Harriet Martineau: biografia deste filósofo

Harriet Martineau foi uma escritora, filósofa e socióloga britânica do século XIX, conhecida por ser uma das primeiras mulheres a abordar questões sociais e políticas em suas obras. Nascida em 1802, Martineau foi uma defensora dos direitos das mulheres, da abolição da escravidão e da igualdade social. Sua obra mais famosa, “Society in America”, é considerada um marco na sociologia e influenciou pensadores como Émile Durkheim e Max Weber. Martineau também foi uma das primeiras a aplicar métodos científicos à análise da sociedade, contribuindo para o desenvolvimento da sociologia como disciplina acadêmica. Sua vida e obra continuam a ser estudadas e admiradas até hoje, como um exemplo de coragem e pioneirismo no campo do pensamento social.

Harriet Martineau: biografia e contribuições significativas para o desenvolvimento da sociologia.

Harriet Martineau foi uma socióloga britânica do século XIX que teve um papel fundamental no desenvolvimento da sociologia como disciplina acadêmica. Nascida em 1802 em Norwich, Martineau enfrentou diversos desafios ao longo de sua vida, incluindo problemas de saúde que a deixaram surda em sua juventude. No entanto, isso não a impediu de se tornar uma das figuras mais influentes de seu tempo.

Martineau é conhecida por suas contribuições significativas para a sociologia, especialmente por seu trabalho pioneiro na análise dos sistemas sociais e políticos. Ela foi uma das primeiras a aplicar métodos científicos à investigação social, investigando questões como pobreza, classe e gênero. Suas obras, como “Society in America” e “How to Observe Morals and Manners”, ajudaram a estabelecer a sociologia como uma disciplina respeitável e digna de estudo acadêmico.

Além de suas contribuições acadêmicas, Martineau também foi uma defensora dos direitos das mulheres e dos menos privilegiados. Ela lutou ativamente pela igualdade de gênero e pelo fim da escravidão, sendo uma voz importante na luta pelos direitos humanos.

Sua abordagem científica e sua defesa dos direitos humanos continuam a inspirar estudiosos e ativistas até os dias de hoje.

Principais áreas de estudo de Harriet Martineau: um panorama de suas pesquisas acadêmicas.

Harriet Martineau foi uma filósofa e socióloga britânica do século XIX, conhecida por suas contribuições em diversas áreas de estudo. Uma das principais áreas de pesquisa de Martineau foi a sociologia, onde ela explorou temas como a desigualdade social, gênero e classe. Além disso, ela também se dedicou ao estudo da economia política e filosofia moral.

Martineau foi uma das primeiras mulheres a se estabelecer como escritora e acadêmica, enfrentando preconceitos de gênero em uma época em que as mulheres eram frequentemente excluídas do mundo acadêmico. Seu trabalho pioneiro abriu caminho para futuras gerações de mulheres intelectuais.

Como uma das primeiras sociólogas feministas, Martineau influenciou o pensamento de figuras importantes como Karl Marx e Émile Durkheim. Sua abordagem interdisciplinar e sua crítica social marcaram sua carreira acadêmica e a tornaram uma das figuras mais importantes da sociologia do século XIX.

Relacionado:  Ludwig Wittgenstein: biografia deste filósofo vienense

Qual é a figura materna por trás da sociologia como disciplina fundamental?

Harriet Martineau, uma figura muitas vezes esquecida, desempenhou um papel crucial no desenvolvimento da sociologia como disciplina fundamental. Nascida na Inglaterra em 1802, Martineau foi uma das primeiras mulheres a ganhar reconhecimento como socióloga e filósofa. Ela é frequentemente considerada a “mãe da sociologia” por suas contribuições pioneiras para o campo.

Em uma época em que as mulheres eram amplamente excluídas do mundo acadêmico, Martineau desafiou as normas sociais e buscou educar-se de forma independente. Ela escreveu extensivamente sobre questões sociais, econômicas e políticas, abordando temas como pobreza, igualdade de gênero e direitos humanos. Suas obras tiveram um impacto significativo no pensamento sociológico e influenciaram muitos dos principais teóricos que vieram depois dela.

