Floresta tropical: flora, fauna, características, clima, relevo

As florestas tropicais são ecossistemas extremamente ricos e diversificados, caracterizados por uma vasta variedade de flora e fauna. Localizadas em regiões próximas à Linha do Equador, essas florestas possuem um clima quente e úmido, com altas taxas de precipitação ao longo do ano. O relevo das florestas tropicais pode variar, mas geralmente apresentam terrenos planos ou levemente ondulados. A biodiversidade presente nessas florestas é impressionante, com milhares de espécies de plantas, animais e insetos, muitos dos quais ainda desconhecidos pela ciência. A preservação das florestas tropicais é essencial para a manutenção do equilíbrio ambiental e para a sobrevivência de inúmeras espécies.

Descubra as características do relevo presente na floresta tropical em detalhes.

A floresta tropical é conhecida por sua biodiversidade exuberante, que se estende por diversas regiões do planeta. Além de sua rica flora e fauna, o relevo presente nesse ecossistema desempenha um papel fundamental na manutenção de sua diversidade.

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que o relevo da floresta tropical é caracterizado por sua grande variedade, que inclui desde planícies alagadas até montanhas íngremes. Essa diversidade topográfica contribui para a formação de microclimas e habitats únicos, favorecendo a existência de uma ampla gama de espécies vegetais e animais.

Uma das principais características do relevo da floresta tropical é a presença de solos geralmente pobres em nutrientes, devido à rápida decomposição da matéria orgânica. Isso faz com que as plantas desenvolvam adaptações especiais para sobreviver nesse ambiente desafiador, como raízes superficiais e sistemas de sustentação complexos.

Além disso, o relevo acidentado da floresta tropical também contribui para a ocorrência de fenômenos naturais como deslizamentos de terra e inundações, que influenciam diretamente a dinâmica do ecossistema. Por outro lado, as elevações mais altas proporcionam condições de temperatura e umidade diferentes, criando nichos ecológicos específicos para determinadas espécies.

Sua variedade topográfica e suas características peculiares contribuem para a existência de uma infinidade de espécies vegetais e animais, tornando esse ambiente um verdadeiro tesouro da natureza.

Conheça a diversidade da flora presente na floresta tropical e suas características marcantes.

A floresta tropical é um dos ecossistemas mais ricos em biodiversidade do planeta, abrigando uma vasta variedade de espécies de plantas. A flora presente nesse ambiente é caracterizada pela presença de árvores altas e frondosas, epífitas, lianas e plantas herbáceas.

Uma das características marcantes da flora da floresta tropical é a presença de uma grande quantidade de espécies de árvores, que podem chegar a mais de 300 por hectare. Essas árvores apresentam folhas largas e muitas vezes perenes, adaptadas para captar a luz solar em um ambiente de pouca luminosidade no interior da floresta.

Além das árvores, a floresta tropical também é conhecida pela presença de epífitas, plantas que crescem sobre outras plantas, como bromélias e orquídeas. As lianas também são comuns nesse ambiente, sendo plantas trepadeiras que se enroscam em troncos de árvores em busca de luz.

Outra característica marcante da flora da floresta tropical são as plantas herbáceas, que crescem no solo da floresta e podem ser encontradas em diversas formas e tamanhos. Essas plantas desempenham um papel importante na ciclagem de nutrientes e na manutenção do equilíbrio do ecossistema.

Essas plantas desempenham papéis fundamentais na manutenção do equilíbrio ecológico e na sustentabilidade desse importante ecossistema.

Descubra as características do clima da floresta tropical e sua influência na biodiversidade.

As florestas tropicais são ecossistemas extremamente ricos em biodiversidade, abrigando uma grande variedade de espécies de plantas e animais. Uma das características mais marcantes desse tipo de floresta é o clima quente e úmido, com temperaturas elevadas ao longo do ano e alta incidência de chuvas.

Essas condições climáticas favoráveis contribuem para a grande diversidade de espécies que habitam as florestas tropicais. A umidade constante permite o desenvolvimento de uma vegetação exuberante, composta por árvores de grande porte, epífitas, lianas e uma variedade de plantas herbáceas. A fauna também é extremamente diversificada, com inúmeras espécies de aves, mamíferos, répteis, anfíbios e insetos.

O clima da floresta tropical também influencia diretamente na biodiversidade desses ecossistemas. As altas temperaturas e a umidade favorecem a decomposição rápida da matéria orgânica, resultando em solos férteis e ricos em nutrientes. Isso, por sua vez, garante a disponibilidade de alimentos para as diferentes espécies que habitam a floresta.

