Globalização: Principais Características

Os antecedentes da globalização estão localizados bem antes da era contemporânea. Alguns autores consideram que a colonização e conquista espanhola são um dos antecedentes mais antigos da globalização.

Outros indicam que existem comportamentos semelhantes em outros momentos da história, mesmo em épocas anteriores a Cristo. No entanto, a globalização teve seu primeiro processo formal entre 1940 e 1950, motivado principalmente por razões econômicas.

Globalização: Principais Características 1

Nessa época, foi ampliado um modelo econômico de divisão internacional do trabalho, que distribuiu a produção industrial na Europa. Os países não europeus foram responsáveis ​​pela produção da matéria-prima.

Esse modelo gerou bons resultados: conseguiu acumular capital considerável entre os países e, juntamente com os avanços tecnológicos, deu origem à Revolução Industrial .

Os 2 principais antecedentes da globalização

1- A Revolução Industrial

A Revolução Industrial, ou o sistema capitalista industrial, contribuiu para a criação de um desequilíbrio entre os países não europeus que forneceram a matéria-prima e os países industrializados responsáveis ​​pela produção da matéria-prima.

Isso causou um excesso de oferta. Graças a isso, o liberalismo ou o livre comércio surgiu.

Essa criação do livre comércio foi a primeira solução para os problemas econômicos do mundo, pois deu origem a trocas de mercadorias e à abertura de fronteiras.

No entanto, essa realidade não funcionou por muito tempo. A demanda começou a crescer muito, por isso era necessário aumentar a força de trabalho.

Isso, juntamente com os conatos de guerra e outros conflitos territoriais, levou ao aumento da imigração para países com maior quantidade de indústria.

Com todo esse problema de trabalho e produção na Europa e na América do Norte, o investimento em energia e capital passou a pertencer às maiores empresas.

As pequenas empresas não tiveram chance e o protecionismo cresceu. O liberalismo ou o livre comércio foram para segundo plano.

Relacionado:  7 causas por que o Iturbide Empire falhou

O protecionismo e o nacionalismo ganham vida e a Primeira Guerra Mundial surge ; Algum tempo depois, a Segunda Guerra Mundial começa.

Ambas as guerras causaram muito sofrimento e grandes danos à economia. Isso resultou na grande depressão de 1929.

Anos antes do final da Segunda Guerra Mundial, as Nações Unidas – ainda não constituídas sob esse nome – criaram o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, a fim de prestar assistência financeira aos países afetados pelas duas guerras.

2- A criação dos blocos político-econômicos

No final da Segunda Guerra Mundial, a grande maioria dos países optou por se dividir em dois grupos. Um era capitalista, liderado pelos Estados Unidos; o outro bloco era comunista, liderado pela União Soviética.

A divisão era basicamente político-ideológica, sendo a área econômica a mais disputada. Além disso, esses dois blocos tinham grande poder atômico, e uma reunião expôs a humanidade a uma guerra nuclear. Isso começou a Guerra Fria.

Por outro lado, alguns dos povos da Europa começaram uma luta para se tornar economicamente independentes. Foi assim que mais de 100 nações do mundo foram inseridas no comércio e na indústria.

Muitos desses países chamados independentes preferiram permanecer neutros entre os blocos. Surgiu o Movimento Não-Alinhado.

Os países deste terceiro bloco mantiveram um relacionamento com um ou ambos, mas sempre com uma posição neutra.

Isso foi muito lisonjeiro, porque eles poderiam manter relações econômicas com os dois sem depender de nenhum bloco.

Esse movimento baseou sua importância no desenvolvimento econômico; Para isso, os países implementaram políticas econômicas destinadas a trazer a industrialização para substituir as importações.

Durante esse processo, em 1973, houve uma crise estrelando o petróleo. Essa crise causou uma nova ordem na economia, dando origem à inovação tecnológica, que foi a semente de todas as criações tecnológicas atuais.

Relacionado:  Marietta de Veintemilla: biografia e obras

Referências

  1. Anderson, I. (2012). Globalização: Antecedentes, Acordos e Questões Atuais. Nova York: Nova Science Publishers.
  2. Ferrer, A. (1996). História da globalização: origens da ordem econômica mundial. Fundo de Cultura Econômica.
  3. José Luis Calva, AA (2007). Globalização e blocos econômicos: mitos e realidades. Cidade do México: UNAM.
  4. Rodrik, D. (2011). O paradoxo da globalização: democracia e futuro da economia mundial. Nova York: WW Norton & Company.
  5. Vengoa, HF (2002). Globalização em sua história. Bogotá: Universidade Nacional da Colômbia, sede de Bogotá

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies