História da Educação no México: Antecedentes e Evolução

A história da educação no México é longa e turbulenta: desde o início da educação mesoamericana, pela colonização espanhola e depois pelas políticas educacionais do México independente. A educação do país foi exposta a várias mudanças históricas.

A Igreja Católica e Carlos V desempenharam um papel fundamental na mudança da educação tradicional imposta pelas tribos locais antes da colônia. Sem dúvida, a religião católica foi o principal fator que definiu as políticas educacionais do país sob o domínio da coroa espanhola.

História da Educação no México: Antecedentes e Evolução 1

Antecedentes

Astecas

As primeiras indicações de um sistema educacional que foram apresentadas na história do México vieram das mãos da civilização asteca. Eles tinham dois tipos de instituições educacionais principais: o calmécac, usado para treinar guerreiros; e o cuicacalli, usado para educar padres.

Durante o domínio asteca no México, a cultura religiosa ganhou grande importância. Por esse motivo, a criação de instituições que servem para preparar futuros padres da aldeia foi considerada essencial. Neles, eles aprenderam tudo relacionado ao culto aos deuses astecas, como também aprenderam a fazer rituais cerimoniais.

Da mesma forma, à medida que a civilização asteca se expandia por toda a Mesoamérica por meio de armas, era essencial o treinamento de guerreiros treinados para acabar com rapidez e efetivamente a vida do inimigo.

Com base nesses dois princípios astecas, foram criados os primeiros sistemas educacionais da Mesoamérica e, portanto, do México.

Maya

A civilização maia também tinha um sistema educacional, embora fosse muito mais seletivo do que o de suas contrapartes astecas. Os maias educavam apenas as classes sociais mais altas, chefes tribais e líderes de guerra.

Pessoas de classes sociais menos ricas ou sem parentesco eram educadas em casa por suas próprias famílias. Era um sistema bastante seletivo e exclusivo. Por outro lado, em muitos casos, hieróglifos foram usados ​​para transcrever certas palavras.

Evolução

Chegada dos espanhóis

Quando os espanhóis chegaram ao território mexicano, procuraram oferecer educação religiosa a todos os povos indígenas locais por meio de padres enviados da Europa.

Centros educacionais foram construídos em toda a região e até alguns locais foram treinados para se tornarem padres, embora este último tenha sido vencido.

Nas maiores comunidades indígenas que permaneceram no México após a conquista e durante o período da colonização, igrejas foram construídas para ensinar o catecismo e promover o catolicismo.

Os brancos tinham uma educação mais especializada, principalmente os crioulos. Os brancos peninsulares foram para o México já preparados na Espanha, enquanto os crioulos geralmente eram educados na mesma região.

Da mesma forma, meninas ou meninos de raça mista de classes sociais menos favorecidas tinham poucos privilégios educacionais. Em muitos casos, eles não estudaram, o que causou um alto nível de analfabetismo em toda a região pré-independência do México.

Avanços na educação no século XVIII

Um dos principais argumentos para popularizar a educação no México foi envolver os jovens na doutrina religiosa. Pensa-se que o maior número de jovens no que era então a Nova Espanha tinha pouco conhecimento das doutrinas religiosas cristãs; naquela época, era inaceitável.

Isso levou à criação de escolas especializadas em educação religiosa e à criação de uma “moral” em todos os alunos. Essa moralidade serviria não apenas para salvar os jovens do inferno, mas também para criar um certo nível de responsabilidade na sociedade que promulgava a paz dentro da nação.

Note-se que a formação não era puramente religiosa. Os jovens também aprenderam literatura e matemática. As habilidades que lhes foram ensinadas eram principalmente técnicas, para que, ao final dos estudos, pudessem ser incorporadas como membros úteis à sociedade colonial da época.

Foi perto do final do século, quando outras metodologias começaram a ser implementadas. Mais ênfase foi colocada nas disciplinas de ensino, embora a religião ainda tivesse prioridade.

Consolidação educacional do século XIX

O governo de Agustín Iturbide (monarca do Primeiro Império Mexicano) tentou estabelecer mais claramente um sistema educacional no México, mas a falta de dinheiro do país não lhe permitiu realizar esse trabalho. No entanto, lançou as bases para as reformas de Valentín Gómez Farías, que tornou a educação pública com seu projeto de 1824.

Com o México já independente, Gómez Farías foi considerado o pai da educação pública no país. O governo se tornou o principal responsável pela educação mexicana, deixando a Igreja de lado e dando prioridade a outros assuntos além da religião.

Avanços do século XX

Após a chegada de Porfirio Díaz ao governo mexicano, e com o conselho do professor Justo Sierra Méndez, a Universidade do México foi inaugurada. Alguns anos depois, tornou-se a primeira universidade autônoma do país e recebeu o nome atualmente: Universidade Nacional Autônoma do México (UNAM).

Foi em meados dos anos 30 que a profissão de professor recebeu um novo grau de prestígio. Até 1935, a maioria dos professores não possuía um alto nível de educação.

Com a criação de uma lei que transformou os professores em trabalhadores oficiais do país e a fundação do sindicato oficial dos professores no México, a educação recebeu um impulso significativo com a melhoria da qualidade dos professores.

Os anos 60 também foram produtivos para a educação mexicana, pois os livros didáticos foram atualizados para dar mais ênfase ao conhecimento científico e histórico dos alunos.

A partir de 1970, a educação das mulheres mexicanas passou a ter prioridade, uma vez que o número de estudantes do sexo feminino era bastante pequeno comparado ao de seus colegas do sexo masculino. Esse processo foi consolidado em 2006, quando a educação mexicana atingiu seu estado atual de desenvolvimento.

Referências

  1. México – História e antecedentes, Universidade Estadual, (sd). Retirado de stateuniversity.com
  2. Sistema Educacional no México, Class Base, 2012. Extraído de classbase.com
  3. O sistema educacional mexicano: uma visão geral, Transferwise online, 2017. Extraído de transferwise.com
  4. Educação no México, Wikipedia em inglês, 9 de abril de 2018. Extraído de wikipedia.org
  5. Educação maia antiga, site asteca maia inca, 2018. Extraído de incamayanaztec.com

Deixe um comentário

Este site usa cookies para lhe proporcionar a melhor experiência de usuário. política de cookies, clique no link para obter mais informações.

ACEPTAR
Aviso de cookies