Além disso, a constante incidência de chuvas ao longo do ano cria microclimas dentro da floresta, proporcionando condições ideais para a sobrevivência de espécies adaptadas a diferentes níveis de umidade e luminosidade. Essa diversidade de habitats favorece a coexistência de uma ampla gama de seres vivos, resultando em uma das maiores concentrações de biodiversidade do planeta.

Portanto, o clima da floresta tropical desempenha um papel fundamental na manutenção da biodiversidade desses ecossistemas, garantindo a sobrevivência e o equilíbrio das espécies que neles habitam.

Descubra a diversidade animal encontrada nos climas tropicais ao redor do mundo.

A floresta tropical é um dos ecossistemas mais ricos em biodiversidade do planeta, abrigando uma grande variedade de espécies de plantas e animais. Nos climas tropicais ao redor do mundo, podemos encontrar uma diversidade animal impressionante, com espécies únicas e fascinantes.

As florestas tropicais são o lar de animais como o tigre, o jaguar, o macaco, o papagaio e a cobra. Esses animais são adaptados ao clima quente e úmido da região, onde a vegetação exuberante fornece abrigo e alimento para eles.

Além dos mamíferos e aves, as florestas tropicais também abrigam uma grande variedade de insetos, anfíbios e répteis. Estes animais desempenham um papel fundamental no ecossistema, contribuindo para o equilíbrio ecológico da região.

O clima nas florestas tropicais é caracterizado por altas temperaturas e alta umidade, proporcionando condições ideais para a diversidade animal florescer. O relevo acidentado e as chuvas frequentes também contribuem para a riqueza biológica da região.

Explorar a biodiversidade animal dos climas tropicais ao redor do mundo é uma experiência enriquecedora e reveladora.

Floresta tropical: flora, fauna, características, clima, relevo

A floresta tropical é uma formação vegetal dominada pela árvore de biótipo com estrutura complexa que se desenvolve na zona intertropical. É caracterizado por várias camadas de vegetação e é um dos biomas mais biologicamente diversos do planeta.

Existem basicamente quatro tipos de florestas tropicais: a floresta tropical quente, a selva montana, a selva semi-decídua e a selva decídua. Essas selvas se estendem na faixa intertropical (entre os trópicos de Câncer e Capricórnio) na América, África, Ásia e Oceania.

Floresta tropical: flora, fauna, características, clima, relevo 1

Floresta tropical na Amazônia (Manaus, Brasil). Fonte: Neil Palmer / CIAT [CC BY-SA 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.0)

A flora é composta por angiospermas de folhas largas, com pouca representação de gimnospermas. Entre as famílias mais abundantes estão legumes, bignoniáceas, Solanaceae, rubiaceae e palmeiras.

Na vegetação rasteira (parte inferior) habitam grande diversidade de samambaias, com algumas espécies arborescentes atingindo até 5 m de altura. Nas selvas da América tropical, são abundantes orquídeas, bromélias e aracias epífitas.

A fauna é igualmente diversa, com abundantes insetos, anfíbios, peixes, répteis, pássaros e mamíferos. Há predominância de pequenos mamíferos, mas entre os maiores, destacam-se o gorila da selva, o elefante africano da selva, o leopardo e o chimpanzé.

Na América tropical, a onça-pintada, a anta e várias espécies de macacos habitam e na Ásia o tigre e o orangotango.

As florestas tropicais são caracterizadas por intensa radiação solar ao longo do ano e altas chuvas em pelo menos parte do ano. O clima é quente com temperaturas entre 27 e 29 ºC, diminuindo na selva alta montanha devido ao efeito altitudinal.

A precipitação média anual varia de 1.500 a 16.000 mm nas florestas tropicais. Na floresta seca, a precipitação é muito menor (600 – 1.000 mm).

A floresta tropical ocorre em planícies aluviais ao nível do mar, vales e montanhas altas, chegando a 3.800 metros acima do nível do mar. Nestas florestas, são desenvolvidas diversas atividades econômicas que incluem caça e coleta, agricultura, pecuária, turismo e mineração.

Na América, o limite latitudinal ao norte da floresta tropical está no México, ao sul do país. Dentro deste ecossistema, a selva Lacandona se destaca no estado de Chiapas.

Na Colômbia, existe uma floresta macro-térmica na Amazônia colombiana e Chocó e florestas de alta montanha nos Andes.

Características gerais

As florestas tropicais são os ecossistemas terrestres de maior diversidade biológica. Eles formam um bioma que se manifesta na forma de grandes massas de vegetação localizadas na faixa intertropical.

Relacionado:  Placozoos: características, reprodução, alimentação

– Estrutura da planta

A floresta tropical possui uma estrutura vegetal complexa com 4 a 5 camadas de vegetação e graus variados de epifitismo e alpinistas. No caso da floresta decídua tropical, a estrutura é mais simples, com apenas dois ou três estratos.