Embora muitas vezes não receba o reconhecimento que merece, Harriet Martineau foi uma figura essencial na formação da sociologia como disciplina acadêmica. Sua coragem, dedicação e pioneirismo abriram caminho para que outras mulheres ingressassem no campo da sociologia e contribuíssem com suas próprias perspectivas únicas. Seu legado perdura até hoje, e sua influência pode ser vista em muitas das teorias e abordagens sociológicas contemporâneas.

Observando a moral e os costumes através da perspectiva de Harriet Martineau.

Harriet Martineau foi uma filósofa e escritora inglesa do século XIX que teve uma visão única sobre a moral e os costumes da sociedade de sua época. Ela acreditava que a moralidade e os costumes de uma sociedade podiam ser observados através das interações cotidianas e das instituições sociais que a regiam.

Em suas obras, Martineau analisou de perto as relações de poder, as normas sociais e as crenças que moldavam o comportamento das pessoas. Ela defendia a igualdade de gênero, a liberdade de expressão e a justiça social como pilares fundamentais para uma sociedade mais justa e igualitária.

Para Martineau, a moralidade não era algo absoluto e imutável, mas sim um conceito que evoluía com o tempo e as mudanças sociais. Ela acreditava na importância da educação e da reflexão crítica para a construção de uma sociedade mais justa e ética.

Suas ideias continuam relevantes nos dias de hoje, inspirando-nos a questionar e transformar as estruturas sociais que ainda perpetuam a desigualdade e a injustiça.

Harriet Martineau: biografia deste filósofo

Harriet Martineau: biografia deste filósofo 1

A história está cheia de mulheres feministas que já deram os primeiros passos na luta pelos direitos das mulheres. É o caso de Harriet Martineau, uma escritora britânica que também era filósofa, ativista social e socióloga. Harriet, além disso, defendeu ativamente o movimento abolicionista e também lutou pelos direitos dos pobres e escravos.

Neste artigo, resumiremos uma biografia de Harriet Martineau: suas origens e estudos, sua filosofia, carreira e a importância de seu trabalho .

Biografia de Harriet Martineau: quem era?

Harriet Martineau foi escritora britânica e feminista do século XIX e também filósofa, ativista social e socióloga , que se interessou muito pela economia política. Além disso, é considerado por alguns especialistas como o primeiro sociólogo da história.

Ela era uma mulher que apoiava ativamente o estabelecimento de leis para os pobres, bem como o movimento abolicionista . Esse movimento tentou defender a anulação de leis ou costumes considerados atentos aos direitos e à ética das pessoas.

Quanto à sua ideologia, Harriet era muito a favor do “laissez-faire” (“deixar ir”, o que implica abster-se de um endereço ou mandato), embora ele também defendesse o direito de greve e organização.

  • Você pode estar interessado: ” Beatrice Webb: biografia deste sociólogo e ativista britânico “

Nascimento e juventude

Harriet Martineau nasceu na Inglaterra em 12 de junho de 1802 (especificamente, em Norwick). Filha dos huguenotes franceses (um tipo de protestante), seu pai era um homem de negócios bem posicionado, por isso recebeu uma educação muito boa .

Essa educação foi muito superior à que a maioria das mulheres do tempo recebeu. Além de estudar matérias como física, matemática, história e astronomia, ele aprendeu várias línguas.

Mulher letras

Mais tarde, Harriet decidiu estudar filosofia e ciências sociais . Com a morte de seu pai, em 1825, ele teve que começar a bordar, mas combinou-o com trabalhos escritos em jornais, pelos quais ganhou algum prestígio. Por exemplo, ele colaborou por vários anos no jornal Daily News , onde escreveu mais de 1.000 artigos.

Em 1832, com 30 anos, desenvolveu uma coleção de 25 romances , intitulada Ilustrações da economia política , onde apresentou suas idéias e explicações em relação ao consumo de riqueza, sua produção e distribuição, além das implicações que teve nas pessoas pobres. .

