocorre de setembro a dezembro.

O curupay é distribuído na Bolívia, Argentina, Brasil, Equador, Peru, Paraguai e Chile. Desenvolve-se em colinas rochosas perto dos rios, onde o solo é bem drenado.

A madeira é usada para construir portas, vigas, pisos e caixilharias. Nas fazendas, geralmente é usado para construir cercas, porque não são atacadas por cupins.

Ceibo ( Erythrina crista-galli )

Esta espécie sul-americana pertence à subfamília Faboideae, sendo distribuída ao centro-leste e nordeste da Argentina, na Bolívia, Uruguai e Paraguai. A árvore e a flor ceibo são símbolos naturais nacionais do Uruguai e da Argentina.

O ceibo ou bucaré é uma árvore que tem uma altura entre 5 e 10 metros, embora possa atingir 20 metros. Tem uma raiz pivotante, com vários nós. Isso ocorre devido à presença de bactérias nitrificantes que habitam a simbiose nas raízes, onde fixam o nitrogênio absorvido.

O caule é irregular, tortuoso e amadeirado, com galhos espinhosos que secam após a floração. As flores são vermelhas e aparecem na forma de inflorescência em cluster. Estes são completos, pentâmeros e simetria bilateral.

Fauna das Missões

Carayá vermelho ( Alouatta guariba )

Este macaco tem um corpo robusto, sendo o macho maior e mais forte que a fêmea. O pêlo é áspero e longo, com uma cor específica, que distingue as espécies. Assim, isso pode variar de marrom a laranja avermelhado, destacando na região dorsal certas tonalidades em tons dourados.

Possui barba volumosa, em tom marrom escuro ou avermelhado. No homem, é mais perceptível do que na mulher, porque tem mais mandíbula e osso hióide mais desenvolvidos. Essas características permitem que o carayá vermelho emita sons muito altos, pelos quais também é conhecido como macaco bugio.

É um animal arbóreo que habita as copas das árvores, florestas, selvas e savanas úmidas. Por outro lado, alimenta-se de brotos, folhas e frutos.

Anta da América do Sul ( Tapirus Terrestre )

A anta é um mamífero placentário que possui um corpo grande e robusto. Esta espécie pode pesar entre 225 e 300 kg e ter um comprimento, sem a cauda, ​​de 180 a 220 centímetros. A cauda pode medir entre 5 e 10 centímetros.

Relacionado:  Heterocronias: peramorfose e pedomorfose (com exemplos)

No nível dorsal e nas laterais, apresenta uma pelagem marrom-escura. Pelo contrário, no peito, as extremidades e na barriga têm uma coloração marrom escura.

Os olhos do Tapirus terrestre são pequenos e afundados. Essa característica é benéfica para o animal, porque os olhos são menos expostos ao atrito com os galhos, com os quais podem impactar ao passar pela escova.

A cabeça é curta, com o lábio superior desenvolvido. Isso, quando se une ao nariz, forma um tubo de tamanho pequeno. Essa estrutura é preênsil, flexível e coberta com vibrisas sensoriais. Com o tronco, a anta pode alcançar os brotos e folhas para se alimentar deles.

Yaguareté ( Panthera onca )

O yaguareté é um felino pertencente ao gênero Panthera. Caracteriza-se por ser um animal musculoso e robusto, com peso que pode variar entre 56 e 96 kg.

Seu comprimento pode estar entre 162 e 183 centímetros, aos quais são adicionados cerca de 75 centímetros da cauda. No entanto, a fêmea pode ser até 20% menor que o macho.

Este mamífero carnívoro tem uma cor entre amarelo claro e marrom avermelhado, com manchas rosadas. Estes, no pescoço e na cabeça, são sólidos. No entanto, na fila eles podem se juntar formando uma faixa. Por outro lado, a área ventral, a parte interna das pernas e o pescoço são brancos.

É um predador feroz, com uma mandíbula poderosa. Assim, com sua mordida, ele poderia perfurar a casca de uma tartaruga. Além disso, a estrutura forte e curta de seus membros faz do yaguareté um alpinista e nadador habilidoso.

Este gato é capaz de capturar presas que excedem seu peso e tamanho, sendo capaz de arrastar seu corpo até 8 metros.

Yaará ( Bothrops alternatus )

Esta cobra venenosa pertence à subfamília Crotalinae, sendo endêmica na Bolívia, Brasil e Paraguai. Ele também vive na Argentina e no Uruguai. É um réptil grosso e grande, com um comprimento que pode exceder dois metros. No entanto, as fêmeas tendem a ser mais longas e mais pesadas que os machos.

Nos dois lados da cabeça, no meio do olho e do focinho, há uma depressão profunda no lorum, conhecida como fossa loreal. Quanto à sua função, essa cavidade termorreceptora serve para detectar os animais que produzem radiação eletromagnética infravermelha.

Especialistas demonstraram que, embora esta cobra não tenha visão e cheiro, pode atacar qualquer animal com alta precisão, se estiver pelo menos 0,2 ° C mais quente que a temperatura ambiente.

O Bothrops alternatus ataca apenas contra uma ameaça. Suas mordidas raramente são fatais, mas geralmente causam sérios danos aos tecidos do corpo.

Referências

  1. Wikipedia (2019). Província de Misiones. Recuperado de en.wikipedia.org.
  2. Enciclopédia britânica (2019). Missões, Província, Argentina. Recuperado de britannica.com.
  3. Fontana, José. (2014). Vegetação reófila do nordeste da Argentina. Plante comunidades com Podostemaceae da província de Misiones. Boletim da Sociedade Botânica Argentina. ResearchGate Recuperado de researchgate.net.
  4. Velazco, Santiago, Keller, Héctor, Galvão, Franklin. (2018). Pequena, mas importante: as comunidades de vegetação lenhosa nos afloramentos de arenito de Teyú Cuaré (Misiones, Argentina). Boletim da Sociedade Botânica Argentina. ResearchGate Recuperado de researchgate.net.
  5. Diego Eduardo Gutiérrez Gregoric, Verónica Núñez, Roberto Eugenio Vogler,
  6. Ariel Aníbal Beltramino, Alejandra Rumi (2013). Gastrópodes terrestres da província de Misiones, Argentina. CONICET digital. Recuperado de ri.conicet.gov.ar.
  7. Ministério do Turismo, Missões, Província. (2019) Flora e fauna de Misiones. Recuperado de missions.tur.ar.

Deixe um comentário