As florestas tropicais são sempre verdes e, na floresta semidecídua, 40 a 50% das espécies perdem completamente suas folhas na estação seca. Por seu lado, na floresta tropical decide quase todas as espécies perdem folhagem na estação seca.

Vegetação rasteira

Na floresta macro-térmica, há uma vegetação rasteira com arbustos baixos e gramíneas de folhas muito largas. Isso ocorre porque há pouca luz no chão da selva porque o dossel superior está muito fechado.

Estrato de Bush e estratos de árvores

Pode ocorrer um estrato de arbusto de tamanho médio até 4-5 m de altura. Posteriormente, existem vários estratos de árvores, sendo o primeiro um de árvores pequenas e arbustos altos (5-8 m).

Acima dessa camada, existem árvores de altura média (10-20 m) e, finalmente, o dossel superior formado por árvores grandes, de 40 a 50 m.

Árvores emergentes

Na selva primária (sem intervenção), o dossel superior é contínuo e fechado, as chamadas árvores emergentes esporadicamente emergentes. Essas árvores excedem a altura do dossel atingindo alturas de 60 ou 70 m.

Escalada e epifitismo

Nas florestas tropicais, o fator limitante é a luz e muitas espécies herbáceas desenvolveram adaptações para capturar a radiação solar que penetra no dossel.

Algumas espécies crescem em árvores mais altas (epífitas), enquanto outras sobem em troncos em busca de luz.

– Adaptações em plantas da floresta tropical

As várias adaptações de plantas na floresta tropical são condicionadas pela luz, profundidade do solo ou alta umidade relativa.

As folhas e a luz

A radiação solar entra na selva em um gradiente vertical que influencia o tamanho e a estrutura das folhas. No dossel, a luz do sol é muito intensa e as folhas tendem a ser pequenas e esclerotizadas (possuem tecido mecânico).

Nos estratos intermediários, as folhas têm uma folha mais larga e mais fina e tendem a ser maiores nas plantas de vegetação rasteira. Dessa forma, é possível tirar proveito da baixa radiação luminosa que consegue penetrar na floresta.

Raízes tabulares

Em muitas florestas tropicais, o solo é raso e as árvores grandes não podem desenvolver raízes profundas. Isso limita sua capacidade de sustentar, então eles desenvolvem extensas raízes laterais semelhantes aos contrafortes das igrejas medievais.

Intestino

Nas florestas tropicais, com alta temperatura e alta precipitação, a umidade relativa é muito alta. As plantas transpiram (liberam vapor de água) através dos estômatos encontrados nas folhas.

Quando a umidade relativa do ambiente é muito alta, como em muitas florestas tropicais, o processo de transpiração é difícil. Portanto, algumas espécies desenvolveram um mecanismo ativo para liberar água na forma líquida.

Esse processo é conhecido como evisceração e é feito através dos poros chamados hidatodes, localizados nas margens da folha.

– Ciclo do solo e nutrientes

Em geral, o solo das florestas tropicais não é muito fértil e, em alguns casos, são solos rasos.

Ciclo de nutrientes

Nas florestas tropicais, os nutrientes são acumulados na biomassa da planta e no lixo localizado na superfície do solo. O ciclo de nutrientes no ecossistema está associado a organismos em decomposição, bem como à rede de micorrizas.

As micorrizas são fungos que estabelecem relações simbióticas com as raízes das árvores, facilitando a absorção de nutrientes.

– Biogeografia

A maioria dos territórios onde as florestas tropicais se desenvolvem tem uma história biogeográfica comum. Toda a área correspondente à América do Sul, África, Madagascar, Índia e Austrália fazia parte do antigo continente de Gondwana há 200 milhões de anos.

Este continente separado do Jurássico e do Cretáceo até hoje e grande parte da flora e fauna dessas florestas tropicais têm relações principalmente no nível familiar.

– Tipos de florestas tropicais

As florestas tropicais são um dos 13 maiores habitats reconhecidos pela World Wildlife Foundation ou World Wildlife Fund (WWF). Eles têm 50 ecorregiões de floresta tropical e subtropical.

As florestas tropicais mais diversas são as do arco ocidental da bacia amazônica, seguidas pela Mata Atlântica (Brasil, Argentina e Paraguai) e pela floresta de Chocó-Darién, no noroeste da América do Sul.

Outras florestas muito diversas são as localizadas na península da Malásia e as florestas costeiras congolesas são as mais diversas nos trópicos africanos.

As florestas montanhosas dos Andes apresentam altas taxas de endemismo e variabilidade de nichos ecológicos. O mesmo se aplica às selvas da região de Guayana, no nordeste da América do Sul e às florestas tropicais das Filipinas.