Além disso, ele estava muito interessado nos trabalhos de Jane Marcet (escritora inglesa e disseminadora de ciências), o que a interessou em Economia Política . Este tema foi muito recorrente em seu trabalho.

Seu trabalho em sociologia

Como começamos a ver, entre 1819 e 1830, Harriet Martineau começou a contribuir com o campo da sociologia, publicando em jornais locais. Um fato notável é que, em 1821, ele publicou abertamente no jornal Monthly Repository sua rejeição ao tratamento desigual recebido pelas mulheres .

Dessa maneira, suas idéias feministas tentaram exaltar os direitos e as capacidades das mulheres e começaram a emergir, através de seus artigos, obras e publicações.

Sua implicação no feminismo

Pode-se dizer que Harriet Martineau era uma lutadora feminista, uma grande defensora dos direitos das mulheres. Entre seus conselhos ou idéias, estavam os de educar equitativamente meninas e meninos , alegando que suas habilidades intelectuais eram iguais.

Relacionado:  Franz Joseph Gall: biografia do criador da frenologia

De fato, e para dar um exemplo, em um de seus artigos, intitulado Educação da Mulher , ele explicou que as “supostas” diferenças entre mulheres e homens se deviam exclusivamente à discriminação educacional a que estavam sujeitas. Para escrever este artigo, ele foi inspirado por Mary Wollstonecraft , também filósofa e escritora inglesa.

Outro exemplo de suas idéias feministas é encontrado em sua defesa por causa da decisão da mulher de não se casar, se ela desejar . Idéia que ele também praticou, já que nunca se casou.

Viagem

Harriet Martineau fez importantes viagens que influenciaram seu trabalho e ideologia, além de lhe proporcionar uma vasta experiência no campo do ativismo social .

Em 1834, Harriet viajou para os Estados Unidos para apoiar o movimento abolicionista, como vimos no início do artigo. Lá ele permaneceu dois anos, e essa experiência o levou a escrever o livro Society in America , que consistia em uma análise exaustiva das estratégias sociais em torno da figura feminina, escravidão e moral .

Outra de suas importantes viagens foi, anos depois (em 1846), pelo Oriente Próximo, Egito e Terra Santa. Após as experiências que viveu lá, em 1848, ele escreveu um novo livro, intitulado Vida Oriental. Presente e passado , onde especulou sobre os tesouros escondidos sob as areias daqueles lugares que visitou.

Trabalho

Alguns dos trabalhos mais importantes de Harriet Martineau foram:

  • Ilustrações de Economia Política , 1832-34
  • Leis e pessoas pobres , 1833
  • Ilustrações de tributação , 1834.
  • Sociedade na América , 1837.
  • Cartas sobre as leis da natureza e desenvolvimento do homem , 1851
  • A filosofia de Comte, livremente traduzida e condensada , 1853
  • Autobiografia , 1837.

Morte

Aos 53 anos de idade, em 1855, Harriet ficou gravemente doente e se preparou para escrever sua Autobiografia , que seria editada um ano após sua morte (em 1877). Nos últimos dias, Harriet continuou escrevendo no Daily News , até morrer aos 74 anos, em 27 de junho de 1876, em Ambleside (Inglaterra).

Dizem que foi a própria Harriet quem escreveu seu obituário, publicado no próprio Daily News , no dia de sua morte.

Referências bibliográficas:

  • Freedgood, E. (1995). Banindo o pânico: Harriet Martineau e a popularização da economia política. – Estudos Vitorianos, Indiana University Press, 39 (1): 33-53.

  • Martineau, H. (2005). Como observar: moral e boas maneiras. Kessinger Publishing.

  • O’Brien, DO (1989). Os economistas clássicos. Madri: Aliança Universitária.

  • Salazar, M. (2018). Harriet Martineau: Um revolucionário do seu tempo. O que é economia?

Deixe um comentário