Floresta chuvosa quente

O termo “floresta tropical” tem sido usado para se referir exclusivamente à floresta quente (por exemplo, selvas da Amazônia e do Congo). Essas formações de plantas se desenvolvem na zona intertropical em terreno plano ou levemente ondulado a baixa altitude.

As florestas tropicais têm temperaturas relativamente altas (27 ° C em média ou mais), com baixas oscilações ao longo do ano.

A precipitação é alta, em alguns casos superior a 6.000 mm por ano e sem uma estação seca claramente definida. Dadas as altas temperaturas e precipitações, a umidade relativa também é alta, superior a 70-80%.

Estas são as florestas tropicais com maior complexidade estrutural, podem ter até 5 estratos e numerosas epífitas e alpinistas. A vegetação rasteira não é muito desenvolvida devido à pouca luz que consegue alcançar o solo.

Floresta tropical montana ou floresta nublada

É uma floresta tropical onde a temperatura é moderada pela altitude acima do nível do mar. Nestes casos, a temperatura média anual é menor e não há período seco bem definido pela ocorrência de chuva orográfica.

A chuva orográfica é formada quando massas de ar carregadas de umidade colidem com as montanhas e sobem. À medida que essas massas aumentam, a temperatura cai, as nuvens se formam e a água se condensa e precipita.

Floresta tropical: flora, fauna, características, clima, relevo 2

Selva nublada na Venezuela. Fonte: Cristóbal Alvarado Minic [CC BY 2.0 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.0)]

Este tipo de selva é muito exuberante, com alta umidade relativa e 3 a 4 camadas de vegetação e também são conhecidas como florestas de nuvens.

A vegetação rasteira é formada por gramíneas e arbustos e atinge grande desenvolvimento nas encostas mais expostas à luz solar. Em áreas planas onde o dossel superior é mais fechado e não há muita luz lateral, o sub-bosque é mais aberto.

Floresta semi-decídua

São florestas tropicais em um clima bi-sazonal, com 3 a 4 camadas de vegetação e uma densa vegetação rasteira. Eles podem ter suprimento de água suficiente no lençol freático (água subterrânea).

Neste ecossistema, algumas espécies de plantas mantêm a folhagem porque podem obter água do lençol freático, graças a um sistema radical profundo.

Outro grupo de árvores liberta toda a sua folhagem na estação seca e reduz a perda de água. Portanto, na estação seca, entre 40 e 50% das árvores perdem a folhagem e na estação chuvosa a substituem.

Floresta tropical de Decua

São florestas tropicais secas em clima internacional marcado e chuvas relativamente baixas (900 a 1.500 mm por ano). Eles podem ocorrer em áreas com chuvas mais altas, mas com limitações de retenção de água, devido à inclinação da terra ou à permeabilidade do solo.

Nesse tipo de floresta, 80% ou mais das espécies perdem toda a folhagem na estação seca. A estrutura é relativamente simples, com 2 ou 3 estratos, um dossel superior aberto, uma densa vegetação rasteira e menos escalada e epifitismo.

– Papel no equilíbrio planetário

Dissipadores de carbono

As florestas tropicais são os ecossistemas terrestres mais produtivos do planeta e sua capacidade de acumulação de biomassa os torna um importante sumidouro de carbono. Portanto, cada árvore na selva está incorporando CO2 atmosférico e fixando carbono como tecido vegetal.

Isso ajuda a regular o CO2 atmosférico e reduzir o aquecimento global, que hoje é uma das maiores ameaças ambientais.

Produção de oxigênio

As florestas tropicais não são pulmões (não consomem oxigênio ou liberam CO2), cumprem a função oposta. As florestas consomem CO2 e liberam O2 no meio ambiente, mas também consomem oxigênio ao respirar.

Relacionado:  Lactococcus lactis: características, morfologia, habitat

Esses ecossistemas são uma das principais fontes de O2, superadas pelo fitoplâncton marinho.

Ciclo de água

As florestas tropicais são enormes massas de plantas transpirando, bebendo água do solo, filtrando-a e expelindo-a para o meio ambiente como vapor. Por outro lado, a selva funciona como um grande protetor do solo, diminui a velocidade do escoamento da água e facilita a infiltração.

Localização

As florestas tropicais estão localizadas entre o Trópico de Câncer ( 23º 26 ′ 14 ″ de latitude norte) e o de Capricórnio ( 23º 26 ′ 12,9 ″ de latitude sul).

Floresta tropical: flora, fauna, características, clima, relevo 3

Distribuição de florestas tropicais no mundo. Fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Weltkarte_tropen.png

América

Na América, 57% da floresta tropical é encontrada, do sul do México ao norte da Argentina. A maior massa de floresta tropical é a selva da bacia amazônica.

A floresta amazônica se estende principalmente pelo território brasileiro e o restante é distribuído entre Bolívia, Peru, Colômbia e Venezuela. Outra grande área de florestas tropicais corresponde às selvas do Escudo da Guiana (Venezuela, Brasil, Guiana, Suriname e Guiana Francesa).

África

Na África, as florestas tropicais se desenvolvem ao sul do deserto do Saara até as savanas e arbustos adjacentes ao deserto de Kalahari. As maiores extensões são encontradas nas florestas tropicais do Congo e Madagascar.

A extensão quase total da floresta tropical neste continente está localizada na África centro-oeste. Isso inclui Camarões, Gabão, República da África Central e República do Congo.

Ásia

Eles estão localizados na região indo-malaia no sudeste da Ásia, destacando a selva equatorial de Bornéu. Atualmente, essas florestas estão ameaçadas pelo desmatamento de madeira e pelo cultivo de dendezeiros ( Elaeis guinensis ).

Oceania

As florestas tropicais baixas e as montanhas são encontradas na Papua Nova Guiné, Nova Caledônia e nordeste da Austrália.As florestas tropicais de Queensland contêm a maioria dos remanescentes das antigas selvas de Gondwana.

Flora

Uma família que caracteriza a imagem popular dos trópicos é Palmae ou Arecaceae, e é possível encontrar espécies de palmeiras em quase todas as florestas tropicais. Outras famílias são comuns entre as florestas tropicais da América, África, Ásia e Oceania, como leguminosas, gutíferas, morceae e myrtaceae.

Um elemento característico das florestas tropicais ao redor do mundo, especialmente as nubladas, são as samambaias arborescentes. Essas samambaias gigantes fazem parte do sub-bosque e pertencem à família Cyatheaceae.

Floresta tropical americana

Nas florestas tropicais americanas, abundam espécies de leguminosas, meliáceas, morosas, malváceas e rubiáceas.

Entre as leguminosas incluem espécies dos gêneros Albizia , Lonchocarpus , Anadenanthera , entre outras. Nas meliáceas, o cedro americano ( Cedrela spp.) E o mogno ( Swietenia macrophylla ), que são finas árvores de madeira.

As espécies do gênero Ficus são de grande importância na família Moráceas e nas Malvaceae, na ceiba ( Ceiba pentandra ). Rubiaceae são um destaque da vegetação rasteira com ervas e arbustos.

Na Amazônia, existem espécies de lecithidaceae chamadas de coco de macaco ( Lecythis ollaria ) e bala de canhão ou bala de canhão ( Couroupita guianensis ).

O cacau ( Theobroma cacao ) é nativo da bacia amazônica e o abacaxi ( Ananas comosus ), uma erva arrosetada da família das bromélias.

Floresta tropical africana

Árvores adaptadas a essas condições são encontradas nas selvas pantanosas do Congo. Entre outras, destacam-se as espécies Entandrophragma palustre , Sterculia subviolacea e Manilkara e Garcinia .

Na floresta tropical da África Ocidental, perto do equador, existem espécies de árvores frutíferas, como Dacryodes klaineana. Da mesma forma, existem
árvores de madeira, como Strombosia glaucescens, e árvores medicinais , como Allanblackia floribunda .

A noz de cola ( Cola nitida ) usada na preparação de refrigerantes ou cola é nativa dessas florestas africanas.Uma das famílias de plantas mais abundantes são leguminosas como Parkia bicolor , Parinari excelsa e Piptadeniastrum africanum .

Floresta tropical asiática

Nas florestas úmidas do Vietnã, existem espécies adaptadas a essas condições com raízes de palafitas e pneumatóforos. As raízes respiratórias (pneumatóforos) são estruturas anatômicas especializadas para aeração.

Entre outras, destacam-se as espécies Eugenia (Myrtaceae), Elaeocarpus (Elaeocarpaceae) e Calophyllum (Guttiferae).

Nas florestas tropicais da Tailândia e da Malásia é a teca ( Tectona grandis ), que é uma árvore com um óleo e madeira de alta qualidade. Outra espécie importante de madeira é Xylia dolabriformis, com uma madeira dura e muito apreciada.

Em algumas selvas dominam espécies de árvores de madeira pertencente à família Dipterocarpaceae.

Oceania rainforest

Nesta região existem florestas úmidas e chuvosas, com um dossel de até 30 m de altura. Entre as árvores, há espécies como Rhus taitensis , Alphitonia zizyphoides e Casuarina equisetifolia .

A vegetação rasteira é dominada pela samambaia-do-cervo ( Dicranopteris linearis ) e pelos arbustos do puberulum Macropiper e Psychotria insularum . Na Austrália e na Nova Zelândia, existem florestas onde o elemento dominante são as espécies de eucalipto (Myrtaceae).

Vida selvagem

Floresta tropical americana

Nestas selvas habita o maior carnívoro da América tropical que é a onça-pintada ou o tigre americano ( Panthera onca ). Há também uma das maiores aves de rapina do mundo, a harpia ( Harpia harpyja ).

Floresta tropical: flora, fauna, características, clima, relevo 4

Onça-pintada (Panthera onca). Fonte: USFWS [Domínio público]

Da mesma forma, existem duas espécies de preguiças de três dedos ( Bradypus tridactylus e Bradypus variegatus ) e dois de dois dedos ( Choloepus didactylus e Choloepus hoffmanni ).

Existem várias espécies de primatas, como o macaco bugio ( Alouatta spp.) E o macaco aranha ( Ateles spp.). Outros mamíferos são danta ou anta ( Tapirus terrestris ) e queixada ( Pecari tajacu ).

Dentro dos pássaros eles enfatizam diferentes espécies de tucano (família dos ranfástidos) e oropéndola ( Ortalis ruficauda ).

Entre as cobras estão os constritores, como a jibóia esmeralda ( Corallus caninus ) e os tragavenados ( jibóia ). Existem também muitas cobras venenosas, como o mapanare ou nauyaca ( Bothrops spp.) E o quarto abacaxi ( Lachesis muta ).

Nas altas montanhas andinas, as selvas habitam a única espécie de urso da América do Sul chamada urso frontal ou urso de óculos ( Tremarctos ornatus ).

Floresta tropical africana

É o habitat do leopardo ( Panthera pardus ), do chimpanzé ( Pan troglodytes e Pan paniscus ) e do gorila ( Gorilla spp.). Além disso, você pode encontrar o elefante da selva ( Loxodonta cyclotis ) e o ocapi ( Okapia johnstoni ).

Floresta tropical: flora, fauna, características, clima, relevo 5

Elefante da selva (Loxodonta cyclotis) no Congo (África). Fonte: Thomas Breuer [CC BY 2.5 (https://creativecommons.org/licenses/by/2.5)]

Nas florestas tropicais ocidentais (Libéria, Costa do Marfim, Guiné Equatorial, Serra Leoa), o gado cafalofino vive. Neste grupo, existem duas espécies que são o duiker Jentink ( Cephalophus jentinki ) e o duiker zebra ( Cephalophus zebra ).

Dentro do Parque Nacional Taï (Costa do Marfim) existem cerca de 1.000 vertebrados, destacando o hipopótamo-pigmeu ( Hexaprotodon liberiensis ). Entre as cobras venenosas está a mamba negra ( Dendroaspis spp.) E entre os constritores o píton ( Python regius ).

Nas selvas de Madagascar existem várias espécies de lêmures endêmicos daquela grande ilha.

Floresta tropical asiática

Bornéu habita o orangotango ( Pongo pygmaeus ), a anta asiática ( Tapirus indicus ) e a pantera nebulosa ( Neofelis diardi ) e em Sumatra o orangotango de Sumatra ( Pongo abelii ).Por outro lado, o tigre ( Panthera tigris ) e o elefante asiático ( Elephas maximus ) habitam a Tailândia e a Malásia .

Oceania rainforest

As florestas tropicais de Queensland têm uma grande diversidade de marsupiais e pássaros canoros. Também existem cobras constritivas do grupo python ( Antaresia spp.)

Tempo

A região intertropical é caracterizada pelo chamado clima tropical, caracterizado por altas temperaturas e alta umidade. Por sua vez, o clima tropical inclui vários subtipos climáticos.

Destes, nas florestas tropicais, encontramos clima equatorial chuvoso, clima de monção e clima tropical seco e úmido.

Clima equatorial chuvoso

Nas florestas tropicais próximas ao equador, encontramos o clima equatorial chuvoso. Caracteriza-se por altas chuvas e altas temperaturas (média anual superior a 27 ºC).

Esse tipo de clima ocorre na floresta amazônica, na floresta do Congo e nas selvas da Malásia. Em alguns lugares, a precipitação excede 5.000 mm anualmente, como na península de Freetown, na Serra Leoa.

Nas selvas de Chocó (Colômbia), a precipitação anual é alcançada de 13.000 a 16.000 mm e em nenhum momento inferior a 3.000 mm.

Tempo de monção

São áreas sob a influência das monções (massas de ar do oceano carregadas de umidade do leste). É semelhante ao clima equatorial em temperatura e precipitação, mas menos chuvoso é típico das florestas tropicais do sudeste da Ásia.

Relacionado:  Streptococcus mutans: características, doenças

Clima tropical úmido e seco

É caracterizada por uma estação chuvosa e uma estação seca bem marcada e com duração semelhante. As temperaturas são altas, embora tenham mais oscilações que o clima equatorial.

É nesse clima que elas se desenvolvem, por exemplo, as florestas tropicais semidecíduas e decíduas da América.

Alívio

As florestas tropicais estão localizadas desde planícies aluviais ao nível do mar, vales e planaltos, até altas montanhas, atingindo 3.700 metros acima do nível do mar. Por exemplo, a floresta amazônica consiste principalmente em planícies onduladas.

A floresta nublada dos Andes varia de 900 a 3.600 metros. As florestas tropicais mais a oeste da África se desenvolvem em planícies onduladas entre 50 e 500 metros acima do nível do mar.

Atividades econômicas

– atividades tradicionais

Grupos étnicos tradicionalmente assentados nas florestas tropicais praticam principalmente caça, pesca e coleta. Essas atividades foram realizadas para fins de subsistência e ainda estão sendo realizadas hoje.

Da mesma forma, a agricultura de baixa intensidade é praticada com a rotação das áreas de cultivo sem grande uso de insumos agrícolas.

– Economia moderna

Com o desenvolvimento da economia capitalista, a pressão sobre as florestas tropicais aumentou. Entre as atividades de alto impacto para fins de mercado estão o desmatamento para obter madeira, gado e culturas intensivas.

Produção de gado e soja na Amazônia

Uma das sérias ameaças à Amazônia é o desmatamento que tem um duplo objetivo de obter madeira fina e descartar a terra. Depois que a floresta é desmatada, as pastagens são estabelecidas para a produção animal.

Outra atividade crescente no cultivo de soja, principalmente para a produção de biocombustíveis.

O cultivo do dendezeiro ( Elaeis guinensis ) em Bornéu

As florestas tropicais de Bornéu estão sendo desmatadas a taxas aceleradas, especialmente para o cultivo de óleo de palma africano. Isso resulta na ameaça de extinção de inúmeras espécies, como o orangotango.

Culturas de conservação

Existem algumas culturas cujo impacto na floresta tropical é menor, como café ( Coffea arabiga ) e cacau ( Theobroma cacao ). Essas culturas são estabelecidas na vegetação rasteira, aproveitando a sombra proporcionada pelas árvores da selva.

Turismo

O turismo é uma atividade que, se realizada adequadamente, traz ganhos econômicos e baixo impacto ambiental. Em muitas florestas tropicais em áreas protegidas, são estabelecidos campos para o ecoturismo.

Floresta tropical no México

Devido à sua localização geográfica entre o reino biogeográfico da Antártica (norte) e Neotropical (sul), o México possui uma flora e fauna diversas. No norte, possui florestas de coníferas e mistas, enquanto no sul existem florestas tropicais.

Devido à localização das florestas tropicais, as províncias biogeográficas do Golfo do México, Yucatán e Chiapas são relevantes. Isso corresponde aos estados do sul de Oaxaca, ao sul de Veracruz, Chiapas, Tabasco, Campeche, Yucatán e Quintana Roo.

– Florestas tropicais decíduas e florestas de baixa inundação

Florestas tropicais decíduas

As selvas decíduas são encontradas em grande parte do Iucatão e são dominadas por espécies leguminosas, eufórbias e sapotáceas.

Florestas de baixa inundação

Estes formam manchas e habitam espécies como o pucté ( Bucida buceras ), Dalbergia spp. e o bastão Campeche ( Haematoxylum campechianum). Da mesma forma, palmeiras como Acoelorrhaphe wrightii podem ser encontradas .

– Floresta quente

As florestas tropicais de clima tropical úmido e pouco relevo topográfico se estendem pelo leste e sudeste do México, ocupando 11% do território nacional. Um exemplo representativo dessas selvas é a chamada selva Lacandona, no estado de Chiapas, no sul do México.

Floresta tropical: flora, fauna, características, clima, relevo 6

Selva de Lacandona (México). Fonte: Marrovi [CC BY-SA 2,5 mx (https://creativecommons.org/licenses/by-sa/2.5/mx/deed.en)]

Existem espécies de madeiras preciosas, como o mogno ( Swietenia macrophylla ) e o cedro vermelho ( Cedrela odorata ). Além disso, espécies de palmeiras do gênero Scheelea e outras de árvores de importância econômica, como o chicozapote ( Manilkara zapota ).

Outras espécies importantes são Bursera simaruba, Dendropanax arboreus, Sideroxylon tempisque , Pithecellobium arboreum e Ficus spp.

Vida selvagem

Nestas selvas habitam primatas como o macaco-aranha ( Ateles geoffroyi ) e o macaco- uivador ( Alouatta palliata ). Há também o tamanduá ( Tamanduá mexicano ), o guaxinim ( Procyon lotor ), a anta ( Tapirus bairdii ) e a onça-pintada ( Panthera onca ).

Entre os pássaros, destacam-se a arara vermelha ( Ara macao ), o hocofaisán ( Crax rubra ) e o tucano-real ( Ramphastos sulfuratus ).

– Selvas da montanha

Florestas de montanha excepcionais são encontradas no sul do México, porque é o limite sul das espécies de gimnospermas. Nestas montanhas, há uma precipitação anual de 2000 a 4000 mm e densas camadas de nuvens.

Nestas selvas, misturam coníferas, angiospermas temperadas e angiospermas tropicais.

Transição entre florestas temperadas e florestas tropicais

Os representantes da floresta temperada são espécies dos gêneros Abies , Juniperus , Cupressus e Taxus . Além disso, são apresentadas angiospermas de clima temperado ( Quercus ) e tropical, como bromeliaceae, orquídeas e árvores de Persea .

Dentro da fauna existem aves como o quetzal ( Pharomacrus mocinno mocinno ) e o pavón com chifres ( Oreophasis derbianus ), que está em perigo de extinção. Muito notável é também o tamanduá arbóreo ( Tamanduá mexicano ).

Floresta tropical na Colômbia

– Floresta Amazônica colombiana

Como toda a floresta amazônica, são extensas planícies onde a distribuição da vegetação é influenciada por grandes rios. Nesse contexto, são desenvolvidas áreas pantanosas e gramadas, além de florestas baixas e florestas altas.

As famílias de plantas mais abundantes são Annonaceae, Lecythidaceae, Myristicaceae, Leguminosae e Sapotaceae.

Áreas pantanosas

Em algumas áreas, florestas baixas são estabelecidas dominam espécies como Cecropia membranacea e Annona hypoglauca . Em outros lugares, há arbustos de Montrichardia arborescens e várias espécies de ciprestes.

Planície de inundação

Há áreas em que as inundações estão associadas aos ciclos de cheias do rio e as florestas mais altas são estabelecidas lá. Há predomínio de espécies como Inga nobilis e Aniba megaphylla e palmares dominadas por Mauritia flexuosa e Mauritiella aculeata .

Então, nos terraços baixos, você pode encontrar selvas com uma copa de até 30 m de altura. Nesta formação, existem espécies de palmeiras como Oenocarpus bataua , uma palmeira que produz um óleo que é muito apreciado como medicamento.

Selva do continente

Espécies como Dialium guianensis , Phenakospermum guianensis e Leopoldinia spp. Além disso, várias espécies de árvores leguminosas, como Swartzia schombugkii e Swartzia brachyrachis .

Vida selvagem

Nestas selvas habitam mamíferos como onça-pintada ( Panthera onca ), danta ou anta ( Tapirus terrestris ) e queixada ( Pecari tajacu ). Entre os répteis estão a anaconda ( Eunectes murinus ) e o jacaré preto ( Melanosuchus niger ) que atinge até 6 metros de comprimento.

– Selva de Chocó

Esta selva se estende ao longo da costa do Pacífico colombiano e uma pequena área da costa oeste do Caribe. É a continuação da selva panamenha de Darién e continua no Equador.

São selvas que atingem de 35 a 40 m, com árvores emergentes de até 60 m de altura, como o matapalo ( Ficus dugandii ).

Diversidade de plantas

Foram relatadas 4.525 espécies de espermatófitos (plantas com sementes) agrupadas em 170 famílias. Destes, apenas três são gimnospermas das famílias Gnetaceae (1 espécie), Podocarpaceae (3 espécies) e Zamiaceae (7 espécies).

Das 167 famílias de angiospermas, as mais diversas são Rubiaceae (342 espécies), Orchidaceae (250 espécies) e Melastomataceae (225 espécies).

Diversidade da fauna

778 espécies de aves foram identificadas nas selvas de Chocó e uma grande diversidade de répteis. Estes últimos incluem Caiman crocodilus e Crocodylus acutus e cobras Boa constrictor e Lachesis muta .

Em relação aos mamíferos, existem cerca de 180 espécies de mamíferos, sendo os grupos mais abundantes morcegos e roedores. Existem 11 espécies de mamíferos endêmicos (exclusivos) desta selva, como Platyrrhinus chocoensis .

Entre os mamíferos mais velhos, encontramos a onça-pintada ( Panthera onca ) e a anta ( Tapirus bairdii ).

– Florestas montanhosas andinas

Na cordilheira dos Andes colombianos, encontramos florestas tropicais úmidas entre 800 e 3.600 metros acima do nível do mar. Esta selva tem uma copa superior de até 40 m, e dois estratos mais baixos e a vegetação rasteira.

Eles são caracterizados por apresentar forte nebulosidade durante a maior parte do ano e alta umi
ade.

Diversidade

Deixe um comentário